Pokémon Blast

Equipe Skull: vilões ou anti-heróis?

Surpreenda-se com a Equipe Skull, uma das equipes vilãs da região de Alola.

Desta vez, preparamos uma matéria especial para vocês leitores. Serão duas matérias interligadas, uma completando os dizeres da outra. Mas não se preocupem, fizemos de uma forma em que ambas também podem ser lidas separadamente, porém, recomendamos que sejam lidas em paralelo, assim, a imersão será a máxima possível. A seguir, contaremos como duas equipes alternavam-se na função de vilão nos jogos Sun/Moon e Ultra Sun/Ultra Moon. Para vocês, o que é um herói? Seria aquele que luta contra o mal, certo? E se houvesse um vilão que luta contra outro vilão, isso faz dele um herói? Essa relação resume muito bem a Equipe Skull e a Fundação Aether, que são as equipes vilãs da região de Alola. Esta matéria é dedicada à Equipe Skull e sua participação nos jogos. Para ler mais sobre a fundação Aether, clique aqui. Boa leitura a todos!

O que é a Equipe Skull

Fracassados. Ou melhor, desajustados. A Equipe Skull nada mais é do que um bando de desajustados que falharam nos desafios de suas ilhas, e que teve seu início após as quatro divindades, irritadas pelos problemas causados pelos primeiros integrantes, terem lançado sua fúria sobre eles. Os sobreviventes desse evento fundaram a Equipe Skull e passaram a fazer aquilo que todos os vilões fazem: roubam Pokémon de outros treinadores e juntam dinheiro para se manterem ativos. Inclusive, chegaram a "tomar" uma cidade inteira para si próprios, Po Town, na ilha Ula'ula, pichando as paredes das casas, quebrando algumas estruturas e até diminuindo o fluxo de energia, o que fez com que o local ganhasse um ar de "cidade fantasma". Até o Centro Pokémon da cidade foi tomado e, acredite, eles cobram para curar Pokémon. Mesmo com todos esses pontos negativos, a Equipe Skull tem uma característica boa: o senso de irmandade. Seus membros possuem uma forte amizade entre si e são bem próximos. Até a administradora da equipe, Plumeria, que é especialista em Pokémon do tipo  compartilha esse sentimento - convenhamos, não é o melhor tipo para essa situação; , talvez? - sendo vista como uma espécie de "irmã mais velha", dado o carinho e atenção com que trata seus subordinados. Entretanto, um membro se destaca na equipe por expressar exatamente o contrário. Seu nome é Gladion, que inclusive é motivo de piada entre os outros membros da equipe justamente por não ser próximo como os outros e por não ser efetivamente um membro da Equipe Skull.

O líder - Guzma

Para podermos começar a falar do Guzma atual, primeiro temos que voltar um pouco no tempo para contar o que o levou a ser essa pessoa fria, exigente e calculista. Por mais improvável que possa parecer, Guzma era um excelente treinador, conquistando troféus diversas vezes em sua juventude por conta de suas habilidades. Mais que isso, ele era aspirante ao posto de capitão da ilha Melemele e fazia parte do seleto grupo que ajudava o Kahuna da época. Após falhar em se tornar capitão, e com o ataque do guardião de sua ilha após ter feito coisas erradas, ele resolveu fundar a Equipe Skull, com a intenção de lutar contra as tradições de Alola, podendo assim provar sua força sem a necessidade de passar pelos desafios ou ocupar um posto importante na hierarquia de capitães e Kahunas. Guzma faz duras críticas ao Professor Kukui, alegando que não há necessidade de se criar uma liga em Alola pois ele é o treinador mais forte da região, e diz que os desafios são antiquados. Por ser especialista em Pokémon do tipo , Guzma não aceita que outros treinadores tenham acesso ao Buginium Z e começa a roubar e guardar em seu esconderijo em Po Town todos os Z-Crystals deste tipo. A única pessoa capaz de reconhecer Guzma como um treinador excepcional foi Lusamine, fundadora e presidente do Aether Paradise.

O Plano

Po Town. Um treinador local têm seu Yungoos roubado pela Equipe Skull e levado até Guzma. O jogador então atraídos até Po Town para resgatar o pobre Yungoos. O que ninguém esperava é que tudo isso não passava de uma distração para que, enquanto se tenta ajudar esse treinador a recuperar seu Pokémon, Plumeria pudesse sequestrar Lillie e Nebby da Aether House. No retorno, Gladion está extremamente frustrado por não ter se tornado forte o suficiente para proteger sua irmã, Lillie. Nesse momento, ele rompe todas as relações com a Equipe Skull e recruta Hau e o protagonista para partirem em direção ao Aether Paradise, a fim de resgatar Lillie e Nebby. Chegando, membros hostis da Fundação Aether comandados por Faba fazem a primeira linha de defesa. Mais adiante, membros da Equipe Skull liderados Guzma estão protegendo o caminho que leva diretamente à mansão Lusamine. Antes do embate com a Equipe Skull, Guzma revela a todos que sua equipe está sendo governada secretamente por nada mais nada menos do que a própria Lusamine, líder a Fundação Aether. Gladion entra em um estado de fúria e desafia todos os membros da Equipe Skull, incluindo Guzma, na tentativa de abrir caminho para o protagonista chegar até Lusamine, porém falha ao derrotar Guzma, deixando essa responsabilidade para o protagonista. Após ser derrotado,  finalmente chega-se aos aposentos secretos de Lusamine, que está prestes a usar Nebby para abrir o portal para a dimensão e trazer as Ultra Beasts para a realidade. Uma das Ultra Beasts, Nihilego, aparece para Lusamine, que tenta capturá-la. Porém, perde a batalha, o portal começa a desaparecer junto de Nihilego, fazendo com que Lusamine, em uma tentativa desesperada de impedir que seu plano seja uma falha total, entre no portal levando Guzma com ela. Assim, na dimensão das Ultra Beasts, vê-se Guzma sentado, com medo - inclusive, esta é a primeira vez que ele teve esse sentimento em toda a sua vida. Ele ainda diz que Lusamine está em um nível diferente e não sabe se merece (ou se poderá) ser salva. Isso tudo acontece porque ela se fundiu com Nihilego, buscando o poder máximo, a evolução máxima. Quando Lusamine/Nihilego finalmente é derrotada, ela fica desacordada até voltar para a outra dimensão, sendo levada por Guzma para cuidados médicos.

Quem vê cara não vê coração

Quantas vezes não ouvimos esse ditado em nossas vidas? Muitas vezes. E não é que ele está certo? Se pararmos para pensar, Lusamine, considerada uma mulher bela (Hau ficou caidinho por ela) e de "bom coração" por acolher Pokémon desabrigados, acabou sendo a maior vilã da história, muito por ser obcecada pelas Ultra Beasts, o que levou à sua queda. E Guzma? Todo "marrento", mas que na verdade tem um bom coração? Tanto que, após perder na Liga de Alola, ele desfaz sua equipe, deixa de usar a corrente com o logo e ainda, pinta um X vermelho sobre o logo da Equipe Skull em seu casaco, renegando tudo aquilo que acreditava ser o certo a fazer. No final, o vilão deixou de ser mau e o herói não era mais bom. Encerra-se aqui a série sobre as equipes vilãs da franquia Pokémon. Quem sabe na próxima geração, se houver, não haverá uma história tão rica e cheia de reviravoltas como essa de Alola?
E para você, Guzma fez a coisa certa ao desfazer a Equipe Skull? Será que ele era apaixonado por Lusamine, por isso se deixou levar?
Revisão: Diego Franco Gonçales
Referências: Bulbapedia

Victor Hugo Carreta escreve para o Nintendo Blast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook