Perfil

Perfil: Dry Bones (Mario)

em 21/09/2011

Quando o assunto são os jogos da série Super Mario, por acaso você logo pensa em criaturinhas felizes e simpáticas em mundos coloridos e ... (por Daniel Moisés em 21/09/2011, via Nintendo Blast)

Quando o assunto são os jogos da série Super Mario, por acaso você logo pensa em criaturinhas felizes e simpáticas em mundos coloridos e inocentes? Nesse caso, talvez você devesse olhar para um lado mais obscuro da série. Um lado onde seres mortos-vivos caminham por entre as penumbras, Perfil: Dry Bonesem busca de vingança e mais difíceis de serem exterminados do que os zumbis de Resident Evil. Achou estranho? Pois estou falando sobre o Dry Bones, um inimigo que já apareceu em diversos jogos da série e que não é nada mais nada menos do que os restos ósseos de um Koopa Troopa. Continue lendo para conhecer um pouco mais sobre este esqueleto ambulante e a sua famosa habilidade de se regenerar instantaneamente.

Mario parou na entrada da pequena construção de pedra, sem nenhuma grande preocupação. Não esperava encontrar naquele lugar nada diferente dos desafios pelos quais já passara... desafios estes que, modéstia a parte, não haviam sido poucos. Acomodou o boné vermelho na cabeça, passou os dedos pelo bigode – sistematicamente penteado em seis ondulações igualmente espaçadas, debaixo do avantajado nariz – e adentrou a fortaleza.

De fato, nada ali era novidade: um lugar escuro, cheio de buracos com lava e bolas de fogo. Perigoso, sim, mas o destemido encanador já passara por muitos lugares como aquele em outras aventuras e seria capaz de chegar até a saída com os olhos fechados... pelo menos, era o que pensava. Mal sabia o herói que uma criatura como nunca antes vira o aguardava não muito adiante dali.Um Koopa Troopa morto-vivo!

Quando o viu pela primeira vez, a surpresa foi inevitável. Embora fosse muito parecido a um Koopa Troopa – inimigo com o qual já estava mais do que acostumado - , este novo ser tinha algo de diferente. Algo de aterrorizante. Era, também, uma tartaruga, mas seu corpo era completamente pálido. No lugar dos olhos, dois grandes buracos vazios. E vinha caminhando em sua direção. Podendo agora analisar a criatura mais de perto, percebeu que, no fim das contas, aquilo era sim um Koopa Troopa. Mas apenas o seu esqueleto. Ossos que, de alguma forma inexplicável, se mexiam como se ainda estivessem cheios de vida. Seria aquele ser morto-vivo algum Koopa Troopa que um dia cruzara – desafortunadamente – o caminho do encanador? E que agora era movido pela sede de vingança?

Mario se forçou a recobrar o raciocínio. Ora bolas, era apenas mais um inimigo. Se Koopa Troopas não resistiam ao poderoso impacto de seu pulo, o mesmo deveria valer para esta versão esquelética e visivelmente mais frágil da tartaruga. Com nova confiança, o encanador tomou impulso, saltou o mais alto que pôde, mirou o alvo sob seus pés e se jogou com toda força sobre o esqueleto. Como havia imaginado, a criatura não foi párea para a sola de seus sapatos somados à força da gravidade e ao peso de um corpo rechonchudo. Ossos se espalharam por todas as partes, um resultado com o qual Mario não estava acostumado ao pisotear seus inimigos, mas que era de se esperar. Tendo pondo um fim ao caminhar incessante daquelas patas esqueléticas, Mario se preparou para prosseguir seu caminho e atravessar a pequena porta que o levaria para partes mais profundas da fortaleza. Logo antes de girar a maçaneta, entretanto, ouviu um barulho. Um barulho baixo, mas curioso, como pequenos pedaços de madeira batendo uns nos outros. Pedaços de madeira ou... ossos. Virou lentamente a cabeça para o sentido oposto e o que viu fez arrepios percorrerem o seu corpo. Os ossos daquele esqueleto de Koopa Troopa, que haviam sido jogados para diferentes direções, agora estavam flutuando, se mexendo e se juntando novamente, recobrando mais uma vez a forma da criatura. Poucos segundos depois, lá estava ela, totalmente recuperada, caminhando outra vez, como se nada houvesse acontecido.

Não se deixe enganar...

Mario percebeu que havia subestimado aquele esqueleto, mas não desistiria tão fácil. Seu pulo talvez não fosse o suficiente para pôr um fim definitivo àquele monte de ossos, mas tinha um segundo plano que com certeza não falharia. A apenas um salto de distância dali, um bloco com uma interrogação estampada flutuava no ar, simplesmente aguardando ser golpeado para revelar o item que carregava em seu interior. Pela sua experiência, Mario seria capaz de apostar que sabia qual item era este. Afastou-se temporariamente do inimigo insistente, se posicionou sob o bloco, pulou e o golpeou por baixo. O item que surgiu sobre o bloco era exatamente aquele que o encanador havia imaginado: uma flor. Uma flor amarela e vermelha, com um par de olhos no meio. Uma Flor de Fogo. Mario pulou outra vez e, ao apanhar a pequena planta, sentiu o poder imediatamente percorrer o seu corpo, ao mesmo tempo em que – por um motivo que ainda não entendia muito bem – a sua roupa mudava de cor. Já pegara muitas flores como esta em suas aventuras, mas a sensação de poder atirar fogo pela palma das mãos continuava ótima.

Mario voltou o olhar, mais uma vez, para o esqueleto de Koopa Troopa, uma bola de fogo já se formando na sua mão direita. Nem mesmo Bowser, o rei dos Koopas, havia sido capaz de resistir ao poder da Flor de Fogo (sim, muitas bolas de fogo haviam sido necessárias, mas o inimigo acabara sucumbindo... e o melhor é, com isso, Mario evitara a fadiga de ter que derrubar a ponte com o machado). Portanto, um mero Koopa Troopa – esqueleto ou não –seria instantaneamente destruído por uma das bolas de fogo. O encanador atirou a pequena esfera flamejante em direção do inimigo. Tão logo esta encostou no corpo esquelético da criatura, entretanto, o fogo se apagou. Outras tentativas surtiram o mesmo efeito. O esqueleto continuava caminhando, sem haver sofrido nenhum dano. Não haveria nada que pudesse derrotar aquele inimigo? Não haveria nada que pudesse matar o Dry Bones? Contemplando aquilo, apenas um pensamento passou pela cabeça de Mario: “... Mamma mia!”.

Como destruir o indestrutível

Dry Bones em uma das fortalezas de Super Mario 3Depois de sua primeira aparição em Super Mario Bros. 3 (NES), Dry Bones, a versão esqueleto de um Koopa Troopa, se tornou um inimigo muito recorrente na série. A sua principal característica sempre foi a de ser extremamente resistente à maioria dos ataques dos irmãos Mario. Quando um dos heróis salta sobre ele, o Dry Bones se desfaz e cai no chão, mas poucos segundos depois, se regenera. O inimigo, entretanto, não é exatamente imortal. Nas suas aparições em jogos de plataforma, Dry Bones podem ser derrotados definitivamente com o poder de invencibilidade da estrela. Outras formas mais específicas de matar estes inimigos incluem o uso dos martelos com Hammer Suit em Super Mario Bros. 3, o ataque com a capa de Super Mario World e o casco azul ou o Mega Mushroom em New Super Mario Bros. Em New Super Mario Bros. Wii, os Dry Bones parecem ter se tornado mais fracos, pois além de poderem serMario despedaçando um Dry Bones em Super Mario Galaxy... não se preocupe, ele se recuperará logo logo derrotados com blocos POW e bolas de gelo, são também vulneráveis a meros cascos verdes. Já em Mario Galaxy e Mario Galaxy 2, os Dry Bones estão novamente bem resistentes, sendo necessário fazer um Bullet Bill colidir contra eles para mata-los. Em Super Princess Peach, até mesmo a princesa Peach é capaz de por um fim a estes insistentes inimigos, usando o seu poder de Rage.

Em Super Mario RPG: Legend of the Seven Stars e nos jogos de RPG da série Paper Mario, os Dry Bones também são imunes a ataques normais e apenas um poder especial é capaz de derrotá-los. Curiosamente, dentre estes poderes especiais, está incluso o uso de bolas de fogo, habilidade esta que é ineficaz contra Dry Bones em outros jogos.

Em Super Mario RPG, apenas poderes especiais são eficientes contra Dry Bones  Abrindo caminho à força

Mais do que um monte de ossos

Além de simplesmente caminhar de um lado para o outro e se regenerar, os Dry Bones já se mostraram capazes de algumas habilidades diferentes, como a de atirar ossos (estes ossos são deles mesmos? E, caso sejam, eles não acabariam se “auto-desfazendo” eventualmente?) e a de criar novos companheiros da mesma espécie. Existem até algumas variações deste inimigo, que se mostram mais ou menos poderosos, como Dull Bones, Red Bones e Dark Bones.

Dry Bones em Super Mario World Red Bones Dark Bones

Dry Bones em Super Mario World

Red Bones

Dark Bones

      Dry Bones na vida real
Dry Bones na vida real

Dry Bones dirigindo o seu kartDry Bones, assim como muitos outros integrantes da série Super Mario, também provou ser um excelente atleta. Dentre os esportes praticados, podemos citar futebol (Super Mario Strikers), baseball (Mario Super Sluggers), jogos olímpicos (Mario & Sonic at the Olympic Winter Games) e corridas de kart (Mario Kart Wii). Nada mal para um personagem que é, literalmente, “puro osso”. Além disso, participou também de algumas das últimas festanças realizadas no Reino dos Cogumelos, em Mario Party 7 e 8.

Os Dry Bones podem não ser os mais icônicos dos inimigos do Mario, mas não há dúvida de que tenham conquistado uma boa fama. No mínimo, graças à sua irritante insistência em não morrer. E, do jeito que o Mario anda pisoteando Koopas Troopas por aí, certamente ainda veremos muitos Dry Bones em suas próximas aventuras.

Jogos em que aparece


Escreve para o Nintendo Blast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original.
Este texto não representa a opinião do Nintendo Blast. Somos uma comunidade de gamers aberta às visões e experiências de cada autor. Escrevemos sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0 - você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original.