Jogamos

Análise: Earth Defense Force: World Brothers (Switch) é uma luta refrescante e engraçada contra criaturas alienígenas gigantes

Novo jogo da franquia EDF oferece bom humor e um combate acessível em uma experiência bastante agradável.

Earth Defense Force é uma série de jogos de ação focada no combate contra alienígenas gigantes. Com um tom over-the-top nos seus combates, as obras são inspiradas em clássicos do gênero kaiju, mas contam com a maior parte dos inimigos com uma aparência de insetos gigantes.

Desenvolvido pela Yuke’s, Earth Defense Force: World Brothers troca a aparência mais realista da série pela estilização em voxels. Esse estilo visual é mais popularmente conhecido por ser utilizado em Minecraft, apresentando personagens e cenários compostos por grandes blocos. Além disso, a obra opta por pesar a mão no humor, sendo um jogo excelente para se divertir sem compromisso.

EDF! EDF!

World Brothers se passa em um universo alternativo no qual a Terra é um grande cubo e foi quebrada em vários pedaços durante a invasão do Dark Tyrant. Para poder lidar com os invasores, o jogador irá comandar um esquadrão da Earth Defense Force e quem sabe encontrar uma forma de restaurar a Terra à sua forma original.

O jogo é composto por várias missões que podem ser jogadas sozinho ou em multiplayer local ou online. No entanto, só é possível jogar localmente com outro jogador que tenha outro Switch com o jogo, carregando assim a sua própria equipe de 4 personagens no mapa.

Apesar de haver algumas variações, o conceito das fases é basicamente o mesmo: grandes ondas de inimigos gigantes aparecem atacando a cidade e cabe a você derrotar todos. Em algumas áreas haverá colônias de onde saem mais criaturas, em outras naves gigantes, há aranhas que usam teias e formigas que podem prender o jogador na sua mandíbula.

Ao todo, cada jogador pode usar uma equipe de até 4 personagens. Enquanto controla um deles, os outros serão aliados baseados em IA. É possível alternar entre eles apertando os direcionais. Com isso, caso o jogador fique sem munição (que recarrega com o tempo), com pouca vida ou preso por um inimigo, é possível realizar a troca para continuar atacando as hordas de criaturas.

Em cada fase há três personagens caídos para resgatar. Encontrá-los permite adicionar mais aliados ao esquadrão, aumentando a variedade do jogo. Cada tipo de personagem vem com uma arma pré-equipada, que pode ser focada em ataque de curto alcance (como a katana do Ninja Brother e os punhos da Dragon Sister) ou longo alcance (a maioria delas, mas existem grandes variações como rifles, lançadores de foguete, shotguns, etc).

No entanto, não é necessário ficar preso ao equipamento inicial, sendo possível trocar de armas à vontade antes de entrar em uma área. Além disso, cada personagem tem diferentes atributos e habilidades. Alguns podem se esquivar rapidamente, outros contam com granadas e outras formas de ataque secundário.

Por fim, todos os personagens contam com um poder especial que pode ser ativado após encher uma barra de energia derrotando os inimigos (e/ou pegando caixas de energia que caem dos inimigos mortos). Esses poderes podem variar bastante, incluindo ataques super poderosos, curar ou oferecer buffs aos aliados, acelerar os próprios ataques e a recarga de munição, etc. Há uma boa diversidade de personagens no jogo, permitindo realmente montar times bastante diversos e interessantes.

Pessoalmente, construí uma equipe com foco no equilíbrio para lidar com qualquer tipo de missão. Assim, acabei me mantendo com um time que inclui um personagem de ataque em proximidade (o Ninja Brother), outro para tiros à distância (a Gaucho Sister) e um tanque cuja armadura nunca foi completamente destruída em batalha (o Fencer de EDF4). A quarta posição variou bastante conforme testava outras possibilidades de aliados.

Vale destacar que todas as missões podem ser jogadas nos modos fácil, normal e difícil. Basta utilizar o menu de missões para alterar a dificuldade antes de entrar em uma área. Além disso, o jogador só falha em missão caso todos os quatro personagens morram, sendo possível reviver os aliados infinitamente caso um deles ainda tenha vida.

Outro elemento importante é o fato de que inimigos derrotados deixam cair caixas de cura e energia, permitindo se recuperar em meio ao combate frenético. Graças a tudo isso, mesmo jogadores com pouca experiência em jogos de ação e tiro podem aproveitar bem Earth Defense Force: World Brothers.

“É hora de ninja”

Chama a atenção a forma como o jogo trabalha em torno da comédia. Durante as missões, o jogador recebe transmissões de rádio comentando o que está acontecendo. Apesar de haver também muitos diálogos focados em direcionar o jogador, há muitas falas hilárias com piadas situacionais ou quebras de quarta parede.

O estilo gráfico bastante colorido e composto por blocos ajuda a deixar o tom do combate mais leve também. Os inimigos derrotados explodem em gosmas coloridas e seus corpos são ocasionalmente atirados ao ar em uma física ridícula. Prédios também são facilmente quebrados sem nenhum tipo de penalidade ao jogador. Assim a obra mantém um tom mais descontraído, tornando a disputa contra criaturas alienígenas gigantes uma excelente forma de relaxar.

Os personagens também são estilizados de formas caricatas, sendo baseados em elementos culturais de vários países. Por exemplo, o Brasil conta com a carnavalesca Samba Sister, o México com um Amigo Brother que atira bombas de tequila e o Japão conta com um Ninja Brother extremamente estereotipado que fica gritando ninja e falando em inglês com um sotaque quebrado. Há também algumas referências a jogos anteriores da série, como inimigos e aliados agora em versões voxelizadas.

Apesar de não haver uma grande variedade de áreas para as missões, elas são usualmente alternadas para que o jogador não sinta tanto a repetição. Ruas de grandes centros urbanos, zonas de natureza intocada e ruínas egípcias são algumas das regiões presentes. Em algumas missões, é possível inclusive utilizar veículos (incluindo um robô gigante), alterando o gameplay.

Em termos de performance, há alguns breves momentos em que o jogo trava temporariamente. Porém, mesmo se tratando de um título de ação, não senti que isso foi um grave problema, ocorrendo bem raramente e nunca tendo me acarretado problemas durante as fases. Com a enorme quantidade de hordas, fiquei até um pouco impressionado com a forma como o jogo manteve uma performance estável fora esses momentos.

Earth Defense Force: World Brothers
é um excelente jogo de ação com boas pitadas de comédia. Mesmo para quem não tem muito contato com o gênero, ele oferece diversão garantida. Com seu combate simples e acessível, ele prova que lutar contra alienígenas gigantes pode ser uma excelente forma de desestressar.

Prós

  • Variedade de opções de personagens e armas;
  • Gameplay simples e acessível para jogadores inexperientes;
  • História cômica cheia de piadas, que também impactam o design dos personagens;
  • Estilização baseada em voxels adequada ao humor da obra.

Contras

  • Em alguns raros momentos, o jogo trava por alguns milissegundos.

Earth Defense Force: World Brothers – Switch/PC/PS4 – Nota: 8.5
Versão utilizada para análise: Switch

Revisão:Icaro Sousa
Análise produzida com cópia digital cedida pela D3 Publisher


é formado em Comunicação Social pela UFMG e costumava trabalhar numa equipe de desenvolvimento de jogos. Obcecado por jogos japoneses, é raro que ele não tenha em mãos um videogame portátil, sua principal paixão desde a infância.


Disqus
Facebook
Google