Jogamos

Análise: Touhou Hyouibana ~ Antinomy of Common Flowers (Switch) alia combate simples ao colorido universo de Touhou

Com comandos fáceis, entenda como este jogo de luta 2D é uma ótima pedida tanto para veteranos quanto para novatos — fãs ou não de Touhou.

analise touhou antinomy common flowers header tenshi kasen
Touhou Hyouibana ~ Antinomy of Common Flowers (AoCF ou Touhou 15.5, como é conhecido no fandom) foi originalmente lançado para Windows em 2017, durante o evento Reitaisai 14; um ano depois, o jogo ficou disponível para PC via Steam. Diferentemente de Touhou Luna Nights e Touhou Spell Bubble, que são spin-offs, Antinomy of Common Flowers é um jogo oficial da franquia, mesmo que fuja do gênero bullet hell.

Desenvolvido pelo grupo Twilight Frontier e supervisionado por ZUN, criador da série Touhou, AoCF é um jogo de 2D com sistema tag team e dá continuidade à “saga do Oculto” iniciada em Touhou Shinpiroku ~ Urban Legend in Limbo (Touhou 14.5).

Lendas Urbanas e a Possessão Perfeita

Estranhos rumores começaram a se espalhar na Human Village, assustando todas as crianças humanas em Gensokyo. Logo chamados de “lendas urbanas”, esses fenômenos não eram obras de youkais, mas sim de algum poder misterioso e oculto. Sem nenhuma vítima aparente, os adultos passaram a tratar esses rumores como histórias inventadas pelos mais novos.

Contudo, Reimu e companhia decidiram investigar o que eram essas tais “lendas urbanas” e descobriram que seus poderes podem ser controlados; dessa forma, as garotas pensaram em dominar essa força oculta para proteger os humanos de ataques de youkais. Porém, quando elas menos imaginavam, um novo fenômeno sobrenatural torna a colocar Gensokyo em perigo.

analise touhou antinomy common flowers nitori sumireko
Confesso que a história da Nitori foi uma das piores no hard

Chamado de Possessão Perfeita, esse poder permite que uma pessoa controle não apenas o corpo, mas também a alma de outrem; novos rumores começam a circular na Human Village devido ao medo dos humanos em relação ao oculto. Reimu, mais uma vez, se alia às outras habitantes de Gensokyo para resolver este novo incidente, associado por elas às Lendas Urbanas.

A busca pela Possessão Perfeita

Como dito anteriormente, AoCF é um jogo de luta 2D com sistema de tag team, que até então não existia em Hopeless Masquerade (Touhou 13.5) e o próprio Urban Legend in Limbo. Mesmo que se trate de uma continuação, o título possui uma história independente e não requer conhecimento prévio das demais tramas existentes na franquia.

Touhou 15.5 conta com os modos História (Story); Treino (Training); multiplayer local (Vs Com e Vs Player); e multiplayer online. Embora o idioma padrão do jogo seja japonês, é possível habilitar legendas em inglês e os botões podem ser remapeados da maneira como o jogador preferir, além de ser dada a opção de gravar replays das partidas.

A campanha principal do jogo possui pequenas histórias independentes, cada qual com uma dupla pré-estabelecida que está estudando o fenômeno da Possessão Perfeita por algum motivo. No início, apenas a história de Reimu e Kasen está disponível, porém, assim que é completada, novos pares são desbloqueados. Sempre que o jogador termina a campanha com uma dupla, mais a trama é desenvolvida até chegar à parte final, o que confere um fator de rejogabilidade a AoCF.

touhou antinomy common flowers story yukari reimu
Um longo caminho para chegar à história final

As dificuldades variam de Easy a Lunatic, tal qual nos jogos principais da série, inclusive para o modo contra a CPU. Para o multiplayer online, pode-se procurar oponentes de maneira mais específica, de acordo com o nível de habilidade dos jogadores (iniciante, intermediário ou expert) ou até mesmo o tipo de partida desejado.

Os prós e contras de um jogo atual com mecânica retrô

Talvez o ponto forte de AoCF seja sua apresentação simplificada, tanto nos comandos quanto no fator audiovisual, que se aproxima bastante ao dos jogos principais. Porém, ao mesmo tempo que essas características são bastante convidativas para jogadores novatos, especialmente em se tratando da complexidade de comandos de outros títulos do gênero, elas deixam a desejar em alguns aspectos.

Touhou 15.5 possui comandos simples: para realizar ataques, o jogador utiliza os direcionais juntamente com um dos botões de ação (corporal, shot ou skill), aproximando-o de Super Smash Bros. nesse quesito — com a adição de poder alternar entre Master (personagem principal) e Slave (personagem secundária). Por outro lado, a falta de uma lista de comandos para explorar a combinação de ataques e até mesmo a ativação dos golpes especiais — mesmo no modo Training — pode deixar qualquer um no escuro.

Por mais que a jogabilidade seja bastante simplificada e fácil de entender, na maioria das vezes deixa a sensação de que "basta apertar os botões para ver no que dá", algo que vai de encontro ao propósito dos jogos de luta mais atuais. O sistema de Spell Cards, algo que pode confundir aqueles que não conhecem Touhou, conta com um agravante bastante sério: o menu de seleção desses golpes especiais continua em japonês e não existe uma explicação sobre seus efeitos em combate.

A falta de uma comunidade ativa, pelo menos na versão de Switch, faz com que o multiplayer online, um dos principais atrativos dos jogos atuais, seja desperdiçado. Além disso, das poucas vezes em que consegui achar oponentes, o lag nas partidas era bastante comprometedor, deixando-as inviáveis — sem, ainda, com a possibilidade de abandoná-las a não sem ser por meio de fechar o jogo e iniciá-lo novamente.

AoCF é, no geral, satisfatório. Além de os comandos fluírem bem, sem nenhum tipo de atraso no command input, também apresenta efeitos sonoros e estética bastante fiéis aos dos títulos de bullet hell — aliás, esta é uma característica que não pode passar batida: mesmo sendo um jogo de luta 2D, Touhou 15.5 não parece algo que foi largado de qualquer jeito dentro de seu próprio universo.

analise touhou antinomy of common flowers spell cards japones
Algumas partes ainda necessitam de tradução

A Possessão Perfeita final

Touhou Hyouibana ~ Antinomy of Common Flowers pode ser considerado um dos melhores jogos de luta oficiais da franquia, mesmo que deixe a desejar em alguns aspectos importantes. Por mais que não conte com nenhuma inovação para o gênero, conta com uma apresentação bastante sólida e jogabilidade fácil e simples, sendo um bom título tanto para veteranos quanto novatos.

Sem abrir mão dos elementos que fazem de Touhou um destaque dentro do gênero shoot 'em up, Antinomy of Common Flowers pode ser, inclusive, a porta de entrada da franquia para os consoles — e para o Ocidente como um todo.

Prós

  • Jogabilidade simples, fluida e fácil de entender;
  • História independente, sem necessidade de conhecimento prévio da franquia;
  • Fator de rejogabilidade no modo história;
  • Fiel aos elementos audiovisuais da franquia;
  • Diversos níveis de dificuldade.

Contras

  • Falta de tradução em alguns momentos;
  • Sem tutorial e lista de comandos e movimentos;
  • Multiplayer online desperdiçado devido à ausência de comunidade ativa;
  • Sem inovações significativas para o gênero.
Touhou Hyouibana ~ Antinomy of Common Flowers — PC/Switch/PS4 — Nota: 7.0
Versão utilizada para análise: Switch
Revisão: Icaro Sousa
Análise desenvolvida com cópia digital cedida pela Phoenixx
 

Também conhecida como Lilac, não consegue viver sem música. Livros e quadrinhos fazem parte de sua biblioteca. Adora filmes, jogos, animações e experiências culinárias, sobretudo doces. Prefere ser chamada por Ju.


Disqus
Facebook
Google