Jogamos

Análise: Just Dance 2022 traz novamente o melhor da badalada série para o Switch

Apresentando um repertório que vai de “good 4 u" até “Sua Cara”, o jogo diverte mesmo sem apresentar novidades.

Com o fim de 2021 se aproximando, chegou a hora das franquias sazonais darem as caras nos consoles com seus lançamentos anuais. Dessa vez, a estrela do momento é Just Dance 2022, que apresenta o melhor da série de dança no Switch, incluindo um diversificado setlist de músicas atuais e sua já tradicional e divertida jogabilidade. Assim, mesmo sem trazer novidades significativas em relação ao seu antecessor, o novo lançamento consegue figurar como um dos melhores da franquia.

A festa de sempre...

Para quem não conhece a franquia, Just Dance é uma série de jogos de ritmo que desafia os jogadores através da dança: com os controles em mão, deve-se reproduzir as coreografias feitas por dançarinos que aparecem na tela, seguindo os movimentos em diferentes músicas e somando pontos através de combos, rankings e outros atributos. 

Já com essa fórmula, o primeiro Just Dance foi lançado em 2009, fazendo muito sucesso no Nintendo Wii com os controles de movimento e a possibilidade de disputar com os amigos no modo multiplayer. A partir de 2013, a série passou a ganhar um lançamento anual, renovando suas canções e trazendo eventuais novidades a cada edição. Isso nos traz diretamente aos dias de hoje, pois, assim como nos títulos anteriores, Just Dance 2022 repete a estabelecida receita de sucesso da franquia.

No Switch, ao invés do Wii Remote, devemos segurar uma unidade do Joy-Con para usufruir de seus sensores de movimento. Em termos de jogabilidade, tudo funciona muito bem, e leva pouco tempo até nos habituarmos aos controles. Realmente, não há muito mistério neste quesito, evidenciando que Just Dance é uma série para todas as idades.

Tratando-se da jogatina em termos gerais, cabe ressaltar que Just Dance 2022 não conta com nenhuma espécie de campanha, carreira ou história a ser seguida, dispondo apenas de modos que podem ser jogados livremente. Entre eles, temos o tradicional Just Dance, o Quick Play, o formato Kids e o World Dance Floor, que ocorre de maneira online contra dançarinos de todo o mundo. Por sinal, todos estes modos suportam multiplayer, algo que pode ser feito através do uso dos Joy-Con, ou ao conectarmos um celular em um aplicativo da franquia, fazendo com que o dispositivo se transforme em um controle improvisado.

Diante disso, nota-se que, entre as propostas e até mesmo os menus do jogo, tudo é muito divertido, mas está muito parecido com o lançamento dos anos anteriores. Portanto, o que poderia ser uma boa justificativa para os jogadores comprarem a edição de 2022? Ora, justamente a possibilidade de dançar os últimos sucessos do cenário mundial do pop — os quais foram muito bem escolhidos, por sinal, principalmente em termos de diversidade e relevância.


...mas com músicas novas em pistas inéditas

Ao trazer 40 músicas inéditas, Just Dance 2022 conseguiu ser bastante eficiente na difícil tarefa de contemplar os grandes hits do momento, apresentando também uma boa variedade de estilos. Ao acessar os artistas presentes no jogo, nomes como Olivia Rodrigo, Dua Lipa, Billie Eilish, Imagine Dragons e The Weeknd prontamente se destacam, evidenciando a qualidade e atualidade da trilha escolhida.

Também de maneira exemplar, o título nos permite entrar em contato com autores de diferentes locais do planeta. Enquanto Anitta e Pabllo Vittar conduzem o ritmo brasileiro, os grupos BLACKPINK e aespa representam o pop sul-coreano; e Karol G e J Balvin manifestam os tons de reggaeton da América Latina.


Tendo isso em mente, Just Dance 2022 oferece coreografias que almejam simbolizar os diferentes gêneros musicais e culturas, muitas vezes seguindo a fisionomia dos compositores ou dos personagens exibidos nos videoclipe das respectivas canções. Dessa forma, o jogo ganha méritos por trazer movimentos de dança bastante criativos. Confesso que até as músicas que eu julgava não serem tão dançantes, como a recente “Happier Than Ever”, de Billie Eilish, ganharam repertórios e gestos divertidíssimos de serem replicados.

Além da criatividade dos movimentos, outra grande virtude do título passa pelos cenários que são exibidos durante a jogatina. Notadamente, todo ano a franquia Just Dance busca refinar este aspecto; mas, creio que o aumento na qualidade e inventividade das ambiências tenha sido mais alto esse ano, o que é deveras agradável para a jogatina como um todo.

Just Dance 2022 manifesta-se, assim, como um rhythm game de bom reportório e divertido, possuindo qualidades que se destacam, tanto quando estamos sozinho, como quando jogamos com os amigos. No entanto, nem tudo é mil maravilhas, e há de se dizer que algumas coisas não ocorrem de maneira agradável dentro da grande festa anual, que  conta com um serviço de assinatura adicional que às vezes incomoda com seus anúncios.

O limite da diversão

Ao iniciarmos Just Dance 2022, não leva muito tempo até nos depararmos com músicas que só podem ser acessadas através da aquisição do Just Dance Unlimited. Trata-se de um serviço de assinatura da franquia que permite uma expansão no catálogo de músicas ao trazer mais de 700 canções que já passaram pela série ao longo dos anos. Caso o jogador não queira adquirir a subscrição, comercializada em taxas mensais ou anuais, ele terá de se contentar com as quarenta músicas da edição 2022.

Por si só, isso não chega a se configurar como um grande problema de imediato; afinal, a decisão fica por conta do jogador, que pode decidir se deseja pagar este valor extra. No entanto, é um pouco incômodo como o jogo fica nos “empurrando” o serviço. A presença de anúncios sobre o Just Dance Unlimited é constante na jogatina, assim como as indicações para jogarmos determinadas músicas exclusivas do pacote incomodam ao serem bastante repetitivas.

Em relação ao Just Dance Unlimited em si, eu senti que a experiência de fato se torna praticamente impecável quando o assinamos, pois, diante de um catálogo tão abrangente, é muito mais fácil nos depararmos com canções que amamos e desejamos dançar. Entretanto, este acréscimo na diversão passa por um custo extra, que apesar de possuir um valor aceitável, ele nos faz questionar sobre o preço base do jogo, que já é um tanto alto em relação ao conteúdo que oferece, e pode se tornar ainda mais elevado com a aquisição do pacote.

Assim, forma-se um contexto delicado que fica a critério do jogador. Antes de decidir imediatamente  assinar ou não o pacote, aconselho realizar um período de teste gratuito do serviço por 30 dias, o que pode ser feito a partir de um breve registro no site do jogo. Além de não custar absolutamente nada, o período de demonstração ainda ajuda o jogador a se livrar um pouco das constantes propagandas em relação ao Just Dance Unlimited, que  se tornam incômodas às vezes, conforme mencionamos. 

Dançando os sucessos do ano

Sem muito mistério, Just Dance 2022 entrega aquilo que promete fazer todos os anos: trazer os hits do momento para proporcionar uma grande festa no Switch. Apesar de não apresentar novidades significativas para a série e ter algumas situações inconvenientes em relação ao seu serviço de assinatura adicional, o novo lançamento acerta em cheio na escolha das músicas, coreografias, cenários e critérios de jogabilidade, mostrando-se como um das melhores edições da badalada série de dança até os dias de hoje.

Prós

  • Excelentes escolhas para o repertório de músicas do ano;
  • Coreografias e referências divertidas;
  • Título se tornou mais atraente com cenários detalhados;
  • A jogabilidade segue o padrão de alta qualidade da série;
  • Possibilidade de expandir o catálogo com o Just Dance Unlimited.

Contras

  • Não traz nenhuma novidade grandiosa em comparação à edição anterior;
  • Anúncios do serviço de assinatura podem se tornar irritantes.
Just Dance 2022 — Switch/PC/PS4/PS5/XBX/XBO/Stadia — Nota: 8.0
Versão utilizada para análise: Switch
Revisão: Cristiane Amarante
Análise produzida com cópia digital cedida pela Ubisoft

Jornalista, redator no Nintendo Blast, mestre em Ciências da Comunicação e campeão em oito regiões do universo Pokémon.


Disqus
Facebook
Google