[Atualizado] Produtor de Metroid Prime: Federation Force (3DS) sugere nova sequência

Diante das críticas a Federation Force, o produtor do jogo deu dicas sobre uma possível novo capítulo da série Metroid Prime

Ok, o anúncio de Metroid Prime: Federation Force (3DS) foi um dos mais polêmicos do Nintendo Digital Event. Mesmo que ainda saibamos muito pouco sobre o jogo, já foi o bastante para fazer os fãs da trilogia Metroid Prime criarem até uma petição pedindo o cancelamento do jogo. É cedo para se decepcionar com esse novo jogo, mas, em entrevista com o site IGN, o produtor da série, Kensuke Tanabe, deu indícios de uma sequência para Metroid Prime 3: Corruption (Wii).

O diretor não falou sobre os Metroid bidimensionais, pois esses estão sobre responsabilidade de Yoshio Sakamoto, um verdadeiro pai da série e cujo último trabalho na franquia foi com Metroid: Other M (Wii).
Eu ainda acho que há algo a ser feito por mim na série Metroid Prime. Eu não posso dizer quando, mas eu quero fazer um novo jogo. 
Cuidado com spoilers, na próxima informação contada: Tanabe também confirmou algo que a misteriosa nave espacial que perseguiu Samus após o final 100% de Metroid Prime 3 era, de fato, do caçador de recompensas Sylux, que é jogável em Metroid Prime Hunters (DS). Tanabe não apenas confirmou essa teoria antiga dos fãs, como também se mostrou com vontade de trabalhar na relação na continuação dessa relação entre Samus e Sylux, deixando claro que há algo entre ambos.

Mas, então, por que não vimos um Metroid Prime contando essa história interessante em vez de Federation Force? Segundo o produtor, ele não apenas está pensando em um próximo jogo que abordará Samus e Sylux, como também pretende incluir a Galact Federation na trama. Por conta disso:
Então seria uma boa ideia lançar um jogo como Federation Forces para relembrar o papel dela [Galact Federation] antes de seguir nessa direção"

[ATUALIZADO]

Em entrevistas ao site Eurogamer, o Tanabe desmanchou as expectativas dos fãs (se é que ainda existiam) de que o jogo sairia ainda para o Wii U. Pelo tempo de desenvolvimento (cerca de três anos) e pela quantidade de conteúdo que o jogo teria, o jogo acabaria sendo lançado para o NX, próxima plataforma da Nintendo ainda desconhecida.

Mas isso provavelmente seria recompensado com uma jogabilidade interessante. O produtor disse estar considerando viagens no tempo, em vez de apenas incrementar a quantidade de planetas acessíveis. Ele lembrou, no entanto, que as pessoas acharam Metroid Prime 2: Echoes (GC) difícil. Echoes também apresentou uma mecânica de alterância entre planos.
Fonte: IGN e Eurogamer
Rafael Neves é estudante de psicologia na UFBA e planeja ingressar no mundo da literatura como escritor. A paixão por videogames e a vontade de escrever unem-se na experiência como jornalista do ramo. Também trabalha em sua HQ virtual. Encontre-o no Facebook.

Comentários

Fórum
Google+
Facebook


Últimas do Fórum

Ver mais

No Facebook

Ver mais