Jogamos

Análise: Overcooked! All You Can Eat (Switch) é a sua melhor chance de brilhar na cozinha

Com tanta coisa para fazer, a experiência na cozinha nunca mais será enfadonha.

Overcooked! All You Can Eat reúne todo o conteúdo dos dois primeiros títulos de uma das séries mais famosas de games de culinária. Com uma quantidade imensa de fases e muito conteúdo extra, essa compilação é a porta de entrada perfeita para quem tem vontade de conhecer esse fenômeno. Por outro lado, se você já possui os outros jogos, provavelmente suas receitas já são mais do que o suficiente.

Como nos reality shows

Eu desconfio que a atração que as pessoas têm por reality shows de gastronomia se deve à tensão gerada pelo tempo limitado para a realização das receitas. De fato, ver alguém sofrendo para fazer um bom prato em poucos minutos pode mesmo ser divertido, desde que essa pessoa não seja você.

Em Overcooked, os pratos não são avaliados pela sua qualidade, mas sim por sua montagem correta e entrega dentro do prazo. Existe um pretexto narrativo para a produção das receitas no Reino das Cebolas, mas ela é totalmente dispensável. Aliás, o enredo genérico tem características similares nos dois jogos da franquia, e justamente por isso não existe nenhum impedimento para que você inicie sua jornada pelo segundo game.



Overcooked é um jogo que possui uma campanha focada na cooperação. Mesmo jogando sozinho é necessário controlar, alternadamente, dois chefs que se revezam na realização de atividades dentro da cozinha. Cortar alimentos, colocá-los na panela/frigideira/fogão/batedeira/etc, fazer a montagem com as combinações corretas, lavar pratos e entregar cada pedido na ordem são as tarefas necessárias para avançar na aventura.

Dependendo da presteza do serviço e da quantidade de entregas, a pontuação será medida em pontos que servem para definir uma classificação em até três estrelas. Para avançar em alguns estágios é necessário um quantitativo mínimo de estrelas acumuladas; por isso, o ideal é sempre lutar pelo melhor resultado possível.



A promessa dos desenvolvedores para essa compilação era aproximar o primeiro título do segundo, que possui mecânicas mais equilibradas. Infelizmente, o principal recurso de Overcooked 2, a habilidade de jogar comida, não foi implementada no original. Ainda assim, o carregamento mais rápido, o polimento nos estágios e a presença do online dão uma nova cara ao game original.

Outro destaque de respeito é o Assist Mode. Ao iniciar um novo jogo nesse modo, é possível ter um tempo maior e a possibilidade de que os pedidos não expirem, evitando a penalização de pontos por atraso na entrega. Pode até ser que essa opção não agrade a todos, mas é importante que ela exista para permitir a adequação a diferentes perfis de interesse.

Aliás, essa opção é interessantíssima para quem quer ou precisa jogar sozinho. Quem já tentou sabe como pode ser ingrata a experiência de controlar os dois chefs simultaneamente na cozinha, com o tempo apertado e muita coisa para fazer.


Problemas na cozinha

Além das fases originais, há também 13 packs de DLC, incluindo estágios completamente novos e muitos chefs desbloqueados automaticamente. Overcooked! All You Can Eat oferece ainda um modo Arcade, que pode ser jogado de forma cooperativa ou competitiva, localmente ou online, expandido ainda mais a longevidade da coletânea. Contudo, o online não é tão funcional quanto devia ser.

É comum que o tempo de espera no lobby seja longo demais, assim como não são raros os casos de desconexão no meio das partidas, tornando a experiência mais frustrante do que divertida. No fim, o brilho da série Overcooked volta sempre para o co-op local, sendo talvez a melhor expressão do gênero na atualidade, especialmente se as pessoas envolvidas possuírem a paciência necessária.

Infelizmente, nem tudo são maravilhas. Os controles no Switch são imprecisos de um modo estranho. Como já joguei o mesmo título em outra plataforma, notei que tanto com o Joy-Con como com o Pro Controller é muito mais difícil posicionar o seu personagem na frente da bancada para pegar um item. Se o prato estiver ao lado da panela, é quase certeza que você vai tentar pegar um e acabar segurando o outro. Como tudo aqui depende muito da precisão, jogar com o analógico do Switch se provou extremamente desafiador, mas por um motivo ruim.

Novas e velhas receitas de sucesso

Overcooked! All You Can Eat oferece boa quantidade de conteúdo pelo preço de um único jogo. Além disso, traz aprimoramentos ao primeiro título da série, tornando-o mais palatável, e dá mais opções para os jogadores, tornando a experiência mais inclusiva e agradável.

Os controles no Switch, especialmente no uso do analógico, criam uma dificuldade a mais, mas nada que atrapalhe por completo a experiência. Para quem tem interesse em conhecer a série, não existe dúvida: essa é a versão definitiva. Se você já possui os games (comprados digitalmente) será aplicado um desconto de 15% na compra do novo pacote, mas apenas até o dia 11 de abril. Ainda assim, fica a dúvida: faz sentido comprar Overcooked mais uma vez? Eu acho que não, mas tudo depende, claro, do quanto você ama a cozinha — e o caos.

Prós

  • Muito conteúdo, com aprimoramentos significativos;
  • Variedade de modos de jogo e customizações;
  • Opções de acessibilidade e assistência.

Contras

  • Modo online pouco funcional;
  • Controles pouco precisos no Switch.
Overcooked! All You Can Eat — Switch/PC/PS4/XBOX — Nota: 9.0
Versão utilizada para análise: Switch
Análise produzida com cópia digital cedida pela Team 17
Revisão: Davi Sousa


Pesquisador nas áreas de estética e cibercultura com Mestrado em Cultura e Sociedade (UFMA) e Doutorado em Comunicação (UnB). Além de escrever sobre jogos, produz o Podcast Ficções e tem um blog sobre literatura, filosofia e cotidiano.


Disqus
Facebook
Google