Perfil

Conheça Cyrus, o líder da Team Galactic em Pokémon que quer remodelar o mundo

Ele é um homem inteligente e frio que não hesitará em transformar todo o universo com as suas mãos.


Com um objetivo claro e possuindo muita determinação, um jovem de mente brilhante, mas com um coração fechado, deixou sua família para trás e fundou uma grande organização criminosa somente para realizar seu sonho de criar um novo mundo. Seu nome é Cyrus. Esse personagem de cabelos azuis e olhar frio é um dos vilões mais interessantes do universo Pokémon e alguém com quem você poderia bater um papo muito “cabeça” , mas que certamente não gostaria de cruzar o caminho.

Com a cabeça em outro mundo

Cyrus é o vilão principal em Pokémon Diamond, Pearl e Platinum e também o chefão da Team Galactic. Antes de explorarmos mais a história desse personagem curioso no universo dos games dos monstrinhos de bolso, vamos descobrir como foi o seu passado. Apesar desses detalhes não aparecerem na trama dos games, sabe-se que Cyrus nasceu em Sunyshore City, na região de Sinnoh. Considerado por muitos um rapaz bom e um aluno inteligente, ele era muito antissocial. Cyrus sofreu muito com a rejeição de seus pais que, apesar dos esforços do filho em agradá-los, nunca atendeu as suas expectativas pessoais. E é exatamente nesse ponto que a vida do jovem toma um rumo totalmente diferente, uma vez que percebe que as emoções são a causa de todo o sofrimento (uma ideia claramente inspirada na doutrina budista). Cyrus conclui que a única forma de se obter a perfeição seria eliminar as emoções do mundo (ou o espírito, mais especificamente) e, assim, remodelar todo o universo.
Curiosamente, Cyrus foi o primeiro vilão a aparecer durante a sequência de abertura de um dos jogos da franquia.

Não se sabe ao certo como ou quando mas, pouco tempo depois de deixar sua cidade natal, Cyrus criou uma organização criminosa, a Team Galactic. Uma equipe que rapidamente atraiu adeptos de seus ideiais. Através de seus estudos das lendas de Sinnoh, Cyrus descobriu que poderia realizar seu desejo de criar um novo universo se encontrasse dois Pokémon lendários: Dialga (o Pokémon que representa o Tempo) e Palkia (o Pokémon que representa o Espaço). Utilizando os poderes das criaturas, ele seria capaz de recriar o universo, livre de qualquer tipo de emoção. Com essa meta definida, ele incubiu seus subordinados e equipes a encontrar mais informações sobre a lenda dos Pokémon criadores. Promovendo atentados, roubando Pokémon e invadindo cidades, a Team Galactic não possuía escrúpulos para tentar atingir o objetivo de seu líder.
Cyrus e os quatro comandantes da Team Galactic: Mars, Charon, Saturn e Jupiter.

É muito divertido ver os comentários das pessoas que são atacadas por lacaios da Team Galactic, tais como “eles pareciam astronautas” ou “acho que vieram de outro planeta por causa daquelas roupas esquisitas”. Mas todos esses comentários têm um bom fundamento. Tanto o visual de Cyrus como do resto da equipe lembram muito uma aparência de astronautas ou como se estivessem utilizando trajes espaciais. O motivo pode ser explicado pela meta do líder, que era remodelar o universo, então, nada mais apropriado do que adotar uma aparência que o torne diferente das outras pessoas comuns e mais generalizado com as formas universais.
Os lendários Azelf, Mesprit e Uxie são a chave para tornar o sonho de Cyrus realidade.

Existem algumas diferenças em como Cyrus desempenha seu papel na Team Galactic e tenta realizar seu desejo em Diamond, Pearl e Platinum. Enquanto nos dois primeiros games Cyrus não ganha o destaque que ele realmente merece, fazendo apenas breves aparições ao longo da história, em Platinum ele realmente se destaca. O primeiro encontro com o jogador ocorre logo no início da jornada, em Lake Verity, pois o líder da Team Galactic havia descoberto que, somente obtendo o Trio do Lago (os Pokémon lendários responsáveis pela disseminação da força de vontade (Azelf), emoção (Mesprit) e conhecimento (Uxie) entre os humanos) ele poderia obter poder suficiente para invocar Dialga e Palkia. Que ironia do destino, não é mesmo Cyrus?
O líder da Team Galactic não consegue entender como alguém pode perder seu tempo seguindo emoções.
“Mas eu devo dizer… Vocé é um espécime admirável. Aqueles Pokémon não tinham nada a ver com você, não é? Mas mesmo assim você veio os resgatar de seu sofrimento? Que emoções ridículas e inúteis… É sem lógica e irracional. Pena e compaixão são produtos de um coração humano fraco. Você foi compelido a vir aqui por essa sentimentalidade! Eu farei você se arrepender de prestar atenção ao seu coração!”
- Cyrus ridicularizando o treinador no HQ, quando ele tenta salvar Azelf, Mesprit e Uxie, em Pokémon Diamond e Pearl.
Utilizando os poderes do Trio do Lago, Cyrus pode criar a Red Chain, uma corrente de energia que seria capaz de invocar Dialga e Palkia.
Infelizmente, Cyrus não contava com a determinação de um jovem treinador Pokémon que iria frustar os planos de sua equipe. Depois de ter se dedicado muito a procurar e capturar o Trio do Lago e utilizar os poderes deles e a enorme quantidade de energia que ele reuniu de toda a região, o líder viu seu ideal de um novo universo destruído ao combater o valente treinador quando a vitória estava bem na palma de sua mão. No final de Diamond e Pearl, Cyrus consegue invocar Dialga e Palkia porém, ao ser vencido pelo protagonista, decide desaparecer de cena, mas ainda persiste em alcançar seu sonho de criar um novo universo algum dia. Já no final de Pokémon Platinum, a história fica mais interessante pois, ao invocar os Pokémon do Tempo e Espaço, para sua surpresa o terrível Giratina aparece de uma fenda dimensional e leva Cyrus para o Distortion World. Imaginando que enfrentar esse terrível Pokémon significaria não o recomeço, mas o fim dos dois mundos paralelos, ele mal consegue acreditar quando o jovem protagonista vence o lendário Pokémon e o captura. Com seu ideal abalado, Cyrus decide permanecer no Distortion World para refletir, mas passa adiante seu cargo da Team Galactic para um outro membro.
Seus planos de remodelar o universo falham em Spear Pillar quando um misterioso Pokémon das sombras aparece na sua frente.
"Eu não vou perder! Não para esse Pokémon das sombras! Não nesse mundo inútil!” 
- Cyrus gritando para o treinador antes de enfrentá-lo no Distortion World pela última vez, em Pokémon Platinum.

O legado de um visionário

Uma curiosidade sobre Cyrus é que, diferente de outros vilões que já apareceram na série, ele não queria transformar apenas o mundo dos humanos ou o mundo Pokémon, mas desejava recriar todo o universo livre de qualquer traço de emoção. Cyrus pode ser considerado o personagem mais niiilista da franquia Pokémon. Para aqueles que não sabem, o niilismo é uma doutrina baseada nos ideias do famoso filósofo do século XIX, Friedrich Nietzsche, que pregava a dissolução e destruição de qualquer tipo de ordem. O próprio termo vem do latim, em que “nihil” significa “nada”.
Cyrus foi o primeiro vilão da série a ter um ideal tão complexo e profundo.

Apesar de considerar qualquer outro assunto, pessoa ou Pokémon como um obstáculo para alcançar seus objetivos, o líder da Team Galactic não se importava de usar os monstrinhos para realizar seus planos. Seja para drenar suas forças vitais, descobrir seus segredos ou apenas para utilizá-los em combate, Cyrus não hesitava em utilizar quaisquer meios para justificar seus atos. Seu time nos games consiste, em geral, de Pokémon do tipo Venenoso e Dark, com destaques para seu mortal Weavile, seu ardiloso Honchkrow ou seu perigoso Crobat.
Além dos Pokémon já citados, os poderosos Magnezone e Probopass também são orgulhos da equipe de combate de Cyrus.

Após os eventos principais dos games, não se tem informação sobre o paredeiro de Cyrus. O que se sabe é que, após o seu desaparecimento, a Team Galactic tentou permanecer ativa no mundo do crime cometendo pequenos delitos sob o comando de um dos comandantes de Cyrus, mas em pouco tempo a Polícia Investigativa, com a ajuda do corajoso Looker, prendeu os comandantes e os membros remanescentes da equipe. Cyrus ainda é citado em outros jogos da franquia, mas ele nunca mais mostrou as caras. Será que um retorno desse homem tão determinado seria possível ou ele já abandonou seus sonhos de criar um novo universo?
Será que Cyrus está vagando por Sinnoh ou decidiu permanecer no Distortion World e buscar uma forma de realizar seu sonho algum dia?

“... Chega. Nós nunca nos veremos cara a cara novamente. Isso, eu prometo a você. Eu descobrirei os segredos desse mundo. Com seu conhecimento, criarei o meu próprio mundo completo e perfeito. Um dia, você irá acordar nesse mundo que será minha criação. Um mundo sem espírito.”
- Últimas palavras de Cyrus ao treinador, em Pokémon Platinum.

Revisão: Catarine Aurora
Capa: Diego Migueis
Luís Antônio Costa é graudado em Ciência da Computação pela UFRGS. Apaixonado por games desde que ganhou seu primeiro Master System e conheceu Sonic, também é amante da ciência e um devorador de livros. Além do Nintendo Blast, também faz alguns textos para o Medium e pode ser encontrado no Facebook e Twitter.

Comentários

Fórum
Google+
Facebook


Últimas do Fórum

Ver mais

No Facebook

Ver mais