Jogamos

Análise: Rip Them Off (Switch) critica cada aspecto de uma sociedade modernista

Em um mundo baseado no consumismo, controle a fila de lojas e se certifique de que o maior número possível de clientes gaste todo o seu dinheiro lá.

Bem-vindo ao seu mais novo emprego! Em Rip Them Off (Switch), um curioso título indie para o híbrido da Nintendo, o seu trabalho consiste em aumentar significativamente os lucros e tirar o máximo possível de dinheiro do bolso dos clientes… Ou melhor, fazer os clientes tão felizes quanto nunca antes, não é mesmo? O game é uma mistura satírica de um tower defense com elementos de quebra-cabeças que surpreende principalmente pelo ar poético e cult que o ambienta.

É tudo sobre lucros!

Rip Them Off deixa o jogador em um mundo esteticamente contemporâneo, onde deve-se fazer de tudo para deixar o Conselho — aqueles que mandam no mundo — feliz, obtendo o maior saldo positivo em diferentes lojas de formatos geométricos triangulares, quadrados e redondos. 

Para tal, nenhum sucesso é sempre constante, o que significa que alguns desses locais necessitarão de várias tentativas, porque é claro que não é suficiente apenas coletar dinheiro: cada nível requer uma certa quantia mínima de receita que deve ser gerada. O mais importante é não colocar lojas às cegas espalhadas pela cidade, já que cada cliente é diferente, cada loja é diferente e cada nível é diferente.

O jogo é um constante quebra-cabeça desafiador que se parece um pouco com games mais tradicionais de tower defense, exceto que, em vez de destruir os minions — nesse caso, os clientes —, temos que garantir que eles visitem as lojas e comprem o máximo possível ali. 

Felizmente, eles irão a qualquer loja que esteja em seu caminho e comprarão qualquer produto que esteja disponível. Isso é uma vantagem realmente grande se comparado a uma loja no mundo real, mas é assim que funciona nesse mundo modernista.


A dificuldade está, então, no fato de que cada cliente permanece na loja por um determinado período de tempo e depois gasta o seu dinheiro ali. Entretanto, é preciso muitas tentativas para encontrar a loja certa para cada nível e também para fazer o Conselho feliz no final, porque, se a meta estipulada não for alcançada, eles deixam claro que sabem exatamente onde você mora.

Felizmente, não há perda direta e você pode simplesmente começar o nível novamente. Mais um ponto de sorte para esse mundo, onde não há dívidas, desemprego ou limites de crédito. Ufa!

Relaxar? Isso é mesmo possível?

O que chamou a atenção em Rip Them Off, além de sua jogabilidade interessante, foi a sensacional trilha sonora. Embora a jogabilidade às vezes pareça estressante apenas pelos clientes que se apressam para todos os lados e passam a sensação de que tudo está sob pressão, a trilha sonora tranquila garante que tudo está relaxado de qualquer forma. Ela é realmente muito bem feita e também bastante cativante, mesmo que seja um pouco repetitiva demais para alguns.


Além disso, o estilo gráfico e as cores escolhidas são muito agradáveis, de modo que é possível relaxar os olhos enquanto se imagina em um ambiente art deco, o que pessoalmente acho muito bom. Especialmente com gráficos e sons de qualidade, temos aqui um pacote limpo e completo.

Embora a dificuldade às vezes pese muito, você se acostuma a isso. Não sei quantas vezes comecei alguns níveis só para descobrir qual loja poderia render mais lucros logo no primeiro dia, e como posso tirar o máximo de sentido de tudo isso para repetir o bom desempenho. Sim, às vezes realmente leva muito tempo para passar de fase em Rip Them Off, já em outras vezes você pode fazê-lo sem nenhum problema em um piscar de olhos. É inconstante e surpreendente.

Há alguns níveis em que não consigo chegar mais longe e tentar todas as combinações possíveis. Isto é um pouco frustrante e às vezes tira a diversão do jogo, especialmente porque, nesse cenário, você não sabe o que mais pode fazer, exceto expandir mais as lojas e pensar se esta é realmente a posição certa para ela. 

Aqui, às vezes, mais algumas dicas seriam úteis e econômicas, facilitando — e muito — a vida do jogador desamparado e pressionado pelo Conselho. É também uma pena que a visão geral do nível não seja tão agradável e clara quanto poderia ser e você não perceba imediatamente se já completou um nível ou não.

Ser apenas uma pequena engrenagem no sistema

O que Rip Them Off demonstra de forma bastante impressionante é o cargo de gerente. Você provavelmente já ouviu isso antes: algo dá errado em uma empresa e a primeira mudança é a demissão de um dos gerentes. Por quê? Bem, por enquanto, encontramos um culpado. Mas o fato de que este gerente "apenas" deu luz verde para um empreendimento comercial e, portanto, tem que assumir a culpa é outra história.

Cada vez que perco, cada vez que não alcanço meu objetivo em Rip Them Off, várias coisas são jogadas em mim. Na maioria das vezes são as consequências de minhas más decisões, às vezes sou ameaçado pelo Conselho. Tudo bem, é cativante de qualquer maneira. 

Em uma de minhas perdas me foi dito que a partir dali todas as lojas estavam sendo demolidas e que todos os funcionários tinham que ser demitidos. Com um asterisco anexado à notícia, foi-me dito que os funcionários foram informados de que a culpa era toda minha. Pronto, eles já tem a quem crucificar.


E o pior é a própria sensação de se sentir realmente responsável por isso. Tudo isso embora eu tenha tomado apenas uma decisão errada em um pequeno quebra-cabeça. Rip Them Off lida muito bem com a linguagem positiva e negativa da liderança, motivando ou desmotivando, conforme o caso que se apresente. 

Ainda assim, em vez de bullying por parte dos meus chefes, eu teria gostado de ter um pouco mais de ajuda de lado. Caraca, como isso parece a vida real!

Resumidamente, o game é uma sátira bem sucedida da sociedade que estamos caminhando para nos tornar, mas, ao mesmo tempo, também mostra que decisões importantes eu tenho que tomar como parte de um ecossistema de lucros e ganhos. Às vezes, galerias inteiras são derrubadas por minha causa, porque sou "incapaz de seguir instruções simples", de acordo com o membro da diretoria.

Para além disso, Rip Them Off é, antes de tudo, um jogo de quebra-cabeça difícil com inclinações ao gênero de defesa de torres. Uma mistura saudável, que também pode, porém, roubar todos os nervos.

Embora o game ofereça sim um tutorial, às vezes eu teria desejado mais algumas dicas. Se você falhar no jogo, você pode ao menos ouvir uma trilha sonora engenhosa e se convencer do estilo gráfico agradavelmente minimalista e art deco, compensando todo o pacote e a curiosidade em mais um indie para a coleção do Nintendo Switch.

Prós

  • O game está todo disponível em português brasileiro;
  • Humor negro bem implementado, com sátiras relevantes;
  • Mecânicas bem diferentes do que qualquer outro jogo do gênero na plataforma;
  • Lições reais para a vida podem ser tiradas do jogo.

Contras

  • Dificuldade bastante desbalanceada;
  • Ausência de memorandos com dicas, recordações de funções e demais formas de ajuda;
  • O game pode ser depressivo para pessoas não acostumadas a trabalhar sob pressão em um mundo monótono.
Rip Them Off — Switch/XBO/PS4/PC/Mobile — Nota:7.0
Versão utilizada para análise : Switch
Revisão: João Gabriel Haddad
Análise publicada com cópia cedida pela Lozange Lab

Curioso, empolgado e positivo: os ingredientes ideais para criar o Felipe perfeito...ou quase! Estudante de Engenharia no crachá, programador aos fins de semana e designer às quintas-feiras. Na dúvida, viajar pelos mundos de Kingdom Hearts ou caçar monstros em Hyrule são sem dúvidas uma boa aposta! Conheçam-me! @felipe_lemos12


Disqus
Facebook
Google