Hands-on

BGS 2019: Luigi's Mansion 3 (Switch) promete muitos quebra-cabeças e ação fantasmagórica

Game tem potencial para ser o principal exclusivo do Switch em 2019.



O desajeitado Luigi foi o grande protagonista do estande da Nintendo na edição deste ano da Brasil Game Show (BGS). Estrela do único game ainda não lançado que podia ser experimentado no espaço da Big N, o encanador demonstrou que tem potencial para novamente sozinho conduzir uma aventura fantasmagórica. Grande parte do público que encarou a fila para aproveitar os cerca de 15 minutos de gameplay de Luigi’s Mansion 3 dificilmente ficou decepcionado.


A demonstração era a mesma disponibilizada pela Nintendo na E3 2019 e começa com um pequeno tutorial seguido de cutscene que apresenta um dos chefões do jogo. Nosso herói o observa do alto de uma arena e quando finalmente assumimos o controle, temos que descer pelos andares com temática medieval até chegarmos ao campo de batalha. Durante a caminhada, diferentes mecânicas clássicas da série foram testadas, como a lanterna para paralisar os fantasmas e o Poltergust para sugá-los.

Também existiam desafios que só podiam ser superados com movimentos inéditos, sendo que o Gooigi é quem mais se destaca entre as novidades. A gosminha verde consegue atravessar espinhos pelo chão ou entrar em jaulas, alternar entre ela e Luigi é bastante fácil e ação necessária para vencer certos desafios. Por exemplo, em determinado momento era preciso posicionar o encanador em um elevador e usar o Gooigi para acionar a hélice que faz a estrutura descer. Com o bigodudo já no andar abaixo, basta voltar a controlá-lo e trazer o ectoplasma de volta para o Poltergust.



Já os desentupidores servem para revelar áreas secretas, que escondem colecionáveis e itens que devem ser encontrados para liberar o caminho. Em certo trecho, uma sala cheia de barris gigantes parecia intransponível, até que usei a arma na tampa de um deles para abri-lo e encontrar a chave que precisava. Além de habilitar passagens secretas, os desentupidores também são usados para retirar escudos de alguns inimigos, como o do chefão que finalizava a demonstração.

Montando em um cavalo, o boss persegue Luigi implacavelmente e quando baixa a guarda é o momento de acertá-lo com o desentupidor. Depois de repetir o procedimento algumas vezes, ele perde o mascote e muda os padrões de movimento. Quando a batalha se aproxima do fim, conseguimos sugá-lo com o Poltergust e batê-lo contra o chão de um lado para o outro, no melhor estilo Hulk e Loki no filme dos Vingadores.





O game também se destaca pelo visual caprichado, assim como a animação de Luigi com movimentos um tanto quanto atrapalhados que refletem como nunca a personalidade desengonçada do personagem. Apesar de pouco tempo com o jogo, ele conseguiu demonstrar que tem ideias criativas e quebra-cabeças que devem aproveitar bem as diferentes mecânicas disponíveis.

Luigi’s Mansion 3, que tem tudo para ser o principal exclusivo do Switch em 2019, será lançado no próximo dia 31 de outubro.

Em parceria com o canal Coelho no Japão, também gravamos um vídeo com nossas impressões sobre a demo, confira:

Colaboração: Lucas Gomyde

É jornalista e obcecado por games (não necessariamente nessa ordem). Seu vício começou com uma primeira dose de Super Mario World e, desde então, não consegue mais ficar muito tempo sem se aventurar em um bom jogo. Diretor de Redação do Nintendo Blast.

Comentários

Google
Disqus
Facebook