Pokémon Blast

Cartas na Mesa: análise da expansão Força Fantasma do TCG de Pokémon

Depois de três expansões, conheçamos os perigos que se escondem nos corredores sombrios da mais recente coleção do TCG de Pokémon

Treinadores e treinadoras que preferem o papel ao invés das telinhas, sejam bem-vindos ao Cartas na Mesa, nossa coluna dedicada ao cenário das Estampas Ilustradas de Pokémon! Após três expansões, uma mais forte do que a outra, chegamos na quarta coletânea da era XY com Força Fantasma, que tem como capa o poderoso Mega Gengar. Será que ela é tão forte quanto suas antecessoras? Vamos descobrir nessa análise!

Um exército de poucos soldados

Diferente das expansões anteriores, são poucas as cartas comuns de Pokémon que são realmente notáveis para o competitivo e tenham potencial. Por exemplo, temos Yanma e Yanmega, onde o último tem um ataque que permite devolver sua mão ao baralho e sacar seis novos cards. É uma boa forma de reverter aqueles saques mortos, mas até evoluir para Yanmega, pode ser tarde demais.

Talonflame, junto de sua família, se mostra bem ofensivo e frágil, bem como sua versão nos jogos. Seu ataque mais potente causa 120 de dano em troca de receber 40 a mais no turno seguinte do adversário. Litleo e Pyroar tem menos notoriedade que suas versões anteriores, mas também tem seus méritos; a habilidade de Pyroar permite que, ao descartar uma Energia de Fogo, você possa trocar o Pokémon Ativo do oponente por um do banco, quebrando seu ritmo e permitindo ataques oportunos.

Dentre os aquáticos, a família de Totodile, Croconaw e Feraligatr se mostram extremamente capazes. Em sua forma final, seu ataque primário bate 60 pontos, mas permite jogar moedas até dar coroa, e cada cara irá deduzir uma energia do alvo. Além disso, o segundo golpe atinge com poderosos 160 pontos se o adversário já tiver algum contador de dano, se tornando um excelente ataque para concluir embates.

Joltik e Galvantula se destacam dentre os elétricos com a capacidade de trocar o Pokémon Ativo do oponente por um do banco e deixar o novo atacante Confuso logo de cara, enquanto seu ataque secundário o impede de trocar. A família de morcegos Zubat, Golbat e Crobat são especialistas em causar dano em Pokémon do banco, colocando contadores de dano até quando entram em campo, facilitando nocautes de seus outros Pokémon.

Litwick, Lampent e Chandelure se destacam pela forma final, que pode distribuir 60 pontos de dano da maneira que quiser nos Pokémon do oponente e, caso seja nocauteado, deve-se jogar uma moeda; se o resultado for cara, o adversário cai junto. Contra um EX, isso se mostra muito bom, já que você perderá uma Carta Prêmio, e o oponente duas. Gligar e Gliscor são peculiares por uma “trava” que podem impor em seus oponentes, batendo com uma única energia lutadora com 20 pontos, mas incapacitando o adversário de colocar energias no Pokémon Defensor. Combinado com as táticas de Punhos Furiosos, desnecessário dizer o potencial que esse tipo de ataque pode ter.

Spiritomb pode parecer um Pokémon simples, mas seu primeiro ataque é capaz de impedir o adversário de evoluir o Pokémon Defensor no turno seguinte. Como a evolução é uma forma viável de se livrar de condições negativas, e a Mega Evolução também é uma evolução, essa trava combina com táticas como a de Hypnotoxic Laser. O fato do ataque usar uma única Energia Incolor a torna fácil de encaixar em qualquer baralho do gênero, da mesma forma que Seismitoad-EX faz.

Os Pokémon de metal ganharam uma nova luz e podem voltar aos campeonatos graças a certas adições dessa expansão. Bronzor e Bronzong são os principais responsáveis por isso, com a habilidade do último de poder, uma vez ao turno, ligar uma energia metálica da sua pilha de descarte a um de seus Pokémon. Essa reciclagem se prova útil em vários Pokémon, mas de imediato temos o exemplo de Heatran, Pokémon Básico que pode fazer estrago com relativa rapidez. Seu ataque mais potente atinge com 130 pontos, mas exige descartar uma energia do usuário, e esse empecilho é driblado com a ajuda de Bronzong. Muitos combos como esse podem acontecer graças a reciclagem.

Diancie é aquele tipo de carta feita para ganhar tempo, com o primeiro ataque dando uma chance de 50/50 de não receber dano algum de golpes do oponente, e o segundo curando em 30 pontos todos seus Pokémon do tipo fada enquanto bate 60. Já os dragões estão bem representados com Deino, Zweilous e Hydreigon, onde o último possui uma habilidade que recicla energias sombrias da mesma forma que Bronzong. Isso combina com seu ataque, que bate 130 mas precisa descartar uma energia qualquer do dragão. Com o ciclo, tem uma fonte constante de pancadas fortes!

Por fim, temos Regigigas como um belo representante dos Pokémon Incolores. Além de ter dois golpes que batem forte, com 80 e 100 de dano, o primeiro ainda reduz o dano recebido pelo adversário no turno seguinte em 40 pontos. O fato de qualquer energia poder carregar seus golpes é apenas a cereja do bolo, podendo encaixá-lo em virtualmente qualquer baralho. Só atente ao pesado custo de recuo!

Espíritos Conectados

A área dos Itens dá as caras com algumas novidades por aqui. Antes de falar sobre os mais gerais, quero atentar a um novo tipo de equipamento que chega a partir dessa expansão: os Spirit Links. Como sabem, para acionar uma Mega Evolução nas Estampas Ilustradas, é preciso encerrar o turno sem atacar. Contudo, se o Pokémon-EX estiver equipado com seu respectivo Spirit Link, esse atraso não acontece. Nesta coleção, os Spirit Links disponíveis são Gengar Spirit Link e Manectric Spirit Link.

Agora sim, vamos para os Itens gerais. Battle Compressor permite descartar três cartas do seu baralho, o que pode parecer inútil, mas é muito viável em estratégias que recorrem a recursos na pilha de descarte (como energias metálicas para Brozong). Robo Substitute serve como um Pokémon com 30 PS, servindo para tomar uma pancada e ganhar tempo para formular suas táticas. VS Seeker recebeu um reprint nessa expansão, sendo uma carta ótima para recuperar uma carta de Apoiador da pilha de descarte para a mão.

Duas cartas muito interessantes que surgiram agora com a alcunha “Team Flare Hyper Gear” são os equipamentos Head Ringer e Jamming Net. Suas características únicas são que devem ser equipados nos Pokémon do adversário, e isso o impede de usar seus próprios itens, além de ter de arcar com certos efeitos ruins. Head Ringer faz com que o usuário precise de uma Energia Incolor a mais para disparar seus ataques, enquanto Jamming Net reduz os danos causados pelo usuário em 20 pontos.

Migrando para os Estádios, temos apenas dois, mas ambos com efeitos muito úteis. Steel Shelter impede que qualquer Pokémon do tipo Steel seja afetado por condições negativas, o que simplesmente desliga estratégias e baralhos como os de Hypnotoxic Laser. Já Dimension Valley conta com um efeito ainda mais mortífero: reduz o custo dos ataques de seus Pokémon Psychic por uma Energia Incolor. Isso dá uma grande aceleração a diversas táticas, exigindo menos recursos para colocar em prática combinações devastadoras.

Por fim temos os Apoiadores, mas dentre reprints e novidades, apenas dois realmente merecem destaque. O primeiro é Lysandre’s Trump Card, que além de ter uma arte completa incrível, pode virar todo o ritmo de uma partida. Quando jogada, ambos os jogadores devolvem suas pilhas de descarte ao baralho e o embaralham, assim recriando as possibilidades de saque do início da partida. Isso também beneficia o oponente em certas condições, mas ainda assim pode salvar sua pele se os seus melhores itens e Pokémon já se foram. Funciona bem com certos motores de saque.

A última é Xerosic, o cientista maluco da Team Flare. Essa carta pode remover qualquer item equipado ou Energia Especial em campo e colocá-la na pilha de descarte, seja sua ou do oponente. Enquanto subestimado, esse efeito pode salvar muito espaço em seu baralho, podendo fazer o papel de Tool Retriever (para desequipar seus Pokémon), Enhanced Hammer (para eliminar Energias Especiais) ou Startling Megaphone (obliterando equipamentos do oponente), dependendo somente da situação. Depende mais se o seu baralho precisa ou não disso.

Ah sim! Antes que me esqueça, uma nova Energia Especial se junta ao grupo: Mystery Energy. Dedicada aos Psychic-types, seu efeito tem uma forte sinergia com o estilo de jogo desses Pokémon. Quando equipada, o custo de recuo do Pokémon é reduzido em duas energias. Isso facilita muito as táticas de bater-e-correr que predominam nos ardilosos psíquicos, fantasmas e venenosos que permeiam a cor roxa das Estampas Ilustradas, e vocês verão isso ainda mais em breve.

Terror EXtracorpóreo

E então chegamos em uma das partes favoritas de vocês: a análise dos Pokémon-EX da coleção. A elite dos Pokémon da expansão Força Fantasma começa com Florges-EX, que é uma pequena decepção. Seu primeiro golpe é útil, buscando uma carta de Apoiador do baralho para a mão ao custo de uma única energia, mas existem métodos mais simples de fazê-lo. O segundo golpe exige apenas duas energias e pode bater um máximo de 120 (20 vezes o número de Fairy ou Grass Pokémon em seu controle), mas é situacional e limita suas opções de baralho se quiser usar ao máximo. Poderia ser melhor.

Malamar-EX foi uma agradável surpresa. Sempre que acoplar uma energia no molusco malévolo, sua habilidade irá se ativar, induzindo o adversário a ficar Adormecido. Essas energias ainda compensam em seu ataque; com custo de duas energias, deve-se jogar uma moeda para cada energia ligada a ele, e o número de caras é multiplicado por 60 para calcular o dano. Com três caras, é possível exterminar a maioria dos Pokémon-EX do jogo, então é realmente impressionante, mas muito dependente de sorte. Se quiser maximizar suas possibilidades, terá de colocar muitos de seus recursos nele.

Aegislash-EX é uma máquina de matar. Não digo isso pelo fato de seu golpe bater 40 e mais 20 para cada energia metálica ligada a ele, mas sim pela sua habilidade: nenhum Pokémon com uma Energia Especial ligada pode causar dano nele. Esse potencial semi-ilimitado de dano e a capacidade de se defender contra a grande maioria do metagame (especialmente com a onipresença de Dupla Energia Incolor, Energia de Plasma, Strong Energy e afins) pode quebrar completamente o ritmo do oponente, e é algo a se ter em mente como opção para seu baralho ou para a possibilidade de enfrentá-lo.

Dialga-EX é outro metálico que impressiona. Seu primeiro golpe, além de bater 60 pontos, impede o adversário de atacar no turno seguinte se for um Pokémon-EX, e isso pode congelar táticas de seus inimigos por tempo indeterminado. Além disso, se a coisa ficar apertada, seu segundo golpe bate ostentosos 150 pontos em troca de descartar duas energias metálicas de Dialga-EX. Com Bronzong, é possível contornar um pouco desse efeito, o que endossa a sinergia dos Pokémon de metal dessa expansão.

Manectric-EX é muito competente no que faz. Seu primeiro ataque não impressiona muito, batendo 20 no Pokémon Defensor e em um dos no banco, mas o segundo compensa; com apenas duas energias de custo, ele bate 60, mas o valor dobra se o inimigo estiver com um item equipado. Ao mesmo tempo que há uma predominância de certos itens no metagame, você mesmo pode equipar o adversário com suas cartas do Team Flare que falamos anteriormente. Isso irá garantir 120 de dano por pouco gasto!

E por fim temos Gengar-EX, o fantasma mais famoso do jogo. Seu primeiro golpe permite colocar três contadores de dano em um Pokémon do inimigo, tudo pelo custo de uma só energia, mas não é por isso que ele é famoso. Seu segundo ataque, com custo reduzido de Dimension Valley, bate 60, deixa o inimigo envenenado e recua Gengar-EX para o banco. Isso abre espaço para colocar algo que vá piorar as condições do oponente, como Dragalge da coleção Flash de Fogo, ou Trevenant da XY, travando o inimigo com o veneno corrente. Combine com Virbank City Gym para efeitos ainda mais devastadores, e tudo sem correr o risco de perder seu querido Gengar-EX!

Mega Arrependido?

Agora indo para as Mega Evoluções e seus M Pokémon-EX, ouso dizer que essa coletânea foi ambígua para essa vertente do TCG. Enquanto os Spirit Links são muito úteis para não perder tempo, as duas Megas da expansão podem sentir falta de seus golpes como meros Pokémon-EX, deixando no ar a dúvida se deveriam ou não Mega Evoluir. Para evitar isso, é possível tentar rodar um Celebi-EX no baralho, dando acesso aos golpes antigos com sua habilidade. Sem mais delongas, vamos a eles!

M Manectric-EX é a bateria de seu time. Duas energias para 110 de dano compensa bastante, mas o principal motivo para usá-lo é sua capacidade de energizar seus colegas de time; a cada vez que o golpe for usado, poderá resgatar duas Energias Básicas de sua pilha de descarte e acoplar em um de seus parceiros no banco. Além do dano consistente, é uma forma viável de recuperar energias sem precisar de Itens e Apoiadores, mas pode sentir falta dos 120 que batia antes (ou não).

Para finalizar, M Gengar-EX não é a capa de Força Fantasma sem motivos. Seu ataque permite que ele use qualquer Pokémon do oponente, seja o Ativo ou no banco, e use-o ignorando as condições necessárias (como custo de energia). Esse ataque é uma faca de dois gumes; contra adversários como Yveltal-EX, a pancada pode ser violenta, mas o golpe vai contra a tática original de bater-e-correr que Gengar-EX fora criado para usar. Por isso, considere M Gengar-EX um trunfo a ser usado somente na hora certa, e assim tirará máximo proveito da força do fantasma.
Assim concluímos mais uma análise de expansão das Estampas Ilustradas de Pokémon. O que achou da coletânea Força Fantasma? Mais forte que as anteriores? Aliviado ou decepcionado com alguns efeitos? Que carta quer ver na próxima? Compartilhe conosco e fique ligado para mais Cartas na Mesa!
Capa: Ana Carolina Rocha
Fellipe Camarossi é graduando em Ciências Contábeis e amante de uma boa discussão sobre videogames. Além de escrever para o Nintendo Blast, também é redator nas revistas Nintendo World e EGW. Para elogios e críticas, pode encontrá-lo no Facebook ou Twitter.

Comentários

Fórum
Google+
Facebook


Últimas do Fórum

Ver mais

No Facebook

Ver mais