Entrevista: Dep. Luiz Carlos Busato e o Projeto Jogo Justo

(por Alveni Lisboa em 30/07/2010, via Nintendo Blast)

Ser gamer no Brasil não é fácil. O preço dos consoles, games e acessórios são absurdamente caros, tornando a diversão limitada. Não é todo mundo que pode desembolsar mais de R$ 1.000 em um Nintendo Wii ou R$ 250 em cada jogo. Infelizmente, as pessoas mais humildes ou são completamente excluídas, ou então apelam para a pirataria. Pirataria essa que afasta grandes empresas da America Latina no geral. A Sony, por exemplo, não lançou o PS3 no país. É um mercado que tem tudo para explodir, mas que não se desenvolve devido à burocracia, os altos impostos e à falta de investimento.
Levantamento recente do IBGE mostrou que as classes mais baixas não tem acesso à aparelhos modernos, como tocadores de mp3 ou videogames de última geração. A causa são os preços abusivos cobrados do consumidor brasileiro. O país tem tantos impostos que os eletroeletronicos importados chegam a custar até quatro vezes mais do que deveriam. Por exemplo: o Wii americano custa US$ 199. Sem imposto, ele deveria sair por, no máximo, R$ 500. É um preço ainda bem elevado, mas muito mais acessível. Os jogos vão pelo mesmo caminho: Super Mario Galaxy custa US$ 49,99. Se chegasse sem imposto ao país, seria vendido por aproximadamente R$ 120.

O Projeto Jogo Justo


À partir dessa preocupação nasceu o projeto “Jogo Justo”, que visa reduzir impostos sobre consoles e jogos importados, além de buscar apoio do governo para desenvolver a indústria de games no país. Atento a importância dessa luta, o deputado federal e vice-líder do Governo na Câmara, Luiz Carlos Busato (PTB-RS), resolveu apoiar a causa. É o primeiro mandato dele como deputado federal. Antes, Busato foi secretário de obras na cidade de Canoas (RS). O Nintendo Blast entrevistou com exclusividade o parlamentar gaúcho. Confira:

Nintendo Blast - Como o senhor ficou sabendo do projeto “Jogo Justo” e por que resolveu aderir?
Dep. Luiz Carlos Busato: Conheci a ideia do projeto através de uma amiga que indicou o meu nome para o senhor Moacyr Alves, responsável pelo “Jogo Justo”. Primeiramente, achei a proposta muito boa, mas resolvi aderir ao movimento quando tomei conhecimento de que os jogos e consoles são muitos caros e hoje se tem a possibilidade de reduzir a carga tributária desses produtos. Depois, avaliando, viu-se que a medida também pode gerar emprego e diminuir a pirataria.

Como líder do Governo, o que o senhor tem feito para sensibilizar os políticos e os gestores do governo sobre a importância do “Jogo Justo”?
Busato: No momento, tudo está numa fase de estudo. Antes de conversarmos com o Governo e seus representantes, temos que ter um embasamento de que com a redução de impostos aumentará também a arrecadação, e em consequência os benefícios que o Governo terá.

Atualmente, é possível reduzir a carga tributária para que videogames, jogos e acessórios cheguem ao país a um preço mais acessível? Como isso pode ser feito?
Busato: Acreditamos que sim, uma vez que será um incentivo para a venda e criação de jogos, novas fábricas e geração de emprego. Mas o estudo que a equipe do Jogo Justo está realizando nos dará mais respostas.

O senhor acredita que essa medida pode reduzir a pirataria no Brasil?
Busato:
Este é um dos motivos que deverão ser provados junto ao Governo. Com a redução do valor dos jogos com certeza muitos irão adquirir jogos originais, aquecendo o mercado. Além de outras formas de inibir a compra de jogos piratas.

O senhor planeja apresentar algum projeto sobre o assunto? Se sim, o que vai propor?
Busato
: A princípio não. Uma vez que apresentado o projeto, se o Governo não se manifestar favoravelmente, dificilmente será aprovado. Nós estamos indo pelo caminho mais fácil, ou seja, indo direto ao Governo e provar para eles que a redução da carga tributária é favorável tanto para o Brasil, quanto para os consumidores.

Há no país bons desenvolvedores de games, mas que não obtém sucesso por falta de recursos. O que poderia ser feito para desenvolver essa indústria no país?
Busato:
Em primeiro lugar, aquecer a economia com a venda de jogos com preços justos, tendo este aquecimento, o mercado interno vai começar a desenvolver jogos, visto a demanda de compra e também as grandes fabricantes se sentirão incentivadas a investir em nosso País.

Na sua opinião, qual a importância dos jogos na vida das pessoas?
Busato:
A princípio os jogos são uma distração, em muitos casos educativos e temos alguns até ligados à área médica. Por isso, avalio os jogos como o lazer de muitas famílias e a possibilidade de recuperação de doentes e do ensino na sala de aula e em casa.

O senhor joga ou já jogou algum game? Se sim, poderia citar algum que tenha sido marcante?
Busato:
Atualmente não, eu sou do tempo do Atari. Mas sou admirador e só não jogo por falta de tempo.

Gostaria de deixar um recado para os nossos leitores?
Busato:
Este movimento realizado através do Jogo Justo está mexendo com vários segmentos de nossa economia e política. Por esse motivo, acredito que, com a manifestação popular, junto ao estudo, poderemos sensibilizar o Governo. Assim poderemos conseguir a redução da carga tributária, a diminuição da pirataria, podendo desenvolver jogos no Brasil, ter a geração de novos empregos e tantos outros benefícios a serem conquistados.
O Nintendo Blast agradece ao deputado pela participação, e você leitor fique conosco para mais novidades sobre projeto Jogo Justo!

Escreve para o Nintendo Blast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google
Disqus
Facebook


  1. Confesso que me admira ver políticos lutando por um projeto assim... Mas já estava na hora de acordarem para isso, a política no Brasil tem o sério problema de achar que a população só quer saúde, comida e segurança; mas esquecem do lazer e do entretenimento.
    (Mas se parar pra pensar, eles mal conseguem prover estas três prioridades...)

    ResponderExcluir
  2. Busato é bem conhecido aqui no sul. E claro que ele quer ganhar eleitores fiéis. Somos fiéis aos games, pq que não iremos lutar ao lado dele?
    E a questão não é que a população precise de entretenimento. Isso ela busca sozinha tendo estudo. A maioria não tem acesso ao entretenimento eletronico ou mesmo um computador porque nao tem grana, e a pouca grana é consequencia de falta de estudo, conhecimento.

    Precisamos é de EDUCAÇÃO.
    2011 promete para o Brasil... Mas por favor...sem a Dilma.

    ResponderExcluir
  3. Hahahaha, e a campanha em Douglas... (mas num qro Dilma tbm)
    Dexando isso de lado é uma boa, pois tambem vai diminuir a pirataria.
    Incentivando a produção de games aqui também, sou adepto a campanha e apoio.
    JOGO JUSTO JÁ.
    Ainda mais que ano q vem chega o 3DS.

    ResponderExcluir
  4. Precisamos é de EDUCAÇÃO.
    2011 promete para o Brasil... Mas por favor...sem a Dilma.


    É uma pena não saber ao certo se nossos votos realmente são contabilizados de forma honesta...
    O.o

    Péssimo lugar pra discutir política! I'm so sorry!

    ResponderExcluir
  5. Michael sao sim, quanto a isso pode ficar despreocupado!

    Eu só compro jogo original se ele abixarem para no minimo 49,90. Além disso ele poderiam converter coisas de video games para dolares, ou seja, se um video game custa 300 dolares, aqui no Brasil custaria 600 reais.

    É isso ai, vamos lah!

    ResponderExcluir
  6. hahaha tá doido??? o dólar custa 1,76...isso só acontece se o Brasil adotar o dólar americano como moeda.ou nós morarmos nos EUA.

    ResponderExcluir
  7. sem a DILMA? vc viu o que serra fez com a educação em sao paulo???

    ResponderExcluir
  8. sem a DILMA? vc viu o que serra fez com a educação em sao paulo???
    forma honesta?vc é a pessoa mais retardada que já vi!
    Discutir educação?e esquecer a saúde, os altos impostos que impede ter empregos, etc???

    ResponderExcluir
  9. Pode até ser sem Dilma, desde que não seja com Serra... Basta pegar o metro da linha vermelha em São Paulo por um dia para passar uma vida inteira sem votar no PSDB =)

    ResponderExcluir
  10. err.. o pessoal fica pedindo por melhoras na educação, saúde, segurança.. mas o que ninguém percebe que isso ai pro governo custa dinheiro xD por isso que eles aumentam impostos, pra poderem cuidar disso tudo (ou pelo menos e o que eles dizem)

    Acho que esse projeto visa justamente o outro lado.. ele mostra que o governo vai ganhar mais dinheiro com impostos baixos mas muita gente comprando, do que impostos altos e quase ninguém comprando (o que tecnicamente geraria mais dinheiro pro governo investir em educação e talz..)

    As pessoas acham que e só uma questão de entretenimento, mas na verdade o jogo justo entraria na categoria "Desenvolvimento Económico" ou algo do tpo :D

    ResponderExcluir
  11. De fato, achar que o governo iria baixar os impostos por piedade é... bobo. Se o projeto não apresentar algum ganho, de preferência em forma ganho monetário, as chances de ser aprovado são pequenas.

    ResponderExcluir
  12. Precisamos é de EDUCAÇÃO.
    2011 promete para o Brasil... Mas por favor...sem a Dilma.

    Confesso que me admira ver políticos lutando por um projeto assim... Mas já estava na hora de acordarem para isso, a política no Brasil tem o sério problema de achar que a população só quer saúde, comida e segurança; mas esquecem do lazer e do entretenimento.
    (Mas se parar pra pensar, eles mal conseguem prover estas três prioridades...)

    Eu só compro jogo original se ele abixarem para no minimo 49,90. Além disso ele poderiam converter coisas de video games para dolares, ou seja, se um video game custa 300 dolares, aqui no Brasil custaria 600 reais.

    --------------------------------------------------------------------
    Pessoal a beleza do Jogo Justo é que uma pessoa simpesmente resolveu parar de mimimi arregaçou as mangas e esta fazendo a diferença.
    Os políticos são apenas representantes, se a gente fica com mimimi eles representam nosso mimimi.
    ---------------------------------------------------------------------
    Ps.: Todos podem ajudar divulgando ao máximo o projeto.
    Twitter, orkut, messenger, e-mails para mídia, se nos unirmos teremos força.
    --------------------------------------------------------------------
    PPS.: Antes que alguém venha dizer que não dá, que é difícil e que não vai dar certo. Ajude primeiro, faça alguma coisa se por acaso realmente não funcionar, aprenda com o que ocorreu e tente de novo.
    --------------------------------------------------------------------
    ppps.: (To gostando post scrit hahaha) Ressalto bastou a iniciativa de uma pessoa e estamos próximo de revolucionar a indústria de entretenimento digital no país. Com a união de nossos poderes (e o cap. Planeta) podemos ver a educação, a saúde...cocoreco com bico de pato, ou esperar que o político faça. (Lembrando que ele enquanto ele representar uma população inerte, inerte ele será)

    ResponderExcluir
  13. Todos os jogos originais que eu tenho eu comprei pelo Steam, porque o preço é justo não tem imposto, eu pago só o valor em dolares e baixo o jogo. Agora um jogo de Wii por exemplo, não tem como eu comprar pela net gravar num dvd e jogar. Com o preço de um jogo novo de Wii eu compro quatro Battlefield Bad Company 2 pelo Steam.

    ResponderExcluir
  14. Sugestão: Este projeto também deve incluir a redução de impostos para os JOGOS DE TABULEIROS(Boardgames), que também recebem a mesma carga tributária.
    Aqui no Brasil ainda temos a visão de que JOGOS DE TABULEIROS é coisa de criança pois temos poucos lançamentos de títulos. Na Europa (Alemanha principalmente) existe um mercado forte com centenas de lançamentos anualmente, com prêmios e tudo mais. Seria uma ótima oportunidade que o projeto JOGO JUSTO incluisse os JOGOS DE TABULEIROS que também podem ser muito utilizados na EDUCAÇÃO.
    www.boardgamegeek.com (site com mais de 40000 jogos de tabuleiro cadastrados)

    ResponderExcluir