Pokémon Blast

As trapaças nos movesets dos Pokémon ao longo das gerações

Veja agora como a máquina se aproveita de sua nobreza ao utilizar truques ilegais para vencê-lo.


Desde o começo da franquia Pokémon, alguns padrões foram criados e estão presentes nos jogos da série  até os dias atuais. No entanto, um deles chama a atenção por ser bem diferente dos demais. As trapaças ocorrem de forma sutil e muitas vezes, não nos damos conta do que está ocorrendo.

Em outras palavras, é como se a Game Freak utilizasse seu Sharpedo (essa é uma referência para o pessoal das antigas!) e tirar alguma vantagem — intencional ou não — do jogador que está experienciando o game.

Curioso para saber como o jogo é desleal com o jogador? Então compre bastante Full Restores, Revives e boa leitura!

Primeira Geração

Red/Blue

Logo nas primeiras versões, já tivemos uma pequena demonstração do que estaria por vir. A Elite Four é conhecida no universo Pokémon, pois é composta pelos quatro melhores e mais fortes treinadores de sua região. Em Kanto temos Lorelei, Bruno, Agatha e Lance. O mais poderoso dentre eles é o mestre dos dragões, que é o trapaceiro da vez. Apenas nessas duas versões, há um golpe ilegal no moveset de seu Dragonite, no caso, Barrier. Na versão Yellow, seu moveset foi totalmente reformulado.


O efeito do golpe Barrier é aumentar a defesa física do Pokémon em dois níveis, bem similar ao golpe Reflect. A diferença entre eles é que Barrier aumenta apenas a defesa do Pokémon que utilizou, enquanto Reflect aumenta de toda a equipe e ainda é limitado a cinco turnos.

Contudo, o Dragonite não pode aprender Barrier de nenhuma forma. Naquela geração, o atributo Special ainda era único, ou seja, não havia sido dividido em Special Attack e Special Defense. Logo, esse golpe deixava o Dragonite mais resistente do que o normal, causando muitas derrotas a desafiantes despreparados. Curiosamente, na sexta geração foi distribuído um Dragonite de evento baseado em Lance de Red/Blue, contendo Barrier em seu moveset.


Segunda Geração

Gold/Silver/Crystal

Após os eventos do primeiro jogo, Lance se torna o campeão da Liga Johto. Contudo, seu título pode ser contestado em razão de não uma, nem duas, mas três irregularidades em seus Pokémon. Um deles é o Aerodactyl, fóssil tido como o mais forte das duas primeiras gerações.

Muito rápido e forte ofensivamente para a época, o Aerodactyl é capaz de vencer a principal fraqueza dos dragões, o tipo ICE. Em seu moveset, há o golpe Ancient Power, que era novo na época e que tem uma pequena chance de aumentar todos os atributos do usuário em um nível. Se isso acontecer, a batalha ficará um pouco mais difícil, acredite.

Agora, a situação toda não é o Ancient Power e sim outro golpe: Rock Slide.Você deve estar se perguntando: “Mas o Aerodactyl não pode aprender Rock Slide?”. A resposta é…pode, mas não na segunda geração. Foi somente a partir da terceira que o pterodáctilo de pedra teve o golpe incluído em seu moveset.

A segunda —  e talvez seja considerada a maior trapaça feita por um NPC na franquia Pokémon — está nos três Dragonites de Lance. Dois deles estão no Lv.47, oito níveis atrás do nível em que o Dragonair pode evoluir. 

O ápice fica para o terceiro: além de também estar em nível abaixo do correto (Lv.50), este Dragonite é capaz de usar o golpe Outrage, sendo que na segunda geração o dragão pode aprender a usá-lo apenas no Lv.61. Talvez seja hora de rever esse título de campeão…

Terceira geração

Ruby/Sapphire

Os líderes de ginásio são conhecidos por suas habilidades avançadas de batalha e por seus Pokémon bem treinados. A região de Hoenn possui uma líder, Winona, que não está para brincadeiras. Seu Pokémon mais forte é uma Altaria, e todos os que jogaram o game pela primeira vez jamais imaginariam que esse Pokémon é do tipo DRAGON.


A ferramenta que deixa sua Altaria tão acima da curva é justamente um golpe ilegal: Dragon Dance. Ao pesquisarmos sobre como sua linha evolutiva aprende esse golpe, descobrimos que a Altaria de fato pode aprender Dragon Dance, mas não no Lv.33, e sim no Lv.40. Também não é possível passar a técnica para a Swablu através de breeding, logo, completamente ilegal.

Em Omega Ruby/Alpha Sapphire, essa situação foi corrigida de certa forma: em vez de aprender no Lv.40, agora a Altaria é capaz de Dragon Dance no Lv.30. Contudo, o golpe foi removido do moveset de Altaria no remakes, sendo substituído por Roost.

Fire Red/Leaf Green

Novamente temos Lance figurando entre os “trapaceiros”. Se antes o problema estava em seus Dragonite, agora temos evidências em seus Dragonair. As versões Fire Red/Leaf Green (GBA) são os remakes da primeira geração e adaptaram a história para o universo da terceira. 

Seu time nos remakes é basicamente o mesmo, só que com alguns golpes mais fortes e já contemplando as mudanças e implementações realizadas nas gerações anteriores. O principal ponto disso tudo é a presença do golpe Outrage em seus Dragonair. Ambos estão no Lv.54, mas a primeira evolução de Dratini só pode aprender a técnica no Lv.56.

Emerald

Nem mesmo a versão definitiva da terceira geração escapou de ter um representante trapaceiro. Na Victory Road, há um NPC chamado Cooltrainer Dianne que, acreditem, tem um Lanturn capaz de usar Earthquake. Isso mesmo, você não leu errado!

Como seu primeiro Pokémon é um Claydol, pode ser que durante a programação copiaram o Pokémon da primeira posição para criar o Lanturn e se esqueceram de remover o golpe Earthquake de seu moveset. Um detalhe curioso é que essa treinadora não existe nas versões Ruby/Sapphire, ou seja, é uma implementação que foi realizada apenas para a versão Emerald.

Quarta geração

Diamond/Pearl/Platinum

Até agora, apenas os “mocinhos” estavam trapaceando. Chegou a hora dos verdadeiros vilões fazerem o que sempre fazem: tentar levar vantagem sobre os outros. O Team Galactic é a principal organização criminosa da região de Sinnoh e é evidente que algumas falcatruas seriam cometidas.

Cyrus, líder da equipe, dividiu os membros sob o comando de três capitães: Saturn, Mars e Jupiter. Nosso primeiro contato com eles é em Valley Windworks, onde podemos batalhar com Mars. Até aqui, temos apenas uma insígnia e nossos Pokémon estão por volta do Lv.16, ou seja, bem no começo.

Nossa adversária também mantém o jogo “limpo”, pois seu Pokémon está na mesma curva. O detalhe é que o Purugly utilizado por Mars é completamente ilegal, já que o Glameow evolui apenas no Lv.38 e não no Lv.16, como o da capitã. 

Ainda, Jupiter, na cidade de Eterna, faz o mesmo com seu Skuntank: o gambá evolui do Stunky a partir do Lv.34, sendo que nosso primeiro encontro com ele ocorre por volta do Lv.22, após o segundo ginásio ter sido derrotado.

Heart Gold/Soul Silver

Esta ilegalidade  é bem singela e pode ser que você nem a tenha percebido, pois, para presenciá-la, é necessário avançar bastante no jogo. Na Union Cave, podemos batalhar contra o Ace Trainer Nick. Nas versões originais, ele ainda era um Cooltrainer e parece ter evoluído bastante de uma geração para outra.

Seu time, em ambas as versões, é composto pelos Pokémon iniciais da região de Kanto. Até aqui tudo bem, sem alarde. Na versão base, seu Squirtle possui o golpe Curse, aumentando a defesa e reduzindo a velocidade dos Pokémon que não são do tipo GHOST.

O fato é que o Squirtle só é capaz de aprender esse golpe na segunda geração. Acredito que aqui houve o clássico Ctrl + C seguido do Ctrl + V, e como o golpe existe no game, não fica tão estranho, embora ainda seja uma trapaça

Quinta geração

Black/White

Novamente, um vilão trapaceando. As versões Black/White possuem uma das melhores histórias da franquia, se não a melhor. A profundidade, desenvolvimento, carisma… a lista vai longe. Ghetsis também foi longe demais ao se aproveitar para ter um Pokémon ilegal em sua equipe.

O Hydreigon é o Pokémon que mais demora para atingir sua forma final: Deino evolui para Zweilous no Lv.50, que, por sua vez, precisa ser treinado até o Lv.64 para finalmente poder desfrutar de seu poder total. Acontece que Ghetsis possui um Hydreigon Lv.54. É um absurdo!

A situação piora ainda mais em Black/White 2, pois o Hydreigon dele conseguiu perder dois níveis e agora, quando enfrentamos Ghetsis, seu dragão de três cabeças está no Lv.52. Meio suspeito!

Sexta Geração

X/Y

Lysandre, líder do Team Flare, cometeu um pequeno deslize em relação ao seu Gyarados. No começo da sexta geração, ainda não havia uma forma de passar os Pokémon das versões Black/White para os cartuchos de 3DS. Somente após a criação do Poké Transporter e do Poké Bank é que poderíamos ter acesso aos monstrinhos treinados nas versões antigas.

Agora, como Lysandre se encaixa nisso tudo? Talvez ele conhecesse alguém na Game Freak que tenha liberado um acesso antecipado a essas duas ferramentas, já que seu Gyarados sabe o golpe Iron Head, que só pode ser ensinado à serpente marinha de Kanto por meio de um Move Tutor da versão Black/White 2.

Oitava Geração

Brilliant Diamond/Shining Pearl

Há um treinador na área do pós-jogo, Psychic Corbin, com um Banette peculiar. Para que ele ative a trapaça, precisamos vencê-lo uma vez. No rematch, seu Pokémon é capaz de utilizar o golpe Shadow Force, que é exclusivo do Giratina. Ainda que seja um erro, funciona da mesma forma que Phantom Force, golpe que o Banette realmente pode aprender.

Revisão: Juliana Paiva Zapparoli
Referências: Bulbapedia


Fã de carteirinha da franquia Pokémon desde os oito anos de idade, teve seu primeiro contato com os monstrinhos de bolso no Game Boy Color e de lá para cá, são mais de 25 anos de alegria. Fanático por vídeo-games, gostaria de poder jogar mais tempo do que trabalha.
Este texto não representa a opinião do Nintendo Blast. Somos uma comunidade de gamers aberta às visões e experiências de cada autor. Escrevemos sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0 - você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original.


Disqus
Facebook
Google