Animal Crossing: New Horizons (Switch) é usado por jogadoras para protestar contra feminicídios

Jogadoras de Animal Crossing: New Horizons decidiram que, em face da pandemia do novo coronavírus (COVID-19), era melhor ficar em casa.



Nestes meses de pandemia da COVID-19, Animal Crossing: New Horizons tem se tornado uma plataforma perfeita para protestos, além de diferentes eventos e comemorações. No mês de abril, manifestantes usaram o jogo como forma de lutar pela libertação de Hong Kong. Por outro lado, vimos que isso ajudou a conectar pessoas com casamentos e festas de aniversário. Com isso, o título para Nintendo Switch conseguiu se tornar mais do que apenas um jogo.

No início desta semana, a Universidad Autónoma de Nayarit (UAN) relatou a morte de Diana Carolina Raygoza Montes, uma jovem de 21 anos que estava cursando Direito na instituição, assassinada em sua casa no bairro de Morelos, em Nayarit. O exposto acima gerou enorme indignação social, uma vez que a onda de violência no México não para e o país já possui a oitava maior taxa de feminicídios em toda a América Latina.


Na atual conjuntura mundial, estamos em um momento difícil, onde os protestos tradicionais em meio à pandemia podem representar um ponto de infecção. É por isso que um grupo de mulheres mexicanas se reuniu para fazer um protesto virtual em Animal Crossing: New Horizons.



O caso de Diana – assim como o de muitas outras mulheres vítimas de violência – é inaceitável, sendo impossível permanecer à toa diante dessa situação. Assim, esse grupo de mexicanas se reuniu em uma ilha com cartazes denunciando o feminicídio de Diana e pedindo que isso fosse esclarecido. Neles, podemos ler slogans que pedem ao governo que se posicione sobre o assunto, a fim de garantir segurança.


A decisão de fazer o protesto em Animal Crossing: New Horizons acabou sendo a correta, uma vez que obteve um alcance de milhares de pessoas. Uma das publicações teve centenas de retweets e mais de 1.000 curtidas.


Escreve para o Nintendo Blast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.


Disqus
Facebook
Google