Blast from Japan

Tsumi to Batsu / Sin and Punishment (N64): Superando as barreiras impostas pela linguagem

Tsumi to Batsu ou Sin and Punishment é o perfeito exemplo de que todos os idiomas existentes não são obstáculo para a linguagem universal dos videogames.




Tsumi to Batsu: Hoshi no Keishosha (traduzido como Sin and Punishment: Earth Successor) — ou apenas Sin and Punishment, como acabou se tornando conhecido no ocidente — é o canto do cisne do Nintendo 64 que muitos jogadores não puderam ouvir. Lançado exclusivamente no Japão no final do ano de 2000, o título apresenta um enredo extremamente complexo centrado em poderes sobrenaturais, conspirações, corrupção, entre muitos outros assuntos de temática adulta, algo não muito comum até então em títulos para as plataformas da Nintendo. Incluso também neste pacote ousado há cutscenes muito bem planejadas, diálogos inteiramente dublados em inglês, controles simples e ação sem dar chances para descanso. Tudo para prender a atenção do jogador desde o início do título até o seu fim. E pode ter certeza que a sua atenção estará completamente presa.


Apesar de ter sido anunciado ainda no início do ciclo de vida do Nintendo 64, no ano de 1997, o game acabou levando mais tempo do que o esperado para ser lançado ao público. Tendo originalmente apenas 4 membros em sua equipe, ao visualizarem o potencial sucesso do jogo e o seu presente grau de complexidade, o time responsável pelo título foi crescendo consideravelmente ao passar dos anos, até chegar ao ponto em que havia mais membros envolvidos com o jogo do que em qualquer outro da Treasure até aquele momento. Além disso, o processo de desenvolvimento do game recebeu diversas interferências da Nintendo, muitas vezes frustrando as ideias originais dos desenvolvedores da produtora. Como consequência direta desses contratempos, a data de lançamento do título foi adiada inúmeras vezes.

Sucesso mundo afora

Saki Amamiya, um dos protagonistas jogáveis do jogo, com a sua inseparável arma.
Mostrando-se perfeitamente capaz de superar as barreiras impostas pela linguagem, devido ao seu imenso poder de divertir através de um gameplay muito bem planejado, Sin and Punishment é mais um exemplo de como a comunicação dos videogames é capaz de unir jogadores das mais diversas línguas.

Originado da ideia de promover uma novo estilo de jogabilidade, após os desenvolvedores do game estudarem as diferentes maneiras de utilizar o controle do Nintendo 64, além de também se tratar do primeiro grande jogo 3D da Treasure, até então reconhecida como uma excelente produtora de jogos 2D, o título foi recebido com imenso louvor por parte da crítica especializada após finalmente lançado.

Sin and Punishment continua relevante até os dias atuais para aqueles que tiveram a prazerosa chance de experimentá-lo exatamente por ter cumprido perfeitamente a sua premissa de criar uma jogabilidade simples e original, ao mesmo tempo em que também introduziu, em grande estilo, uma produtora já renomada ao universo dos jogos 3D.

WTF?

Os 3 protagonistas do game em uma pose digna de capa de álbum conceitual.
A história de Sin and Punishment é altamente complexa e igualmente confusa. Apesar dos menus e legendas em japonês, o jogo é inteiramente dublado em inglês, facilitando a compreensão da história do game por parte dos jogadores que possuem conhecimento do idioma. Ainda assim, será necessário completar o jogo mais do que apenas algumas vezes para compreender plenamente o enredo do título — algo que o jogador acabará fazendo sem sequer perceber, pois a mecânica arcade do game facilita a sua repetição sem a menor sensação de desgaste.

O enredo do título se inicia no ano de 2007. A escassez de alimentos atinge escalas globais devido a superpopulação de seres humanos.Tal problema se torna tão grave que as nações espalhadas pelo planeta autorizam a criação em laboratório de uma nova espécie de animal no intuito de servir exclusivamente para o consumo. Após este acordo mundial, se torna decidido que o local de testes para a criação desta nova espécie se localizará no norte do Japão.

Apesar das primeiras experiências serem bem sucedidas, uma catástrofe logo se inicia após a espécie cultivada receber uma inesperada mutação genética. Os agora conhecidos como “Ruffians” escapam dos laboratórios para tomar conta de diversas cidades do Japão, infectando os demais animais e causando destruição por onde passam. Sabendo da crise que o Japão agora enfrenta, as nações que antes autorizaram a criação dessa nova espécie juntam forças em uma nova força militar conhecida como “Armed Volunteers”, criada com o intuito de controlar a crise causada pela mutação dos “Ruffians”.

Porém, com objetivos secundários de desestabilizar politicamente o Japão, essa nova força militar logo se torna corrupta, oprimindo a população do país durante o exercício da sua função original contra os “Ruffians”. Devido a isso, almejando lutar contra o avanço das ações criminosas da “Armed Volunteers”, um novo grupo formado por cidadãos japoneses é criado com o nome de “Savior Group”, iniciando assim uma longa guerra civil através do território japonês entre ambos os grupos e os “Ruffians”.

Ambos os protagonistas jogáveis são membros do “Savior Group”, sendo eles Saki Amamiya e Airan Jo. O comando do grupo fica por parte de uma misteriosa mulher chamada apenas de Aichi, responsável por traçar os diversos planos que a dupla de protagonistas jogáveis executam durante a história.

O enredo então procede repleto de reviravoltas, momentos completamente estranhos entre outros acontecimentos surpreendentes, deixando a conclusão de que Sin and Punishment possui papel no processo de abertura da Nintendo para com jogos de temática mais adulta, algo que viria a acontecer vigorosamente somente anos mais tarde.

O melhor do arcade na sua casa

Sin and Punishment, à primeira vista, parece ser mais um Rail Shooter daqueles já convencionais nos fliperamas. Porém, o título logo se mostra muito mais do que isso. Com adições originais e características brilhantes, o jogo se encontra exatamente ao lado de Panzer Dragoon (Saturn), Star Fox (SNES), entre outros grandes sucessos que ajudaram a revolucionar o gênero para o mundo dos consoles.

Com o título, a Treasure acabou por incentivar o uso de uma característica do controle do Nintendo 64 até então pouco explorada pelas produtoras. Ele pode ser jogado tanto utilizando apenas o lado esquerdo do controle, D-PAD + L + Z quanto com o lado direito do controle, Analógico + C Buttons + R + A + Z. Qualquer que seja a sua preferência pelo modo de jogar, o conforto é garantido através de uma jogabilidade intuitiva e precisa.

Como um clássico jogo de arcade, a mecânica do jogo é baseada em tempo e em pontuação. O jogador precisa avançar pelos cenários presentes no game sem que o contador do tempo chegue a 0 e comece a aplicar penalizações, que reduzem gradualmente a vida do protagonista. Como solução, pode-se aumentar o contador de tempo através de itens que são conquistados ao eliminar certos inimigos.

O sistema de pontuação também é igualmente importante, pois a cada 100 inimigos abatidos, o jogador receberá 1 continue extra, algo que com um pouco de estratégia será tranquilo de executar, já que o game frequentemente estimulará a eliminar diversos oponentes de uma vez só através dos diversos elementos espalhados pelos cenários que são capazes de explodir, levando tudo aos ares.

Para eliminar os diversos inimigos que surgem na tela ou os muitos entraves que trancam o caminho do protagonista, o jogador controlará uma mira que se movimenta por todo o espaço de tela do jogo, que pode ser controlada livremente, como também no modo de trava, onde ela fica fixa em um determinado inimigo que o jogador selecionar. Apesar de ajudar muito em algumas ocasiões, a mira fixa não possui tanto dano quanto o modo de mira livre, ou seja, é preciso estratégia para escolher o momento certo para utilizar cada modo.

Embora o protagonista do game siga uma rota já pré-determinada, o jogador é livre para se movimentar para os lados e para pular, algo que precisará ser feito constantemente para desviar dos inúmeros obstáculos e projéteis disparados.

Características únicas

O game apresenta cenários dinâmicos que são de tirar o fôlego!


Em perfeito alinhamento com a história complexa do jogo, está também um gameplay de perder o fôlego. Devido ao cuidado técnico que a Treasure teve em sacrificar elementos visuais para valorizar o ritmo frenético do game, o jogador enfrentará diversos inimigos que surgem na tela sem parar, sempre em cenários repletos de dinamismo, com diversas explosões e outros efeitos especiais, tudo em uma taxa de framerate que se mantém constante.

Os ambientes presentes também contribuem trazendo ainda mais personalidade à obra, sendo que os cenários carregam uma paleta de cores única, sempre repletos de vida. Cada temática parece complementar a próxima de uma maneira em que a transição pelas diversas fases flui naturalmente. Vale a pena também destacar o visual alternativo dos personagens, que reforçam com muito estilo o design impecável do título.

As cutscenes são, de maneira disparada, uma das mais cinematográficas presentes em toda a biblioteca do Nintendo 64. De quebra, o jogo também oferece uma trilha sonora animada que serve como o combustível perfeito para o jogador sair explodindo tudo o que estiver em seu caminho.

O título certo no momento errado

O nome escolhido para o game, escrito em kanji, algo que até então não acontecia com muita frequência, possui inspiração em outro título para Nintendo 64. Perfect Dark quase adotou o nome de Aka to Kuro (赤と黒, traduzido como "Vermelho e Preto"), também escrito em kanji, para o seu lançamento no Japão.


A Nintendo, desesperada por um título adulto para o Nintendo 64, auxiliou a Treasure na criação de Sin and Punishment. Esta ajuda se estendeu ao ponto de a Big N. interferir na escolha do nome do título, como também na sua curva de dificuldade. Mudanças essas que se mostraram frutíferas, mas que também serviram para atrasar ainda mais o seu lançamento, considerando o relacionamento conturbado entre as duas empresas.

Apesar de não ter sido revelado o motivo pelo qual o jogo não foi lançado no ocidente, muitos especulam que a causa tenha sido o seu lançamento tardio no ciclo de vida do Nintendo 64. Lançado no final do ano de 2000, a Nintendo chegou até a anunciar a presença do jogo na E3 de 2001, mas foi algo que não chegou a acontecer. Com o lançamento do GameCube programado para o mesmo ano, muitos acreditam que a empresa. preferiu por focar todas as suas forças em possíveis títulos para o seu novo videogame, deixando de lado muitos jogos para o Nintendo 64, sendo Sin and Punishment um deles.

Legado que se mantém vivo

Importar o conjunto completo do game, cartucho + caixa + manual, não custa nada barato!

Devido ao sucesso de crítica, sua fama de clássico cult entre diversos jogadores e sua dublagem em inglês, o título é um dos mais importados da biblioteca do Nintendo 64. O seu valor de mercado costuma ser alto, além de exigir uma modificação no aparelho para que ele aceite o cartucho japonês, que possui formato diferente dos demais modelos internacionais.

Também é possível jogar o título através de adaptadores, mas esse conjunto acaba saindo ainda mais caro do que uma modificação simples. No entanto, dependendo do preço exigido, o título vale a pena se você se considera um colecionador.

Em 2007, após diversos pedidos por parte dos seus fãs, o game foi adicionado ao Virtual Console do Nintendo Wii. Essa versão é totalmente traduzida para o inglês e também conta com texturas de melhor qualidade. Em 2009 foi lançada uma sequência intitulada Sin and Punishment: Star Successor, também para Wii, igualmente muito bem recebida pela crítica e pelos jogadores.

Unindo jogadores dos mais diversos idiomas

Artwork promocional para o game.
Sin and Punishment é uma experiência tão rica e única que, após jogá-lo, torna-se impossível esquecê-lo. A Treasure, buscando por adentrar no universo dos jogos 3D, cumpriu perfeitamente com o seu objetivo ao criar uma obra incrível do ínicio ao fim, digna de se tornar não apenas em um cartão de visitas fantástico do que existe de melhor no gênero de rail shooter, como também digna de se juntar ao já imenso portfólio de sucessos da produtora.

A Nintendo, após tanto tempo procurando por títulos com uma temática mais adulta para o Nintendo 64, finalmente acabou encontrando a sua galinha de ovos de ouro. Porém, mesmo reconhecendo o seu sucesso, por algum motivo que talvez nunca saberemos e que apenas podemos especular, o amor da empresa, de uma hora para a outra, se encerrou, fazendo com que o título acabasse levando 7 anos para finalmente ser lançado em territórios ocidentais.

No entanto, seja através do imenso número de pedidos de importação que o jogo ainda recebe, seja pelo sucesso do game após a Nintendo finalmente lançá-lo no ocidente através do serviço Virtual Console, ou ainda, pelo impacto causado pelo lançamento de sua sequência, Star Sucessor, para o Wii, não sobra dúvidas sobre a influência extremamente positiva do título no universo gamer.

Com todo esse reconhecimento, Sin and Punishment não apenas é um excelente título graças ao seu sucesso universal por parte de crítica e público, mas também um excelente exemplo de que o videogame é uma plataforma perfeitamente capaz de unir pessoas dos mais diversos idiomas, em prol de uma única linguagem, a da diversão.

Revisão: João Pedro Boaventura
Leonardo Castro escreve para o Nintendo Blast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook