Discussão

E se Metroid Prime: Federation Force (3DS) for um jogo bom?

Criticado por uma legião de fãs e defendido pela Nintendo, quais possibilidades restam a este spin-off?

Ok, eu também acho que a Nintendo forçou a barra em sua relação com os fãs de Metroid ao anunciar Metroid Prime: Federation Force (3DS). Era óbvio que, depois de Metroid: Other M (Wii), a Big N precisava se reconciliar com os jogadores da franquia através de um título menos polêmico do que um spin-off que sequer estrela a caçadora Samus Aran. Mas e se houver algo de positivo em Federation Force? Ele com certeza não é o Metroid Prime que a gente queria, mas, como disse Reggie Fils-Aime, talvez devamos jogar o jogo antes de julgá-lo.

Primes e não Primes

Antes de tudo, precisamos lembrar de algumas coisas para avaliar se Federation Force (eu também prefiro me referir ao jogo sem "Metroid Prime" no início) deveria ou não estar sendo desenvolvido. A primeira coisa que devemos nos lembrar é que o título não está sendo desenvolvido pela Retro Studios. Apesar de a desenvolvedora ser a principal responsável pela trilogia Prime, spin-offs dessa subsérie, como Metroid Prime Hunters (DS), já foram desenvolvidos por empresas diferentes. E quem está cumprindo esse papel agora é a desenvolvedora canadense Next Level Games, seguindo mais uma vez a tradição de manter a série Metroid Prime nas mãos de estúdios ocidentais.
Em segundo lugar, também é preciso dizer que a série Metroid Prime é quase que totalmente independente da franquia Metroid tradicional. Por mais que haja um controle da Nintendo sob o ritmo de lançamento de jogos da série Metroid no geral, os títulos bidimensionais são tocados por desenvolvedores e estúdios japoneses, como o Nintendo Research & Development 1. De maneira geral, Federation Force não atrapalha diretamente o desenvolvimento de um Metroid Prime pela Retro Studios nem de um Metroid 2D pela Nintendo japonesa.

Metroid fofinho?

Logo que vimos Federation Force, percebemos o quão cartunescos e coloridos são seus visuais. E essa não parece ter sido uma escolha para adequar-se ao hardware do 3DS, uma vez que Metroid Prime Hunters já havia adaptado muito bem a mecânica de Metroid Prime para o DS com todo o seu realismo e obscuridade. Ou seja, os visuais de Federation Force foram escolhidos muito mais pela direção que queriam dar ao jogo do que pelas capacidades do portátil. O modo Blast Ball, por exemplo, não se encaixaria bem com os gráficos obscuros da série.
A nova cara de Metroid
Mas será que é interessante termos um Metroid colorido e cartunesco? Tudo bem que The Legend of Zelda: Wind Waker (GC) é um argumento a favor para dar uma chance a qualquer tentativa de cel-shading, mas será que o aspecto obscuro de Metroid não é estritamente necessário para construir sua tradicional atmosfera? Bom, dê uma olhada na imagem conceitual abaixo. Trata-se de uma arte que vazou sobre um Metroid no qual a Next Level Games trabalhava. Apesar de Federation Force não ter como protagonista Samus, é quase certo que essa arte ajudou a construir o estilo gráfico do jogo.
Serão verdadeiras as imagens que vazaram de um projeto da Next Level Games sobre Metroid?
À primeira vista, esse conceito visual lhe pareceu ruim? Pessoalmente, eu gostaria de ver um Metroid nesse estilo. E talvez não tenha sido a primeira vez que vimos um Metroid tão colorido. Metroid Fusion (GBA) e Metroid: Zero Mission (GBA), por exemplo, utilizaram uma paleta de cores muito diferente da de Super Metroid (SNES). Então, qual seria o aspecto visual problemático de Federation Force?
Parece que as cores mais vivas não são o problema, certo?
O problema não são as cores do jogo, mas seu aspecto cartunesco. Em Metroid Prime 2: Echoes (GC), há um flashback que mostra uma operação da Galactic Federation no planeta Aether. Momentos como este poderiam ser muito bem retratados em um spin-off de Metroid, pois são voltados para a exploração de cenários alienígenas sombrios. Mas dá para imaginar os soldados de Federation Force vivendo aquele contato mortal com as criaturas Ing em Aether? Sinceramente, quatro soldados cabeçudos à la Power Ranger definitivamente não são o mesmo tipo de força militar que vimos em Prime 2 e Metroid Prime 3: Corruption (Wii).

Como poderia ser bom

Se as missões da Galactic Federation têm tudo para merecerem um spin-off de Metroid, mas não poderiam ser vividas pelos agentes cartunescos de Federation Force, então o que poderia ter de bom nesse jogo? Até então, o máximo que Federation Force poderia ser é um jogo bom, porém que não precisaria do título "Metroid" — algo semelhante a Other M. De fato, um FPS cooperativo é algo que falta no 3DS.


Porém, vamos um pouco além, pensando agora na série Metroid mesmo. Numa recente entrevista, o produtor de Metroid Prime, Kensuke Tanabe, falou de suas ideias para um "Metroid Prime 4". Apesar de as palavras do produtor confirmarem as suspeitas dos fãs sobre o fim de Corruption, o jogo está longe de ser lançado. Segundo ele, se o desenvolvimento começasse agora, o título fatalmente iria cair no NX, e não no Wii U.

Apesar de as esperanças de ver um Metroid Prime tradicional no Wii U terem sido reduzidas a zero, vamos pensar no seguinte: Corruption foi lançado para o Wii em 2007. Atualmente, um novo Metroid Prime seria lançado para um console no mínimo duas gerações à frente do Wii e cerca de uma década depois! Embora Metroid tenha um público fiel, é difícil apostar numa sequência depois de tanto tempo. Dessa forma, é preciso reacender a chama por Metroid, e um título spin-off por vezes é uma aposta menos arriscada e mais barata para preparar o público para um próximo jogo da linha principal.

Universo em expansão

Embora muito menos acessível do que Hyrule ou o Reino do Cogumelo, o mundo de Metroid é um dos mais complexos da ficção científica. Há vários planetas, organizações espaciais, criaturas hostis e ambientes diversificados. Esse rico universo, porém, está fragmentado em jogos que, embora estejam disponíveis no eShop do 3DS e Wii U, exigiriam dezenas de horas de jogatina para ser compreendido. O que Federation Force pode fazer é introduzir as pessoas ao universo de Metroid de uma forma menos comprometida — embora eu ache que a perda do aspecto obscuro possa fazer muito mal a um primeiro contato com a franquia.
Conseguirá esse shooter reaproximar jogadores da franquia?
Se a Next Level Games aproveitar, nas missões de Federation Force, os cenários, criaturas, tecnologias e itens que a série Metroid construiu em cada um de seus jogos, ele será um título digno de ser explorado pelos fãs da franquia e uma boa introdução à série. Seria uma maneira razoável de resumir três décadas de aventuras espaciais e, de quebra, com uma jogabilidade interessante. Se Nintendo Land (Wii U) conseguiu fazer isso de uma maneira ainda mais infantil, então esse é o mínimo que Federation Force pode fazer.
Ou será ele responsável por competir pelos jogadores de FIFA e PES?
Como o próprio produtor afirmou na mesma entrevista, "seria uma boa ideia lançar um jogo como Federation Force para relembrar o papel dela [Galactic Federation] antes de seguir nessa direção". De fato, o papel mais ativo da Galactic Federation foi construído quase que exclusivamente pela série Metroid Prime, o que poderia afastar jogadores dos Metroids bidimensionais de um novo Prime. Até quem acompanhou a trilogia Prime deve ter curiosidade sobre as missões e operações da federação não relacionadas a Samus. Afinal, a galáxia é muito maior do que nossa caçadora de recompensa.

Novos horizontes espaciais

Em suma, Federation Force pode ser bom por dois motivos: O primeiro compreende sua jogabilidade, ritmo e recursos utilizados na mecânica de jogo. Já o segundo motivo diz respeito à sua relação com a série Metroid. Se ele conseguir reencantar jogadores pelo universo da série, poderá ser um bom prelúdio de um capítulo definitivo na história da franquia.
Será que faria melhor ao jogo ter os soldados assim representados?
Por outro lado, o aspecto cartunesco pode estragar intrinsecamente o feelling do jogo, e a longa demora pelo próximo Metroid pode também fazer o “prelúdio” de Federation Force ir por água abaixo. Felizmente, tudo indica que o jogo foi simplesmente anunciado na hora errada (afinal, a série é comercialmente amaldiçoada há anos). Por exemplo, já tivemos dois spin-offs de Metroid que não geraram uma reação tão negativa nos fãs. Só precisamos lembrar que, na época de Metroid Prime Hunters (DS) e Metroid Prime Pinball (DS), a franquia estava em plena expansão, com os jogos principais da trilogia Prime alcançando prêmios e vendas formidáveis.
Revisão: Vitor Tibério
Capa: Ana Carolina
Rafael Neves é estudante de psicologia na UFBA e planeja ingressar no mundo da literatura como escritor. A paixão por videogames e a vontade de escrever unem-se na experiência como jornalista do ramo. Também trabalha em sua HQ virtual. Encontre-o no Facebook.

Comentários

Fórum
Google+
Facebook


Últimas do Fórum

Ver mais

No Facebook

Ver mais