GameWorld 2011: Cobertura do 2º dia do evento

em 12/03/2011

Hoje, dia 11 de Março, marcou o segundo dia de um dos maiores eventos de games do Brasil, o Game World 2011. Foi também o primeiro dia abe... (por Daniel Moisés em 12/03/2011, via Nintendo Blast)

Game World 2011
Hoje, dia 11 de Março, marcou o segundo dia de um dos maiores eventos de games do Brasil, o Game World 2011. Foi também o primeiro dia aberto ao público, o que significa um centro de convenções super lotado, filas enormes, competições acirradas, brindes sendo distribuídos, cosplayers chamando atenção, um pobre redator do Nintendo Blast sendo assediado por um fã (melhor não entrar em detalhes), uma inesperada entrevista com Mark Wentley (gerente de marketing da Nintendo na America Latina) e Bill Van Zyll (gerente geral da Nintendo na America Latina) especialmente para o Nintendo Blast... e, é claro, muita jogatina. E se você está pensando que o 3DS foi o centro das atenções do público... bem, você está certo, foi mesmo. Continue lendo para saber dos detalhes deste segundo dia do evento.

Stand do 3DS Quem passa pela entrada do Game World 2011 dá de cara logo com o quê? Uma gigantesca fila circundando um lindo e enorme stand no centro da feira. Através das paredes transparentes, vemos pessoas maravilhadas, deslumbradas, confusas, vesgas, entortando a cabeça e rodando no lugar. Não há dúvida: é o stand do 3DS. Mas passar preciosos minutos testando o novo brinquedo da Nintendo não é tão fácil. Os pobres mortais que não puderam ir no dia dedicado à imprensa, empresas e estudantes da área tem uma árdua jornada pela frente, tendo que encarar mais de uma hora de fila para apenas seis minutos de jogo. Mas estou certo que poucos dos que passam por isso se arrependem, afinal quem não quer ter uma chance de testar jogos como Pilotwings Resort, Nintendogs + Cats, Street Fighter IV 3D Edition, Ocarina of Time 3D... ou simplesmente poder ver o 3DS funcionando nas suas próprias mãos, antes mesmo do lançamento nos Estados Unidos?
Dentro do stand do 3DS
Bom, não vou me estender muito com detalhes sobre a experiência com o portátil, afinal o nosso amigo Sérgio Estrella já fez uma excelente análise do que foi visto no primeiro dia do evento. Mas acho que vale a pena deixar meu comentário pessoal sobre meu primeiro contato com esta pequena maravilha.

O 3DS já me conquistou a muito tempo atrás... tê-lo em minhas mãos e poder jogá-lo só me convenceu ainda mais que eu vou querer ter um o quanto antes. Sobre o design, não tenho muito a falar que já não tenha sido dito. Alguns aspectos poderiam ter sido mais bem pensados, mas de modo geral, o portátil é muito bonito e funcional. O efeito 3D é, de fato, algo que leva um tempo para se acostumar. Eu coloquei o efeito no máximo logo de cara e me vi forçando um pouco a vista para enfocar a imagem. Mas bastou jogar um pouco em um nível mais baixo para depois poder aumentá-lo sem grandes problemas e não há duvida quanto à incrível imersão que este novo recurso proporciona. Mas o efeito dá dor de cabeça ou de vista? CTrailer do Resident Evil: Revelations (3DS)om o tempo limitado para testar o aparelho, não tive tempo de sentir nada, mas ouvi outras pessoas se queixando de dores de cabeça. Os jogos que pude testar demonstram muito bem o poder do 3DS. O visual de Pilotwings Resort é muito bonito e o efeito 3D deixa tudo melhor ainda. Os AR games certamente são o suficiente para convencer qualquer um do que o portátil é capaz (e devo reforçar que caçar insetos com os rostos de seus amigos voando pelo ambiente onde você está, em Face Raiders é extremamente divertido!).

Uma das novidades que a Nintendo trouxe com o lançamento do novo portátil é um investimento bem maior no mercado latino-americano e brasileiro especificamente, com o console contando com menus e manual em português (e português do Brasil!). E, neste contexto, nós do Nintendo Blast tivemos a honrosa oportunidade de conversar com dois grandes nomes da Nintendo responsáveis por ajudar a aproximar a Big N do mercado e público brasileiro: Bill Van Zyll, que é gerente geral da Nintendo na America Latina e Mark Wentley, que é gerente de Marketing da Nintendo na America Latina. Em uma entrevista concedida especialmente para o Nintendo Blast, pudemos fazer várias perguntas sobre o assunto, que é de grande interesse para todos nós Nintendistas brasileiros. Está curioso para saber o que foi conversado? Tudo será revelado em uma matéria super especial. Aguarde!
Deca Sports (Wii)
Mas, mesmo o 3DS sendo a principal, o evento conta com muitas outras atrações e não seria justo deixar de falar sobre elas. Diversas empresas desenvolvedoras têm stands mostrando seus jogos, como a própria Nintendo, Konami, Hudson, Disney, Microsoft, Warner e Level Up. Telões exibem disputadas batalhas em Street Fighter IV e Mortal Kombat. Ao fundo, vemos pessoas dançando ao passo do Michael Jackson ou formando uma banda em Rock Band. Promoções de distribuidoras como Saraiva e Arvato Games garanCongregação de treinadores Pokémontem compras mais baratas e sorteios de jogos e acessórios.

Batalhas Pokémon, é claro, também não faltam. Em uma área da feira, vemos muitas pessoas sentadas em grupos no chão, colocando seus monstrinhos para lutar. Hoje rolou um torneio de batalhas Pokémon, com o vencedor tendo direito até de enfrentar a Elite 4.

O evento foi marcado também por uma forte investida dos rivais da Nintendo com tecnologias competitivas. A Sony e a NVIDIA trouxeram exemplos de jogos em 3D. Tudo muito bonito, ainda mais por ser em alta definição... mas, é  claro, tudo ainda dependendo de óculos especiais. 3D da NVIDIAA Sony também montou stands para mostrar as capacidades do PlayStation Move, que funciona muito bem, mas não difere muito do que já foi feito pela Nintendo no Wii. A Microsoft também pegou pesado na briga do motion control, montando muitos stands de jogos que usam o Kinect, incluindo uma exclusiva prévia da versão do Michael Jackson Experience para Xbox 360, dando oportunidade para os visitantes pagarem mico em público imitando os passos do rei do pop (incluindo este quem aqui escreve).
Michael Jackson Experience no Kinect Aliás, aproveito para dizer que esta é a primeira vez que tenho a chance de experimentar o Kinect. É muito legal ver como o movimento de todo o seu corpo é capturado (no jogo do Michael Jackson, a sua própria imagem – filmada pelo Kinect – é colocada no palco de dança, junto aos demais dançarinos), mas estaria mentindo se dissesse que o famoso “delay” não atrapalha. Por menor que seja, perceber este pequeno atraso entre a execução e a leitura dos movimentos incomoda bastante na hora do jogo.

E qual evento que reúne grande quantidade de nerds entusiastas como este está completo sem a importante e divertida participação dos cosplayers? O segundo dia de GameWorld viu uma generosa reunião de pessoas vestidas de personagens famosos do mundo dos games, contando até com um concurso para escolher a melhor fantasia. Nos surpreendemos ao ver até mesmo o membro do Nintendo Blast, Kelvin Hanashiro, vestido de Luigi Zumbi. Confira alguns cosplayers que marcaram sua presença hoje.

Yuna, de Final Fantasy VIII Mario, com um Goomba e um Boo de pelúcia
Super Luigi e sua flor de gelo Outro Luigi... mas este é zumbi
Ness quer jogar 3DS
As muito criativas fantasias de Paper Mario e Paper Luigi
Pikachu... sem máscara Um... hum... soldado... não sei de que jogo é 

Amanhã, 12 de Março, o Game World continua e é claro que o Nintendo Blast estará lá para continuar cobrindo o evento. Enquanto isso, veja mais algumas fotos do que rolou hoje.

Stand da Level Up! Stand do 3DS
Stand do Kinect Aqui acontecia o torneio Pokémon
Torneio Pokémon! Batalha na telona
Mais felizardos testando o 3DS Stand da Arvato Games

Escreve para o Nintendo Blast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original.