Top 10

As franquias dos portáteis que ainda não apareceram no Switch, mas poderiam

Já imaginou jogar aquele seu pequeno portátil numa telona? Nós também.


Desde a era do Game Boy, um dos principais atrativos dos portáteis da Nintendo é que eles tinham jogos que você não poderia jogar em nenhum outro lugar. Está a fim de sair em uma nova jornada Pokémon? Então é melhor comprar o portátil mais recente da empresa. Contudo, com o lançamento do Nintendo Switch, essa divisão entre jogos portáteis e de mesa ficou mais tênue do que nunca. A própria franquia Pokémon já está confirmada para o console híbrido. É claro que têm muitos outros jogos que a gente só via nos portáteis que estamos morrendo de vontade de ver na telona pela primeira vez. Então a gente fez esta lista pra contar quais jogos dos portáteis que a gente mais quer jogar no Switch.


10 - Professor Layton


A Level-5 é uma das empresas que mais apostou no DS e no 3DS, de modo que boa parte dos seus títulos mais conhecidos surgiu em uma dessas plataformas. Logo, quando anunciaram que todos seus futuros jogos seriam lançados diretamente no Nintendo Switch, pareceu apenas uma evolução natural. Já tivemos o anúncio de um novo Inazuma Eleven para o console e ontem mesmo descobrimos que o jogo mais recente da franquia Layton, Layton’s Mystery Journey: Katrielle and the Millionaire’s Conspiracy (3DS/Mobile), será portada para o nosso querido Switch.

O anúncio já é incrível por si só, mas seria ainda mais interessante vermos uma nova aventura da família Layton pensada diretamente para tirar proveito das funcionalidades do console híbrido. Imagina poder manipular uma peça de puzzle 3D usando o giroscópio do Joy-Con direito. Ou talvez um puzzle onde você identifica o conteúdo de uma caixa usando o HD Rumble, igualzinho ao minigame "Count Balls" do 1-2 Switch (Switch). As possibilidades são infinitas e mal posso esperar para ver como próximo game da série vai nos surpreender.

Uma dama de verdade não deixa nenhum puzzle sem solução!


9 - Bravely Default

Quando a Square Enix anunciou que pretendia voltar a focar em jogos para um mercado mais interno, que não tivessem medo de parecer japoneses, Bravely Default (3DS) foi o exemplo que eles usaram. E não é pra menos! O jogo é um dos melhores JRPGs disponíveis no Nintendo 3DS, combinando personagens cativantes, uma história complexa e mecânicas que deixam combates em turno bem mais interessantes.

O jogo já chegou a receber uma sequência pouco tempo depois também para 3DS chamada de Bravely Second. Nenhuma nova notícia sobre a série foi anunciada e parte da equipe por trás dos jogos está trabalhando no aguardado Octopath Traveler (Switch), mas dado o sucesso dos jogos originais, acho difícil que a Square pare por aí.

Seria incrível se ela lançasse pelo menos uma coletânea toda bonitinha remasterizando os dois jogos para o Nintendo Switch. E não vamos esquecer que, junto com Bravely Second, ela registrou também o nome Bravely Third. Será que podemos esperar um novo título da série em breve?

Seja mais realista ou ainda mais cartunizado, Bravely Third com certeza seria lindo de se ver


8 - Pokémon Mystery Dungeon

A franquia Pokémon é bastante conhecida por gerar todo tipo de spin-off. Só para smartphones tivemos recentemente Pokémon Shuffle e Pokémon Go, dois títulos extremamente populares no mundo todo. Os portáteis também foram o lar de jogos bastante interessantes, como as franquias Pokémon Rangers e Pokémon Mystery Dungeon

Pokémon Mystery Dungeon chamou a atenção de muitos jogadores por colocar você no papel de um Pokémon em um mundo sem humanos. Os primeiros jogos da série também surpreenderam por trazer uma história bem mais profunda que os próprios jogos principais de Pokémon. Nos jogos para 3DS, a história foi deixada um pouco de lado para focar em outros aspectos da franquia, como a exploração e a coleção de bichinhos de bolso. Agora que o filme de Detective Pikachu (3DS) está cada vez mais próximo, seria uma ótima pedida se a série retornasse com força total trazendo uma história emocionante de cair o queixo no Nintendo Switch

O segredo pra uma boa sequência é trazer gráficos HD e melhorar a história!


7 - Persona Q

É certo que a franquia Shin Megami Tensei vai estrear no Switch em algum momento no futuro. O jogo foi anunciado junto com o console, mas quase nada foi dito desde então. Entretanto é um derivado dessa franquia que desperta o desejo de nintendistas por todo o mundo — a aclamada série Persona

Infelizmente, parece que a exclusividade de Persona aos consoles da Sony continua firme e forte, mas isso não impede que alguns spin-offs apareçam nos portáteis da Nintendo. Foi no 3DS que tivemos Persona Q: Shadow of the Labyrinth, um crossover entre Persona 3 (PS2) e Persona 4 (PS2) com o estilo da série Etrian Odyssey, também da Atlus

As interações inusitadas entre os personagens funcionou tão bem que já temos uma sequência anunciada, o misterioso Persona Q2. Com personagens de Persona 5, ele inicialmente seria lançado para o 3DS ainda este ano. Entretanto, parece que a Atlus recentemente atualizou o site do game para retirar qualquer menção à plataforma. Seria esse um sinal que o jogo vai na verdade chegar para o Switch? Só o tempo dirá.
Se juntas já causam, imagina juntas


6 - Advance Wars

Assim como Fire Emblem, Advance Wars é outra franquia de estratégia da Nintendo que teve diversos lançamentos no Japão, mas só foi chegar no ocidente no Game Boy Advance. Na época, ela rapidamente se tornou muito mais popular que Fire Emblem e chegou a ver algumas sequências, mas nenhum novo título foi lançado desde Advance Wars: Days of Ruins (DS)

Dez anos se passaram e o Nintendo Switch trouxe uma nova era de sucesso para a Nintendo, momento perfeito para ressuscitar a franquia. Para um novo jogo, seria bom se a Intelligent Systems voltasse a série às origens e trouxesse gráficos cartunescos como nos jogos de GBA. Aproveitando que este seria o primeiro jogo HD da série, não seria nada mal se a arte do jogo fosse toda feita à mão. 
Os fãs da série já imaginaram uma nova aventura em alta definição


A história poderia se passar 10 anos após Advance Wars: Dual Strike (DS) e trazer novos personagens como protagonistas e a equipe antiga como mentores. Quanto ao combate, seria bem interessante ver novas unidades que aproveitassem tecnologias que não existiam há uma década, como drones. A Nintendo também poderia aproveitar todo o potencial social do Switch para trazer um robusto multiplayer local.

5 - Wario Land

Provavelmente a franquia mais antiga dessa lista, Wario Land surgiu lá atrás na época do Game Boy como um derivado de Mario Land. Cada novo jogo da série foi elevando cada vez mais a loucura de seu protagonista, culminando na completa insanidade de Wario: Master of Disguises (DS).

Com o sucesso de Super Mario Maker no finado Wii U, que em menos de seis meses já tinha mais de 6 milhões de fases criadas, a necessidade de novos jogos 2D do encanador é posta em xeque. Sendo assim, não há momento melhor para Wario ressurgir e usurpar o trono de seu rival. 

Super Mario Maker (Wii U) tornou jogos 2D de Mario redundantes? Isso é uma discussão pra um outro dia. 


Para tornar as coisas interessantes, por que não atender o pedido dos fãs e trazer também o galante Waluigi? A adição de um novo personagem seria perfeito para um modo multiplayer onde cada um jogaria com um Joy-Con separado. Além disso, Waluigi ainda não tem um jogo para chamar de seu e seria incrível poder explorar melhor sua personalidade.

Como mostrado no fangame Psycho Waluigi, o potencial do narigudo é enorme

4 - Elite Beat Agents

É bem triste ver como Elite Beat Agents (DS) não decolou aqui no ocidente. Considerado por muitos um dos melhores jogos rítmicos já feitos, o game é a versão ocidental de Osu! Tatakae! Ouendan (DS). Lá no Japão, o jogo fez sucesso o suficiente para emplacar uma continuação dois anos depois. Mesmo com vendas pouco expressivas, Elite Beat Agents conquistou uma legião de adoradores que, sem previsão de um novo lançamento da franquia, acabaram migrando para um clone para PC chamado osu!, que já conta com mais de 12 milhões de usuários registrados.

Com uma base de fãs prontinha esperando um novo lançamento, só falta a Nintendo fazer a parte dela e financiar um novo jogo para série. No Switch, o jogo poderia manter a sua jogabilidade frenética usando a touch screen do console, tornando-se um forte exclusivo do modo portátil. Alguma espécie de Season Pass recheado de músicas do momento também seria incrível. A ideia está aí, Nintendo, agora é só pegar e fazer.

Com novos modos e novas músicas, Elite Beat Agents no Switch poderia florescer numa franquia de peso

3 - Golden Sun

Golden Sun traz um dos universos mais ricos dos portáteis da Nintendo, pena que muito pouca gente conhece. Nos jogos de GBA, você acompanha a jornada de Isaac e seus amigos para trazer a psynergy de volta ao mundo. Já na continuação para Nintendo DS, Golden Sun: Dark Dawn, Isaac está bem mais velho e quem assume o fardo de tornar o mundo melhor é seu filho Matthew, além de uma nova geração de adeptos. 

Infelizmente, as baixas vendas fizeram com que a Camelot voltasse todos seus esforços a uma aposta mais segura: os jogos esportivos de Mario. Seu próximo lançamento é Mario Tennis Aces que lança já no próximo mês. Quem sabe depois disso eles dão mais uma chance a Golden Sun? 
Os fãs, eles se esforçam
Com o sucesso de Xenoblade Chronicles, é claro que o público está mais interessado em JRPGs e o novo jogo poderia inclusive ser desenvolvido pela Monolith Soft. Seja por ela ou pela própria Camelot, o importante é reviver essa franquia tão cheia de potencial, seja com uma continuação ou um reboot. É crucial que um novo jogo da franquia corrija as falhas que tornaram Golden Sun: Dark Dawn tão odiado, como a falta de backtracking e uma história excessivamente expositiva. Inclusive, poderia ser uma boa ideia apresentar um mundo aberto parecido com o de The Legend of Zelda: Breath of the Wild (Wii U/Switch). A história de Matthew e todos os seus fãs merecem uma continuação digna. 

2 - Ace Attorney

Achou que não ia ter Phoenix Wright nessa lista? Take that! Pode até não ser tão óbvio, mas a franquia Ace Attorney foi feita para brilhar no console híbrido da Big N. Para quem tinha cansado de procurar pistas só na tela touch, o Switch traz diversas novas maneiras de interagir com o jogo.

Aprendendo um pouco com a versão de Wiiware, o novo jogo poderia permitir que os jogadores interagissem com o cenário graças a um cursor que funcionaria por controle de movimentos. Claro que no Switch teríamos toda a sensibilidade do giroscópio do Joy-Con que traria uma precisão que o Wii podia apenas sonhar. 
Ace Attorney no Switch seria uma aposta certa da Capcom


O magatama, da trilogia original, poderia retornar com uma nova função (com uma nova ajudante, talvez). Usando o HD Rumble, o jogador iria sentir itens escondidos nos cenários como uma espécie de detector de metal. Os controles touch já tradicionais na série poderiam retornar para o modo portátil. Por fim, seria incrível poder lançar um Objection! erguendo seu braço com o Joy-Con como um verdadeiro advogado. Imersão total!

Já pode ir treinando o movimento para não passar vergonha na hora de mandar um "Objection!"

1 - Kid Icarus Uprising

Depois de 20 anos no esquecimento, Kid Icarus não tinha muitos fãs esperando por alguma espécie de continuação para série. Foi aí que o genial Masahiro Sakurai veio, reinventou a franquia e trouxe ao mundo Kid Icarus Uprising (3DS). De longe um dos jogos mais divertidos da Big N, Kid Icarus Uprising conquistou uma legião de fãs mesmo com todos seus problemas técnicos. Apesar de todo sucesso, Sakurai nos avisou que iria demorar um bocado até o próximo jogo da série surgir devido a seu trabalho em Super Smash Bros (Wii U/3DS)

As cutscenes poderiam ser estilo anime, quem sabe?
Bem, já se passou um bocado de tempo e não tem hora melhor para uma continuação para as aventuras de Pit e Palutena. Se no 3DS a falta de botões resultou em controles super desconfortáveis que afastou boa parte do público, o Switch tem botões até demais. Ainda iríamos usar o analógico esquerdo para controlar Pit, mas poderíamos controlar sua mira por sensor de movimentos. A dinâmica de iniciar a fase com shooter on-rails para depois trocar para um TPS padrão funciona muito bem e deve ser expandida com cenários ainda maiores e mais impressionantes além de uma diferença maior entre as armas. Humor também não pode faltar e trazer novos personagens igualmente cativantes para acompanhar Pit, Palutena, Dark Pit e Viridi seria um sonho. Quem sabe expandir um pouco para mitologia nórdica, como aconteceu em God of War (PS4)?

Pode ser uma boa ideia jogar a Medusa para escanteio dessa vez


Já o multiplayer teria um potencial enorme. Além de trazer os modos clássicos de PvP, Kid Icarus Uprising 2 seria a oportunidade perfeita para a Nintendo embarcar na onda dos Battle Royale. A variedade de armas já existente em Kid Icarus Uprising é de cair o queixo. Expandindo o arsenal de Pit e espalhando as armas em baús pelo campo teríamos algo divertido e original. Daria até para misturar inimigos da saga pelo mapa para dificultar ainda mais as coisas. Seria algo realmente interessante de se ver. 

E você? Tem algum jogo dos portáteis que você gostariam de ver na sua telona? Também estão órfãos de Kid Icarus: Uprising (3DS) até hoje? Comentem aí embaixo.

Revisão: Renata Bottiglia


Gabriel Mattos faz joguinhos na UFRJ, quando deveria estar estudando Computação. Estuda computação, quando deveria estar escrevendo. Escreve, quando deveria estar dormindo e não dorme, porque fica sempre no Twitter. Também pode ser encontrado noInstagram.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook