Jogamos

Análise: Nano Assault Neo (Wii U)

Existem desenvolvedoras que, mesmo pequenas, conseguem realizar trabalhos notáveis. Este é o caso da Shin’em, produtora responsável pela... (por Unknown em 20/01/2013, via Nintendo Blast)


Existem desenvolvedoras que, mesmo pequenas, conseguem realizar trabalhos notáveis. Este é o caso da Shin’em, produtora responsável pela série Iridion, iniciada no tempos de GameBoy Advance e mais recentemente pelo belo Nano Assault, para 3DS. Com o lançamento do Wii U, a empresa decidiu trazer para os jogadores uma sequência do título lançado no ano passado para o portátil tridimensional da Nintendo. Nano Assault Neo foi lançado logo no primeiro dia do console, em 18 de novembro, e é uma das experiências mais gratificantes disponíveis no eShop até o momento.



Medicina do futuro


Na essência, Nano Assault Neo é um shooter como todos os outros. Sua jogabilidade se assimila muito ao que é apresentado na série Super Stardust (PS3/PSVita), game no qual se deve utilizar as duas alavancas analógicas, sendo uma para controlar a nave pelos ambientes e outra para atirar para qualquer direção. No entanto, sua temática e visual lhe tornam especial. Um piloto espacial é encolhido e enviado, a bordo de uma pequena nave, para dentro de o corpo de uma pessoa, e lá, deverá eliminar todos os vírus e doenças presentes em seu organismo. É como se Trauma Center encontrasse Star Wars e, por incrível que pareça, a mistura deu certo!

O título é intenso, e cobra reflexos – às vezes – sobre-humanos dos jogadores. Contudo, os controles são simples, intuitivos e precisos, de maneira que dificilmente o jogo será culpado pelas vidas perdidas durante a jornada. O controle sobre a nave é livre, e, assim como em Super Stardust, é possível se locomover livremente para qualquer ponto dos planetoides para destruir células infectadas e os quase adoráveis vírus do jogo. Durante o percurso, ainda é possível coletar power-ups temporários e até pontos que podem ser trocados por upgrades para a nave. A ação é tão frenética que, ao final de cada fase, é possível que você tenha que relaxar um pouco para entrar em mais uma nano guerra rumo à cura do pobre coitado. Eu que não gostaria de ser medicado dessa forma...

O corpo humano nunca pareceu tão bonito por dentro!


Bom, bonito e barato


Nano Assault Neo não é muito longo. Possui dezesseis fases, contando que, a cada três, há uma em que apenas deve-se derrotar o chefe daquela área. Além disso, há mais quatro fases bônus muito parecidas com os nostálgicos estágios extras em half-pipes de Sonic the Hedgehog 2 (Mega Drive). Contudo, para um título que o foco principal é bater pontuações, inclusive mundialmente, já que o jogo conta com um sistema de leaderboards, o conteúdo apresentado no pacote é bastante satisfatório. Além disso, ainda há um modo multiplayer cooperativo que torna tudo ainda mais divertido, e, como já de praxe no gênero, um modo Survival, no qual o objetivo é chegar o mais longe possível na aventura sem morrer. Como se não bastasse, a Shin’em adicionou a possibilidade de jogar a aventura integralmente no GamePad, o que apesar de não fazer tanta diferença, é uma boa adição para aqueles que não gostam de interromper a jogatina porque alguém decidiu assistir alguma porcaria na televisão.

A Shin’em é conhecida por explorar os consoles da Nintendo ao máximo. Foi assim com a série Iridion, que apresentava gráficos fenomenais no GameBoy Advance e no Nintendo DS e foi assim no ano passado, com Nano Assault, que até hoje é um dos títulos mais belos lançados para o 3DS. E com o Wii U não poderia ser diferente! Nano Assault Neo é facilmente um dos jogos mais belos do lançamento do Wii U, se equiparando à pérolas como Trine 2 Director’s Cut. Tudo é muito fluido e o jogo não apresenta qualquer lentidão em momento algum. Tudo isso com cenários cheios de efeitos especiais, texturas em alta resolução e cores e luzes muito vibrantes. É simplesmente espetacular o trabalho feito pela desenvolvedora, ainda mais considerando-se que grandes empresas presentes no lançamento do Wii U não tiveram nem metade do cuidado da Shin’em neste quesito.



Assim como na parte gráfica e artística do título, a Shin’em tomou muito cuidado com a trilha sonora e efeitos do game. As composições são basicamente compostas por batidas eletrônicas, como esperado em títulos do gênero, mas estas são de alta qualidade, e embalam com maestria a ação intensa que se passa na telona (ou telinha). Os efeitos sonoros são simples, mas bem implementados e cumprem bem seu papel.
Nano Assault Neo é, sem grandes dificuldades, um dos melhores títulos disponíveis para Wii U nesta primeira leva do console. Isso considerando toda a line-up do videogame. Se considerarmos apenas o eShop, NAN, ao lado de Trine 2 Director’s Cut, são os melhores jogos já lançados por lá. Com um preço muito atrativo e conteúdo suficiente para divertir por algum tempo, este é um título obrigatório para qualquer proprietário do mais novo console da Nintendo.

Prós

  • Gráficos estupendos;
  • Jogabilidade precisa;
  • Leaderbords e multiplayer aumentam a longevidade do título;
  • Preço justo.


Contras

  • Poucas fases para os que não se importam com leaderboards e altas pontuações.


Nano Assault Neo – Wii U – Nota 9.5

Revisão: Leonardo Nazareth 

Escreve para o Nintendo Blast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original.


  1. Eis aí uma desenvolvedora que soube fazer bom uso do hardware novo do console.Analisando racionalmente,se no lançamento do console já estava disponível um jogo com uma qualidade gráfica igual -ou até melhor se observarmos as texturas,cores,fluidez e efeitos de luz e sombra- que o PS3 e o 360,isso já é uma prova cabal para os incrédulos de que o WiiU é de fato,superior aos consoles citados e está inaugurando a 8ª geração.Particularmente,aguardo ansiosamente pelos lançamentos -não ports da geração passada- das grandes desenvolvedoras:capcom,ubisoft, square enix,sega,EA e a própria Nintendo.

    ResponderExcluir

Disqus
Facebook
Google