Jogamos

Análise: Nintendo Switch Online – o que ele oferece e quais as vantagens

O serviço em rede da Nintendo fica mais próximo dos concorrentes nessa “geração".


A Nintendo sempre teve iniciativas de serviços em rede, mesmo antes da popularização da internet, mas a forma como isso foi tratado com o Nintendo Switch Online foi diferente. Pela primeira vez a Nintendo seguia o que seus concorrentes faziam (há anos), mas com seu toque mágico, por assim dizer. Jogatina online, jogos gratuitos, salvamento na nuvem e chat por voz, ainda que via app para dispositivos móveis. Mas será que vale a pena?

Aventuras pelo espaço cibernético

A Nintendo já se aventurou pelas mais diversas redes de dados. Desde o Super Famicom há serviços em escala comercial com finalidade semelhante, como o Satellaview; nele era possível aproveitar conteúdo extra exclusivo por um sistema similar às TVs a cabo. No GameCube, com a massificação da internet, tentou-se entrar na onda com adaptadores para as ainda comuns portas inferiores dos consoles. Mario Kart: Double Dash!! e Phantasy Star Online foram os expoentes desses acessórios para internet discada e banda larga.


Na geração seguinte os passos foram mais firmes, e tanto o Wii quanto o DS vieram com um modem integrado. Nesses aparelhos que a jogatina online nas plataformas da Nintendo se popularizou (Mario Kart de novo se fez presente; pra mim especialmente a versão DS), assim como a venda de jogos online. Os jogos antigos eram disponibilizados no saudoso Virtual Console, enquanto os novos eram ofertados nos serviços DSiWare e WiiWare, que em seus sucessores virou a ainda presente eShop.

Acontece que no Switch, inicialmente, os serviços deram um passo para trás. Não sabemos se por alguma mudança estrutural no hardware adotado ou se por uma estratégia nova, mas de fato algo mudou. A jogatina online, gratuita num primeiro momento (e em todas as vezes até aqui) passaria a ser cobrada (isso ocorreu em 18 de setembro de 2018) e o Virtual Console ficou no passado.

O segundo ato

Após um lançamento um tanto quanto enxuto, o serviço batizado de Nintendo Switch Online foi ganhando força. Além de oferecer jogatina online em alguns títulos (há outros que podem ser jogados online sem a assinatura) e salvamento do progresso na nuvem, também havia a possibilidade de chat por voz através do app para smartphones e a oferta de jogos antigos, dessa vez sem cobrança adicional.

Começando pelo NES – Nintendo Switch Online e seguindo pelo SNES – NSO, a oferta de jogos é constantemente atualizada, ainda que não no ritmo desejado para quem estava acostumado com a imensa oferta do Virtual Console, mas num bom ritmo para quem for se aventurar em tudo que for disponibilizado.



Ainda que restritos aos jogos de duas plataformas, nossas expectativas para o avanço de pelo menos uma geração são altas, até porque em Super Mario 3D All-Stars vimos jogos de N64, GC e Wii rodando perfeitamente. Seria apenas uma questão de tempo e alinhamento estratégico para a inclusão de nossas plataformas no serviço, o tornando mais atrativo.

Conte suas moedas

Há duas modalidades de contratação disponíveis: Individual e familiar. Na primeira, temos opções de 1 mês (R$ 14,80), 3 meses (R$ 29,70) e 12 meses (R$ 74,25); na segunda, há apenas a opção de 12 meses para até 8 contas (R$ 129,95). Há ainda um período de testes disponível por 7 dias, assim você pode avaliar se realmente vale a pena assinar algum dos pacotes.

Balanço geral

Levando em consideração as alternativas da Sony e da Microsoft, o Nintendo Switch Online é bem atrativo. Além de já disponibilizar o catálogo completo no ato da assinatura, não apenas dois títulos por mês, o custo é pelo menos a metade dos concorrentes.

Ainda que essa comparação direta não fosse feita, o custo anual é de 25% do custo dos lançamentos mais recentes da eShop nacional, mas já recebemos vários jogos, que vão nos garantir horas de jogo. E sabemos que para quem comprou um Switch, quase sempre os jogos do passado são um fator importante; afinal, ser nintendista já é um estilo de vida. E, ainda, jogar Mortal Kombat 11, Ultra Street Fighter II: The Final Challengers, FIFA 21 e Super Smash Bros. Ultimate, entre outros, com os amigos sem ter que sair de casa tem lá seu apelo.




É claro que queremos e esperamos mais jogos e mais plataformas disponíveis no NSO, mas o que há disponível hoje e o que a Nintendo fez, entrando tão tardiamente nesse modelo adotado há anos pela concorrência, faz o Nintendo Switch Online mais do que valer a pena.

Revisão: Diogo Mendes
Análise produzida com cópia digital cedida pela Nintendo

Fã de Cavaleiros do Zodíaco, Power Rangers e videogames, em especial Metroid e Resident Evil. Tem uma queda pela Nintendo, mas sabe apreciar o que há de bom na concorrência. Quando se lembra posta alguma coisa bacana no Instagram .


Disqus
Facebook
Google