Jogamos

Análise: Infinite Space (DS)

As aventuras pela galáxia na tela do seu DS. A mesma developer por trás de grandes obras como MadWorld (Wii) e Bayonetta (PS3/360) traz ... (por Ricardo em 29/03/2010, via Nintendo Blast)

9a564c5a38a106fdf157dfb2977e98bb As aventuras pela galáxia na tela do seu DS. A mesma developer por trás de grandes obras como MadWorld (Wii) e Bayonetta (PS3/360) traz ao Nintendo DS o RPG de ficção científica Infinite Space. 

Em Infinite Space, você toma o papel de Yuri, que junto com sua irmã, acabam de começar a sua carreira espacial. Esse é um jogo de criação e gestão de naves. Para construir uma espaçonave, você precisa comprar plantas (aqueles desenhos técnicos, que documentam toda a engenharia de design), musturá-las e combinar os módulos que finalmente vão resultar nas catecterísticas essenciais da sua nave. Acredite: fazer isso é muito divertido!

E ao contrário dos conhecidos sistemas de atualização, não é aqui o caso de apenas comprar uma torre melhor ou um gerador de escudo na sua nave. Cada mod que você adiciona, ocupa espaço no leiaute de sua nave. Os mods vêm em diferentes formas e tamanho, o que indica significa que tudo precisa caber na grande caixa da sua espaçonave.

infinite_space

946344_20100118_790screen001

  • Desafio e inovação

O jogo traz o desafio de organizar os mods e pensar estrategicamente para equilibrar as trocas entre eles. Há uma enorme quantidade disponível: refeitórios, pontes de navegação, salas de radas, cabines da tripulação, salas de segurança, e muito, muito, muito mais pode ser adicionado juntamente com os completementos de armas, escudos e motores. É nessa hora que você precisa analisar o que prefere: armas mais poderosas ou um departamento de ciências? Um refeitório ou uma sala de segurança? Cada módulo afeta você e sua tripulação de maneiras diferentes e podem realmente fazer a diferença no resultado de uma batalha. A única maneira de vencer uma batalha no espaço é de prever corretamente o que o inimigo vai fazer. Uma vez que você pode cruzar a galáxia com cinco naves de uma vez, é possível constuir toda uma frota com suas próprias especificações.

946344_20100118_790screen004 946344_20100118_790screen002 946344_20100118_790screen003

Além de definir os mods, você deve otimizar a sua tripulação.  A equipe precisa se expandir, com a inclusão de cientistas, cozinheiros, médicos, etc. Há 35 lugares para preencher. Conhecer melhor a sua tripulação é essencial, e a cada novo companheiro podem ser atribuídos papéis específicos em sua nave com base nas suas habilidades e estatísticas.

Uma vez no campo de batalha, você vai usar a stylus para avançar no inimigo ou recuar, em um campo 2D. Há seis comandos básicos: atacar, atacar com poder total, manobras evasivas, armas anti-aviões, lançamento de caças, e ataque repentino. O último comando nem sempre é possível, e se você retirá-lo, vai entrar num modo de combate mão-a-mão, que tem a mesma essência do pedra-papel-tesouracom os seus próprios parâmetros e ataques especiais. A diversão mesmo está em fazer o inimigo usar o ataque com poder total, que pode ser evitado com as manobras evasivas, e em seguida você rebater com um ataque ou movimento especial próprio.

  • Parte técnica supera expectativas

946344_20090924_790screen001Os gráficos e o som são bons para um título de DS. Os comandos são na maior parte acompanhados por voz. As sequências de animação são longas e o design dos personagens está bem feito, embora eles tenham me parecido um pouco andróginos. 

Infinite Space é muito mais difícil do que parece e, definitivamente, você só vai aprender toda a mecânica do jogo com os seus próprios erros.  Mesmo assim, os produtores foram capazes de fazer um jogo muito viciante. Há uma profundidade de conteúdos que permite a você personalizar o jogo como quiser.  Os fãs de space opera certamente vão passar das cem horas de jogo, sem nenhum exagero. Outros já podem se debater ao encontrar a curva de aprendizagem e parar um pouco depois.

Infinite Space – DS – Nota final: 8

Gráficos: 8.5 – Som: 7.5 – Jogabilidade: 8 – Diversão: 8


Ricardo tem 19 anos, é estudante de Administração, mora em Curitiba e ama tanto música pop que decidiu dedicar o seu tempo livre para a criação de um blog só sobre o assunto! Vícios atuais: Ladyhawke, Ke$ha, Little Boots, La Roux, VV Brown, Frankmusik e Dan Black. Sua cor preferida é lilás e seu filme preferido é O Poderoso Chefão.

Comentários

Google
Disqus
Facebook