Blast from the Past

The Starship Damrey (3DS): Mistérios em uma nave espacial abandonada

Relembre este título pouco conhecido da Level-5.

É difícil pensar que a Level-5, desenvolvedora que ficou conhecida por séries como Inazuma Eleven, Professor Layton, Ni no Kuni e Yo-Kai Watch, poderia trabalhar em um jogo de survival horror, certo? Errado: The Starship Damrey, lançado há quase dez anos para o 3DS, traz uma experiência um tanto quanto curiosa (e única) no portátil 3D da Nintendo. Apesar de não ter tido uma boa recepção à época, vale a pena relembrar sua proposta.

The Starship Damrey e o projeto Guild

Criado pela Level-5, o projeto Guild é uma experimentação curiosa em parceria com diferentes produtores de jogos, reunindo títulos dos mais variados gêneros. Ao todo, o projeto teve duas compilações, Guild01 e Guild02, lançados em 2012 e 2013, respectivamente, e totalizam sete jogos.



The Starship Damrey, parte da segunda coletânea, foi desenvolvido por Kazuya Asano (Dragon Quest) e Takemaru Abiko (Banshee’s Last Cry) e lançado também individualmente no 3DS em 16 de maio de 2013. O game trazia como principal característica a ausência de tutoriais e dicas, deixando o jogador à mercê de sua intuição para descobrir o que aconteceu na espaçonave abandonada que dá nome ao jogo.



Tudo começa com o jogador acordando de um sono criogênico em uma espaçonave de última geração, mas aparentemente abandonada, chamada Starship Damrey, que vaga no espaço sideral. Sem saber como chegou lá, a única companhia do jogador é uma IA chamada AR-1, que, a princípio, parece ser de ajuda, porém não tanto.

Nesse contexto que mistura elementos de escape-the-room, point-and-click, survival horror, ficção científica e perspectiva em primeira pessoa, há diversos enigmas e puzzles que devem ser resolvidos para avançar na trama que se passa na Starship Damrey. Apesar de ser um jogo curto, com duração aproximada de duas horas, a atmosfera é bem-desenvolvida e reforça elementos como tensão — com direito a jumpscares —, claustrofobia e sensação de estar perdido em um lugar desconhecido, especialmente devido à supracitada falta de dicas e tutoriais.



Além de uma excelente construção narrativa, The Starship Damrey trouxe ainda um conceito gráfico minimalista, que, aliado à trilha sonora imersiva, contribuiu para uma ambientação única e instigante. Pode-se dizer que, dentro de sua proposta, este curioso título para o 3DS cumpriu com seu papel.

Revisão: Davi Sousa

Também conhecida como Lilac, é fã de jogos de plataforma no geral, especialmente os da era 16-bits, com gosto adquirido por RPGs e visual novels ao longo dos anos. Fora os games, não dispensa livros e quadrinhos. Prefere ser chamada por Ju e não consegue viver sem música. Sempre de olho nas redes sociais, mas raramente postando nelas. Icon por 0range0ceans
Este texto não representa a opinião do Nintendo Blast. Somos uma comunidade de gamers aberta às visões e experiências de cada autor. Escrevemos sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0 - você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original.


Disqus
Facebook
Google