Jogamos

Análise: Pikmin 3 é pura magia nintendista no Wii U

Super Mario Bros. , The Legend of Zelda , Star Fox , Wave Race e Donkey Kong . O que esses jogos têm em comum (além de serem clássicos... (por Thomas Schulze em 17/08/2013, via Nintendo Blast)


Super Mario Bros., The Legend of Zelda, Star Fox, Wave Race e Donkey Kong. O que esses jogos têm em comum (além de serem clássicos absolutos)? Ora, todos eles são fruto da mente genial de Shigeru Miyamoto, o mago dos videogames! E agora o mais novo xodó do mestre finalmente está em nossas mãos. Estou falando de Pikmin 3, é claro.

O plano original da Nintendo era lançar o game junto com o Wii U no finzinho do ano passado, mas o perfeccionismo acabou falando mais alto, como sempre, e o jogo foi adiado mais vezes do que você deve ter lido “O Wii U está morto” em sites sensacionalistas. Mas alguém tinha dúvidas de que tanta espera valeria a pena?

Uma odisseia no espaço

Um planeta azul explorado até ter
todos seus recursos esgotados.
Hmmmmm...
O ano é 20xx e o planeta Koppai está à beira da destruição. Devido ao crescimento populacional e à falta de alimentos (e, aparentemente, ao fato de Thomas Malthus ter nascido no distante planeta Terra), o astro acabou ficando sem recursos e sua única esperança é encontrar uma outra fonte de subsistência. Felizmente uma sonda descobriu um planeta riquíssimo em alimentos chamado PNF-404, vulgo Planeta dos Pikmin, e é aí que nossa aventura começa.

Pikmin 3 é a história de três astronautas enviados a esse novo planeta para encontrar comida e levá-la de volta a Koppai. Infelizmente para os pobres viajantes interplanetários e felizmente para nós, jogadores, os três acabam sofrendo um acidente e caindo separados nesse novo e inóspito território, com sua espaçonave em frangalhos e sem grandes chances de retornar à sua terra natal. Isto é, pelo menos até eles encontrarem as criaturinhas que dão nome ao jogo.
Com três capitães tão legais, nem dá para sentir falta do Olimar

Novos Pikmin e novas formas de jogar

Não é novidade que os verdadeiros astros da série são os fofos Pikmin. Se você está chegando agora (opa, bem-vindo à festa, mas trate de jogar Pikmin e Pikmin 2!), a graça do jogo é que cada tipo de Pikmin tem suas próprias forças e fraquezas, e você deve utilizá-los com sabedoria para superar os diversos obstáculos que encontra em seu caminho. Isso acaba tornando o game uma deliciosa e viciante mistura de estratégia em tempo real com solução de enigmas.

Para conhecer mais sobre os Pikmin e sua história, não deixe de ler
nosso especial "Sorrindo com Miyamoto"


Que atire a primeira pedra
quem não acha os Pikmin
fofinhos!
Enquanto alguns Pikmin podem atravessar o fogo ou a água tranquilamente, outros perecem ao menor contato com esses perigos, então é preciso ficar sempre atento. Cada novo jogo da série traz novas cores e habilidades para os Pikmin e é claro que aqui não seria diferente, então pode dar as boas vindas aos mais novos membros na turma, os Rock Pikmin e os Wing Pikmin. Enquanto os primeiros têm o poder de quebrar objetos de vidro, os Pikmin voadores, além de fofinhos (está tudo bem, pode confessar que você também pensa assim) tem a capacidade de alcançar áreas distantes e aparentemente inacessíveis.

Só essas novas adições, por si só, já garantiriam uma boa dose de frescor e muitos elementos de estratégia, mas depois de algum tempo de jogo você consegue reunir os três comandantes e Pikmin 3 ganha ainda mais elementos táticos. Afinal, os novos modelos de enigmas e desafios tiram total vantagem do fato de termos três protagonistas, obrigando-lhe a pensar criativamente sobre como cada capitão deve se comportar, e qual o melhor modo de dividir as tarefas.

Corrida pela sobrevivência

Além de lutar contra o tempo,
é preciso enfrentar monstros
enormes!
A grande sacada da série se manteve intacta nessa primeira incursão da franquia no Wii U, ou seja, a diversão principal do jogo continua sendo montar estratégias para administrar bem o seu tempo. É preciso tomar o cuidado de voltar para a sua nave antes do pôr do sol para não perder seus leais seguidores Pikmin, e continua angustiante gastar um tempão resolvendo um puzzle apenas descobrir que faltam poucos segundos até o pôr do sol e iminente morte de todas as pequenas criaturas sob sua responsabilidade. Assim, há um clima de constante tensão no ar que mantém o jogo eletrizante do início ao fim.

Dessa vez o desafio foi perfeitamente balanceado. Se o limite de trinta dias do primeiro Pikmin era acelerado demais e a liberdade total de Pikmin 2 acabou tornando tudo demasiadamente fácil, o terceiro jogo da série parece ter encontrado o equilíbrio perfeito entre correria e liberdade para explorar o jogo como bem entender. Agora o limite de tempo que você pode passar no planeta é definido somente pela quantidade de recursos que você recolher. Funciona mais ou menos assim: ao longo da jornada você coleta frutinhas. Ao fim do dia, elas são transformadas em suco, justamente o que você precisa para ganhar mais tempo de exploração. Assim, na medida em que você vai derrubando paredes e construindo pontes para continuar explorando as florestas e pântanos do game, também dá vontade de desviar do caminho para pegar aquelas frutinhas complicadas e bem escondidas, e assim poder passar mais tempo na superfície do planeta.

A maior fonte de energia nintendista desde a criação do leite Lon Lon

Aprecie sem moderação

Seria esse um GamePad
do planeta Koppai?
Pikmin 3 tem um visual de encher os olhos, provando que o Wii U realmente não deve nada em hardware aos consoles da concorrência. Tudo bem, talvez o PlayStation 4 e o Xbox One cheguem no final do ano com mais poder de processamento, mas basta olhar para os ambientes cheios de vida de Pikmin 3 para constatar que quando se fala em direção de arte, ninguém no mundo manda melhor que a Nintendo. Há uma função de câmera que permite ver o jogo pelos olhos dos capitães, e pode acreditar que várias vezes você vai se esquecer do limite de tempo e simplesmente largar tudo para contemplar a belíssima flora à sua volta. Tudo fica ainda melhor com a tocante trilha sonora composta, que dá o tom perfeito para a exploração.

Os gráficos são tão bons que essa maçã parece mais real e suculenta
que as maçãs que eu tenho aqui em casa...


A única ressalva que pode ser feita sobre o jogo recai logo no diferencial do Wii U, o GamePad. Quem jogou as versões New Play Control! da série no Nintendo Wii deve ter uma boa noção do quanto era natural e preciso usar o Wiimote para dar ordens aos seus Pikmin. Infelizmente a precisão do GamePad não chega aos pés do controle de movimentos, então fica a incômoda sensação de que demos um passo para trás no quesito jogabilidade. Mas se falta precisão, ao menos o GamePad compensa isso ao mostrar um utilíssimo mapa com a localização de todos os seus objetos de interesse. Considerando que temos as maiores fases da história da série, todas elas interconectadas por uma série de cavernas e túneis, o mapa do GamePad é um verdadeiro salvador de vidas.

Para qual lado eu vou se quiser comprar um Wii U nacional?
Já passou da hora, Nintendo!

Medalha, medalha, medalha

As missões são desafiadoras
e colocam sua perícia como
comandante à prova.
Além da empolgante jornada principal, há dois outros modos de jogo bem legais para visitar. O primeiro se chama Bingo Battle, uma competição saudável e potencialmente destruidora de amizades na qual você e seu rival devem correr para coletar os itens dispostos numa cartela de bingo. O primeiro jogador que completar uma linha horizontal, vertical ou diagonal vence, igualzinho ao bingo que sua avó tanto curte nos finais de semana. O outro modo de jogo se chama Missions e se subdivide em três categorias com suporte a modo cooperativo local. As categorias envolvem caça ao tesouro, derrotar inimigos ou lutar contra os chefões. Há sempre uma pontuação para cada fase, e ir bem nelas garante a conquista de medalhas, então é bem divertido ficar treinando nesses cenários desafiadores até conseguir o ouro em tudo.

Bingo é muito legal, pena que o jogador com GamePad sempre acaba levando
certa vantagem por ter um mapa na tela

Valeu, Miyamoto!

Pikmin 3 não é somente o melhor jogo do Wii U até agora, mas sim um dos grandes clássicos da história da Nintendo. Se ainda restava alguma dúvida de que Pikmin é um nome forte e capaz de dividir os holofotes Nintendistas com Mario e Zelda, agora não há. Pikmin 3 é pura magia nintendista e mais uma evidência incontestável de que Miyamoto é e sempre será a grande mentre criativa dos videogames. Obrigado por mais esse clássico, Shija!

Prós

  • O jogo é tão lindo que mais parece uma pintura;
  • Além da divertida história principal, há desafios que aumentam o fator replay;
  • Mais uma pérola com o selo Miyamoto de qualidade.

Contras

  • GamePad não é tão preciso quanto o Wii Remote;
  • Navegar pelo mapa é ocasionalmente confuso.
Pikmin 3 - Wii U - Nota: 9,5

Revisão: Vitor Tibério

Escreve para o Nintendo Blast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google
Disqus
Facebook