Jogamos

Análise: Mega Man Legacy Collection (3DS): reviva as primeiras aventuras do robozinho

Será essa coletânea dos seis primeiros jogos de Mega Man uma boa maneira de relembrar a franquia e introduzí-la a novos jogadores?

Mesmo que não seja através de um novo jogo próprio, Mega Man anda chamando bastante atenção ultimamente. Sua participação em Super Smash Bros. é até hoje comemorada, Migthy No. 9 continua indiretamente o legado da franquia e, por fim, temos o recente lançamento da Capcon: Mega Man Legacy Collection. Apesar de ter chegado um pouco mais tarde ao 3DS, a coletânea traz tudo das versões para PS4, XBO e PC, o que inclui diversos títulos do robozinho azul, galerias de imagens e músicas, recursos extras e desafios inéditos. Será essa uma boa maneira de reviver o legado de Mega Man e apresentá-lo a novos jogadores?


Dissecando a coletânea

Mega Man Legacy Collection tem como prato principal a compilação dos seis primeiros jogos do robozinho azul, lançados originalmente para NES. Em cada um deles, controlamos Mega Man em seu eterno confronto contra Dr. Wily e seu sempre reinventado exército de robôs malignos. Tradicionalmente, cada jogo é dividido em oito estágios, representandos cada um por um robô inimigo. Para chegar ao chefe de cada estágio, é necessário passar por vários desafios de plataforma, que exigem muita precisão nos saltos, tiros e habilidades obtidas após superar um estágio anterior.
Cabe a você escolher a ordem em que enfrentará os Robot Masters
Trata-se de um prato cheio para qualquer fã; afinal, cada título traz muito conteúdo e, pelo alto nível de dificuldade, requer várias tentativas para ser superado. Por outro lado, essa não é a compilação mais recheada que a Capcom já nos trouxe. Mega Man Anniversary Collection é, ainda, o conjunto mais interessante, uma vez que traz também os títulos da eras SNES e PlayStation, além de spin-offs.
Cada fase exige muita precisão e domínio da mecânica dos obstáculos
Sendo Mega Man Legacy Collection a coletânea mais recente da franquia, era de esperar um número maior de jogos, como os mais recentes Mega Man 9 (Multi), Mega Man 10 (Multi) e até Street Fighter X Mega Man (PC). Aproveitando ainda as peculiaridades da franquia nos portáteis, essa edição de 3DS poderia incluir os títulos de Game Boy, uma vez que já estão disponíveis no Virtual Console do aparelho. Ainda assim, os seis primeiros jogos da série rendem horas de jogatina e contemplam um arco de títulos que evoluiu numa mesma plataforma.
Mega Man (1987) 
O primeiro Mega Man fez grande sucesso em seu lançamento original para NES, o que lhe rendeu a onda de sequências que existe até hoje. No enredo, Mega Man, um robô assistente do Dr. Light, é enviado para combater os seis robôs malignos de Dr. Willy. O level design era de longe a característica mais marcante do jogo, o que também lhe trouxe um nível de dificuldade elevadíssimo. Esse primeiro jogo nem tinha o recurso de password, exigindo que fosse jogado do início ao fim de uma só vez!

Um novo jogo velho

Apesar de desafiadores até hoje e de terem revolucionado os jogos da época em muitos aspectos, os primeiros títulos da série Mega Man estão bem datados. Felizmente, Legacy Collection traz algumas melhorias muito bem-vindas para esses clássicos da Capcom. O recurso de salvar e retomar o progresso é, de longe, a melhor novidade. Afinal, somente o saudosismo justificaria utilizar o sistema de passwords hoje em dia (embora ele continue lá para quem quiser utilizá-lo).

Além desse recurso, o jogador ainda tem as opções de configurar os botões da forma que melhor o satisfaça e de adicionar uma moldura temática para a tela. Essas alterações, por sua vez, não contemplam algumas melhorias pelas quais os títulos da série clamam em uma oportunidade de relançamento como esta. Uma delas diz respeito aos frequentes slow-downs percebidos quando há muitos elementos simultâneos na tela, algo que não se justifica em plataformas da atual geração. Outro ponto intocado, mas que poderia ajudar a cativar novos jogadores caso disponível, é a opção de um nível de dificuldade menos castigador, algo que chegamos a ver em Mega Man 9 e 10.
Mega Man II (1988) 
Um ano após o lançamento do primeiro jogo, eis que Mega Man II já estava disponível para NES. Mantendo a estrutura do primeiro jogo, essa sequência aprimorou diversos aspectos do primeiro Mega Man, introduzindo passwords, o item Energy Tank e uma coletânea de músicas memoráveis. Os desafios do jogo continuavam ferrenhos, porém com a opção de reduzir o nível de dificuldade.

Coloque-se à prova

Embora não tenha sido gentil com novos jogadores, Mega Man Legacy Collection é um prato cheio para veteranos. Se você já jogou (e rejogou) os títulos inclusos no pacote, há ainda uma gama de desafios inéditos lhe esperando. A Capcom preparou dezenas de pequenos remixes de cada um dos jogos do pacote, alguns misturando temas de várias fases e outros adicionando restrições e elementos novos aos estágios.
Prepare-se para suar a camisa nesses desafios!
A coletânea de desafios é tão extensa e desafiadora que pode ser jogada como um jogo à parte. Uma vez que é necessário completar um certo número de desafios para liberar os próximos, há um bom senso de progressão nessa funcionalidade. E, acredite, alguns desafios são realmente ferrenhos e lhe farão repeti-lo inúmeras vezes.

Mega Man III (1990) 
Considerado por muitos o melhor título da franquia, Mega Man III não demorou para chegar ao NES após o sucesso de seu antecessor. Com uma história mais instigante, que culmina no nascimento de Proto Man, esse jogo trouxe ainda mais melhorias à fórmula da série. Mega Man aprendeu a habilidade de deslizar pelo chão, o fiel cão robô Rush foi introduzido e fases extras foram deixadas para o final do jogo. Mais uma vez, a trilha sonora deu um show à parte!

Muito conteúdo extra

Outro agrado para os veteranos, que também pode despertar a curiosidade em novos jogadores, é o acervo de imagens e músicas de cada título do pacote. As ilustrações incluem cada um das centenas de inimigos, obstáculos e chefes robóticos de cada jogo, bem como uma descrição e eventuais dicas de como lidar com eles. As duas telas do 3DS são bem aproveitadas para essa funcionalidade, permitindo que se dê o devido espaço para as imagens e para a descrição de cada uma.
Fãs de Mega Man podem gastar horas conferindo o acervo de imagens
Além disso, há imagens de todas os cartuchos, embalagens, manuais e materiais extras dos lançamentos originais de cada jogo em cada região do mundo. E é bem interessante comparar, por exemplo, as ilustrações de capa de Mega Man de cada país. As diferenças são gritantes! Legacy Collection acaba sendo também uma boa maneira de manter vivas essas memórias.
Mega Man IV (1991) 
Mais uma vez, a Capcom nos mostrou que lançamentos anuais de uma franquia de jogos não é uma invenção recente da Ubisoft, pois, um ano após Mega Man III, o NES recebia o quarto game da série. Mantendo mais uma vez o padrão da série, Mega Man IV inovou em vários aspectos. Rush recebeu as duas novas funções Marine e Jet, Mega Man aprendeu a carregar seu canhão para disparar um projétil maior (Mega Buster) e alguns power-ups foram escondidos pelas fases.

Mega músicas

Além disso, é possível escutar a cada uma das faixas dos seis jogos. Quem curte trilha sonora de videogames sabe que as músicas das fases de Mega Man são muito inspiradas. Muitas se tornam memoráveis para diversos jogadores justamente pelo fato de ter que se ouvir a elas inúmeras vezes até finalmente superar sua fase. Apesar de contar com um bom acervo, o tocador de músicas é muito pouco inteligente. Não há opção de criar playlists próprias, não é possível tocar repetidas vezes a mesma música (o que é péssimo para canções de poucos segundos) e o tocador nem mesmo reproduz a faixa seguinte após chegar ao fim de uma.
Uma ótima seleção de músicas, porém um péssimo tocador de músicas
Só esses problemas já fazem do tocador de músicas do jogo um dos recursos mais subaproveitados da coletânea, mas, falando especificamente do 3DS, há ainda mais potencial mal aproveitado. Infelizmente, não é possível ouvir às canções do jogo com o 3DS fechado, nem mesmo utilizando fones de ouvido. Dessa forma, é inviabilizada a opção de utilizar o 3DS como um tocador de músicas portátil, algo que poderia dar essa versão de Legacy Collection uma bom diferencial em relação às demais.
Mega Man V (1992) 
Outro capítulo da série considerado por muitos o melhor, Mega Man V foi lançado para NES para compensar o lançamento morno de Mega Man IV. E não é que a Capcom conseguiu? Mega Man V deu um upgrade no Mega Buster, o Super Buster; estreou a ave robô Beat e introduziu a caça às letras que formam o título do jogo para ganhar um power-up especial. Com estágios criativos e desafiantes e mais uma coletânea de excelentes canções, Mega Man V é um título incrível!

Amiibo!

Embora tenha perdido todas as outras oportunidades de se destacar em relação às versões de PS4, XBO e PC de Mega Man Legacy Collection, essa edição de 3DS tem um interessante diferencial: a compatibilidade com os amiibo de Mega Man. Escaneando o amiibo do robozinho da linha Super Smash Bros. ou sua mais recente versão dourada, são liberados mais onze desafios inéditos ausentes nas outras versões de Legacy Collection.
O amiibo de Mega Man dourado, infelizmente, só pode ser obtido nas Américas através do pacote Mega Man Legacy Collection: Collector's Edition. Uma má notícia para quem busca pela miniatura avulsa, mas uma excelente notícia para quem quiser esse pacote, uma vez que nele há não apenas o amiibo e uma cópia física do jogo, mas também belos cartões ilustrativos e adesivos e um código de download para 18 canções da série.
Mega Man VI (1993) 
Lançado já no fim da vida do NES, Mega Man VI não chegou à Europa, na época, e quase ficou de fora do mercado americano. Ainda assim, trata-se de mais um capítulo interessante da franquia. Mesmo sem nenhuma inovação para a fórmula da Capcom, o jogo tem um enredo interessante, estágios muito bem construídos e chefes desafiadores. O título demonstrou um desgaste na fórmula da franquia, mas seu sucessor, Mega Man VII, chegaria ao SNES para reascender a paixão pelo robozinho azul da Capcom.

Um legado a ser revisitado

Mega Man esteve presente na gênese dos videogames, mostrando o potencial dos jogos de plataforma através de um universo cativante, desafiador e muito bem construído. Suas lições de level design estão presentes em muitos jogos atuais, mesmo que de forma sutil. Reviver o material original que deu origem a essa revolução é uma oportunidade que Mega Man Legacy Collection felizmente traz à atual geração de videogames.


Mesmo ficando atrás de outras coletâneas do robozinho azul, Legacy Collection tem muito conteúdo. E não falo apenas dos seis jogos principais inclusos, mas também da vasta coleção de imagens, músicas e desafios inéditos. Seja você um veterano nas aventuras de Mega Man ou um novato no universo do personagem, Legacy Collection é uma boa maneira de resgatar esse clássico dos videogames.

Prós 

  • Compilação de seis jogos oferece horas de desafios e diversão;
  • Novos recursos (como salvar e recuperar o progresso);
  • Vasto bestiário e acervo de materiais de lançamento para visualização;
  • Tocador de músicas tem uma ótima biblioteca;
  • Dezenas de desafios inéditos colocam à prova as habilidades do jogador;
  • Visual de jogos de NES bem adaptados para a tela do 3DS.

Contras

  • Pacote com poucos jogos, se comparado a coletâneas anteriores de Mega Man;
  • Slowdowns das versões originais persistem;
  • Tocador de músicas é muito pouco prático;
Mega Man Legacy Collection — 3DS — Nota: 8.0
Revisão: Bruno Alves
Capa: João Leal

Rafael Neves é estudante de psicologia na UFBA e planeja ingressar no mundo da literatura como escritor. A paixão por videogames e a vontade de escrever unem-se na experiência como jornalista do ramo. Também trabalha em sua HQ virtual. Encontre-o no Facebook.

Comentários

Fórum
Google+
Facebook


Últimas do Fórum

Ver mais

No Facebook

Ver mais