Perfil

Ghirahim — O espírito da espada de Demise

Veja o quão emblemático é este personagem que ganhou vida em Skyward Sword e aborda um tema além da vilania.

Como se cria um vilão de respeito? Arrogância? Força sobrenatural? Capacidade de  subjugar qualquer um diante seus discursos envolventes? E se juntássemos tudo isso em um personagem só e ainda adicionássemos uma pitada de excentricidade? O resultado é um dos vilões mais controversos da franquia e que certamente causou uma certa estranheza em sua primeira aparição: seu nome é Ghirahim, o vilão de The Legend of Zelda: Skyward Sword (Wii/Switch).

Curioso para saber um pouco mais sobre o personagem? Então pegue seu Wii Motion Plus, mantenha uma distância segura dos objetos e boa leitura!

Abram-se as cortinas

Para Ghirahim, cada segundo em tela é vivido com emoção, quase como se fosse parte de um ato de uma grande peça teatral. As expressões exageradas, o sarcasmo, a tragédia, o riso: um misto de emoções combinadas que culminam em uma performance digna de um prêmio. Seu visual andrógino favorece esse tipo de abordagem, afinal ter características de dois sexos em uma pessoa só abre um leque de oportunidades imenso e que só ele tem.

É, chegou perto demais...

Ghirahim é o típico vilão que demonstra em cada palavra sua superioridade e sobre como está se encaminhando para um destino inevitável. Aliás, nem tão típico assim, afinal a forma com a qual ele transmite sua mensagem é singular. Cada frase dita por ele soa como se estivéssemos em um musical, incrementada pela interpretação aplicada em cada palavra, gesticulando, entonando, e mesmo sem usar nenhuma voz, conseguindo dar vida aos seus discursos.

Seu visual lembra o de um bailarino, vestindo um colant beeem agarrado e cheio de brilho. As formas de prisma ajudam na iluminação, pois esta forma geométrica é conhecida por ser capaz de refratar a luz, ou seja, diferente de um espelho que a reflete, o prisma muda a trajetória da luz. Sabe quando olhamos para uma piscina que parece ser mais rasa do que realmente é? Pois bem, Ghirahim é o “reflexo” dessa característica.

Um verdadeiro caleidoscópio

Ser ou não ser?

Diferente do padrão da série Zelda, onde os inimigos costumam ser um poço de força bruta e que precisamos de estratégia para acertar seu ponto fraco três vezes, Ghirahim se destaca justamente pelo oposto: seu físico leve e frágil, a princípio, não demonstra sua habilidade e destreza. Ao invés de exagerar na força, o vilão se destaca com sua agilidade e técnicas que poderiam acabar com qualquer um num piscar de olhos.

Apenas um dedo, que vergonha Link!

Quando passamos esse conceito para o combate mano a mano, o autointitulado Lorde dos Demônios é extremamente preciso em seus ataques, abrindo pouquíssimas janelas para contra-ataques. Seu foco é usar a força do adversário contra ele mesmo: completamente desarmado, ele é capaz de roubar a arma do herói do tempo e usá-la contra ele. Isso somado ao seu poder de teletransporte e de invocar adagas flutuantes e projetá-las contra Link, torna-o um inimigo mortal.

Os opostos se atraem

Essa máxima nunca foi tão bem aplicada quanto na série The Legend of Zelda. Por toda Hyrule, há raças ou personagem que é completamente oposta à outra. Em Skyward Sword, não poderia ser diferente e um desses opostos é exposto de forma sutil e que poucos conseguem perceber: Ghirahim e Fi são os espíritos das espadas de seus mestres, ou seja, cada um deles é um fiel servo e que vivem para se fazer cumprir as vontades de quem as empunham.

Até que se parecem
Enquanto Fi é completamente fria e calculista, Ghirahim usa e abusa das emoções e da extravagância para ser notado. Inclusive isso reflete nas personalidades do herói e do vilão, que quando se enfrentam, permitem perceber a rivalidade que existe não só entre Link e Demise como entre Fi e Ghirahim.

O bom de termos um vilão como este é que há uma fuga do estereótipo padrão e quebra de paradigmas há muito tempo presentes na indústria. Justamente por ser tão diferente, tanto no físico como em atitude e personalidade, Ghirahim levanta questões sociais muito presentes nos dias de hoje e que com certeza serão vistas por mais pessoas, além de também poder acolher aqueles que se identificam com o vilão, mas que por sua condição, precisam esconder ou até mesmo inibir traços de sua personalidade, a fim de que tenham a chance de viver em sociedade.

"Eu sou o senhor demônio que preside esta terra que você despreza, este mundo que você chama de superfície. Você pode me chamar de Ghirahim."

Revisão: Icaro Sousa


Fã de carteirinha dos monstrinhos de bolso desde os oito anos de idade, teve seu primeiro contato com a franquia no Game Boy Color e desde então, são mais de 20 anos de alegria. Fanático por vídeo-games, gostaria de poder jogar mais tempo do que trabalha.


Disqus
Facebook
Google