Blast from the Past

Prepare seu sabre de luz e relembre Super Star Wars (SNES)

Muito tempo atrás, em uma galáxia muito distante, houve um game para Super Nintendo  que misturava os gêneros plataforma, ação e aventura ... (por Unknown em 02/11/2013, via Nintendo Blast)

Muito tempo atrás, em uma galáxia muito distante, houve um game para Super Nintendo que misturava os gêneros plataforma, ação e aventura com tensos momentos de batalha de naves e uma história retirada diretamente de um dos melhores filmes já produzidos por um humano. Tratava-se de Super Star Wars, o primeiro game da franquia a parar no console de 16 bits da Nintendo.

Um pouco de tudo

"Abre a boquinha".
Quem já jogou sabe que isso que eu disse no primeiro parágrafo é a mais pura verdade, à exceção, talvez, da primeira frase. Contudo, o game realmente consegue fazer uma mistura de gêneros digna dos drinks do bar de Mos Eisley.

Logo na primeira fase do game você encontra Luke Skywalker com uma arma de raios em meio a um deserto, devendo lutar por seu caminho até encontrar um terrível Sarlacc, a quem deve derrotar, tudo no melhor estilo Metal Slug. Ali ele encontra C-3PO, que o orienta a encontrar seu amigo R2-D2, capturado pelos Jawas e levado ao Sandcrawler.

Planando pelo deserto.
É então que vem a primeira grande surpresa do game: a bordo de um Speeder, Luke deve planar pelo deserto em um mapa completamente tridimensional, abatendo Jawas enquanto procura pelo imenso transporte. Uma vez completada a fase, o game muda para um estágio onde Luke deve escalar as plataformas até encontrar um jeito de entrar no Sandcrawler.

Conforme o jogo vai progredindo e a história se desenrolando, o jogador passa a ser capaz de escolher entre Luke, Han Solo e Chewbacca, alternando entre mais algumas fases de ação, algumas de plataforma, algumas ao mesmo estilo Speeder, e até mesmo um verdadeiro beat'em-up localizado no interior da cantina de Mos Eisley.

Considero sua falta de fé perturbadora

Vale mencionar que o nível de desafio imposto pelo game não é nem um pouco baixo, exigindo do jogador bons reflexos, coordenação nos comandos e, claro, muita paciência. Nada impossível, é verdade, mas passar por vários desafios em níveis mistos para ver uma tela de Game Over depois de colidir com a X-Wing no último estágio é deveras frustante.

Muitos desafios, e não estamos falando dos chefes.

Isso, é claro, também ajuda a aumentar a longevidade do título. Considerando que o jogo tem um total de quinze estágios, tal desafio garante que o jogador passará muito tempo com ele antes de conseguir terminá-lo. Para uma geração acostumada com vidas infinitas e tutoriais em cada esquina isso pode ser algo ruim, mas os gamers mais entusiastas adoraram.

Como num filme

Se os movimentos de alguns personagens não são tão fluidos quanto os críticos gostariam, isso é compensado pela beleza do título, tanto gráfica quanto sonora. Esta última abusa de temas retirados diretamente dos filmes e reformulados para caberem num cartucho de 16 bits. Os sons também não são nada mal-feitos, e lembram bastante os originais do cinema.

Quanto aos gráficos o game oferece algo em torno do melhor que o SNES poderia oferecer. Apesar de lançado ainda no início da vida do console, em 1992, é tudo muito bonito e bem trabalhado, sendo tão fiel à franquia cinematográfica quanto possível.

Mas nos filmes não temos bônus multiplicadores de pontos.

O game só peca, em minha opinião, nas armas e itens. Ainda que seja possível aprimorar sua pistola a níveis extraordinários, basta um erro e seu personagem voltará com uma arma mais fraca que um atirador de ervilhas. E mais: ainda que Skywalker seja capaz, em níveis mais avançados, de usar seu sabre de luz (com um breve som de "use the force, Luke" ao ser escolhido), na maior parte das vezes esta é a escolha estúpida a se fazer. A arma não é tão forte quanto uma saraivada de tiros, e ainda deixa o personagem infinitamente mais vulnerável aos ataques inimigos.
Um game quase tão memorável quanto os próprios filmes que o inspiraram, Super Star Wars tem seu lugar especial nos corações dos fãs de Super Nintendo e de Guerra nas Estrelas. E você, leitor, já teve a oportunidade de jogar este jogo desafiador? Conte suas experiências para nós e ajude a complementar este artigo.

Revisão: Catarine Aurora
Capa: Igor Silva 

Escreve para o Nintendo Blast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google
Disqus
Facebook