Blast Log

Majora's Mask 3D - Parte 4: Tudo pelo sorriso de uma garota do mar

Muitas pessoas pra ajudar, Zoras para salvar e pouco tempo para perder.


Eu ainda estava longe de conseguir impedir que a Lua destruísse Termina e continuava preso em um ciclo de três dias no qual todos ao meu redor pareciam estar tendo problemas além da iminente destruição. Com o segundo espírito gigante libertado em Snowhead, era hora de prosseguir com minha jornada e buscar pelo seus dois irmãos restantes. Era uma corrida contra o relógio que estava na parte inferior da minha tela e contra um destino horrível, que me olhava com olhos assustadores do alto do céu aonde quer que eu fosse.

De corredor a bom-samaritano

Como eu estava com muita pressa de voltar a Clocktown e depositar minhas Rupees depois de minhas aventuras em Snowhead, não pude investigar essa terra que agora estava banhada pelo sol da primavera. Por ter voltado no tempo, a neve voltara a cobrir a terra dos Goron e não tive outra alternativa a não ser voltar a Snowhead Temple e partir diretamente para um segundo confronto contra Goht. Eu venço o demônio mascarado mais uma vez e faço a montanha gelada florescer com a primavera novamente. Agora era hora de investigar os detalhes daquele novo mundo.

Primeiro decido entrar na cabana solitária no meio de Mountain Village. Descubro se tratar de uma ferraria gerenciada pelos irmãos Gabora e Zubora. Eles estão muito contentes que o inverno acabou e agora seu grande forno voltou a funcionar. Eles me dizem que se eu estiver disposto a investir 100 Rupees, eles podem melhorar a minha espada, mas o processo deve levar um dia. Eu aceito a oferta, deixo o estabelecimento e, para não correr nenhum perigo sem a minha espada, toco a “Song of Double Time” e avanço o tempo até a noite para ver se meu pedido já estava pronto. Assim, eu recebo a Razor Sword, uma espada com um visual mais ameaçador do que a pequena Kokiri Sword e mais forte também. Gabora ainda me fala que, caso eu lhe traga um item muito importante dos Goron, a Golden Dust, ele poderia melhorar minha espada mais ainda!
Os ferreiros ficam muito contente em finalmente terem um cliente.

Com esse pensamento em mente decido me dirigir até o Goron Village. A Razor Sword é uma espada excelente e com ela é bem mais fácil destruir os irritantes Wolfos que aparecem pelo caminho. Quando chego no vilarejo, encontro uma entrada na montanha que antes estava bloqueada pela neve. Lá dentro descubro um Goron gigante chamado Medigoron, o dono da Powder Keg Shop. Para conversar com o vendedor, tive que utilizar a Goron Mask, e ele me disse que se eu conseguisse levar o barril de pólvora até a entrada bloqueada da Goron Racetrack, eu ganharia uma certificação que me permitiria utilizar esse explosivo poderoso.

Eu precisei ser rápido e cuidadoso, pois o barril estava com o pavio aceso e levaria 2 minutos para explodir. Felizmente, consegui largá-lo em frente a pedra que bloqueava a Goron Racetrack com tempo de sobra. O barril explodiu com um barulho ensurdecedor e eu pude retornar contente a Medigoron para ganhar minha certificação! Eu decido voltar até a Goron Racetrack para descobrir do que ela se tratava. O desafio era gerenciado pelo filho chorão do Elder Goron e consistia em uma corrida de rolamento com outros Goron em que o campeão levava o item mais precioso da tribo, a Golden Dust. Mas quem disse que ganhar seria fácil? Foram três tentativas até conseguir completar o complicado percurso e ultrapassar os Goron competitivos (era pior do que Mario Kart 150cc).
Mais emocionante que Fórmula 1!

Finalmente com meu prêmio em mãos, retorno rapidamente até a ferraria e peço aos irmãos que melhorem minha espada. Assim, novamente eles me pedem para esperar um dia para que o serviço fique pronto e, como não sou uma pessoa muito paciente, avanço o tempo para conferir meu pedido. Dessa vez eu obtenho a Glided Sword que, segundo os irmãos, era o maior melhoramento possível da minha espada e certamente uma das lâminas mais poderosas de Termina. Quando eu terminei essas tarefas, já era a Manhã do Terceiro Dia, então imaginando que já tinha visto tudo o que Snowhead tinha para oferecer, voltei a Clocktown e girei o relógio três dias atrás no tempo.

Tatl me alerta que meu próximo destino deveria ser em direção a Great Bay, o problema era que o caminho até a praia estava bloqueado por altas cercas que somente em um cavalo eu conseguiria saltar. Pensando nisso, pensei que seria o momento certo de dar uma visitinha em Romani Ranch e tentar recuperar Epona. A boa notícia é que, podendo utilizar o Powder Keg, eu não precisava esperar até a Manhã do Terceiro Dia para que o minerador terminasse de destruir o enorme bloco de pedra que bloqueava a entrada do rancho.

Lá dentro, dessa vez encontro aquela triste garotinha correndo pelo campo e, quando falo com ela, a jovem Romani me conta a história mais bizarra que já tinha ouvido até agora. Uma vez por ano, estranhos alienígenas invadem o rancho e abduzem as vacas. Como isso sempre causa tantos prejuízos, ela pretende por um plano em prática naquela mesma noite e impedir os alienígenas. A garota me pergunta se eu não posso ajudá-la e, prontamente me candidado à missão. Para me preparar, a jovem me deixa cavalgar em Epona e testar minha pontaria com o arco e flecha em alvos espalhados pelo rancho. Ao completar o teste, a garota me felicita e me ensina uma nova canção que me permitira chamar Epona aonde quer que eu estivessa, a “Epona’s Song”.
"Operação caça aos aliens!"

Quando a noite finalmente chega, para minha surpresa, o rancho fica repleto de alienígenas! Espalhados por todos os cantos, preciso ser rápido para acertá-los com minhas flechas antes que cheguem perto dos animais. Precisei aguentar algumas horas até que os invasores desistissem de seus planos malignos e desaparecessem. Romani fica tão contente que me presenteia com uma garrafa do delicioso leite do rancho! Antes de ir embora, entro no celeiro e encontro a irmã mais velha de Romani, Cremia, que me diz que precisa de uma escolta para levar um carregamento de leite até Clocktown. Eu aceito a proposta e me encontro com ela mais tarde do lado de fora, ao lado de sua carruagem. Quando deixamos o rancho, eu vou para a traseira do veículo e vejo que dois bandidos começam a nos perseguir! Eu rapidamente começo a acertá-los com minhas flechas e, felizmente, conseguimos chegar a Clocktown sãos e salvos.
Não vem que não tem!

Com essa missão completa, Cremia me agradece  presenteando-me com a Romani’s Mask (que parece  um chapéu em forma de vaca), que me permitirá entrar no Latte Milk Bar na parte Leste de Clocktown. Agora que eu tinha feito mais algumas pessoas felizes e podia chamar Epona a qualquer hora, decidi tocar a “Song of Time” e voltei no tempo mais uma vez para me dirigir diretamente em direção a Great Bay. Usando a “Epona’s Song”, a minha fiel companheira veio até mim e juntos conseguimos atravessar as cercas que se colocavam entre nós e a praia. Quais seriam os perigos que me aguardavam na morada dos Zora?

Na fortaleza dos Piratas

Chegando em Great Bay, dou de cara com um imenso mar a minha frente, o Cabo Zora. Tudo parece um cenário paradisíaco, mas eu sinto que existe alguma coisa estranha no ar. Na verdade, era um grupo de gaivotas que circulavam em torno de um ponto do mar que me intrigava. Nadei até o local e vi que se tratava de um Zora que boiava, quase inconsciente. Eu tentei ajudá-lo empurrando-o até a beira da praia. Quase sem forças, ele usa seu último suspiro para me “cantar” sua história. Seu nome era Mikau, guitarrista da banda Zora, os Indigo-Go. A cantora da banda havia colocado sete ovos e, para sua tristeza, os piratas Gerudos haviam os roubado. Deprimida com esse acontecimento, a pobre jovem havia perdido sua voz. Mikau decidiu recuperar os ovos por conta própria mas foi atacado pelos piratas e tinha parado inconsciente na costa de Zora Cape.
Zora ao mar!!!

Terminando de tocar seus últimos acordes em sua guitarra feita de escamas de peixes, Mikau cai ao chão e me pede para curar sua alma. Então, toco a “Song of Healing” e vejo uma linda cena em que consigo reunir o talentoso guitarrista com sua banda pela última vez. Logo após isso, o corpo de Mikau desaparece e, em seu lugar, uma máscara surge. Obtendo a Zora Mask, agora sou capaz de me transformar em um habilidoso nadador, além de poder respirar em baixo d’água, lançar bumerangues com minhas nadadeiras laterais e gerar um escudo de energia ao meu redor. Tudo isso, em apenas uma máscara!


Antes de procurar pela Fortaleza dos Piratas, resolvi visitar uma simpática casa da Costa. Descobri que se tratava da loja do Fisherman. Ele me conta que as águas de Great Bay têm estado estranhas ultimamente e os seres marinhos vivem assustados. Ele não conseguia ir muito longe para pescar sem acabar se perdendo e voltando para a Costa. Também me diz que poderia me oferecer seu único peixe, um cavalo-marinho dourado, em troca de uma foto de uma das piratas da Fortaleza. Um pedido estranho mas que eu iria  lembrar.
Um pedido esquisito em troca de um peixinho brilhante.

Sabendo que eu não tinha tempo a perder, procurei alguma pista que me indicasse onde poderiam estar os piratas Gerudos. Nadando pelo fundo de Zora Cape, descobri um túnel secreto que me levava direto até a Fortaleza dos Piratas. O problema é que para entrar no local eu preciso ser muito cuidadoso porque se alguma das belas guardas me virem, vão me jogar para fora de sua morada. Quando finalmente consigo acessar o interior da fortaleza, Tatl me alerta que existe alguma coisa escondida por perto. Resolvo utilizar as Lens of Truth e descubro um guarda de Clocktown caído no chão, quase inconsciente. Ao falar com ele, o soldado me conta que está fraco porque tentou invadir a fortaleza mas os piratas o atacaram e ele perguntou se eu não tinha nada que pudesse lhe curar. Por sorte, eu tinha uma Red Potion no meu inventário, então a dei para o pobre homem. Totalmente recomposto, o guarda me agradeceu me dando o artefato que ele utilizou para passar pelos piratas, a Stone Mask!
Essa pose está perfeita Senhorita Pirata!

Utilizando essa máscara, eu podia andar livremente pela fortaleza, pois os piratas não conseguiam me ver. Isso se tornou muito útil para poder tirar a foto de uma das guardas que o Fisherman tinha me pedido. Depois disso, segui para outra parte da fortaleza, onde interrompi a reunião com a líder pirata com insetos problemáticos depois de ouvir que eles possuíam quatro Zora’s eggs e estavam procurando os três ovos restantes. A sala do líder também tinha um baú com um item que me ajudaria muito em minhas próximas missões, o Hookshot. Utilizando ele, consigo acessar diferentes locais da Fortaleza e localizar os quatro ovos que os piratas haviam roubado. Ainda bem que eu tinha quatro garrafas comigo, caso contrário, não teria conseguido resgatar todos os ovos.
Em busca dos ovos roubados.

Deixei a Fortaleza tão silencioso quanto tinha chegado e retornei a Zora’s Cape. A primeira coisa que fiz foi depositar os ovos Zora no tanque do laboratório que havia no centro da Costa, para que ficassem seguros. Depois, fui trocar com o Fisherman a foto da pirata pelo cavalo-marinho dourado que, para minha surpresa, pediu-me para levá-lo de volta a Pinnacle Rock, uma formação rochosa única no fundo da Costa. E foi assim, seguindo meu amiguinho que brilhava no fundo do mar, que trilhei um caminho cheio de curvas para chegar até uma enorme caverna onde seu amigo havia sido preso pelas gigantes Cobras Marinhas.
Hora de se livrar de alguns monstros problemáticos!


Eu decido ajudar o Cavalo-marinho e desço na profunda caverna para derrotar as ferozes Cobras. Usando o poder do meu escudo de energia, foi uma tarefa fácil. O melhor de tudo foi que não apenas consegui salvar e reunir o casal de cavalos-marinhos mas também consegui recuperar os três ovos Zora restantes! Sem tempo a perder, retornei ao laboratório e depositei os ovos restantes no tanque. Para minha surpresa, eles racharam e pequenos girinos Zoras apareceram, nadando em uma formação muito curiosa. O grupo formava uma composição musical e decidi experimentar a melodia com a minha guitarra Zora. Foi assim que aprendi a “New Wave Bossa Nova”, uma canção famosa entre os Zora.

Eu sabia que com aquela nova melodia eu conseguiria encontrar o caminho para a dungeon de Great Bay, então me dirigi até o Hall dos Zora, atrás de uma grande cachoeira. Chegando lá, além de vislumbrar um local de formas e estéticas incrivelmente bonitas, encontrei a pobre cantora Lulu sozinha do lado de fora da caverna. Ela não podia dizer uma palavra, mas eu podia ver em seu rosto que estava sofrendo tanto pelo seu povo quanto por sua banda. Então, peguei minha guitarra e toquei a nova música para a jovem cantora. Seus olhos se encheram de alegria e ela começou a cantar junto. Em pouco tempo, a pequena ilha que estava ao nosso lado começou a se mexer e percebi que se tratava de uma tartaruga gigante!
Viajar o mar nas costas de um animal gigante... Quem nunca?

A grande criatura me explica que faz anos que ela dorme no oceano, mas a canção dos Zora a despertou para me avisar que eu preciso eliminar o mal que se infiltrou em Great Bay Temple e está destruindo o ecossistema dos Zora. Ele me pede para usar o Hookshot em uma das palmeiras de suas costas para acompanhá-lo até o templo. Seguindo seu conselho, em poucos minutos começamos a nossa viagem pelo mar. Como havia um tenebroso turbihão de água circulando o templo, nem mesmo os piratas Gerudos conseguiam chegar perto. Felizmente, a tartaruga gigante conseguiu atravessar o obstáculo sem problemas.

Os perigos de Great Bay Temple

Quando a bondosa tartaruga me largou na entrada do templo, fiquei muito nervoso pensando se essa dungeon seria de alguma forma parecida com o temido Water Temple de Ocarina of Time. Para minha sorte, não era. Mesmo assim, foi a dungeon mais trabalhosa que tive que atravessar até o momento em minha jornada por Termina. Coletar as Stray Fairies tendo que lutar contra correntes que puxavam de um lado para o outro foi uma tarefa quase impossível. Obter as Ice Arrows foi algo que tornou alguns desafios mais simples, porém levei um certo tempo para conseguir entender quais alavancas eu precisava ativar para controlar o fluxo de água do templo e acessar locais diferentes.
Será que devo girar essa alavanca agora ou depois?

Eu me lembro que pouco antes de entrar na câmara do boss, tinha lido que muitos jogadores reclamavam da luta contra o demônio de Great Bay Temple. Bem, em poucos instantes eu iria saber se, de fato, o combate seria tão complicado assim ou o remake havia trazido modificações que iriam me beneficiar. Quando eu atravesso a porta, caio em um enorme salão inundado por água. Mas eu não tenho muito tempo para pensar porque logo o meu inimigo salta sobre mim! Gargatuan Masked Fish, Gyorg é um peixe gigante horrível que fica nadando de um lado para o outro na câmara.

A primeira parte do combate foi mais simples do que eu imaginava. Bastava eu mirar na besta com meu arco e flecha e disparar tiros certeiros para nocautear Gyorg e expôr seu grande olho. Atingindo o órgão, a criatura mergulhava fundo na água e eu tinha apenas que cuidar quando ele se enfurecia e saltava sobre a plataforma em que eu estava, tentando me atingir. Depois de muitas flechadas, achava que Gyorg estava derrotado, mas para minha tristeza, a besta se jogou contra a base da plataforma e a fez afundar. Agora a batalha seria dentro de seu território.
Isso! Mostra esse olhão pra mim, monstro!

Não perdi tempo e coloquei a Zora Mask e tentei atingir Gyorg com o poder do meu nado rápido e do escudo. Foi inútil. O peixão se movia rápido demais e ficava cuspindo pequenos peixes carnívoros para me atrapalhar. Foi somente quando ele abriu sua enorme boca e começou a tentar me sugar que descobri o que precisava fazer para vencê-lo. Rapidamente atingi as minas suspensas que se encontravam no fundo do salão com minhas nadadeiras bumerangues e fiz Gyorg ter uma bela indigestão ao engoli-las. Ele expôs seu grande olho novamente e o atingi com toda a minha força!
Sinto muito Gyorg, mas isso vai lhe causar uma pequena indigestão.

Precisei seguir essa estratégia mais algumas vezes para finalmente vencer a besta e ver Gyorg se contorcendo enquanto desaparecia em uma névoa negra. No seu lugar, restaram apenas mais um Hearth Container e Gyorg’s Remains, a máscara demoníaca que aprisionava um pobre espírito. Ao pegá-la em minhas mãos, mais uma vez fui levado a uma dimensão estranha e me encontrei com o terceiro Gigante. Despertando o espírito, eu e Tatl ouvimos a criatura falar lentamente “Help our friend” (“Ajude nosso amigo”). Será que ele estava falando sobre o último gigante ou seria de outra pessoa?

Não tive muito tempo para pensar, pois logo fui teletransportado de volta para o exterior do Zora Hall onde a tartaruga me agradecia por ter destruído o mal do templo e feito a alma de Mikau descansar em paz. O melhor de tudo era que Lulu tinha sua voz de volta e, mesmo sem seu melhor guitarrista, a Indigo-Go poderia continuar seus shows no futuro. Antes de retornar a Clocktown, consegui encontrar a entrada da Great Fairy Fountain de Great Bay e restaurei a forma original da Great Fairy of Courage. Por ter lhe ajudado, a fada me presenteou com um melhoramento na minha resistência e, agora os inimigos fariam a metade do dano que costumavam fazer. E foi assim, mais forte e tendo trazido a alegria de volta a uma jovem cantora e seu povo, retornei feliz para Clocktown, depositei minhas Rupees e toquei a “Song of Time” porque a minha jornada ainda estava longe de terminar.
Quem disse que depois de tantos desafios eu não tenho tempo de tocar o meu solo de guitarra?

Continua nas próximas semanas...

Revisão: Luigi Santana
Capa: Felipe Araujo
Luís Antônio Costa é graudado em Ciência da Computação pela UFRGS. Apaixonado por games desde que ganhou seu primeiro Master System e conheceu Sonic, também é amante da ciência e um devorador de livros. Além do Nintendo Blast, também faz alguns textos para o Medium e pode ser encontrado no Facebook e Twitter.

Comentários

Fórum
Google+
Facebook


Últimas do Fórum

Ver mais

No Facebook

Ver mais