Cooking Mama: Cookstar (Switch): dona da série afirma que jogo foi lançado sem autorização

A publicadora do game respondeu às acusações.


Nas últimas semanas, o jogo Cooking Mama: Cookstar (Switch) esteve envolto em mistério. Lançado no dia 31 de março, o título foi rapidamente removido da eShop e está sendo extremamente difícil encontrá-lo em mídia física na America do Norte. Muitas suposições foram levantadas, entre elas desacordos entre publicadora e desenvolvedora e produções afetadas pelo coronavírus.


Agora, nesta quarta-feira (15), a dona da marca Cooking Mama, Office Create, veio à público dizer que o game foi lançado sem sua autorização. Segundo nota oficial divulgada pela empresa, a publisher Planet Entertainment teria violado o contrato de licença da marca ao disponibilizar o jogo no mercado sem uma série de correções solicitadas.

De acordo com a Office Create, o contrato de produção do game foi fechado em agosto de 2018. No entanto, a companhia afirma que o produto desenvolvido ficou abaixo de suas expectativas, citando deficiências na qualidade, no conteúdo e na sensação geral que o jogo transmitia. A nota diz:
"Apesar de ser contratualmente obrigada a corrigir as deficiências identificadas e reenviar o jogo corrigido para aprovação da Office Create, a Planet lançou Cooking Mama: Cookstar sem abordar todas as rejeições e sem a aprovação da Office Create."
A empresa também reitera que suspendeu a licença da marca para a Planet Entertainment, porém a publicadora teria continuado a vender o jogo em seu site mesmo assim. Além disso, ela também nega ter autorizado uma versão de PS4 do game, a qual estaria sendo divulgada por distribuidores europeus. A companhia encerra a nota dizendo que está analisando ações legais contra a Planet Entertainment.

O outro lado

Em resposta às acusações, a Planet Entertainment também se posicionou. A publicadora diz que o título lançado no Nintendo Switch seguiu exatamente o documento de design proposto e aprovado pela Office Create em 2019. De acordo com a declaração, a desenvolvedora 1st Playable incluiu no game várias sugestões da dona da marca.

A empresa afirma, no entanto, que houve diferenças criativas entre ambas as companhias perto do fim da produção do jogo:
"Infelizmente, surgiram diferenças criativas quando Cooking Mama: Cookstar estava quase concluído que estavam fora do escopo de nosso acordo e do design do jogo aprovado pela Office Create."
A Planet Entertainment ressalta que não há litígio que a impeça de publicar o game e que tem todos os seus direitos garantidos.


Jornalista, analista de mídias e entusiasta de games desde que jogou Pokémon Azul no Game Boy Color nos anos 90. De lá para cá, tenta aproveitar ao máximo todos os consoles no pouco tempo que a vida adulta permite. Se não está escrevendo para o Blast ou demorando anos para zerar um jogo, está no Facebook e no Instagram (@daniel.skm)


Disqus
Facebook
Google