Pokémon Blast

Pokémon Scarlet/Violet (Switch): Como a Game Freak falhou ao construir a campeã Geeta

Entenda o que faz a mais nova campeã da franquia Pokémon ser completamente superada pelos demais.

No universo Pokémon, para ser campeão de uma região não basta apenas aparecer em alguns momentos da aventura do protagonista. É necessário ter habilidades de batalha incríveis, alto conhecimento em relação às capacidades de cada monstrinho e, claro, ter em sua equipe seis Pokémon que são implacáveis em batalha.

Em Sinnoh temos Cynthia, que talvez seja o exemplo mais conhecido de todos. Seu Garchomp é sem dúvidas um dos Pokémon mais fortes em atividade, e vencê-la é para poucos. Bem poucos mesmo. Nos anos 2000, nossa referência de força era Lance, com seus temidos Dragonite e Gyarados.

Recentemente, tivemos uma adição ao rol de treinadores que possuem o título de campeão: estamos falando de Geeta, ou La Primera, como é conhecida na região de Paldea, que contempla a nona geração.

Durante a montagem da melhor equipe para a região de Paldea (considerando apenas os novos Pokémon), percebemos que alguns monstrinhos presentes em sua equipe não aplicam o mesmo efeito nos desafiantes em relação aos seus colegas.

Tendo isso em mente, analisaremos os seis Pokémon de Geeta separadamente e realizar substituições por monstrinhos que irão elevar seu patamar. Curioso para saber como será o novo time? Então voe para Mesagoza e boa leitura!

O que define um campeão

Antes de começarmos a falar exclusivamente de Geeta, faremos uma pequena introdução sobre o que define um campeão. Cada treinador com esse título possui um Pokémon classificado como "Ace", que em uma tradução livre se aproxima de "Às" — ou "Trunfo", para ser mais amigável.

Seja em uma vitória limpa ou acirrada, é nesses Pokémon que os campeões se apoiam e a partir deles a equipe é montada. Não precisa um Tobias da vida com Darkrai e Latios, nada disso. O que um campeão precisa é ser lembrado constantemente pelo motivo que ele se tornou, de fato, campeão, e seus Pokémon são uma peça chave nesse processo.

Como exemplo mais recente temos Leon, campeão da região de Galar. Praticamente invencível com seu Charizard G-Max e equipe altamente treinada para superar qualquer adversidade.


Outro ponto importante em relação ao time do campeão é a qualidade dos Pokémon presentes, ou seja, dificilmente um membro do esquadrão aparece em posse de  treinadores em sua região. Voltando muito no tempo, algo em torno do ano de 1995, o campeão Blue possui um Exeggutor. 

Na primeira geração, o tipo PSYCHIC era extremamente dominante e o Pokémon Coco era um dos monstrinhos mais fortes. Seu time também não fazia feio: sempre em posse da combinação GRASS/FIRE/WATER, Blue tem em mãos uma equipe equilibrada e conta com Pokémon como Cloyster, Arcanine e seu trunfo, Pidgeot.


Quando levamos estes dois conceitos aos demais campeões, podemos notar que há um padrão. Cynthia não só é a única treinadora a ter um Garchomp como também um Milotic e, principalmente, Spiritomb, que na época não tinha fraquezas em virtude da combinação DARK/GHOST remover essa característica e pela ausência do tipo FAIRY.

Na região de Kalos, lar das megaevoluções, Diantha é a única capaz de megaevoluir — além do protagonista — sua Gardevoir, já que Lysandre utiliza de recursos tecnológicos para forçar seu Gyarados a passar por esse processo.


Agora, quando passamos por Geeta e seus comandados não temos a mesma sensação. Seus Pokémon não possuem diferenciais expressivos e não são únicos, pois alguns deles figuram em desafios de ginásio na região de Paldea.

Geeta e sua equipe

Basicamente, o time usado por Geeta nas versões não é nada bom. Há alguns pontos positivos, sem dúvidas, mas os pontos negativos superam de uma forma inimaginável. A título de comparação, o time do Professor Kukui nas versões Sun/Moon consegue ser melhor. A seguir, veja os atuais comandados de Geeta e como são utilizados por ela.

Espathra

Introduzida nessa geração, a Espathra possui alguns pontos interessantes, a começar por sua habilidade, Opportunist. Caso seu adversário utilize um golpe como Nasty Plot, por exemplo, ela instantaneamente copia a mesma mudança. Isso ajuda caso o desafiante comece a batalha aumentando suas capacidades através de movimentos desse tipo.

Seu golpe exclusivo é Lumina Crash, que sempre reduz a Special Defense do alvo, e como a Espathra é um Pokémon focado no Special Attack, a proposta é interessante. Sua Speed também é alta e ajuda a causar dano rápido. Por ser do tipo PSYCHIC, recebe STAB, e com isso o dano é ainda maior.

O problema aqui é que, tirando Speed e Special Attack, não podemos aproveitar mais nada. Ainda que tenha uma boa base de HP, suas defesas são muito baixas e não aproveitam todo o potencial. Seu movepool é limitado e as poucas opções não ajudam a remediar suas fraquezas.

Gogoat

Com tantos Pokémon do tipo GRASS para ser utilizado, este foi o escolhido. O Gogoat surgiu em Kalos e é o trunfo de Ramos, líder de ginásio dessa região. A sexta geração é conhecida por seu baixo nível de dificuldade, e por conta de Pokémon como o Gogoat esse argumento é reforçado cada vez mais.

Estatisticamente falando, a cabra de grama é um Pokémon abaixo da média mesmo tendo 531 pontos de base totais. Simplesmente não encaixa. Com 68 pontos de base em Defense, três de suas principais fraquezas (BUGFLYING POISON) são majoritariamente físicos.

O moveset utilizado por Geeta também não contribui para seu desempenho, já que a ideia de um atacante físico que visa a aumentar seus atributos via Bulk Up do tipo GRASS, um dos piores ofensivamente, certamente trará mais frustração do que frutos.

Avalugg

Novamente um Pokémon completamente esquecido. Se você não se lembra, o Avalugg surgiu na região de Kalos, e lá faz parte da equipe de Wulfric, líder de ginásio especialista no tipo ICE. Na ocasião, o grande iceberg é seu Pokémon mais forte, mas há uma ressalva: seu moveset não contém quatro golpes.

Ou seja, como pode o Pokémon mais forte não ter um moveset completo? Com Geeta isso não acontece, porém o Pokémon não ajuda em nada sua equipe. Se compararmos o que o Gogoat faz e o que o Avalugg deveria fazer, é praticamente a mesma coisa, sem falar que compartilham fraquezas, facilitando o trabalho de desafiante.

Talvez, se no lugar de Crunch fosse utilizado Recover, teria uma segunda chance, e mesmo o tipo ICE não sendo nada bom na defesa, golpes neutros ou condições negativas podem ser absorvidos de forma consistente.

Veluza

Para uma campeã que não é especialista em um tipo específico, há dois Pokémon tipo PSYCHIC. Como você já deve ter percebido, Geeta adora usar Pokémon que outros líderes usam, já que a Veluza também aparece no time de Kofu, líder do tipo WATER de Paldea.

A coisa fica ainda pior quando olhamos para as bases de Veluza: não é forte ofensivamente, não é tão rápida e definitivamente não defende. É como se a campeã estivesse deixando um Pokémon ser nocauteado para dar uma falsa sensação de segurança.

Kingambit

Agora sim, um Pokémon digno de um campeão. Quando descobrimos que o Bisharp havia recebido uma evolução, a esperança de ser um Pokémon poderoso apenas crescia. No final das contas, recebemos um Pokémon com um design incrível e que com certeza será utilizado competitivamente.

No entanto, foi mal aproveitado por Geeta. Sua habilidade possui um funcionamento peculiar e que será abordado quando falarmos dele mais para frente. Felizmente, um Pokémon será salvo da substituição.

Glimmora

Não dá para entender a Game Freak: por que colocar como trunfo um Pokémon que claramente seria melhor na posição de abertura? Dessa forma, poderia utilizar sua habilidade de forma mais eficaz. Quer dizer, não faz sentido tê-la como trunfo.

Por sorte, a Glimmora não é completamente descartável como os demais Pokémon. Há luz no fim do túnel, e não é trem! Brincadeiras à parte, contaremos mais sobre como utilizar esse Pokémon na abertura da batalha causa um impacto devastador para o desafiante.

Equipe ideal para Geeta

Para que Geeta tenha um time que possa ser considerado forte e lembrado pelo que pode fazer, tivemos que trocar 80% de sua equipe, e os que sobraram ainda passaram por algumas modificações a fim de estarem alinhados com o objetivo da equipe, que é dificultar a vida do protagonista e proporcionar uma batalha digna de um chefão. 

Por termos explicado como o time atual funciona — ou no caso, como não funciona —, o foco a seguir será em apresentar de forma concisa as qualidades dos novos Pokémon em relação aos anteriores. Veja como ficou a equipe.

Glimmora

Em vez de ser o último recurso, Glimmora abrirá a batalha para nossa campeã e com um propósito interessante. Ao ser atingida diretamente, sua habilidade Toxic Debris será ativada, aplicando uma camada de Toxic Spikes do nosso lado do campo. 

Agora, todos os Pokémon do desafiante que não sejam do tipo STEEL e pisarem no chão, receberão a condição POISON e perderão 6,25% do HP a cada turno. A combinação ROCK/POISON é muito boa ofensivamente e pressiona os adversários a trocarem de Pokémon, ativando assim os espinhos envenenados.


Para dificultar ainda mais as coisas adicionaremos o item Focus Sash: caso seja atingida com um golpe fatal sobreviverá com 1 ponto de HP, podendo ativar sua habilidade novamente, e com isso, posicionar a segunda camada de espinhos envenenados que passarão a aplicar TOXIC POISON

Diferente do anterior, essa condição adiciona um contador a cada turno, totalizando 16 marcações. A cada turno, a quantidade de HP perdida é incrementada a cada contador até nocautear completamente o monstrinho.


Hatterene

A feiticeira de Galar entra no lugar da Espathra e mantém o tipo PSYCHIC na composição, além de acrescentar o tipo FAIRY, um dos melhores atualmente. Em termos de atributos, ambos são Pokémon que focam no Special Attack como fonte de dano.

Contudo, a Hatterene adiciona mais resistência à equipe por ter bases defensivas superiores, e embora seja bem mais lenta, pode remediar essa situação com Trick Room. Ofensivamente, sua combinação de tipos é bem forte e golpes de cobertura auxiliam a remediar suas fraquezas.


Um segundo benefício da Hatterene é a capacidade de ajudar o time com movimentos de suporte, como Skill Swap, Magic Powder e o já mencionado Trick Room. Caso esteja em apuros, ela ainda pode utilizar o golpe Healing Wish para dar uma segunda chance a um colega de equipe em troca de sua vida. 

Ao utilizar esse movimento, a Hatterene contribui para a habilidade do Kingambit e pode ser usado inclusive para curá-lo, formando uma dupla excelente. Explicaremos essa parte melhor logo abaixo quando falarmos dele.


Brambleghast

Embora seja estatisticamente mais fraco que o Gogoat, Brambleghast possui características marcantes e que auxiliam muito sua equipe. Começamos por sua habilidade, Wind Rider, que aumenta seu Attack caso seja acertado por golpes de vento como Hurricane e Heat Wave ou se o movimento Tailwind for utilizado. 

Diferente da habilidade Wind Power do Kilowattrel, o Brambleghast não recebe dano de golpes de vento, que em sua maioria, são suas fraquezas mais exploradas.


Sua natureza ofensiva é altamente valiosa mesmo sendo um Pokémon do tipo GRASS, associado geralmente a monstrinhos defensivos. Para completar sua presença no ataque, seu segundo tipo, GHOST, aumenta a variedade de Pokémon que são ameaçados e sua defesa é aprimorada. 

Ao receber o tipo fantasma, as fraquezas para os tipos BUG POISON são eliminadas (agora causando dano neutro) e ainda ganha duas imunidades: FIGHTING NORMAL. Porém, recebe duas novas fraquezas: DARK e o próprio tipo GHOST. Esse equilíbrio de resistências versus fraquezas o deixa consistente e ao mesmo tempo superior em relação aos demais Pokémon do tipo GRASS

Gyarados

Quem é Veluza perto do Gyarados. Sério, não tem nem como comparar. A grande serpente marinha de Kanto é sem sombra de dúvida a melhor adição ao time de Geeta. Sua incrível habilidade, Intimidate, reduz o Attack do adversário cada vez que entra em campo, e com isso as capacidades defensivas do Gyarados são exponencialmente aprimoradas. 

As coisas ficam ainda melhores ao olharmos para seus dois tipos, WATER/FLYING, concedendo diversas resistências para seus colegas enquanto mantém a pressão ofensiva ainda mais forte. 


Golpes consistentes e com poucas resistências também contribuem para seu maravilhoso desempenho. Não é à toa que o Gyarados está presente na maioria das Pokédex regionais, ficando de fora apenas em Black/White.

A cereja do bolo fica para o movimento Dragon Dance, aumentando seu Attack e Speed sempre que utilizado. Em virtude do kit do Gyarados (habilidade, tipos e golpes), há diversas oportunidades para se utilizar esse recurso e que com certeza causará muitas dores de cabeça. 

Como curiosidade e que indiretamente trabalha em favor do monstrinho é: você já viu um Gyarados de boca fechada? Sua expressão de raiva vai ao encontro da sua classificação como Pokémon atrocidade na Pokédex, e ao nunca ser visto de boca fechada, apenas reforça a ideia que o Gyarados sempre está com raiva. Este talvez seja o segredo dele...

Heracross

Chegou a hora de apimentarmos um pouco as coisas. Até o momento, mantivemos de certa forma os tipos dos Pokémon presentes na equipe. Todavia, isso não seria possível para o tipo ICE. Sendo assim, fizemos uma varredura na Pokédex regional de Paldea e localizamos o monstrinho perfeito para a posição: Heracross.


Seus dois tipos, BUG FIGHTING, são muito bons ofensivamente e praticamente se completam, permitindo que o Heracross cause bastante dano com seus golpes de STAB, e sua cobertura é basicamente composta por golpes visando remediar sua fraqueza quádrupla ao tipo FLYING.

Como habilidade usaremos Guts, pois assim, caso alguma condição negativa causada por algum movimento do desafiante, o poder de Attack do Heracross será aumentado consideravelmente. Quando somamos a capacidade ofensiva natural do besouro Hércules com sua habilidade e combinação de tipos, com certeza o dano causado será astronômico.

Kingambit

Em um jogo de xadrez, muitos acreditam que a rainha é a peça mais importante, já que pode movimentar-se livremente pelo tabuleiro. Outros acreditam que seja o cavalo por sua movimentação estratégica no formato da letra L. 

No entanto, a peça mais importante é na verdade o rei, pois sem ele, o jogo acaba. Agora, por que citar o jogo de xadrez para falar do Kingambit? Calma, a gente explica:

A linha evolutiva do Kingambit é inspirada em peças de xadrez. Sua forma base é Pawniard. O termo Pawn significa peão, e é a peça considerada de menor valor no jogo. Em seguida temos Bisharp, que é derivado do termo Bishop, ou bispo, que se movimenta livremente pelas diagonais do tabuleiro. 

Nas versões Scarlet/Violet, o Bisharp foi agraciado com uma evolução: Kingambit, que possui o termo King em seu nome, ou rei como conhecemos.


Lembra que falamos lá no começo que todo campeão possui um Pokémon característico e que é considerado seu trunfo? Pois bem, não há monstrinho melhor para a posição. Os motivos? Veja os porquês:
  • A habilidade Supreme Overlord aumenta o Attack do Kingambit para cada aliado nocauteado. Por ser o Ace, será o último a entrar em campo, logo, seu Attack será altíssimo sem a necessidade de gastar turnos com Swords Dance, por exemplo; 
  • Seu golpe exclusivo, Kowtow Cleave, do tipo DARK, possui 85 pontos de base e nunca erra. Como poucos tipos possuem resistência ao tipo DARK (ele próprio e o tipo FAIRY), e por receber o aumento de Attack pela sua habilidade, é praticamente impossível sobreviver sem o auxílio de itens ou habilidades;  
  • Por ser o trunfo de Geeta, o Kingambit será o Pokémon terastalizado por ela e que certamente será transformado em um Pokémon do tipo DARK, reduzindo assim sua fraqueza quádrupla ao tipo FIGHTING para uma fraqueza normal;
  • Em virtude da terastalização, o Kingambit deixa de ser do tipo STEEL e as fraquezas para os tipo GROUND FIRE são removidas. No entanto, ofensivamente ainda é considerado com seus tipos base, logo, Pokémon do tipo FAIRY não estão totalmente seguros;
  • Por fim, os Pokémon que são terastalizados para um tipo que já fazia parte de sua natureza, ou seja, DARK/STEEL com Tera-Type DARK receberá um aumento de dano maior que o STAB concede normalmente (200% em vez de 150%).
E você, caro leitor, o que acha sobre a situação atual de Geeta? Acredita que ela tenha de fato uma equipe forte ou é totalmente defasada em relação aos demais? Ainda, gostou do novo time? Faltou algum monstrinho? Deixe seu comentário e vamos debater sobre o tema. 
Revisão: Vitor Tibério

Fã de carteirinha da franquia Pokémon desde os oito anos de idade, teve seu primeiro contato com os monstrinhos de bolso no Game Boy Color e de lá para cá, são mais de 25 anos de alegria. Fanático por vídeo-games, gostaria de poder jogar mais tempo do que trabalha.
Este texto não representa a opinião do Nintendo Blast. Somos uma comunidade de gamers aberta às visões e experiências de cada autor. Escrevemos sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0 - você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original.


Disqus
Facebook
Google