Vem aí

Prévia: Sonic Superstars (Switch) busca novos ares ao estilo clássico da série

Este será o primeiro Sonic em 2D desde Sonic Mania.



Sonic Superstars
promete ser a nova aventura em duas dimensões do ouriço azul mais famoso dos games e das telonas. O título tem o difícil obstáculo de suceder Sonic Mania (Switch), a última entrada 2D da série, que teve uma das melhores recepções de toda a franquia, e a proposta de evoluir a jogabilidade do Sonic clássico. Nesta matéria, discutiremos tudo que sabemos sobre o jogo e nossas atuais expectativas para ele.

A longa espera



Em 2017, Sonic Mania foi lançado e abalou as estruturas da franquia Sonic. Os anos anteriores foram repletos de altos e baixos, como o fracasso da sub-série Sonic Boom, o que tornava refrescante a chegada de um título com a proposta de reviver fielmente a jogabilidade clássica que fez o ouriço popular em primeiro lugar.

O tempo passou, contudo, e não se ouvia nada sobre uma possível sequência. Os desenvolvedores formaram seu próprio estúdio e, atualmente, trabalham em seu primeiro projeto, Penny’s Big Breakway (Switch), enquanto a SEGA parecia estar apenas interessada em títulos do Sonic moderno ou relançamentos como Sonic Origins (Switch). 




Em junho de 2023, entretanto, ficamos sabendo da existência de Sonic Superstars. Não só ele será uma nova aventura 2D com gameplay dos clássicos de Mega Drive, como também tem o envolvimento do time de Naoto Ohshima, o artista que concebeu o design de Sonic. A notícia veio como uma via de mão dupla: por um lado, é legal ver um integrante envolvido nas origens da série voltar para uma entrada inédita; por outro, seu time de desenvolvimento possui um passado lembrado com pouco (para não dizer nenhum) carinho, tendo trabalhado em jogos que não foram bem recebidos, como Hey, Pikmin! (3DS) e Balan Wonderworld (Multi).

Embora algumas dessas preocupações ainda permaneçam, recebemos novas informações após o anúncio que amenizaram um pouco as expectativas. A principal foi a de que Christian Whitehead, um dos principais responsáveis pelo desenvolvimento de Sonic Mania, confirmou que Superstars terá uma recriação fiel das físicas dos clássicos, algo que era um problema recorrente em jogos como Sonic the Hedgehog 4 (Multi) e as seções clássicas de Sonic Forces (Switch).

Outra informação interessante de Sonic Superstars é que, devido à proposta de aprimorar a jogabilidade dos Sonic 2D, os desenvolvedores optaram por criar apenas estágios completamente novos. Isso é uma resposta ao criticismo recente a diversos jogos da série, que têm usado estágios antigos, como Green Hill e Chemical Plant, em vez de priorizar a criação de novas fases.

Antigo com toques de novo



Seguindo o mote de evoluir a gameplay 2D, Sonic Superstars tem muitas mudanças em comparação aos clássicos de Mega Drive. Uma delas é a de incluir Amy no grupo principal de personagens jogáveis, como forma de sucessão à sua recente participação na última atualização de Sonic Origins. A jogabilidade dela parece bem similar à configuração usada na coletânea, mas há adições extras, como um pulo duplo.

Amy se junta a Sonic, Tails e Knuckles em uma aventura pela Northstar Island, enfrentando novas ameaças do Doutor Eggman e seus dois novos capangas. Um deles é Fang, um caçador de relíquias que já apareceu na série como vilão em Sonic Triple Trouble (Game Gear) e já foi personagem jogável no arcade de Sonic the Fighters nos anos 1990.

A outra capanga é Trip, uma nova personagem criada por Naoto Ohshima. Até agora, pouco se sabe a respeito dela, mas há dúvidas se a lagarta-espinhosa é realmente uma vilã e como ela está conectada ao passado e história da Northstar Island.




Apesar do plano de fundo para a trama, Sonic Superstars, assim como os jogos clássicos, ainda foca mais na jogabilidade frenética de plataforma. Os estágios são divididos em zonas de dois atos interconectadas e com chefes ao fim de cada ato, assim como Sonic 3 & Knuckles (Mega Drive). Há também a presença de um mapa similar ao de Sonic Generations (Multi), em que é possível navegar por um ambiente 2D e selecionar qual estágio você deseja jogar.

Superstars também adota alguns outros elementos de Sonic Origins, como a possibilidade de reiniciar os estágios especiais e a remoção de vidas. O sistema que as substitui é o de coletar medalhas, que servem como moeda de troca em uma loja de customizações presente no mapa.




Ainda falando dos estágios especiais, as próprias Esmeraldas do Caos ganharam um novo papel. Cada uma delas garante um poder específico para um herói, como escalar cachoeiras ou descobrir plataformas secretas nas zonas. Esta funcionalidade é semelhante à execução dos Wisps de Sonic Colors (Wii), que também funcionavam como power-ups temporários com objetivo de trazer variedade dentro das fases.

A maior diferença do título em relação às suas inspirações dos anos 90 é a utilização de gráficos tridimensionais ao invés de pixel-art. Superstars usa isso a seu favor de várias maneiras, desde jogos de câmera quando uma batalha contra chefe inicia até fazer parte do cenário ao fundo ser jogável e alcançável. São técnicas que já foram aplicadas em outros títulos “2.5D”, como Donkey Kong: Tropical Freeze (Switch), ou em seções clássicas de Sonic Generations.

Batalha entre amigos



Apesar de todas as novidades que já citamos, a mais importante delas, que tem sido destaque em todos os materiais promocionais, é o foco no multiplayer. Pela primeira vez na série 2D, há a opção da jogatina cooperativa para até quatro jogadores simultâneos, tanto na campanha principal quanto em alguns modos secundários.

Isso traz novas possibilidades à gameplay clássica, embora haja algumas preocupações em torno da execução do multiplayer nas fases. Sonic é conhecido por ser um jogo de plataforma muito veloz, o que traz um problema: como manter quatro personagens na câmera da fase sem que a maioria fique para trás a todo instante? Essa é uma questão que o próprio Mario teve que enfrentar em New Super Mario Bros. Wii, embora em menor escala, dada a natureza mais lenta de sua jogabilidade.



Além do co-op na campanha principal, Superstars traz também variedade com seu Modo Batalha. Nele, há uma lista de opções para jogar com até quatro jogadores localmente ou até mesmo oito jogadores simultâneos online. Os modos conhecidos são:
  • Corrida: corra até o objetivo no fim da fase para vencer;
  • Zap Scrap: ataque seus oponentes com certos projéteis. Ao conseguir tirar dano deles, o jogador ganha pontos, porém os perde ao levar algum dano;
  • Ladrão de Estrelas: colete estrelas pelo estágio, mas tome cuidado para não perdê-las tomando dano de seus oponentes;
  • Sobrevivência: ganha o último que sobreviver a ataques de canhões pelo estágio e à própria redução de visão da tela.
Todos esses modos fornecem medalhas aos participantes, e o jogador pode trocá-las por itens de customização aos seus personagens de batalha. Esses personagens são especificamente versões de metal dos heróis principais, incluindo algumas nunca vistas antes, como a Metal Amy. O Modo Batalha também pode ser jogado offline contra oponentes controlados pela IA.

Super estrelas



Sonic Superstars parece muito promissor na sua tentativa de servir como uma sequência de Sonic Mania e uma evolução da gameplay 2D da série. Embora haja algumas preocupações, como a execução do multiplayer, até então nossas expectativas estão positivas de que será um título de diversão garantida e, no melhor dos casos, uma sequência digna do Mania e dos clássicos.

Sonic Superstars - Switch
Desenvolvimento: Sonic Team, Arzest, SEGA
Gênero: Plataforma
Lançamento: 17 de outubro de 2023
Expectativa: 4/5

Revisão: Davi Sousa

Escreve para o Nintendo Blast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original.
Este texto não representa a opinião do Nintendo Blast. Somos uma comunidade de gamers aberta às visões e experiências de cada autor. Escrevemos sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0 - você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original.


Disqus
Facebook
Google