Dicas e Truques

The Legend of Zelda: Tears of the Kingdom (Switch): 10 dicas fundamentais para iniciantes — ou não

Separamos algumas dicas que podem te ajudar nessa nova aventura de Link.

Depois de anos de espera, The Legend of Zelda: Tears of the Kingdom finalmente está entre nós. A sequência de Breath of the Wild vem rapidamente atingindo números incríveis de venda e possui tudo para ser mais um jogo da franquia que será lembrado por gerações.

Para te ajudar nessa jornada, separamos algumas dicas que acreditamos serem valiosas para extrair o máximo de tudo o que Hyrule tem a oferecer. Não se preocupe, pois, como a descoberta é uma das magias dessa obra, faremos o possível para não revelar nada que prejudique essa sensação.

Os NPCs têm muito o que contar

Já ouviu aquela conversa de que The Legend of Zelda não tem história? Se isso já era uma grande falácia nos primeiros títulos, tornou-se ainda mais agora. Tears of the Kingdom possui um enredo incrivelmente imersivo e cativante que vai além da trama principal, pois absolutamente tudo o que existe em Hyrule tem algo para contar, especialmente as pessoas.

Além de fornecerem detalhes sobre esse universo e sobre suas próprias vidas, os NPCs também entregam missões secundárias, dão dicas valiosas e revelam segredos que vão te ajudar demais durante a exploração. Desse modo, sempre que vir um indivíduo, não deixe de prestar atenção no que ele tem a dizer.

Os estábulos oferecem diversas formas de auxílio

Assim como em seu antecessor, TotK nos permite domar cavalos selvagens e abrigá-los nos estábulos espalhados em Hyrule. Uma grande novidade é que a cada atividade realizada no estabelecimento, como dormir ou registrar um novo pangaré, recebemos pontos que podem ser trocados por ferramentas vantajosas. Além disso, esses locais costumam conter um bom número de NPCs que, como já mencionamos, fornecem informações inestimáveis.

Outra característica que merece destaque é que no interior dos estábulos geralmente há um painel que apresenta receitas de pratos e poções ou localizações específicas de pontos relevantes. Desta forma, não deixe de conferir e absorver tudo o que pode ser aprendido nessas estalagens.

Tenha extremo cuidado ao explorar as cavernas

Espalhadas por esse gigantesco mundo, há inúmeras cavernas recheadas de tesouros, plantas, minérios e, claro, inimigos. Um dos itens mais importantes encontrado nessas grutas é o Bubbul Gem, uma espécie de cristal derrubado por criaturas chamadas Bubbulfrogs e que podemos trocar por produtos valiosos.

Quando coletamos esse objeto, um sinal positivo fica estampado acima da caverna no nosso mapa. Ocorre que muitas dessas cavidades abrigam mais espólios, igualmente raros, e a sinalização de concluído pode confundir e levar o jogador a pensar que não há mais nada no local. Portanto, explore minuciosamente cada cantinho desses buracos (abrindo todos os caminhos bloqueados por pedras e verificando atrás de cachoeiras, por exemplo) para não deixar nada para trás.

Não ignore a culinária

Semelhantemente a BotW, nessa entrada, é possível misturar variados ingredientes em um fogão para criar comidas e poções. Agora, somos capazes de visualizar as receitas que já realizamos com sucesso, bastando apertar o X no inventário de alimentos ou indo no submenu que é aberto ao selecionarmos um ingrediente. Além disso, também conseguimos selecionar de uma vez todos os componentes da fórmula desejada.

Saiba que várias refeições e elixires concedem efeitos positivos e removem status negativos, tendo potencial de serem a sua salvação em um momento crítico. Por esse motivo, não se contenha e tente fazer toda a sorte de misturas. Como cada novo acerto é registrado, fica mais fácil e rápido repetir a receita nas próximas vezes.

Use e abuse das habilidades e dos dispositivos Zonai

Tears of the Kingdom entrega novas habilidades ao jogador, com quatro delas sendo adquiridas ainda nos momentos iniciais: Recall, que faz com que um objeto tenha o seu movimento rebobinado; Fuse, que possibilita combinar armas e escudos com outros itens; Ultrahand, que permite mover e "colar" objetos para criar novas estruturas; finalmente, o Ascend viabiliza que Link atravesse e chegue ao topo de uma superfície que está acima dele.

Somado às técnicas, há uma grande variedade de dispositivos de tecnologia Zonai que realizam diversas ações, como expelir fogo ou gerar uma corrente de ar. Todas essas descrições estão resumidas da forma mais rasa possível, pois, combinando essas aptidões e ferramentas, temos êxito em fazer tudo o que estiver ao alcance da nossa imaginação. À vista disso, descobrir novos métodos de utilizá-las, individualmente e em conjunto, é uma das características mais incríveis de todo o jogo. Essa dica é simples: tente de tudo! Tire as amarras da sua criatividade e não tenha medo de utilizar as habilidades nas situações mais loucas ou de tentar construir mecanismos malucos.

Nunca perca a oportunidade de se aventurar no céu

Como se não bastasse a imensidão da superfície de Hyrule, o novo Zelda nos presenteou com a possibilidade de explorarmos áreas no céu e abaixo da terra. Enquanto estiver caminhando, você constantemente verá alguma rocha caindo do céu. Sempre que presenciar esse evento, suba nela e utilize o Recall para chegar ao local de onde ela veio. 

As terras flutuantes abrigam muitos segredos, além de serem ótimos lugares para conseguir recursos, como equipamentos e dispositivos Zonai. Ainda nesses territórios, também encontramos com facilidade uma planta que é indispensável para quem está planejando se aventurar nas profundezas, o que veremos melhor a seguir.

Prepare-se adequadamente para adentrar nas profundezas

A região das profundezas é mais uma das novidades que TotK trouxe e essa próxima dica está diretamente relacionada com a anterior. Esse novo ambiente é extremamente escuro e perigoso, sendo capaz de acabar rapidamente com os jogadores despreparados. Aqui, Link pode contrair o efeito negativo gloom, que, em suma, diminui a quantidade total da sua vida.

Como mencionado anteriormente, as ilhas celestes abrigam uma planta importante, chamada Sundelion. Essa erva, quando usada na culinária, restaura os corações danificados pelo gloom. Outro material imprescindível para usar no abismo é o Brightbloom Seed, que, quando arremessado em algo sólido, ilumina os arredores. Não há grandes dificuldades para conseguir esse recurso, pois ele é facilmente encontrado em cavernas. Dito isso, antes de encarar as perigosas profundezas, adquira um amplo estoque desses dois itens, além de, obviamente, equipamentos competentes.

Não existe um item inútil 

Como já deu para notar, o mais simples produto, como uma planta, é capaz de fazer total diferença na aventura. Felizmente, a variedade de itens que podem ser adquiridos é imensa. Ainda que inicialmente alguns deles pareçam não ter grande serventia, acredite, todos são bastante proveitosos de alguma maneira.

Nesse sentido, vale destacar que TotK trouxe a possibilidade de arremessar os materiais ou combiná-los com flechas para provocar inúmeros resultados diferentes. Com isso em mente, colete tudo o que estiver ao seu alcance (e o que não estiver, arrume um jeito de pegar também) e faça testes e combinações para descobrir os seus efeitos. Garanto que até o Jelly dropado por um pequeno Chuchu é essencial. Lembre-se disso!

Molde o mapa à sua preferência e preste atenção aos detalhes

Mais uma vez, temos a presença de algumas torres que desbloqueiam a visualização do mapa. Apesar de o catálogo não ser cheio de referências (ou poluído, se preferir), como ocorre em muitos títulos open world, o jogador consegue preenchê-lo com os marcadores disponíveis, destacando os pontos que podem lhe ser úteis. Para citar um exemplo, os chefes e os minérios sempre retornam depois de um tempo e rendem itens indispensáveis, razão pela qual é conveniente saber as suas localizações exatas. 

É verdade que esse jogo não dá orientações exatas de onde estão os bons recursos, mas muitos pontos de interesse podem ser facilmente encontrados. Por esse ângulo, ruínas antigas, grupos de árvores em um local totalmente aberto ou topos de pequenos montes são apenas alguns exemplos de locais vistos com facilidade no mapa e que geralmente apresentam algum segredinho. Basta olhar atentamente aos detalhes do mundo para descobrir uma enxurrada de elementos escondidos. Viu um tronco caído no lago ou uma rocha posicionada em um local conveniente? Corra até lá e dê uma conferida!

Crie a sua própria forma e ritmo de jogar

Embora todas essas dicas sejam realmente úteis e possam facilitar a sua jornada, não há motivos para se prender em uma prescrição. Você pode preferir desbloquear todo o mapa e depois explorá-lo ou ir analisando e liberando cada pedaço por vez. Talvez o seu desejo seja primeiro terminar tudo o que é opcional e depois partir para a campanha principal ou fazer o exato oposto disso. A verdade é que não importa o que decida, pois não existe uma forma correta de jogar The Legend of Zelda: Tears of the Kingdom

Não se agarre a nenhuma regra e não tenha medo de aproveitar essa obra da sua própria maneira e preferência. Portanto, vá para onde quiser, faça o que desejar, do jeito que achar mais divertido. Não se imponha limites e permita que a sua imaginação te guie e dite o ritmo nessa jornada, afinal, é exatamente essa condição de independência que diferencia esse jogo dos demais.

E você, leitor(a)? O que está achando de TotK? Conseguiu colocar muitas das suas ideias em prática? Deixe o seu comentário!

Revisão: Vitor Tibério

Escreve para o Nintendo Blast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original.
Este texto não representa a opinião do Nintendo Blast. Somos uma comunidade de gamers aberta às visões e experiências de cada autor. Escrevemos sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0 - você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original.


Disqus
Facebook
Google