Top 10

Os dez melhores jogos com temática de piratas nas plataformas Nintendo

Embarque na busca pelo tesouro relembrando os principais jogos sobre piratas.

Yohoho! Após o surgimento de diversos rumores sobre a existência de um port de Sea of Thieves para o Switch nessas últimas semanas, muitos jogadores estão ficando entusiasmados com a possibilidade de experimentar a aventura pirata, que até então era exclusiva da Microsoft, no console híbrido da Nintendo.

Seja isso verdade ou apenas um boato sem base, é interessante pensar que grandes lançamentos com a temática de piratas são relativamente incomuns na história da indústria de videogames. O conceito de navegar pelo oceano em busca de tesouros dentro de um navio pirata carrega um enorme potencial que raramente é explorado com excelência nessa mídia. Por essa razão, o Nintendo Blast resolveu relembrar os dez maiores jogos sobre piratas nas plataformas da Big N.

10 - Lego Pirates of the Caribbean: The Video Game (Wii/3DS/DS)

Jogos de Lego baseados em franquias famosas do cinema norte-americano existem aos montes por aí. Apesar da fórmula simples de Beat n’ Up não mudar quase nada de jogo para jogo, a série sempre manteve um nível satisfatório dentro da sua proposta.


Sendo assim, Lego Piratas do Caribe não é nenhuma exceção à regra. Divertido, carismático e com uma boa dose de humor, o título definitivamente possui a adaptação mais redondinha e se consagra como a melhor maneira de reviver as aventuras do capitão Jack Sparrow em um videogame.

9 - One Piece Pirate Warriors 3


Oras bolas, piratas de anime com poderes de borracha ainda continuam sendo piratas no fim do dia. One Piece Pirate Warriors 3 talvez não seja uma representação fiel do que é ser um pirata realisticamente, porém ele está longe de ser um jogo ruim. Muito pelo contrário. O título baseado no anime e mangá de sucesso até hoje é considerado pelos fãs como uma das melhores portas de entrada para conhecer o gênero de jogos Musou.

Entre seus principais destaques, Pirate Warriors 3 apresenta um número absurdo de personagens e conteúdos, além de ter a adaptação “resumida” mais completa da história do anime em formato de jogo. A gameplay é simples no começo, mas vai ficando cada vez mais dinâmica e estranhamente aditiva com o passar do tempo.

8 - Zack & Wiki: Quest for Barbaros' Treasure (Wii)


Zack & Wiki: Quest for Barbaros' Treasure é um curioso jogo de quebra-cabeças e aventura desenvolvido pela Capcom para o Nintendo Wii. A história segue Zack, um jovem pirata aspirante, e seu parceiro dourado, Wiki, um macaco voador com a habilidade de transformar objetos em ferramentas úteis.

A jogabilidade é centrada na resolução de quebra-cabeças, nos quais os jogadores usam o controle de movimento do Wii para interagir com o ambiente e transformar objetos em ferramentas únicas para superar os desafios. O sucesso em cada quebra-cabeça leva os jogadores para mais perto do tesouro lendário e desbloqueia novas áreas para explorar.

Sempre lembrado pelo seu design criativo de quebra-cabeças, Zack & Wiki: Quest for Barbaros' Treasure é praticamente um tesouro perdido e esquecido no fundo do denso catálogo de jogos do Wii. Mesmo se não puder contar com os controles de movimento, essa pérola mais do que merecia receber um remaster para a geração atual de consoles.

7 - Shonen Jump's - One Piece (GBA)


Goste ou não do anime, One Piece provavelmente já pode ser considerado a história fictícia com a temática de piratas mais popular e relevante do milênio. Dentro dos videogames também fica difícil de fugir disso, pois durante muito tempo One Piece foi a única franquia que deu origem a jogos relevantes envolvendo essa temática.

Shonen Jump’s One Piece de Game Boy Advance é o maior expoente dessa tese na minha opinião. A aventura é um jogo de ação e plataforma 2D bastante simples, porém extremamente divertido e caprichado em todas as suas vertentes. Nesse quesito ele se assemelha bastante ao excelente Dragon Ball Advance, do mesmo console.

Os sprites dos personagens são detalhados e expressivos, a parte sonora é competente, a jogabilidade é deliciosamente responsiva e as animações são eficientes em transmitir o peso de cada golpe. Tudo é entregue de forma tão competente que você até consegue relevar a eventual repetição inerente ao gênero.

6 - Shantae and the Pirate’s Curse (3DS/Switch/WiiU)


Lançado originalmente para 3DS, Shantae and the Pirate’s Curse é o terceiro jogo da carismática série de jogos de plataforma 2D da WayFoward. Neste capítulo, a heroína meio-gênio Shantae perde seus poderes de dança e, para poder derrotar um mal ainda maior, se vê obrigada a formar uma improvável aliança com sua maior inimiga, a vilã pirata Risky Boots. Unidas a contragosto, elas embarcam no navio pirata em uma nova aventura que tenta se desvencilhar dos primeiros jogos da série.

A estrutura do jogo apresenta um híbrido entre o estilo metroidvania e fases mais lineares. Ainda existem itens que nos dão novas habilidades e nos possibilitam explorar o mapa em sua totalidade. Além da jogabilidade fluída e o trabalho maravilhoso de pixel art nas animações, o grande destaque de Shantae é o seu mundinho extremamente cativante com diversos personagens carismáticos e diálogos bem humorados.

Outro ponto alto é a trilha sonora composta que não passa batido, pois cada uma delas se integra de maneira particular a cada cenário. É impossível jogar e não prestar atenção na música, parar para ouvi-la nem que seja por alguns instantes, mesmo diante de toda a ação frenética que o game proporciona em alguns momentos.

5 - Final Fantasy XII: Revenant Wings (DS)


Acredito que ninguém esperava ver um RTS de Final Fantasy numa lista de melhores jogos sobre piratas. Talvez seja estranho, mas piratas do céu também são piratas no fim do dia. Revenant Wings é a sequência direta do aclamado Final Fantasy XII (Multi). O escopo da aventura, porém, está bem menor para poder caber na telinha do DS. Só não dá pra dizer o mesmo da gameplay, que continua tentando ousar para fora da caixinha.

Estamos falando aqui de um RTS, um jogo de estratégia em tempo real no qual comandamos diversas unidades de combate com a canetinha na tela de toque do DS, que busca replicar na medida do possível um mouse de computador. A jogabilidade está longe de ser profunda e fluida como em um Warcraft (PC) da vida, mas apenas a ideia de ter um RTS funcional e acessível em um portátil já é algo extremamente interessante.

Dito isso, a história aborda a estreia de Vaan (que dessa vez realmente assume o protagonismo da trama) no comando da sua própria tripulação de piratas do céu. Após o sumiço repentino de um velho conhecido, ele parte em busca de um tesouro lendário escondido em um continente perdido de ilhas voadoras. Esqueça as densas tramas políticas do primeiro FFXII: Revenant Wings é praticamente uma aventura à parte que se leva bem menos a sério.

4 - Skies of Arcadia Legends (GC)


Por falar em piratas que navegam pelo céu em navios voadores, é claro que não poderíamos deixar de citar Skies of Arcadia Legends, a versão aprimorada de um dos JRPGs mais cultuados de todos os tempos. Apesar de ter sido um fracasso comercial, o título conseguiu criar uma legião de fãs apaixonados pela sua atmosfera encantadora, trilha sonora marcante, exploração recompensadora e um mundo extremamente detalhado.

Na trama, os jovens piratas do céu Vyse e Aika embarcam em uma jornada para encontrar os tesouros necessários para impedir o avanço de um império maligno que pode destruir o mundo. O mundo do jogo possui uma rica mitologia, personagens carismáticos e um encantador senso de aventura que consegue empolgar desde os minutos iniciais.

Existe até um sistema de batalha aérea, no qual os personagens enfrentam outros navios piratas usando canhões. Além disso, os jogadores podem recrutar membros para a tripulação, aprimorar os navios e até “pescar no céu”. Exclusivo do GameCube, Legends se tornou a melhor alternativa para experimentar a aventura por conta da qualidade de vida aprimorada, além de novas side-quests adicionais.

3 - Sid Meier's Pirates! (Wii)


Sid Meier's Pirates! é um clássico jogo de simulação e aventura que coloca os jogadores no papel de um capitão pirata em busca de fortuna e renome nos mares do Caribe durante a Era de Ouro da Pirataria. Lançado pela primeira vez para computadores em 1987 por Sid Meier, o jogo foi redesenhado e relançado com o passar dos anos em diversas plataformas até chegar ao saudoso Nintendo Wii.

Na trama, assumimos a pele de um jovem capitão cuja família foi sequestrada por um malfeitor. Para resgatar a família, você precisa acumular riquezas e ganhar reputação através de uma série de atividades piratas. Os jogadores podem explorar cidades portuárias, negociar mercadorias, caçar tesouros enterrados, saquear navios inimigos, duelar com outros capitães e até mesmo se envolver em danças sociais para conquistar o coração de nobres.

A jogabilidade oferece uma mistura de point ‘n click, estratégia, ação e elementos de RPG, com os jogadores tomando decisões que afetam diretamente o destino de seu capitão e tripulação. Dito isso, não é difícil entender o motivo de Sid Meier’s Pirates! ser considerado um dos jogos mais influentes da história. Apenas observe a complexidade de todos esses conceitos e imagine que dava pra fazer tudo isso em um título de 1987.

2 - Return to Monkey Island (Switch)


A franquia Monkey Island é uma renomada série de adventures point’ n click da LucasFilm. Os dois primeiros jogos da série entraram para a história ao revolucionar completamente o gênero de adventures, estabelecendo um padrão altíssimo de qualidade e influenciando diretamente tudo que veio após ele.

A série ficou muito conhecida graças ao seu humor irreverente, personagens memoráveis, diálogos icônicos, cliffhangers marcantes e quebra-cabeças desafiadores. Na história, acompanhamos Guybrush Threepwood, um aspirante a pirata desprovido de talento, que chega à lendária “ilha do macaco” com o objetivo de se tornar um pirata temível. Ao longo de diversos jogos, ele se envolve em uma trama com triângulos amorosos, duelos de xingamentos contra um pirata fantasma, mistérios envolvendo um suposto tesouro escondido na ilha e outras situações ainda mais malucas.

Na ausência dos dois primeiros jogos da série em plataformas da Nintendo, selecionamos Return to Monkey Island, o jogo mais recente da franquia, para representar o legado monumental da lenda da ilha do macaco.

1 - Assassin's Creed IV: Black Flag (Switch/WiiU)


Assassin’s Creed IV: Black Flag pode até não ser o melhor ou mais influente jogo dessa lista, porém ele ainda é o título que melhor transmite a sensação do que é “ser um pirata” no sentido mais tradicional e divertido da palavra.

Esqueça aquele arco narrativo presente em todo Assassin’s Creed que sempre envolve aquele papo de ficção científica e organizações conspiracionistas. Black Flag não é especial por ser um Assassin’s Creed, mas sim por ser um jogo sobre piratas que te permite realmente fazer todas as atividades que você normalmente relaciona ao conceito de pirata. Chega de batalhas por turno, navegação automatizada ou coisas do tipo. Black Flag entrega uma experiência bem mais próxima da realidade, porém sem ficar monótono ou desgastante demais.

Graças à jogabilidade imersiva, desbravar os oceanos com a sua fiel tripulação, enfrentar tempestades em alto mar, procurar tesouros escondidos, atirar com canhões em batalhas navais contra outras tripulações e saquear navios nunca foi tão divertido e dinâmico. São por essas razões que caso você seja fã ou apenas se interesse pelo tema, não há uma pedida mais completa do que Black Flag.

Revisão: Thais Santos

Estudante de jornalismo que não vê a hora de achar um estágio. Apaixonado por videogames e esperando o fim de Hunter x Hunter e Berserk desde que me entendo por gente.
Este texto não representa a opinião do Nintendo Blast. Somos uma comunidade de gamers aberta às visões e experiências de cada autor. Escrevemos sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0 - você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original.


Disqus
Facebook
Google