Jogamos

Análise: Mirrored Souls (Switch) aborda temas profundos e reflexivos em meio a puzzles criativos

Acompanhe a jornada de Daru e Ravi, dois seres celestiais que habitam dimensões espelhadas.

Desenvolvido pela The Bricks Studio e publicado pela Short N Sweet Games, Mirrored Souls é um interessante jogo que instiga os jogadores a controlar simultaneamente dois personagens em ambientes refletidos para resolver quebra-cabeças. Além de dispor de enigmas desafiadores, o título também apresenta uma trama emocionante, que nos convida a refletir sobre as situações inevitáveis da vida.

Os mundos refletidos de Daru e Ravi

Em Mirrored Souls, acompanhamos a história de Daru e Ravi, dois seres celestiais que ostentam características físicas de humanos e de coelhos. Estes protagonistas habitam dimensões espelhadas, e é incumbência do jogador guiá-los em sincronia. Ou seja, quando Daru se move para a direita, Ravi se desloca simultaneamente para a esquerda.

Ao longo da campanha, testemunhamos a jornada de duas almas profundamente conectadas, enfrentando desafios que inicialmente parecem destinados a separá-las, mas que, com o tempo, revelam-se como situações inevitáveis e dilemas essenciais da existência.

Nesse cenário, Mirrored Souls oferece reflexões envolventes por meio dos diálogos dos personagens, abordando temas abrangentes como a eternidade, a mortalidade, a amizade e o amor. Felizmente, o nosso idioma está disponível entre as opções de legenda.

Single-player-coop funcional

A campanha de Mirrored Souls se desdobra em três capítulos, cada um possuindo em torno de 20 fases. Concluir um estágio demanda, na maioria das vezes, a resolução de um enigma para que um caminho seja desbloqueado e ambos os indivíduos alcancem simultaneamente uma espécie de portal.

Como mencionado anteriormente, os protagonistas movem-se em conjunto, sendo esse o maior desafio a ser encarado. Isso ocorre porque um ambiente pode ser seguro para um personagem, mas repleto de obstáculos e armadilhas para o outro.

À medida que a trama avança, novos elementos são gradualmente introduzidos para ampliar a complexidade e a variedade dos quebra-cabeças. Alavancas, plataformas móveis, estruturas que refletem raios de luz e áreas espinhosas são apenas alguns exemplos desses recursos.

É impressionante como o conceito de single-player-coop (descrição enfatizada pelos desenvolvedores) é habilmente implementado em Mirrored Souls, resultando em enigmas verdadeiramente desafiadores, porém justos e alcançáveis. 

Surpreendentemente, não existe qualquer problema relacionado ao controle de Daru e Ravi. Assim, a dupla realmente se move em perfeita sincronia, mas em direções opostas, exigindo que o jogador aprenda e se adapte a essa mecânica para superar as adversidades.

O design das fases também é estrategicamente construído nos dois planos, apresentando obstáculos criativos que requerem que tenhamos o mesmo grau de atenção entre os dois cenários, visto que a movimentação de um personagem tem um impacto direto no outro.

Alguns probleminhas também marcam presença

Apesar de Mirrored Souls apresentar uma grande variedade de puzzles criativos, algumas ideias se repetem um pouco e creio que podem causar uma sensação de cansaço em alguns momentos.

Nesse sentido, jogadores familiarizados com o gênero podem acabar completando a campanha em uma única sessão, durante cerca de uma hora. Além disso, há a opção de pular as fases que não conseguimos vencer. 

Com respeito a esse recurso, um aspecto que incomoda é a falta de orientação sobre como superar tais desafios. Creio que seria positivo se o jogo revelasse como resolvê-los, pois existem alguns níveis que ainda não tenho a mínima ideia de como concluir e que gostaria muito de descobrir.

Outro ponto negativo é a falta de indicação de quais fases foram saltadas, o que seria uma informação muito útil na seleção de estágios. Devido a essa ausência, o jogador deve anotar ou revisitar todos os cenários para reencontrar os quebra-cabeças que foram evitados.

Short N Sweet

Mirrored Souls faz jus ao nome de sua distribuidora, proporcionando uma experiência breve, porém extremamente agradável. A narrativa explora temas complexos e profundos que têm intrigado a humanidade desde tempos remotos. Da mesma forma, os quebra-cabeças oferecidos são envolventes e certamente agradarão aos entusiastas do gênero.

Prós:

  • História cativante, explorando a relação entre os protagonistas e abordando temas profundos como mortalidade, amizade e amor;
  • O conceito de controlar simultaneamente dois personagens para resolver quebra-cabeças é bem-implementado e funciona corretamente, entregando um nível de complexidade agradável;
  • A introdução gradual de novos elementos e estruturas ao longo da campanha mantém os desafios variados e interessantes;
  • A opção de pular fases é muito bem-vinda e permite que os jogadores continuem progredindo sem ficar presos em um único obstáculo;
  • Legendado em português.

Contras:

  • Em alguns momentos, o jogo pode se tornar um pouco repetitivo, com a recorrência de algumas mecânicas de quebra-cabeças;
  • Embora a opção de pular desafios seja útil, a falta de indicação de como solucioná-los é frustrante;
  • A ausência de um sistema que indique as fases ignoradas pode confundir e dificultar a retomada de quebra-cabeças previamente evitados.
Mirrored Souls — PC/PS4/PS5/XBO/XSX/Switch — Nota: 8.0
Versão utilizada para análise: Switch
Revisão: Davi Sousa
Análise produzida com cópia digital cedida pela Short N Sweet Games

Escreve para o Nintendo Blast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original.
Este texto não representa a opinião do Nintendo Blast. Somos uma comunidade de gamers aberta às visões e experiências de cada autor. Escrevemos sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0 - você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original.