Discussão

Metal Gear Solid: Master Collection Vol.1 (Switch): o que esperar de um eventual Volume 2 da coleção

Conheça as nossas sugestões e compartilhe as suas para a hipotética segunda coleção da Konami!

em 19/11/2023
Lançada recentemente para todas as plataformas atuais, Metal Gear Solid: Master Collection Vol.1 trouxe de volta a lendária franquia da Konami aos holofotes após anos no limbo. Apesar de alguns problemas técnicos, o resultado beira o satisfatório e compensa pelo valor histórico, como vimos em nossa análise da versão de Nintendo Switch.


Mas, considerando que nem todos os jogos da saga entraram na coletânea (além do “Volume 1” que habita em seu título), parece seguro dizer que eventualmente receberemos um Volume 2, com novos games e bônus para os fãs da saga. Assim sendo, nesta matéria, eu e o meu colega de redação Fábio/StarWritter discutimos o que esperamos dessa hipotética sequência, na esperança de que ela faça jus ao legado da amada franquia. Confira!

Metal Gear Solid: Peace Walker

Dez anos após os eventos de Metal Gear Solid 3: Snake Eater, Peace Walker emerge como ponte direta para os eventos de Metal Gear Solid V: Ground Zeroes e Metal Gear Solid V: The Phantom Pain. Além de sua grande relevância para a cronologia da série, o jogo originalmente lançado para PlayStation Portable também é até hoje um dos títulos mais elogiados da saga, sendo inclusive considerado por uma parcela dos fãs como o melhor da franquia.

Justamente por isso, a sua inclusão no hipotético Volume 2 seria muito bem-vinda. O mais interessante é que, apesar de sua natureza portátil, Peace Walker já foi adaptado para consoles de mesa por meio da HD Collection, lançada em 2011 para PlayStation 3 e Xbox 360. Logo, uma versão definitiva certamente cairia muito bem no Switch (ou em seu sucessor).

Metal Gear Solid V: The Definitive Experience

Até hoje, o desenvolvimento conturbado de Metal Gear Solid V é apontado como uma das principais causas para o rompimento das relações entre a Konami e o lendário desenvolvedor Hideo Kojima. Entre pistas sobre conteúdo cortado de última hora, problemas orçamentários e discussões relacionadas à visão criativa do gênio, o fato é que tivemos dois jogos lançados sob a alcunha do quinto capítulo: Ground Zeroes, em 2014, e The Phantom Pain, em 2015. 

O problema nisso é que, com pouco mais de uma hora de duração, Ground Zeroes funcionava quase que como uma demo paga para The Phantom Pain. O relançamento posterior The Definitive Experience redimiu (em partes) esse erro, juntando as duas experiências em um único pacote com todo o conteúdo cosmético adicional e duas missões extras. Assim, a sua inclusão em um eventual Volume 2 da coletânea certamente enriqueceria a proposta e permitiria que mais jogadores conhecessem este controverso, mas fundamental, capítulo da saga.

Metal Gear Solid 4: Guns of the Patriots

Um dos títulos mais elogiados da franquia, Guns of the Patriots permanece até hoje como um dos principais motivos para se ter um PlayStation 3 na coleção, já que, desde a sua estreia em 2008, nunca foi relançado para outra plataforma.

Bem, considerando que nem o console da Sony nem cópias originais do jogo são fáceis de achar hoje em dia (principalmente no Brasil), a inclusão de Guns of the Patriots na segunda coletânea certamente garantiria muitas vendas, especialmente dos fãs que ainda não conhecem o título e gostariam de saber o fim oficial da saga de Snake. Faça acontecer, Konami!

Metal Gear Rising: Revengeance

Se o Volume 1 teve spin-offs como a versão de NES de Metal Gear e sua sequência Snake’s Revenge, o Volume 2 poderia muito bem ousar e trazer consigo o aclamado Metal Gear Rising: Revengeance, desenvolvido em parceria com a PlatinumGames (a mesma de obras-primas como Bayonetta e Astral Chain). 

Embora seja muito mais um Hack’n’Slash do que um jogo de espionagem, Revengeance honra o legado da série de Kojima e nos faz imaginar como seria um título principal da série situado no futuro. Sua presença na segunda coletânea seria uma surpresa, claro, mas uma bem-vinda, para dizer o mínimo.

Uma segunda opinião, por Fábio/StarWritter

Meu colega de redação Fábio/StarWritter também possui grandes expectativas para o eventual Volume 2. No texto abaixo, ele compartilha sua opinião sobre qual deveria ser a abordagem da Konami.

Eu sou um fã de longa data de Metal Gear. Meu primeiro contato com a franquia foi por meio do trailer de Super Smash Bros. Brawl (Wii, 2007). De todos os personagens coloridos do trailer, Snake chamou minha atenção por ser... Diferente. Ele tinha uma aura diferente.

Depois de jogar Sons of Liberty, Snake Eater e Revengeance, eu fui arruinado. Metal Gear virou uma das minhas franquias favoritas, não só em jogos, mas em mídia (ao lado de Zelda, Mega Man e Evil Dead, por exemplo).

Com o lançamento da Master Collection, eu já comecei a ponderar quais poderiam ser os títulos nos volumes seguintes e, para o Volume 2, não penso que poderia ter melhor seleção que os dois jogos englobando o final da saga: Portable Ops e Guns of Patriots, finalmente saindo das garras do PS3. Muitos dizem que Peace Walker e V (Ground Zeroes e The Phantom Pain) deveriam ser adicionados na seleção, mas eu discordo.

Não apenas PO é uma ponte para Guns of Patriots (com cutscenes que se completam, por exemplo), mas seria mais apropriado deixar PW e V em um volume isolado, uma vez que eles são uma única narrativa: a queda final de Big Boss. Para o Volume 2, eu não apenas sugiro deixar PO e GoP mas também o jogo infinito PO+ (se VR Missions voltou com MGS1, por que não PO+?) e, da mesma forma que as abominações dos títulos de NES foram colocados como títulos bônus, eu adicionaria 3 jogos para completar: a duologia Ac!d de PSP e o fantástico Ghost Babel, um dos melhores títulos de GBC que resgata o espírito original dos jogos de MSX-2.

Em resumo: Volume 2 deve ter Portable Ops, Guns of Patriots e Ghost Babel como títulos principais, com Ac!d e Ac!d 2 como bônus. Se quiser, adicione Twin Snakes (remake de MGS1 para o GC) também, mas com mudanças para cada console e, se puder, atualize MGS3 para poder ter comandos do port de 3DS. Pro Volume 3 (e último), Peace Walker, V e Revengeance (uma seleção menor, mas considerando que os 4 jogos são pesados, faria sentido). Essa é a melhor maneira de trazer esta icônica franquia para os consoles atuais, todos os jogos disponíveis em um só lugar.

Participe você também dessa discussão!

Acima, caro leitor, você pode ver duas opiniões distintas sobre o que deveria (ou não) constar no hipotético, mas ainda assim provável, Volume 2 da Metal Gear Solid: Master Collection.

Mas e as suas sugestões? O que, para você, não deveria faltar em uma nova coleção da Konami (além, é claro, de um bom e justo desempenho técnico e preço competitivo)? Não se esqueça de deixar as suas sugestões nos comentários e até a próxima!

Coautoria: Fábio Castanho Emídio/StarWritter
Revisão: Thais Santos

é bacharel em Produção Cultural pela UFF e estudante de Comunicação Social pela FSMA. Na infância, ganhou um Super Nintendo dos pais e, desde então, nunca mais deixou o mundo dos games. Ainda sonha em ser um Mestre Pokémon.
Este texto não representa a opinião do Nintendo Blast. Somos uma comunidade de gamers aberta às visões e experiências de cada autor. Escrevemos sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0 - você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original.