Plug and Blast

A diversão do Pokéwalker em carregar seu Pokémon preferido no bolso

O pequeno acessório de HeartGold & Soulsilver permitia levar o seu monstrinho preferido ao seu lado.


Quando os remakes dos clássicos Pokémon Gold & Silver foram anunciados, os jogadores e fãs não apenas ganharam a oportunidade de reviver todas as aventuras pela região de Johto em HeartGold & SoulSilver, como receberam de brinde um acessório muito útil para qualquer treinador Pokémon. O Pokéwalker ajudava a treinar seu Pokémon preferido enquanto você passeava, além de permitir-lhe brincar com ele e capturar outros monstrinhos. Vamos relembrar um pouco mais desse acessório tão divertido e prático.

Poké-Tamagochi

O Pokéwalker era mais do que apenas um pedômetro especial que acompanhava o game HeartGold & SoulSilver. Com uma aparência similar a uma Pokébola, uma pequena tela de LCD e apenas três botões, o acessório interagia com o jogo através de sinais infravermelhos do Nintendo DS para obter informações dos pokégames e ser capaz de transferir qualquer pokémon capturado pelo jogador diretamente para o aparelho. O processo de transferência era extremamente simples através do menu de um dos títulos, apenas apontando o Pokéwalker na direção do cartucho dentro do DS. Poder escolher seu pokémon preferido e ficar andando com ele no seu bolso enquanto brincava com ele era muito divertido. Era como ter um tamagochi, só que sem se preocupar se ele estava bem alimentado.
O sistema de comunicação era bem simples, e a funcionalidade permaneceu compatível com o 3DS.

Por ser um pedômetro, o Pokéwalker contabilizava cada passo dado pelo jogador ao carregar o acessório, o que influencia diretamente no tipo de Pokémon selvagens e itens que podem ser encontrados nos minigames disponíveis. Além disso, os passos eram revertidos em experiência para o monstrinho, o que auxiliava muito o treinador a evoluí-los sem precisar batalhar diversas vezes.Para poder utilizar os recursos do acessório, como o Pokéradar que deixava o jogador encontrar Pokémon selvagens em matinhos ou a Dowsing Machine, para encontrar itens, eram necessários watts (as moedas do Pokéwaker). A cada 20 passos dados, o jogador ganhava um watt.
Era possível transferir qualquer Pokémon para o acessório. A preferência era os que você desejava subir de nível lentamente.

Apesar do pequeno tamanho, a vida da bateria do Pokéwalker era extremamente longa, durando cerca de 4 meses se o jogador utilizava o aparelho por 30 minutos ao dia. Para economizar ainda mais energia, o acessório se desligava automaticamente depois de 60 a 90 segundos de inatividade, o que deixava o jogador despreocupado e apenas precisava deixá-lo no bolso. Mas mesmo com tantas qualidades, o aparelho tinha uma falha que permitia clonar monstrinhos. Nesse caso, bastava o treinador transferir um Pokémon para o aparelho e encerrar o game sem salvar. Fazendo isso, o Pokémon transferido permanecia no Pokéwalker e no jogo ao mesmo tempo. Porém, quando se tentava devolver o Pokémon para o cartucho, o mesmo era solto.
As batalhas contra Pokémon selvagens eram similares as que ocorrem no jogo original.

Uma das curiosidades sobre o Pokéwalker é que os sprites em escala de cinza utilizados no aparelho correspondem aos usados em Pokémon Diamond & Pearl e não as de HeartGold & SoulSilver. A música utilizada nos menus do aparelho pode parecer familiar para alguns, e não é para menos, pois ela é igual a melodia de 8-bits do tema da Game Boy Printer para Pokémon Yellow, Gold, Silver e Crystal. Um detalhe interessante era que o máximo de passos que o aparelho registrava eram 99999 passos por dia, mas mesmo quando essa cota estourava, o jogador continuava ganhando watts. O sensor de passos do Pokéwalker era tão preciso que, de acordo com um estudo da Iowa State University, era um dos pedômetros mais precisos já criados.
Apesar de ter um sensor de movimento muito preciso, não vale trapacear no Pokéwalker, hein?

Um novo acessório vindo aí?

Agora que os tão especulados remakes de Pokémon Ruby & Sapphire foram anunciados (Hoenn confirmed!), surgem novas dúvidas se haverá algum acessório especial que acompanhará OmegaRuby e AlphaSapphire. Isso porque, até o momento, todos os remakes de pokégames foram lançados com algum acessório que permitia uma experiência de jogabilidade diferente ou aumentada.
Finalmente a 3ª gereação voltará à tela dos portáteis da Big N!

No caso do primeiro remake, Pokémon FireRed & LeafGreen, o game veio junto do adaptador wireless para  o Game Boy Advance. O aparelho facilitou muito o processo de troca de Pokémon entre jogadores, pois permitia uma conexão sem fio mais rápida e sem a complicação de se utilizar cabos no caso do Game Boy. Já em HeartGold & SoulSilver, tivemos o Pokéwalker que pode ser considerado um upgrade do famoso Pokémon Pikachu 2 GS, um aparelho com funcionalidades similares que podia ser utilizado com os games Gold, Silver ou Crystal, mas permitia ao jogador jogar apenas com o simpático Pikachu.
O acessório Pickachu 2 GS possuía duas versões.

Então, o que podemos esperar para o lançamento de OmegaRuby e AlphaSapphire? Uma boa dica chega do recente anuncio da Nintendo em que ela pretende utilizar bonecos e esculturas para interagir com games no 3DS, através do sistema NFC, como já é utilizado nas séries Skylanders e Disney Infinity. Será que teremos bonecos de Pokémon da terceira geração para interagir com os novos títulos? É uma grande possibilidade.
Então, será que teremos algum brinde junto com os remakes?
Revisão: José Carlos Alves
Capa: Stefano Genachi

Escreve para o Nintendo Blast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google
Disqus
Facebook