Jogamos

Análise: Moonstone Island (Switch): fazendas e monstrinhos em ilhas flutuantes

Ajude um jovem alquimista a concluir seu treinamento.

em 04/07/2024
Desenvolvido pela Studio Supersoft e publicado pela Raw Fury, Moonstone Island é um jogo que mistura elementos de RPG com coleta e combate de criaturas, deckbuilding e simulação de fazenda. Como resultado, temos um título que, embora não se aprofunde tanto quanto poderia em suas principais mecânicas, consegue ser bastante divertido.

Um aspirante a alquimista

Em Moonstone Island, assumimos o papel de um jovem descendente de alquimistas. Seguindo a tradição de sua família, ele embarca em uma jornada para concluir seu treinamento, melhorando suas habilidades e viajando por um ano entre os arquipélagos flutuantes que compõem o mundo do jogo.

Enquanto navegava pelos céus em sua vassoura, nosso herói sofre um acidente e acaba caindo em uma das ilhas. Para sua sorte, ele é recebido de braços abertos pela comunidade local, repleta de pessoas amáveis dispostas a contar com a ajuda de seus poderes.

Como em grande parte dos simuladores de fazenda, Moonstone Island apresenta uma narrativa básica, mas recheada de personagens carismáticos. Aqui, temos 11 indivíduos principais, cada um com suas próprias particularidades, prontos para serem desvendados e conquistados pelo jogador.

Um ponto que chama a atenção é a impossibilidade de personalizar o nosso herói. Esse aspecto não é necessariamente negativo, mas confesso que a ausência de um nome para o protagonista é um tanto estranha. Apesar disso, vale destacar positivamente que o jogo está completamente legendado em português.

Um simulador competente

Em Moonstone Island, temos o tradicional ciclo de quatro estações, cada uma composta por 28 dias. Como é de se esperar, as hortaliças que podemos cultivar mudam em cada um desses períodos, o que acaba exigindo um certo planejamento por parte do jogador.

Como também é comum nesse tipo de jogo, podemos interagir com NPCs e desenvolver relacionamentos, inclusive amorosos, sem qualquer restrição de gênero. Embora os personagens não apresentem rotinas tão variadas e nem uma diversidade extensa de diálogos como em Stardew Valley ou em alguns Story of Seasons, eles são carismáticos e cumprem seu papel dentro deste universo.

Curiosamente, as interações possuem uma porcentagem que aumenta conforme o vínculo se desenvolve. Assim, uma simples conversa pode dar errado e ter um efeito negativo nos momentos iniciais da campanha. Pessoalmente, não gostei muito dessa abordagem, pois a progressão das amizades acaba sendo influenciada pela sorte, o que é bastante frustrante.

O título ainda inclui mineração e um sistema de crafting, no qual conseguimos produzir inúmeros itens e ferramentas para melhorar e acelerar o trabalho na fazenda, além de diversos objetos decorativos. Embora não haja nada muito inovador ou marcante para quem já está acostumado com o gênero, no geral, os elementos de simulação social e de fazenda funcionam bem em Moonstone Island.

Ilhas, monstros e cartas

Apesar de haver diversos comércios no pequeno vilarejo, ele não dispõe de todos os recursos necessários para a nossa progressão, o que nos leva a explorar as demais ilhas flutuantes. É importante mencionar que o mundo de Moonstone Island é gerado proceduralmente, o que adiciona um certo ar de mistério à aventura.

Além de novos tipos de plantas, sementes, cavernas e minérios, algumas ilhotas abrigam estruturas semelhantes a templos, os quais contam com chefes, puzzles simples e baús recheados de recompensas, como novas receitas e uma pedra mágica chamada Selenita.

Há também masmorras especiais representando cada estação, um tanto semelhante às dungeons sazonais de alguns títulos da série Rune Factory. Em razão de só haver um cristal Selenita em cada ilha e a grande maioria das construções mais importantes demandarem esse item, explorar o vasto mundo em busca desse artefato torna-se indispensável.

A outra mecânica principal de Moonstone Island diz respeito à possibilidade de domar criaturas para utilizá-las em batalhas, as quais são baseadas em turnos e se iniciam quando nos aproximamos dos monstros que vagam pelo mundo.

O sistema de combate inclui elementos básicos de deckbuilding, com os golpes sendo apresentados em formato de cartas. Aqui, conseguimos melhorar, alterar e substituir os talentos para construir um bom "baralho". Também vale destacar que cada participante do combate possui um escudo que, quando quebrado, deixa o bichinho vulnerável e atordoado durante a rodada seguinte.

Igualmente similar a Rune Factory, somos capazes de domar os monstros, que aqui são espíritos, alimentando-os com os produtos das nossas plantações. Um aspecto muito interessante é que cada entidade dispõe de uma habilidade passiva que pode ser útil no combate ou fora dele, como aplicar veneno em todos os adversários na primeira rodada das lutas, aparar a grama automaticamente quando passamos por cima dela ou aumentar a nossa velocidade de movimento em determinada estação.

Além do colecionismo, capturar diferentes espécies de bestas recompensa o jogador com moedas por meio de um pesquisador da cidade e com pontos de experiência para os integrantes do nosso time. Infelizmente, as variações de ataques entre os monstrengos não são muito grandes, o que torna os confrontos cansativos a longo prazo.

Outro ponto que deixa a desejar em Moonstone Island (e na esmagadora maioria dos indies que trazem o conceito de coletar monstrinhos) é a falta de criaturas memoráveis. Lamentavelmente, temos um catálogo recheado de bichinhos genéricos que dificilmente conquistará um espaço na memória do jogador após a conclusão do título.

Ideal para quem está iniciando

Moonstone Island certamente não está entre os melhores representantes de nenhum dos gêneros que explora e pode não agradar muito a quem já possui bastante intimidade com obras desse tipo. No entanto, ele ainda consegue trazer uma aventura divertida, ideal para quem deseja uma experiência mais confortável ou está iniciando em simuladores de fazenda, RPGs ou deckbuilding.

Prós

  • Um número considerável de personagens carismáticos com os quais podemos nos relacionar, inclusive amorosamente, sem qualquer restrição de gênero;
  • As criaturas possuem habilidades passivas interessantes e úteis em situações variadas;
  • Graças ao sistema de crafting e à distribuição de Selenitas, temos razões concretas para explorar as ilhas;
  • Legendado em português.

Contras 

  • O desenvolvimento dos relacionamentos pode ser influenciado pela sorte, o que é frustrante;
  • Os confrontos são cansativos a longo prazo devido à baixa variedade de opções;
  • As criaturas possuem um visual genérico e pouco memorável;
  • Nenhuma das principais mecânicas é muito aprofundada, resultando em um título que pode não satisfazer os mais exigentes e os que já experimentaram muitas opções do gênero.
Moonstone Island  — PC/Switch — Nota: 7.0
Versão utilizada para análise: Switch 
Revisão: Davi Sousa
Análise produzida com cópia digital cedida pela Raw Fury

Escreve para o Nintendo Blast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original.
Este texto não representa a opinião do Nintendo Blast. Somos uma comunidade de gamers aberta às visões e experiências de cada autor. Escrevemos sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0 - você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original.