Jogamos

Análise: King of Fighters R-2 (Switch) revive um clássico de pancadaria dos anos 90

Pequeno no tamanho e enorme na diversão, conheça o milagre da SNK que trouxe o sucesso dos arcades para dentro do seu bolso — agora disponível no Switch.


Se o Neo Geo já é um console raro de se encontrar, o que dizer do Neo Geo Pocket? Este impressionante e desconhecido portátil da SNK possuía jogos excelentes, mas que ficaram inexplorados por grande parte do público, com destaque para as versões portáteis dos títulos da franquia The King of Fighters (também conhecida como KOF). Felizmente, muitos tesouros do passado estão sendo resgatados e podemos desfrutar de títulos que, até então, poucas pessoas jogaram, como o maravilhoso King of Fighters R-2.


Com um grande valor histórico, King of Fighters R-2 condensou com sucesso a essência de The King of Fighters ‘98 dentro das limitações técnicas do pequeno portátil da SNK. E o mérito não é pouco: não apenas a jogabilidade de KOF ‘98 está presente, como também alguns cenários clássicos e a inesquecível trilha sonora para cada personagem — tudo com qualidade impressionante para um portátil de 1999.

Seu antecessor, King of Fighters R-1, era mais simples e com um visual preto e branco, ao passo que R-2 trouxe gráficos coloridos lindos e simpáticos, sem abrir mão da simplicidade. Todos os personagens estão representados como versões em estilo SD dos originais, mas são perfeitamente reconhecíveis, mantendo sua identidade visual e até ganhando certo charme em suas versões em miniatura.


A versão do Switch é um emulador oficial do Neo Geo Pocket com KOF R-2 embutido. Isso faz com que o jogo não apenas mantenha a exata jogabilidade do original, mas também conte com algumas vantagens extras, como manual completo, máquina do tempo, alterações de skin, entre outras.

Jogabilidade completa com apenas dois botões

Devido às limitações do Neo Geo Pocket, toda a jogabilidade de King of Fighters R-2 foi condensada em dois botões, um para socos e outro para chutes. Para fazer um golpe forte, mantém-se o botão pressionado; para um golpe fraco, dá-se um “tapinha” no botão.

E pensar que os jogos atuais têm mais que o dobro de comandos...

A jogabilidade é aquela clássica de jogos de luta em duas dimensões e que fez tanto sucesso no Neo Geo: dois personagens se enfrentam por round, com visão lateral em 2D. No modo de times, vence quem derrotar todos os personagens do time adversário. No modo individual, o jogador participa de uma disputa “melhor de três”.

Espantosamente, muito da jogabilidade clássica do arcade foi mantida nesta versão reduzida. Se o jogador já conhece as mecânicas de The King of Fighters, especialmente do KOF ‘98, estará totalmente à vontade no KOF R-2, uma vez que todos os comandos para os golpes especiais são os mesmos nos dois jogos. Os veteranos na série KOF vão se deleitar com a possibilidade de executar técnicas avançadas que já aplicavam no título de arcade. Bem completo, KOF R-2 possui manobras de evasão, guard cancel, guard reversal, três tipos diferentes de pulo (baixo, médio e alto), Super Moves e Desperation Moves.

Assim como em KOF ‘98, é possível optar entre os modos Extra e Advanced. No modo Extra, carregar a barra de especial requer manter os dois botões pressionados com o direcional para baixo. Também é possível fazer a evasão sem sair do lugar, realizar movimentos de salto (hops) com dois toques no direcional e executar os Desperation Moves quando a barra de vida estiver quase no fim.

Hadou- Ops, jogo errado! PSYCHO BALL!

Já no modo Advanced, a barra de especial é carregada automaticamente ao se executar um golpe especial, bloquear ou acertar um ataque normal. Neste modo, é possível estocar mais de uma barra de especial, executar evasão com movimento direcional, correr para frente ou para trás (dash) com dois toques no direcional e executar os Desperation Moves entrando em modo MAX, ao custo de uma barra de especial.

Apesar da riqueza tática para jogadores experientes na franquia, os novatos não foram esquecidos. KOF R-2 oferece um modo simplificado, que permite executar golpes especiais com muita facilidade: basta selecionar o modo de jogo desejado com o botão + e será possível executar ataques especiais simplesmente segurando o direcional em uma direção e pressionando o botão de soco ou chute. Moleza!


KOF R-2 conta com 23 personagens. Destes, 14 estão disponíveis desde o início do jogo, restando nove como desbloqueáveis. Estão presentes neste título:
  • Team Kusanagi: Kyo, Saisyu e Shingo;
  • Super Babe Team: Athena, Yuri e Kasumi;
  • New South Town Team: Ryo, Mai e Terry;
  • Orochi Team: Yashiro, Shermie e Chris;
  • Edit: Leona e Iori;
  • Desbloqueáveis: Kyo 94, Ryo 94, Yuri 94, Terry RB2, Mai RB2, Orochi Yashiro, Orochi Shermie, Orochi Chris e Omega Rugal.
Este talvez seja o maior “desfalque” que a versão R-2 tem em relação às versões do arcade: muitos personagens importantes não estão presentes e é provável que alguns dos favoritos estejam faltando — cadê a King e o Benimaru? Por outro lado, os lutadores secretos conferem um fator de rejogabilidade imenso, já que eles são destravados aleatoriamente ao se jogar bem e terminar partidas no modo arcade. Isso faz com que seja necessário jogar dezenas de vezes a fim de completar a lista de personagens.

Player 1 e Player 2

O multiplayer deste título é bastante eficiente e, de certa forma, único, pois varia de acordo com o modo de como se joga no Switch. Se o híbrido estiver no modo TV ou tabletop, o jogo é exibido normalmente em uma tela só na horizontal para ambos os jogadores. No modo portátil, KOF R-2 será apresentado na vertical, com as imagens espelhadas.

Frente a frente com o inimigo


O modo portátil simula um arcade duplo, no qual os jogadores ficam de frente, um para o outro, e cada um controla um Joy-Con como se fosse um controle de arcade. O Switch é o único console da atualidade que pode ser jogado na vertical e também é uma boa opção para quem possui o Nintendo Switch Lite, já que neste modelo os Joy-Con não podem ser destacados do aparelho.

O único ponto negativo, contudo, é que não existe a possibilidade de multiplayer online, restando apenas o multiplayer local.

The King of Making

O Making Mode é um modo de jogo exclusivo do KOF R-2 no qual é possível criar um personagem a partir de um dos lutadores disponíveis e customizá-lo com itens, habilidades e movimentos especiais. É um curioso “quase RPG”, já que o jogador cria um personagem e o desenvolve aos poucos, conseguindo habilidades a cada batalha vencida.


Como existem 210 habilidades disponíveis, é necessário investir muito tempo no jogo para conseguir todas, o que desperta a vontade de jogar repetidas vezes até completar tudo, com o objetivo de criar o personagem perfeito. Abrindo parênteses aqui, um modo ótimo para obter as habilidades mais facilmente seria o DC Mode, uma funcionalidade que permite ao Neo Geo Pocket importar ou exportar personagens para o jogo The King of Fighters: Dream Match 1999 (Dreamcast).

Olha, mãe! Eu tô no jogo!

Infelizmente, o DC Mode não está disponível nesta versão para o Switch, mas não considero um defeito muito grave, pois não existem muitas pessoas por aí que possuam um Dreamcast com o acessório Link Cable e um KOF ‘99 Dream Match rodando hoje em dia.

Completo e com manual

Jogar King of Fighters R-2 no híbrido da Nintendo possui diversas vantagens sobre o original do Neo Geo Pocket. A primeira e mais importante é poder jogar multiplayer com um aparelho sem a necessidade de comprar controles extras, uma vez que os Joy-Con já inclusos no Switch permitem dois jogadores simultâneos, inclusive no modelo Lite.

A versão do Switch também conta com uma versão digital e colorida do manual que acompanhava o cartucho do Neo Geo Pocket e pode ser consultada a partir do menu de opções do “console virtual”. A interface simula o portátil da SNK dentro do híbrido da Nintendo e é possível mudar a aparência externa do Neo Geo Pocket, aplicar filtros que simulam a aparência do display LCD do portátil original, controlar o zoom da tela de jogo e alterar o layout dos botões. Curiosamente, é possível jogar somente com a função touchscreen do Switch ao tocar nos botões que aparecem na tela do console virtual e, embora seja um recurso interessante, é tão prático quanto jogar um jogo de luta no smartphone.

"Até parece que você já tinha
O meu manual de instruções"

O “Neo Geo Pocket virtual” também oferece um recurso de “máquina do tempo”, com o qual é possível voltar o KOF R-2 para qualquer ponto nos últimos 10 segundos. Particularmente, não gosto muito desse recurso em jogos de luta, mas pode ser uma mão na roda para jogadores que não aceitam que o Dark Genocide do Omega Rugal arruine sua partida perfeita.

Vai vendo aí, ele vai dar um Genocide Cutter, daí eu defen- DE NOVO NÃO!


Outra vantagem de jogar no Switch, em relação ao console original, é a iluminação na tela. O Neo Geo Pocket não a possuía, impedindo que pudesse ser jogado em locais escuros, enquanto o híbrido da Nintendo pode ser jogado em qualquer ambiente.

O Switch também permite usar um controle à parte, como o Pro Controller, algo que não era possível no portátil da SNK. Mesmo com todos esses recursos extras, o console virtual mantém a maior virtude do Neo Geo Pocket: a portabilidade, mas com uma autonomia de bateria ainda maior.

Jogo excelente, "zero defeitos"

Com uma jogabilidade impecável, 23 personagens, dois modos de jogo (Extra e Advanced) e de disputa (time ou individual), um modo Making, um ótimo multiplayer local, diversas melhorias em relação ao console original e um fator de rejogabilidade praticamente infinito, King of Fighters R-2 é extremamente recomendado para entusiastas de jogos de luta e obrigatório para fãs da franquia The King of Fighters, não só pelo seu valor histórico, mas pelas horas e horas de diversão que o port proporciona.

Prós

  • Jogabilidade maravilhosa;
  • Fator replay imenso;
  • Multiplayer local muito bem estruturado;
  • Divertido tanto para iniciantes quanto para veteranos;
  • Manual original do jogo incluso em versão digital;
  • Diversas melhorias em relação ao hardware original.

Contras

  • Poucos personagens disponíveis (para um jogo da série KOF);
  • Sem multiplayer online.
The King of Fighters R-2 — Neo Geo Pocket/Switch — Nota: 9.0

Versão utilizada para análise: Switch
Análise produzida com cópia digital cedida pela SNK
Revisão: Felipe Fina Franco

Também conhecida como Lilac, não consegue viver sem música. Livros e quadrinhos fazem parte de sua biblioteca. Adora filmes, jogos, animações e experiências culinárias, sobretudo doces. Prefere ser chamada por Ju.


  1. Não acho esse jogo tudo isso não e acho que o título de milagre seja mais adequado a Versão de Game Boy Clássico, um Hardware 8 bits dos anos 80.

    ResponderExcluir

Disqus
Facebook
Google