Blast from the Past

Encarne um herói solitário e restaure a glória do mundo em Terranigma, RPG de ação para SNES

O SNES foi lar de vários ótimos RPGs, que acabaram um pouco ofuscados por grandes nomes como Final Fantasy . Terranigma é um destes tít... (por Farley Santos em 10/05/2013, via Nintendo Blast)


O SNES foi lar de vários ótimos RPGs, que acabaram um pouco ofuscados por grandes nomes como Final Fantasy. Terranigma é um destes títulos. Desenvolvido pela Quintet e publicado pela Enix, o jogo é o terceiro de uma série de RPGs de ação e foi um dos últimos títulos do gênero lançados para o console. Aclamado por sua jogabilidade divertida e a trama cativante, que aborda temas como religião e criação do mundo, Terranigma é mais um daqueles ótimos games que poucos tiveram a oportunidade de jogar.

Uma aventura de renovação

Em Terranigma o planeta tem uma característica peculiar: ele é possuído por duas almas, ambas com influências completamente diferentes. Lightside é a face da prosperidade, inteligência e vida, enquanto Darkside representa a desarmonia, caos e medo. As duas forças estão presas em um conflito que dura bilhares de anos, um ciclo no qual uma das almas domina por algum tempo, até um novo combate direto acontecer. Por conta disso a humanidade deu outro nome para os espíritos conflitantes: Deus e Demônio. A força maligna está dominando o mundo por várias eras e os humanos restantes vivem no mundo inferior, um lugar desértico e repleto de rios de lava.


Ark é um garoto que mora em Crysta, a única cidade do mundo inferior. Ele tem uma vida tranquila, por mais que goste muito de aprontar, o que lhe confere a fama de menino travesso. A tranquilidade acaba quando Ark comete um erro terrível: o garoto encontra a Caixa de Pandora e liberta Yomi, uma criatura que estava presa dentro do objeto. O resultado deste ato é que todas as pessoas de Crysta foram transformadas em pedra, salvo o prefeito. O ancião explica que para salvar todos, Ark deve escalar e enfrentar os desafios de cinco torres espalhadas pelo mundo inferior. O jovem consegue sair vitorioso, salvando todos da vila, mas sua missão estava só começando. O prefeito de Crysta informa que agora ele deve ir para o mundo superior e restaurar a vida do planeta. Sem outra escolha, Ark parte para as terras desconhecidas em uma grande jornada, que esconde mais segredos do que ele podia imaginar.

Transformando o mundo

Terranigma é um RPG de ação, que em um primeiro momento lembra The Legend of Zelda: A Link to the Past (SNES). O jogador tem controle direto sob Ark e os controles são simples e precisos. O herói tem a disposição movimentos como saltos e ataques com um bastão. Cada sequência de passos resulta em diferentes ataques, cada qual com características únicas, que exploram as fraquezas dos inimigos. Para conseguir derrotar inimigos que se escondem debaixo da terra, por exemplo, Ark tem que correr, depois saltar e por fim atacar para poder desferir um golpe mergulhante. Inúmeros bastões e equipamentos com atributos elementais aumentam as possibilidades estratégicas. Cristais mágicos podem ser transformados em anéis contendo feitiços poderosos, mas o recomendado é utilizar este item somente em momentos de grande necessidade devida à extrema escassez de cristais. Assim como nas aventuras de Link, novos equipamentos tornam acessíveis áreas anteriormente inalcançáveis.


Quando não está explorando calabouços e derrotando monstros, Ark visita cidades e conhece pessoas. Como parte de seu objetivo, o garoto tem que ajudar o desenvolvimento da humanidade. Para isso o herói tem que realizar missões alternativas, que culminam na expansão das cidades, além das recompensas como itens e dinheiro. As missões são tarefas como recuperar e entregar itens, sendo que algumas delas são bem curiosas. Um exemplo interessante tem a ver com uma cidade turística. Para aumentar o desenvolvimento deste local, Ark tem que distribuir fotos pelo mundo, atraindo possíveis visitantes. Além de mudarem visualmente ao serem expandidas, as cidades passam a ter lojas melhores.

A continuação de uma saga

Terranigma foi o terceiro jogo de uma série de títulos desenvolvidos pela Quintet, sendo ele precedido por Soul Blazer (SNES) e Illusion of Gaia (SNES). Os games têm várias características em comum, como a trama centrada no renascimento e reconstrução do mundo e o gênero de RPG de ação. O mais curioso é que enquanto os dois primeiros episódios foram lançados na América, Terranigma só recebeu versão com textos em inglês na Europa e Austrália. O motivo é que a subsidiária americana da Enix, a responsável por publicar o jogo, já tinha sido fechada quando o título foi lançado. Alguns fãs argumentam também que alguns temas abordados na trama de Terranigma, como religião e álcool, tenham atrapalhado um possível lançamento.


Uma jornada restrita

Lançado no final de 1996 na Europa, Terranigma foi um dos últimos RPGs do SNES. Poucos puderam aproveitar esse jogo, por conta dele estar disponível somente no Velho Continente, em um momento que o Nintendo 64 já havia sido lançado em algumas partes do mundo. Com uma trama interessante, controles precisos e parte técnica excepcional, o título é considerado mais um dos inúmeros clássicos do console. Bem que o jogo podia ser disponibilizado no Virtual Console, não acham?


Revisão: Marcos Silveira
Capa: Diego Migueis

é brasiliense e gosta de explorar games indie e títulos obscuros. Fã de Yoko Shimomura, Yuzo Koshiro e Masashi Hamauzu, é apreciador de boardgames, game music, fotografia e livros.

Comentários

Google
Disqus
Facebook


  1. Na minha opinião um dos melhores rpg's do SNES, gráficos semelhantes a Chrono Trigger, bela trilha sonora, boa história e jogabilidade, melhor do que qualquer Final Fantasy de Snes, pena que não fez sucesso xD

    ResponderExcluir