Pokémon Blast

Curiosidades sobre a segunda geração dos jogos de Pokémon

Fique por dentro de segredos, detalhes e um pouco sobre a origem das versões Gold, Silver e Crystal.


No começo dos anos 2000, não havia uma pessoa nesse planeta azul que não conhecesse Pokémon. Até minha avó, que cresceu na roça, tem um ímã de geladeira do Pikachu. A franquia estava em ascensão por conta dos jogos, brinquedos, álbum de figurinhas, brinde em regrigerantes…via-se Pokémon por todos os lados.

Aproveitando o crescimento estrondoso, no ano de 1999 foram lançadas mais duas versões para o Game Boy Color: Pokémon Gold/Silver. Os jogos apresentam a região de Johto, trazendo 100 monstrinhos novos e uma história, que mesmo sendo, de certa forma, simples, é uma das melhores da franquia até os dias atuais.

Assim como a primeira geração tem suas nuances, a segunda também esconde algumas características, e para sua sorte, separamos algumas delas. Para curtir, sugerimos ter em mãos a GS Ball, pois a viagem será direto do túnel do tempo! Boa leitura!

Abertura com professor Oak em vez do Elm

Todo jogo de Pokémon começa com a clássica cena em que o Professor da região explica sobre o que é o mundo dos Pokémon. Diferentes formas, cores, habitats, personalidades… é uma espécie de introdução para os novatos da franquia. Logo em seguida, o professor pergunta como nos identificamos e partimos para o jogo.


Nas versões Gold/Silver, o professor responsável por entregar os Pokémon iniciais aos treinadores é o Elm, tendo como foco de sua pesquisa o processo de cruzamento entre os Pokémon, que gera um ovo. No entanto, na abertura dessas versões (Crystal inclusive), não é o Professor Elm que nos recebe e sim, o Professor Oak.

Ao que tudo indica, o Professor Elm ainda não estava em seu ápice como pesquisador, e mesmo sendo o responsável pelos novos treinadores, ainda não tinha o total conhecimento do universo Pokémon para apresentar a região de Johto aos novos jogadores.

Metade dos líderes não possuem Pokémon de Johto

A região de Johto contempla a segunda geração dos monstrinhos de bolso e foi anunciada apenas seis meses após o lançamento das versões Red/Blue para Game Boy. Assim que foram lançadas as versões Gold/Silver, no ápice da franquia, oito novos ginásios foram apresentados aos jogadores.

Porém, há um detalhe em relação aos líderes que quando éramos crianças passou despercebido: não são todos os líderes que possuem Pokémon da região de Johto. Como exemplo temos Falkner, líder do tipo FLYING que tem em seu time um Pidgey e um Pidgeotto. Aqui, facilmente poderia ser um Pidgey para agradar os fãs da primeira geração e um Noctowl, esse sim de Johto.
 
O mesmo vale para Morty, do tipo GHOST, pois seu ginásio inteiro é composto apenas pela linha evolutiva do Gastly. Misdreavus manda lembranças. Apenas Whitney, Jasmine, Pryce e Clair possuem Pokémon de Johto em suas equipes, e mesmo assim não são todos: há um misto entre Pokémon de Kanto e Johto.

Gold/Silver seriam as últimas versões

Tsunekazu Ishihara, presidente da Nintendo na época, comentou sobre as versões Gold/Silver após seu lançamento no programa Iwata Asks. Veja um trecho (traduzido) do pronunciamento do presente:
"Eu trabalhei com a suposição de que depois de lançarmos Gold/Silver, meu trabalho no que dizia respeito a Pokémon estaria concluído", disse Ishihara.

"Eu não pretendia fazer mais títulos de Pokémon. Eu até pensei que uma vez que entrássemos no século XXI, seria hora de eu fazer algo completamente diferente."
Na verdade, Ishihara nem estava pensando em fazer outro jogo Pokémon mesmo quando o jogo foi lançado:
“Lembro que quando Gold Silver foram lançados, senti que um fardo finalmente foi tirado dos meus ombros”, continuou ele.

"Nós estávamos de olho na linha de chegada de Ouro e Prata por tanto tempo, e agora que finalmente completamos a série principal passando de Vermelho e Azul, eu senti que poderia dizer a Tajiri-san: "Cumpri meu dever!"
Isso pode explicar a quantidade de opções que temos, como pós-jogo grande, eventos diários, Pokédex maior e a batalha final contra Red. Já pensou se a franquia tivesse parado na segunda geração?
 

Locais na região de Kanto diferentes

Por ser uma continuação direta da primeira geração, a região de Johto foi feita para ser bem próxima, tanto que ambas estão no mesmo continente, separados apenas por uma pequena rota aquática. Após vencermos a Elite Four e seu campeão, podemos fazer um tour pela região de Kanto e desafiar (em qualquer ordem) os líderes de ginásio.
 

Ocorre que, para algumas localidades, houve uma alteração brusca no desenho, ou seja, a Viridian Forest agora não é mais uma floresta mas sim, um pequeno caminho alternado e não há mais Pokémon selvagens. O mesmo vale para a Victory Road, que foi significativamente reduzida, ainda que alguns locais sejam iguais.

Talvez, pela limitação do cartucho do Game Boy Color (ou até mesmo do console), não foi possível adaptar todos esses locais para as versões Gold/Silver, que tiveram avanços em termos de estrutura física e lógica, ocupando assim mais espaço em memória. Não se esqueça que estamos falando de um jogo lançado em 1999 no Japão…

Vantagem e Desvantagem entre os líderes

Sempre que vamos desafiar um líder de ginásio, buscamos os melhores Pokémon para isso e claro, a vantagem de tipos é o primeiro fator considerado. A franquia Pokémon possui um padrão em relação ao tema: antes de cada ginásio, nas proximidades, é possível capturar Pokémon que possuem vantagem contra a especialidade local.
 
 Agora, se cada líder resolvesse desafiar os outros, seria um bom negócio? Sim! Na região de Johto, com a exceção do Bugsy, cada líder de ginásio possui vantagem contra o próximo na ordem natural do jogo. Não entendeu? A gente explica!
 
Tipo FLYING possui vantagem contra o tipo BUG;
Tipo BUG é neutro contra o tipo NORMAL;
Tipo NORMAL é imune ao tipo GHOST, e vice-versa;
Tipo GHOST é imune ao tipo FIGHTING;
Tipo FIGHTING possui vantagem contra o tipo STEEL;
Tipo STEEL possui vantagem contra o tipo ICE;
Tipo ICE possui vantagem contra o tipo DRAGON.

Em Kanto, é justamente o contrário: o próximo tipo tem algum tipo de vantagem contra o anterior, exceção entre Blaine e Sabrina, já que suas especialidades, FIRE e PSYCHIC, são neutras entre si.

Tipos dos líderes são opostos à primeira geração

A primeira geração possui ginásios dos tipos ROCK, WATER, ELECTRIC, GRASS, POISON, PSYCHIC, FIRE e GROUND

A segunda geração possui ginásios dos tipos FLYING, BUG, NORMAL, GHOST, FIGHTING, STEEL, ICE e DRAGON.

Conforme foi dito acima sobre a relação entre os tipos, nada mais justo do que definir para os novos ginásios todos os tipos que estavam faltando, com exceção do tipo DARK. Há um tempo, antes do lançamento das versões Sword/Shield, fizemos uma matéria sobre os porquês de ainda não termos ginásios desse tipo. Contudo, bem na oitava geração recebemos esse presente. Vale a pena dar uma lida para contextualizar.
 

E faz total sentido: ter 16 dos 17 tipos existentes até aquele momento como especialidades de ginásio supriria a necessidade dos jogadores. Como o tipo DARK estava relacionado a treinadores de índole duvidosa (com exceção da Karen, membro Elite Four especialista nesse tipo), a ideia de ter um ginásio com o tipo DARK não passava pela cabeça da Game Freak na época.

Linearidade até o quarto ginásio

Antigamente, para promover ainda mais o jogo e agregar algumas coleções, os famosos detonados eram vendidos à parte e mostravam como aquele determinado jogo poderia ser completo e apresentava alguns segredos e curiosidades sobre a aventura.

Com Pokémon, isso não é diferente. As versões Gold/Silver também possuem um livrinho como este. Outro ponto forte da franquia, pelo menos até a quinta geração, era a capacidade de se jogar livremente, sem a necessidade de seguir uma história linear, passando por uma cidade após a outra.
 

Diferente da primeira geração, na qual cinco ginásios podem ser desafiados em qualquer ordem, aqui temos apenas três. Do primeiro até o quarto ginásio somos obrigados a seguir com a ordem estabelecida por conta dos eventos da história. A partir do quinto até o sétimo ginásio, podemos vencê-los em qualquer ordem.

Isso não só aumenta a dinâmica do jogo como também permite que o jogador explore lugares que apresentem desafios acima do nível atual, mas com chances de vitória. Dessa forma, não estamos amarrados a seguir a história principal e sim, de explorar a região e seus segredos.
E você, sabia de tudo isso? Algum tema lhe chamou mais a atenção? Sabe de alguma outra curiosidade e gostaria de compartilhar? Então manda ver aí embaixo nos comentários!
Revisão: Thais Santos
Referências: GameFAQs


Fã de carteirinha dos monstrinhos de bolso desde os oito anos de idade, teve seu primeiro contato com a franquia no Game Boy Color e desde então, são mais de 20 anos de alegria. Fanático por vídeo-games, gostaria de poder jogar mais tempo do que trabalha.
Este texto não representa a opinião do Nintendo Blast. Somos uma comunidade de gamers aberta às visões e experiências de cada autor. Escrevemos sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0 - você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original.


Disqus
Facebook
Google