Pokémon Blast

[Atualizada] Como vencer a segunda geração de Pokémon sem capturar nenhum monstrinho

Será que é possível superar os desafios de Johto sem capturar nenhum Pokémon selvagem?

Pokémon. Pocket Monsters. Capsule Monsters. Vários nomes simbolizam a franquia mais valiosa do mundo na atualidade. Em vários continentes e regiões espalhadas por esse universo, as criaturas conhecidas como Pokémon são utilizadas nas mais diferentes funções e, ao lado dos humanos, foram uma comunidade incrível.

Para poder carregar seus parceiros, as pessoas armazenam os monstrinhos em uma ferramenta que conhecemos como Pokéball, encapsulando-os (de forma confortável) e assim facilitando seu transporte. Cada treinador pode levar consigo até seis Pokémon.

O lema da franquia é a icônica frase “Temos que pegar!", e sempre que jogamos alguma versão da franquia, capturamos os Pokémon de que mais gostamos ou os mais fortes para poder finalizar a história principal.

Agora, e se não capturarmos nenhuma criatura, será que conseguimos vencer o jogo mesmo assim? É isso que vamos ver agora. Nossa aventura agora é na região de Johto, começando pelas versões Gold/Silver. Boa leitura!

Critérios

Antes de tudo, temos que estabelecer o conjunto de regras desse processo, a fim de que todos estejam na mesma página. São elas:
  • Pokémon considerados como Gift, ou seja, que o jogo te dá (inicial por exemplo), são permitidos;
  • Pokémon adquiridos através de compras (Game Corner) são permitidos;
  • Não é permitido capturar um Pokémon em batalha;
  • Trocas são permitidas apenas para evoluir os Pokémon que recebemos;
  • Glitches não são permitidos, pois concedem uma vantagem injusta para o jogador;
  • O uso de HMs será feito exclusivamente pelos Pokémon recebidos, ou seja, não será permitido capturar um Pokémon para utilizá-los.

Gold/Silver

Começo de jogo: primeira e segunda insígnia

Como opção de Pokémon inicial, temos o Totodile, do tipo WATER, e ficaremos com ele por um tempinho, pois há poucos Pokémon disponíveis nesse começo de jogo. A restrição de não podermos capturar nenhum monstrinho nos favorece em todos os sentidos quando o assunto é evoluir o Totodile. Dessa forma, é possível chegarmos próximo ao Lv.18 ainda no primeiro ginásio.

Logo após vencermos Falkner, o Professor Elm nos liga para falar sobre a possibilidade de recebermos  um ovo de Togepi. Embora não haja Togekiss nessa geração, chocar o ovo é, de certa forma, importante, pois o pequeno Pokémon pode aprender Flash, que diferente da primeira geração, é extremamente necessário para explorarmos as cavernas do game.

Quando chegamos na cidade de Azalea, é necessário derrotar a equipe Rocket e, na sequência, vencer nosso embate com Bugsy. Ao superá-lo, teremos duas insígnias e a técnica Fury Cutter, necessária para o desafio do próximo ginásio.

Meio de jogo: terceira até quinta insígnia

É chegada a hora de batalharmos contra Whitney e sua Miltank. Lembra-se do Fury Cutter? Hora de de usá-lo. O segredo aqui é nocautear a Clefairy com quatro golpes para que o quinto possa nocautear o Pokémon Vaca Leiteira em apenas um golpe, já que Fury Cutter aumenta o dano a cada acerto.

Após vencê-la, passaremos no Underground para pegar o Coin Case, item essencial em nossa jornada nessas versões. No Game Corner da cidade, há um Dratini à venda por 2100 moedas, e teremos que comprá-lo para prosseguir no jogo, já que o Feraligatr não pode aprender Waterfall na segunda geração.

Ao norte de Goldenrod, no posto entre a cidade e a rota 35, receberemos nosso quarto Pokémon: Kenya, o Spearow. Depois, passaremos pelo Centro Pokémon de Ecruteak e encontraremos Bill, o mesmo personagem da primeira geração, que habilita trocas entre treinadores.

Assim que ele regressa para Goldenrod, podemos obter um Eevee de sua irmã. No entanto, por conta da limitação de evoluções por pedra (disponibilizadas ao jogador só depois da da Elite 4), teremos apenas Espeon e Umbreon como opções. Claramente, o Pokémon psíquico é a melhor escolha, pois a maioria dos Pokémon do Team Rocket são do tipo POISON, e com isso, teremos vantagem direta.

Para evoluir o Eevee em Espeon, nós temos que atingir 220 de Happiness, então evite que o Pokémon normal seja nocauteado, ir  no no cabelereiro do Underground de Goldenrod em todos os dias e use vitaminas para aumentar seu crescimento, como Calcium e Carbos. Ah, e lembre-se de evoluí-lo durante o dia!

A partir daqui, a sequência de ginásios é bem simples, pois o Feraligatr e Espeon neste ponto são fortes demais contra os líderes. Assim que vencermos Morty, poderemos usar Surf e acessar a cidade de Mahogany a fim de obter experiência extra antes dos demais ginásios.

Final do jogo: últimas três insígnias e Elite Four

Agora estamos com a equipe quase completa. Para os outros três líderes de ginásio, a abordagem será simples e direta, já que nossos comandados darão conta do recado.

A sexta insígnia não será um grande desafio, já que o trunfo da Jasmine é o Steelix, que também é do tipo GROUND, fraco contra o tipo WATER do Feraligatr. Contra o líder Pryce, podemos ter um pouco de dificuldade, mas nada que a equipe não resolva.

Contra o Team Rocket, a ideia é mesclar entre Espeon e Dragonair para que possam caminhar juntos no quesito experiência. Ao vencermos Clair, poderemos utilizar Waterfall fora de batalha, e com isso, adquirir o último membro da equipe: Tyrogue, que será evoluído em Hitmonlee.

Para que isso aconteça, compre 2 a 3 Protein no mercado de Goldenrod e utilize no pequeno lutador, pois assim ele terá mais Attack do que Defense, combinação necessária para evoluir o Tyrogue em Hitmonlee.

Chegando na Elite Four de Johto, nossa equipe estará composta por Feraligatr, Dragonair, Espeon, Hitmonlee, Fearow e Togepi. Os treinadores Will, Koga e Bruno são derrotados facilmente pelo nosso Pokémon inicial e pelo Pokémon Sol. Contra Karen, a recomendação é utilizar o Hitmonlee, já que tipo FIGHTING tem vantagem contra o tipo DARK.

O último membro é Lance, especialista no tipo DRAGON. No entanto, seus Pokémon são facilmente vencidos pelos dois principais integrantes de nossa equipe, Feraligatr e Dragonair, mas tenha cuidado ao utilizar o segundo, considerando que ele provavelmente não atingiu sua forma final a essa altura do campeonato.

Atualização (04/08/2022, às 18:25): Adicionado texto sobre as versões Gold/Silver, pois após checagem, é possível comprar um Dratini no Game Corner, logo, temos acesso ao golpe Waterfall.

Crystal

Começo de jogo: primeira e segunda insígnia

Felizmente, a versão Crystal corrigiu essa questão, permitindo que vençamos os desafios de Johto sem capturar nenhum Pokémon. Novamente, Totodile será nossa opção para Pokémon inicial e ficaremos com ele por muito tempo.

A restrição de não podermos capturar nenhum monstrinho nos favorece em todos os sentidos quando o assunto é evoluir o Totodile, já que o inicial do tipo WATER evolui apenas no Lv.18, o mais tardio entre os iniciais de Johto. Dessa forma, é possível chegarmos próximo a esse nível logo no primeiro ginásio.

Logo após vencermos Falkner, o Professor Elm nos liga para falar sobre a possibilidade de recebermos  um ovo de Togepi. Embora não haja Togekiss nessa geração, chocar o ovo é, de certa forma, importante, pois o pequeno Pokémon pode aprender Flash, que diferente da primeira geração, é extremamente necessário para explorarmos as cavernas do game.


Quando chegamos na cidade de Azalea, é necessário derrotar a equipe Rocket e na sequência, vencer nosso embate com Bugsy. Ao superá-lo, teremos duas insígnias e a técnica Fury Cutter, necessária para o desafio do próximo ginásio.

Meio de jogo: terceira até quinta insígnia

Antes de chegarmos à cidade de Goldenrod, logo depois da floresta Ilex, faremos uma pequena parada no Day-Care. Como um dos temas da segunda geração é a produção de ovos Pokémon, recebemos outro ovo, o Odd Egg, que possui 12% de chance de vir um Pokémon bem forte na segunda geração: Smoochum. O pequeno Pokémon psíquico em si, não é tão forte. Mas sua evolução, Jynx, é de outro patamar.

Para o processo dar certo, a dica é salvar o jogo antes de receber o ovo, pois o Pokémon é definido neste instante. Para chocá-lo, teremos que dispor de 11 minutos (aprox. 5120 passos dentro do jogo) e, se não chocar em uma Smoochum, teremos que tentar novamente até vir. O processo pode demorar, mas será bem recompensador.

É chegada a hora de batalharmos contra Whitney e sua Miltank. Lembra-se do Fury Cutter? Hora de de usá-lo. O segredo aqui é nocautear a Clefairy com quatro golpes para que o quinto possa nocautear o Pokémon Vaca Leiteira em apenas um golpe, já que Fury Cutter aumenta o dano a cada acerto.

Ao norte de Goldenrod, no posto entre a cidade e a rota 35, receberemos nosso quarto Pokémon: Kenya, o Spearow. Além de ser extremamente útil contra Pokémon do tipo BUG, teremos um monstrinho capaz de utilizar Fly, agilizando nosso acesso às cidades.

Depois de passarmos pelo Centro Pokémon de Ecruteak, Bill, o mesmo personagem da primeira geração, irá liberar as trocas entre treinadores, quando então voltará para a cidade de Goldenrod. Assim que ele regressa, podemos obter um Eevee de sua irmã, que será fundamental para o jogo, pois o último Pokémon de nossa equipe depende de uma das evoluções do Eevee.

A partir daqui, a sequência de ginásios é bem simples, pois o Feraligatr e a Jynx neste ponto são fortes demais contra os líderes e os Pokémon que enfrentaremos no caminho. Assim que vencemos Morty, podemos usar Surf e obter a Water Stone, necessária para evoluirmos nosso Eevee em Vaporeon e também para conseguirmos subir cachoeiras.


Para isso, será necessário vencermos o Fisherman Tully na rota 42 e registrar seu telefone. Após um certo tempo, ele nos ligará informando que encontrou um item bem interessante e gostaria de nos presentear. Para acelerar esse processo, há um pequeno procedimento no jogo que podemos fazer.

Volte para New Bark e salve antes de falar com a mamãe. Fale com ela e peça para trocar o padrão de horário de verão. Isso forçará o jogo a realizar a ligação. Caso não dê certo, repita o processo até que a mensagem seja algo parecido com “I picked up a good little thing at the water's edge”.

Final do jogo: últimas três insígnias e Elite Four

Agora estamos com a equipe quase completa. Para os outros três líderes de ginásio, a abordagem será simples e direta, já que nossos comandados darão conta do recado.

A sexta insígnia não será um grande desafio, já que o trunfo da Jasmine é o Steelix, que também é do tipo GROUND, fraco contra o tipo WATER do Feraligatr. Contra o líder Pryce, podemos ter um pouco de dificuldade, mas nada que a equipe não resolva.

A partir daqui, a Jynx assume o controle como primeiro Pokémon da party, já que enfrentaremos a Team Rocket, cheia de Pokémon do tipo POISON, além do último ginásio ser do tipo DRAGON, frágil contra os golpes do tipo ICE. Ao vencermos Clair, poderemos utilizar Waterfall fora de batalha, e com isso, adquirir o último membro da equipe: Tyrogue, que será evoluído em Hitmonlee.

Para que isso aconteça, compre 2-3 Protein no mercado de Goldenrod e utilize no pequeno lutador, pois assim terá mais Attack do que Defense, combinação necessária para evoluir o Tyrogue em Hitmonlee.

Chegando na Elite Four de Johto, nossa equipe estará composta por Feraligatr, Jynx, Fearow, Hitmonlee, Vaporeon e Togepi. Os treinadores Will, Koga e Bruno são derrotados facilmente pelo nosso Pokémon inicial e pela maga de gelo. Contra Karen, a recomendação é utilizar o Hitmonlee, já que tipo FIGHTING tem vantagem contra o tipo DARK.

O último membro é Lance, especialista no tipo DRAGON. No entanto, seus Pokémon são facilmente vencidos pelos dois principais integrantes de nossa equipe, Feraligatr e Jynx.

Veredito

Sim, é possível vencer a região de Johto sem capturar nenhum monstrinho. Assim como na primeira geração, esse desafio força o jogador a utilizar os recursos que estão à sua disposição e explorar o mapa a fim de obter a maior vantagem possível e, por consequência, vencer de forma mais fácil os obstáculos que o jogo impõe.

E então, o que achou do desafio? Será que, de alguma forma, a Game Freak coloca esses Pokémon de presente para garantir que o jogador tenha recursos durante a campanha? Acha que vale a pena treinar até virar Dragonite? Deixe seu comentário e vamos debater sobre o assunto.

Revisão: João Pedro Boaventura


Fã de carteirinha dos monstrinhos de bolso desde os oito anos de idade, teve seu primeiro contato com a franquia no Game Boy Color e desde então, são mais de 20 anos de alegria. Fanático por vídeo-games, gostaria de poder jogar mais tempo do que trabalha.
Este texto não representa a opinião do Nintendo Blast. Somos uma comunidade de gamers aberta às visões e experiências de cada autor. Escrevemos sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0 - você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original.


Disqus
Facebook
Google