Blast from the Past

O início da maior colheita dos games em Harvest Moon (SNES)

O primeiro título da série mostrou ao mundo como a simplicidade da vida no campo poderia se transformar em uma franquia de sucesso.



Como todo fazendeiro bem sabe, é preciso trabalhar muito para alcançar os objetivos. A colheita de nada vale sem que antes seja plantada a primeira semente, e foi justamente Harvest Moon (SNES) quem deu o primeiro passo para a geração dos frutos que a franquia, passados mais de 20 anos, representa hoje na indústria. Ao trazer o estilo e a vida do campo para dentro dos videogames, o criador Yasushiro Wada mal sabia como a simplicidade poderia ser tão viciante.


Em 1996, bem antes do boom das redes sociais, do sucesso dos jogos Colheita Feliz e FarmVille e do surgimento de títulos indies, como Stardew Valley (Multi), a experiência de jogar algo com temática rural era praticamente nula. O próprio SNES já abria espaço para o lançamento do N64 quando o primeiro Bokujo Monogatari (História da Fazenda) foi lançado no Japão, pela Natsume, para o console 16-bits da Nintendo. Crescido no campo, Wada desenvolveu um tipo de simulador em que era possível plantar, criar animais e até mesmo desenvolver relacionamentos em uma pequena comunidade. No ano seguinte, o jogo chegou aos EUA com o nome Harvest Moon.

A vida no campo

No título original de SNES, assumimos o papel de um garoto que recebe do avô a responsabilidade de tornar a fazenda produtiva novamente. Para isso, é preciso gerenciar o tempo entre as várias atividades disponíveis, que simulam de maneira realista a vida no campo. As sementes plantadas precisam de irrigação diária para crescer e permitir a colheita no futuro, assim como os animais, que devem receber comida uma vez por dia para manter o fornecimento de alimentos, como ovos e leite.

A rotina do campo simulada nos videogames. Harvest Moon iniciou um ciclo que rende frutos até hoje na franquia
E não para por aí: enquanto as galinhas contentam-se com a ração, as vacas precisam de um carinho especial e escovação para manterem-se saudáveis. Caso não sejam tratadas adequadamente, podem ficar doentes e até mesmo morrer. O período noturno também traz perigos, entre eles o ataque de cães selvagens à fazenda, que comerão as galinhas caso estas não tenham sido recolhidas no final da tarde.

Harvest Moon oferece um ciclo de pouco mais de dois anos — inclusive com mudanças de estação — para que o jogador consiga reerguer a fazenda. Além do trabalho com animais e colheitas, também é possível estocar mantimentos, como comida e lenha, para suportar os períodos de seca e frio, e até mesmo vendê-los para aprimorar as ferramentas de trabalho (irrigadores, machados, foices, sementes e vários outros). As regiões exploráveis também incluem florestas e montanhas para a coleta de recursos.

Cada estação dura trinta dias no jogo, alterando tanto a paisagem quanto a jogabilidade na colheita e criação de animais

Interação social

Um elemento que se tornaria marca registrada na série foi a possibilidade de relacionar-se com os personagens, ampliando a jogabilidade para além dos trabalhos na fazenda. Ao chegar à pequena cidade repleta de moradores, é possível interagir com eles e iniciar missões secundárias, muitas delas acontecendo em certas épocas do ano, quando a população vivencia desastres ambientais ou se prepara para festivais da colheita.

Entre ajudas prestadas e confraternizações, conhecemos garotas que podem chegar a ter um relacionamento mais sério com o protagonista. Porém conquistá-las dará mais trabalho que os próprios afazeres da vida rural. Cada uma delas (Ann, Ellen, Eve, Maria e Nina) possui uma rotina e gostos diferentes. Cabe a você descobrir que tipo de presente as agrada ou desagrada, bem como saber em qual lugar da cidade elas estarão no período da noite.
Você vai passar um bom tempo tentando agradar as garotas em Harvest Moon, cada uma com seus próprios gostos e comportamentos

Nina, a filha da dona da loja de flores, por exemplo, ama a natureza e irá odiá-lo caso você a entregue uma flor selvagem. Por outro lado, ela adora os bolos que são vendidos na confeitaria a um preço bem salgado. Quem disse que seria fácil bancar o fazendeiro galanteador? Apesar de ter a chance de dançar com as garotas nas noites de festival, o jogo pode penalizá-lo caso se esqueça de terminar o trabalho na fazenda antes de se dirigir à cidade. Grandes poderes trazem grandes responsabilidades.

Simplicidade acima de tudo

A mecânica usada em Harvest Moon para entreter o jogador é extremamente viciante. A câmera superior, ao estilo The Legend of Zelda: a Link to the Past (SNES), torna fácil a movimentação e interação com os elementos do jogo. Os gráficos bem trabalhados representam de forma natural as construções e personagens, sobretudo as mudanças climáticas em cada estação do ano.

Simplicidade é o que não falta e em pouco tempo de jogo estamos inseridos na vida rural
No dia a dia de trabalho — 30 por estação — nos esforçamos mais para melhorar a produtividade, a receita financeira, ampliar a fazenda e saber se nossa pretendente ficará feliz em nos ver no dia seguinte. Em pouco tempo de jogo, já estamos completamente inseridos na rotina rural e viagens ao vilarejo para interagir com os moradores e, claro, com as garotas, sem elementos que tornem a jogabilidade complexa ou entediante.

O grande mérito do título foi mesclar de forma competente aspectos dos RPGs com um simulador de relacionamentos. Tudo é feito de modo progressivo e essa interação pode render inclusive um casamento e o nascimento de crianças, fatores que mudam completamente a rotina do jogador. Por ser o primeiro Harvest Moon, o jogo de SNES possui um valor imprescindível por inaugurar mecânicas inovadoras que foram responsáveis pelo sucesso da série ao longo dos anos.

O sistema de relacionamentos permitia casar-se e ter filhos, mudando repentinamente a jogabilidde
Sem pretensão de ser um grande título a fazer frente a franquias consagradas nos anos 1990, o jogo conseguiu seu espaço justamente naquilo que se propôs a oferecer: diversão e simplicidade. A sensação de leveza ao se jogar Harvest Moon e poder reviver a história para conhecer o enredo de acordo com a garota escolhida rendem boas horas de jogatina e tornam a colheita, a criação de animais e demais trabalhos da fazenda em algo realmente prazeroso.

Sinta-se mais que bem-vindo a Harvest Moon!
Além da versão original de SNES, Harvest Moon foi relançado para o Satellaview — acessório que permitia baixar conteúdo online para o SNES — com conteúdos extras e também nas lojas Virtual Console do Wii e Wii U. Mesmo após 21 anos de seu lançamento, o título envelheceu muito bem com todo seu charme da era 16-bits. Uma ótima pedida para nostálgicos e para quem ainda não teve a oportunidade de conhecer o primeiro jogo da franquia.

Revisão: Luigi Santana
Renan Rossi é jornalista formado pela USC e aficionado pela história dos videogames e como cada pequeno acontecimento culminou nessa cultura incrível que vivemos hoje. Quando não escreve, viaja por Hyrule, toca umas ocarinas com a galera, procura adversários em Mario Kart, defende o Charizard nas rodas de conversa e acredita que já está na hora de Bowser, o melhor vilão de todos os tempos, ter o seu próprio jogo.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook