Vem aí

Prévia: Rune Factory 4 Special (Switch) é a chama que pretende reacender a franquia

Há sete anos ausente no imaginário dos jogadores, Rune Factory 4 Special (Switch) tem a intenção de pavimentar o caminho para o quinto jogo da série.


Enquanto os olhos dos Nintendistas estão voltados para Animal Crossing: New Horizons, que chega ao Switch no mês que vem, outro simulador de premissa similar também está para marcar presença no console. Rune Factory 4 Special (Switch) é a versão definitiva do quarto título da série Rune Factory, que começou como um spin-off de Story of Seasons (anteriormente conhecida como Harvest Moon), mas que hoje tenta se descolar dessa origem como uma franquia própria.



Dessa forma, sua jogabilidade derivada é muito similar à da popular IP da Marvelous. O jogador tem suas terras e precisa cultivá-las para progredir no jogo. A peculiaridade aqui é que os animais da fazenda foram substituídos por monstros, que podem ser derrotados ou domados. Tendo um sistema de combate como diferencial, uma barra de HP foi implementada ao lado dos tradicionais pontos de stamina, reformulados nessa nova IP nos chamados Rune Points, que vão sendo consumidos ao realizar certas atividades, como usar mágica ou ferramentas.



Outro ponto singular de Rune Factory é a presença de uma narrativa explícita, algo que não acontece com tanta frequência no próprio Story of Seasons. No caso desse quarto game, o jogo começa com o personagem principal — que pode ser escolhido entre um garoto e uma garota — em uma viagem de dirigível em direção a uma cidadela chamada Selphia. Em seguida, o tal meio de transporte sofre uma invasão, o protagonista bate a cabeça e perde a memória. Despencando na cidade, o jogador logo começa a exercer influência entre os habitantes do povoado, caindo em seu colo a responsabilidade de tentar entender o mistério que está por trás das dungeons do local.

É nesse ponto que entra o principal diferencial de seus colegas de gênero, como Animal Crossing. Rune Factory, na verdade, é uma complexa experiência muito próxima à de um JRPG. Nesse aspecto, a premissa da série gira em torno da ideia de forjar o próprio equipamento para utilizá-lo na exploração de dungeons. Nelas, é possível coletar materiais de qualidade superior para realizar forjas ainda melhores. Dentre as opções de ferramentas para batalha, estão instrumentos como machados, martelos, espadas e varinhas.



É somado também as mecânicas sociais, como cuidar de suas próprias terras, interagir com os cidadãos de Selphia e, até mesmo, casar-se. Estabelecer um bom nível de relacionamento com os NPCs abrirá a possibilidade de recrutá-los para servirem de ajudantes em nossas excursões. Apesar disso, a vida cotidiana pode ser bem pacata e o personagem ainda pode participar de eventos sazonais ao lado deles, como festivais.

A passagem do tempo é sempre presente, sendo um elemento bastante importante em Rune Factory. Para cada minuto da vida real, dez minutos se passam dentro do jogo. Dessa maneira, a chave para entender o título está no planejamento das tarefas diárias. Manutenção de tempo é algo essencial para se dar bem no simulador.



Sobre os laços matrimoniais, há um total de doze pretendentes disponíveis cujo relacionamento pode ser trabalhado até culminar em uma união definitiva. Para essa edição especial no Switch, uma modalidade inédita chamada Newlywed Mode foi introduzida e adiciona novas sequências de história ligadas a esse aspecto do game, além de intensificar as interações possíveis para o casal.

Válido chamar atenção que essa versão ainda traz atrativos para os veteranos. Mais do que a ampliação da própria narrativa e do aprimoramento gráfico — afinal, convenhamos, há uma distância gigantesca entre o Switch e o 3DS nesse aspecto—, um novo modo de jogo, mais difícil e focado nos jogadores de longa data, foi implementado.



Rune Factory 4 Special é uma revisitação de uma série cuja última aparição se deu há sete anos, no Nintendo 3DS. Embora seja apenas um port, é notável o quanto a equipe se preocupou em trazer uma experiência diferenciada e que trouxesse frescor a essa incursão por Selphia. Com Rune Factory 5 vindo por aí, será, com certeza, uma boa forma de retomar à franquia ou, caso seja um novato, se aventurar por ela pela primeira vez.

Rune Factory 4 Special — Switch
Desenvolvimento: Hakama
Gênero: RPG, fantasia, simulação
Lançamento: Fevereiro de 2020
Expectativa: 3/5
Revisão: Felipe Fina Franco


É jornalista formado pelo Mackenzie e pós-graduado em teoria da comunicação (como se isso significasse alguma coisa) pela Cásper Líbero. Se você gosta das groselhas que ele escreve, pode ler mais um pouco dessas asneiras em seu blog particular.


Disqus
Facebook
Google