Jogamos

Análise: Legend of Skyfish (Switch) é Zeldesco, mas muito simples

Com fortíssimas inspirações em The Legend of Zelda, o indie transforma o famoso Hookshot em uma vara de pescar.


Que a franquia The Legend of Zelda inspirou e continua inspirando inúmeros jogos todo mundo sabe. Graças a Platão, não podemos enxergar “cópia” como algo negativo, porém, uma boa execução de mecânicas de Zelda requer muita coisa, principalmente se o elemento norteador for a centralidade nos puzzles.


Infelizmente, Legend of Skyfish apresenta um gameplay extremamente superficial, simples e sem desafio, mesmo que as inspirações excelentes fiquem evidentes ao longo de toda a curta jogatina.

Hook-fish?

Sendo bem direto ao ponto, os criadores de Legend of Skyfish transformaram o famoso
Hookshot de Zelda e o transformaram na vara de pescar da protagonista do jogo que executa as principais funções do gameplay e da resolução de puzzles: arrastando o próprio jogador a um ponto, puxando algo até ele, etc.

Nesse sentido, há uma boa variação de resoluções, porém, tudo quase sempre serve para ativar uma alavanca ou pisar numa pressure plate, o que mostra falta de criatividade e / ou recursos. Isso não é auxiliado pelo combate: mesmo que hajam vários inimigos (muitos deles inspirados nos monstros de Hyrule, aliás), quase não há dificuldade, tanto pelo padrão de ataques da I.A. quanto pela abundância de restauração de vida acessível ao jogador.

Sabendo que o jogo foi lançado inicialmente para mobile em 2016, vemos as limitações e custos dessa escolha em toda a jogabilidade, que torna o jogo simplíssimo. Nem todos os jogos precisam ser extremamente desafiadores, complexos e longos, mas, ainda assim, sinto que falta criatividade nessa criação; há um potencial muito maior nesse temática oceânica.

Um desses potenciais é a história, que dialoga muito bem com o visual inocente e que transpira aventuras de contos de fadas. Porém, tirando a contextualização no começo do jogo, vemos pouca progressão do enredo, o que poderia ter entrado em conjunto com colecionáveis opcionais, contando mais sobre o universo do jogo, inimigos, lugares, etc.

Público alvo

Considerando a plataforma inicial do jogo e a sua simplicidade geral, caso o enxerguemos criticamente como um produto voltado a crianças, tudo começa a fazer mais sentido. A inspiração de Zelda é extremamente visível, mas não é reinventada ou explorada com profundidade.

A progressão de dificuldade dos desafios é visível, mas nunca atinge um patamar grande, e a centralidade na vara de pescar (como Hookshot) enjoa rapidamente, mas esses fatores podem não ser tão fortes em crianças. Pode-se ver a tentativa de contribuir com a progressão nos upgrades de alguns itens, o que pode significar um nível de dificuldade interessante para o público mais jovem.

O preço reduzido também ajuda a justificar uma experiência doce e encantadora, mesmo que simples e curta (aproximadamente 4 horas). No final de 2019, com a possibilidade de jogar uma das principais fontes de inspiração de Legend of Skyfish com o novíssimo The Legend of Zelda: Link's Awakening no Switch, a recomendação integral desse título é difícil.

Prós:

  • Visual encantador;
  • Nível de dificuldade pode ser ótimo para um público infantil.

Contras:

  • Simplicidade extrema nos puzzles e gameplay;
  • Falta de exploração da história;
  • Combate superficial.
Legend of Skyfish — Switch/PC/Mobile — Nota: 6.0
Versão utilizada para análise: Switch
Análise produzida com cópia digital cedida pela Ratalaika Games

Escreve para o Nintendo Blast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original.


Disqus
Facebook
Google