Discussão

Os prós e contras do Cross-Play entre plataformas de diferentes empresas

Em alta no mercado gamer, o Cross-Play chegou para ficar!


O Cross-Play, ou Cross-Platform Play, é o termo utilizado no mundo dos games para definir a capacidade de se jogar online utilizando diferentes plataformas, permitindo que jogadores possam disputar suas partidas, corridas e lutas em rede simultaneamente a partir de plataformas diferentes. Atualmente, o Cross-Play é tratado como uma tendência no mercado gamer, pois jogos como Street Fighter V, Fortnite, Minecraft e Rocket League já possuem esse recurso, abrindo espaço para que outros games no futuro também adotem essa prática. Quando falamos do Cross-Play com os consoles, é normal haver uma confusão com o termo "Cross-Platform" que, na verdade, significa "multiplataforma". Inclusive, apenas os jogos multiplataforma oferecem essa opção, portanto, ainda não veremos Super Smash Bros. sendo executado em um Playstation 4 ou Xbox One. O caso mais conhecido de Cross-Play teve início com os computadores, permitindo que diferentes sistemas operacionais (Windows, Linux e MacOS) e com diferentes configurações de hardware, tenham a capacidade de executar o mesmo jogo e ao mesmo tempo, tendo Counter-Strike como exemplo de um jogo que atingiu milhões de pessoas.

Os Prós e Contras do Cross-Play

Este é um dos temas mais polêmicos envolvendo o Cross-Play pois envolve diversos fatores que são específicos de cada plataforma, como esquemas de controle, conexão com a internet, poder de processamento etc. A seguir, listamos os prós e contras de se haver o recurso do Cross-Play ativo.

Prós:

- Obrigatoriedade: A primeira coisa que passa na cabeça dos gamers ao adquirir os consoles de mesa, além da qualidade física, são os recursos e os jogos multiplataforma disponíveis: esses são os jogos exclusivos (First-Party). Entretanto, jogar com os amigos é sempre bom e isso dificulta um pouco a escolha do console, pois ao optar pelo console A ou pelo B, estamos abrindo mão da jogatina em grupo ou daquele jogo exclusivo que te fez querer comprar aquele console. Ao adicionamos o Cross-Play na jogada, resolvemos o problema de muitos gamers que possuem preferência por um determinado console mas que não querem abrir mão de jogar com os amigos ou seu exclusivo.

- Conectividade: Está diretamente ligada ao motivo citado acima. Com o Cross-Play ativo, é possível que cada pessoa, independente do console escolhido, possa compartilhar partidas e experiências que só quem joga online sabe: que é a competitividade/diversão. Dessa forma, podemos participar de partidas competitivas ou ranqueadas contra diversos jogadores enquanto nos divertimos com os amigos em uma partida casual.

- Competição: Esse é um motivo que, embora não seja primordial, pode ser considerado. Não estamos falando da competição entre jogadores e sim entre produtoras. A conta é simples: há diversos games no mercado que concorrem entre si, como por exemplo os simuladores de futebol Pro Evolution Soccer (PES) e FIFA. Agora, imaginem um cenário em que um deles seja lançado com o recurso de Cross-Play e o outro não. O número de vendas de um poderá crescer exponencialmente, rendendo ainda mais lucros para sua produtora. Para o próximo título a ser lançado, certamente as duas empresas pensariam nesse recurso, uma para manter e a outra para se manter viva no mercado e não ser esquecida pelos jogadores.

Contras:

- Desempenho: O famoso "lag" (taxa de quadros por segundo / Frames Per Second) assombra os jogadores até nessa hora. Jogos online que dependem de um tempo de resposta rápido, como Overwatch são os mais afetados, pois aquele quadro que demorou para ser exibido, pode causar a derrota. Justamente por esse motivo que a Blizzard desativou essa opção para o jogo. Isso ocorre pois cada plataforma, seja console ou PC, utiliza diferentes protocolos de conexão, causando um certo delay durante a exibição dos quadros, e se somarmos a qualidade da internet utilizada, com certeza teremos sérios problemas, e nenhum gamer gosta de ficar "lagado" em partidas online.

- Conexão: No Brasil, ainda que os serviços de internet banda-larga sejam uma realidade, em alguns pontos do país a velocidade de conexão cai consideravelmente, dificultando partidas online dentro e fora país por atraso na resposta dos comandos, fazendo com que a cena que estamos vendo na verdade já passou.

- Controles: Todos sabemos que jogos do gênero FPS, ou First Person Shooter, como Counter-Strike, Battlefield e Call of Duty são influenciados diretamente pelo reflexo do jogador e pela capacidade de girar a câmera rapidamente, a fim de obter o melhor posicionamento para atirar, e é claro que o tempo de resposta do mouse é muito superior ao do analógico dos controles, fazendo com que essa disputa se torne altamente desleal. Por mais que os consoles atuais tenham suporte para teclado e mouse, especialmente no Brasil, quando o assunto são os games, tudo se torna mais caro. Adquirir um item que não é nativo do console para poder ter uma experiência similar, ser menos prejudicado e ainda ter que desembolsar uma generosa quantia, não vale nada a pena.

O Cross-Play envolvendo a Nintendo

Não é de hoje que a Nintendo adotou uma postura mais conservadora e evita abrir seus consoles para que jogos multiplataforma cheguem aos seus consoles de mesa e portáteis, tanto que até pouco tempo atrás, o mais próximo de Cross-Play em seus consoles era com o Nintendo 3DS e com o Wii U, permitindo que partidas do já citado Super Smash Bros. pudessem ser realizadas tanto no Wii U como no 3DS. Entretanto, essa opção parece mínima quando falamos de dois consoles da mesma empresa, afinal, a linguagem de programação utilizada é similar, facilitando esse tipo de operação. Parece que com o Switch, a Big N começa a dar indícios de que está um pouco mais flexível quanto ao assunto, pois o game Minecraft pode ser jogado em Cross-Play com o Xbox One e PC da Microsoft, e, inclusive, utilizar a mesma conta, podendo carregar todos os itens já abertos. Entretanto, ainda não é possível realizar esse processo com o Playstation 4, que ainda não oferece o recurso do Cross-Play para esse jogo por conta de um impasse da Sony em relação ao assunto.

É, pessoal, parece que o Cross-Play chegou com tudo nos consoles de mesa e poderá ser um dos pontos de evolução do mercado gamer, que se renova constantemente, a fim de satisfazer o consumidor final em termos de jogabilidade, experiências, conforto e lazer. E vocês, já jogaram algum game que tenha esse recurso? Se sim, o que acharam? Tem algum pró que não colocamos na lista? Deixa aí nos comentários a sua opinião. Não gosta do Cross-Play? Cite um contra com seu argumento também.

Revisão: Vinícius Rutes 
Victor Hugo Carreta escreve para o Nintendo Blast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook