Jogamos

Análise: Pokémon Black & White (DS)

Logo quando foi anunciado, Pokémon Black & Whit e se tornou uma grande surpresa. Depois de receber apenas evoluções técnicas insuficient... (por Gustavo Assumpção em 18/04/2011, via Nintendo Blast)

pokemon-black-and-white-walkthrough-box-artworkLogo quando foi anunciado, Pokémon Black & White se tornou uma grande surpresa. Depois de receber apenas evoluções técnicas insuficientes em Pearl/Diamond/Platinum, a Game Freak decidiu sair da sua zona de conforto e investiu em uma série de novas características para realmente tentar impedir o marasmo para o qual a franquia parecia se dirigir.

2  3  5

E as mudanças forma muitas, a começar pela estética visual, passando pelo próprio sistema de jogo e culminando em novas maneiras de se batalhar, treinar e elaborar estratégias. É lógico que um novo continente, uma série de novos monstrinhos e as características responsáveis pela identidade da série foram mantidas, afinal ainda era necessário que B&W fosse reconhecido como um legítimo membro da família Pokémon.

Uma aventura movimentada

Sua jornada começa na cidade de Nuvema Town, uma pequena cidade localizada no sudeste de Unova. É lá que o jogador vai ter seu primeiro encontro com os rivais Bianca e Cheren e também vai poder visitar o laboratório da professora Juniper, a primeira mulher a desempenhar essa função em um game da franquia. Também adotando um nome vindo de uma espécie de árvore, ela é especialista na origem dos Pokémon, sendo considerada referência nesse tipo de estudo. Aliás, Nuvema é uma típica cidade de início de jornada, sem grandes atrativos.

É Juniper quem será a responsável por ensinar ao jogador os primeiros truques de captura. Ela também é, como já foi dito, a primeira mulher a desempenhar essa função nos jogos (no Anime, tivemos a professora Ivy, do arquipélago das IlhasLaranja) e também, a primeir a ter um Pokémon próprio: um Minccino no nível 7. No anime, Juniper foi apresentada como uma amiga de velha data do professor Carvalho.

Juniper possui uma assistente, a doce e carismática Fennel, que é especialista em estudar os sonhos dos Pokémon e distribuir dicas para o jogador. Ela vai conceder ao treinador o C-Gear, um dos elementos mais interessantes de Black & White, responsável por facilitas as conexões locais e wireless.

Se você bem se lembra, nos games anteriores da série já tivemos que conviver com tempestades de areia, chuvas e nevascas. Em Unova, as condições climáticas deixam de ser fixas e pré-determinadas e passam a ser influenciadas pelas estações do ano. Primavera, verão, outono e inverno duram aproximadamente 30 dias cada, e por isso se repetem três vezes dentro de um ano. Cada estação traz consigo diferentes padrões climáticos, destrava diferentes eventos e apresenta alterações na disponibilidade de alguns Pokémon.

8  9  4

A mesma coisa... mas tudo diferente 

Basta jogar os primeiros momentos de Pokémon Black & White para perceber como as coisas mudaram. Logo na apresentação, podemos observar um capricho maior com a própria CG utilizada para introduzir a história. Nos primeiros momentos, você consegue perceber que as novas cidades, os personagens e as situações agora possuem uma série de novidades super bem-vindas, apesar da estrutura básica da aventura continuar a mesma: escolha seu monstrinho vindo do professor tal, treine seus Pokémons, enfrente uma equipe rival, vença líderes de ginásio e no fim derrote a Elite Four.

Essas novas adições estão ancoradas em um novíssimo visual, o mais bonito já apresentado por um game da franquia em um console de bolso. Cada uma das cidades possui um cuidado com detalhes e elementos interativos que é inédito. Essas novidades vão desde pequenas alterações até mudanças estruturais, privilegiando a utilização de novos ângulos de visão e uma grande quantidade de efeitos especiais.

200px-Black_White_Team_Plasma_Grunts[3]As cidades ganharam um tratamento todo especial, alternando grandes centros desenvolvidos e localidades simples e pacatas. A maior de todas as metrópoles é Castelia City, uma gigantesca cidade que impressiona por seus arranha-céus que parecem não ter fim. Castelia é tão desenvolvida, que é considerada o coração financeiro de todo o continente. Possui alguns locais interessantes, como uma galeria de arte, uma sorveteria e um café. É uma das cidades mais populosas da história dos games Pokémon.

Durante as batalhas, muita coisa chama a atenção, a começar pelo ritmo mais acelerado. Infelizmente, apesar dos novos efeitos e da movimentação dos monstrinhos no campo de batalha, o visual deixa muito a desejar, ganhando um aspecto datado. É engraçado, mas o game conseguiu lembrar os games mais recentes do DS ao mesmo tempo em que lembrou Red/Blue, graças principalmente ao visual pixelado completamente inaceitável dos Pokémons.

Mas, talvez a alteração mais interessante seja no enredo dessa nova aventura. Nunca na história da série Pokémon um game possuiu tantos diálogos e tantos personagens realmente participativos. A busca por uma história mais trabalhada resulta em um game mais coerente, cativante e principalmente com mais cara dos RPGs tradicionais. É obvio que os fãs do gênero vão perceber que a história ainda é insípida e pouco atraente, mas é fato que houve uma melhora se compararmos com os games anteriores.

Embora a estrutura das batalhas pouco tenha mudado (mesmo com as batalhas triplas e rotativas), essas mudanças estéticas e estruturais tornam o game muito mais imersivo do que a geração anterior, principalmente para quem abandonou a franquia em tempos passados. Black & White é uma oportunidade super bem vinda de retomar a paixão pelo treinamento e pelas disputas oferecidas pela série Pokémon.

Duas versões realmente diferentes

Pela primeira vez em um game Pokémon, as duas versões (no caso, Black & White) possuem diferenças realmente grandes entre si.  A maior delas é a presença de uma localidade exclusiva pra cada versão. Em Black, o jogador terá a disposição a sombria Black City, enquanto em White a novidade será a White Forest. A ideia da Nintendo é fazer com que os jogadores mais fanáticos sintam necessidade de jogar ambos os games – e com isso ela consegue lucrar em dobro. Espertinha, não?

Mas, essa é apenas uma das surpresas que a Nintendo revelou. Há, por exemplo, mais batalhas rotativas em Black e mais batalhas triplas em White. Além disso, ainda existem batalhas exclusivas em cada uma das versões, mostrando que dessa vez as diferenças ultrapassam o já conhecido esquema de monstrinhos exclusivos (que ainda estão presentes aqui).

10  bianca-2_thumb[1]  cheren-2_thumb[1]

Uma jornada mais complexa

140px-Juniper_thumb3É bastante perceptível um aumento da dificuldade de Pokémon Black & White. A nova aventura exige que os jogadores realmente elaborem estratégias e invistam nos ataques super efetivos para obter sucesso. Além disso, ganhar níveis parece mais complicado do que antes, o que pode ser uma dor de cabeça para quem não tem muita paciência com o treinamento (ou seja, quase ninguém).

Para evitar maiores problemas, o nível dos monstrinhos dos treinadores que te desafiam para combates é mais alto do que nunca – e é possível enfrentar dois Pokémons selvagens ao mesmo tempo em gramados específicos.

Mas, talvez a grande novidade para além do novo visual, seja o incremento considerável nas capacidades online da nova aventura. Com o C-Gear é possível desafiar treinadores aleatoriamente, realizar trocas e enfrentar batalhas de uma maneira bem mais descomplicada do que antes. As batalhas mais rápidas também impedem que a conexão caia antes do término dos confrontos, um problema recorrente em outras versões.

Para quem quer ainda mais novidades, a Game Freak nos reservou o Dream World, que permite que o jogador possa adquirir uma série de monstrinhos com habilidades exclusivas através de uma série de minigames via browser, que já estão disponíveis.

Um game de transição

É meio difícil explicar o sentimento de novidade que Pokémon Black & White desperta. Mesmo com o visual datado e as batalhas sem mudanças significativas, o título ainda tem um frescor que é meio inédito, mesmo em uma franquia com cinco gerações lançadas.

No mais, é possível encarar essa jornada como um momento de transição entre o DS e o 3DS. Há inovações visuais, novas interações online e uma gama grande de pequenas alterações que parece preparar o jogador para o que vem por aí futuramente. Enquanto isso, jogue Black & White e não se arrependa. Eu garanto.

Pokémon Black & White – Nintendo DS – Nota Final: 8.5

Gráficos: 7.5 Som: 8.0 Jogabilidade: 8.5 Diversão: 9.0 


Escreve para o Nintendo Blast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original.
Este texto não representa a opinião do Nintendo Blast. Somos uma comunidade de gamers aberta às visões e experiências de cada autor. Escrevemos sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0 - você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original.