Top 10

Formas inusitadas de se evoluir um Pokémon

Acompanhe quais são as maneiras mais exóticas e criativas para se evoluir os monstrinhos de bolso. Qual será a forma mais excêntrica?



Um dos fenômenos mais conhecidos do Universo Pokémon é o processo de evolução. Nele, os Pokémon passam de um estágio base para formas mais avançadas, tornando-se mais fortes até atingirem seu estágio final. Esse processo envolve diversos aspectos e, ao longo das gerações, mais e mais métodos foram criados, aumentando o dinamismo da série, pois seriam bem chato apenas treinar os Pokémon até um certo nível.

Cada região possui um Pokémon que evolui de uma forma bem específica, e agora com a chegada da região de Galar, mais Pokémon chegaram e, com eles, métodos ainda mais “malucos” foram criados. A princípio, existiam apenas três métodos de evolução: por nível, por troca e a partir da utilização das pedras evolucionárias, como a Water Stone. Desde Pokémon Red/Blue (GB), múltiplos jeitos de se evoluir os monstrinhos foram criados, chegando num total de 23. Em média, cada nova geração nos apresenta 2,87 formas de se evoluir e parece que a Game Freak está cada vez mais empenhada e criativa em relação ao gatilho que ativa esse processo.

Pensando nisso, separamos 10 Pokémon que possuem formas de evolução inusitadas, ou seja, bem diferente do que estamos acostumados a ver. Fiquem agora com nosso Top 10 evoluções inusitadas. Boa leitura a todos!

Critérios

Para que a montagem do ranking fosse a mais justa possível, elegemos alguns critérios que servirão de referência para o posicionamento de cada método por monstrinho. São eles:
  • Criatividade: Consideramos aqui o quão mirabolante esse processo pode ser, sobressaindo-se dentre os demais;
  • Complexidade: Consideramos aqui o nível de dificuldade do processo de evolução, em todas as gerações;
  • Singularidade: Consideramos aqui quantos Pokémon passam pelo processo de evolução da mesma forma.

#10 Mantyke --> Mantine

Com a chegada do processo de breeding na segunda geração, temos acesso às pré-evoluções de alguns monstrinhos. Nativo de Johto, o Mantine era de início um Pokémon que possuía apenas a sua forma base, ou seja, não evolui e nem é a forma evoluída de outro Pokémon. Até a região de Sinnoh chegar: quando realizamos o breeding com o Mantine e equipado do item Wave Incense, o Pokémon que chocará do ovo não será a arraia gigante, e sim uma arraia bebê, o Mantyke. 


Porém, não basta apenas treiná-lo para que vire um Mantine. Nos sprites antigos do Mantine, era possível ver um Remoraid em sua nadadeira esquerda, ou seja, os dois andavam sempre juntos. Aqui temos o clássico exemplo da relação de Comensalismo (aula de biologia agora, crianças), onde dois animais andam juntos, sem causar mal um para o outro. Sendo assim, para se evoluir um Mantyke precisamos ter na equipe também um Remoraid. Interessante, não?

#9 Eevee --> Sylveon

O Pokémon que representa o processo de evolução não poderia deixar de estar na lista. Com um total de sete possíveis evoluções, o Eevee é um caso à parte em relação aos demais Pokémon, justamente por esse fator. Quando as versões X/Y foram lançadas lá em 2013 (nossa, faz tempo hein), uma nova ferramenta foi apresentada: o Pokémon-Amie. Baseada na França, a região de Kalos possui muitos traços desse país, inclusive, o termo Amie é uma abreviação de “Amité”, que significa amizade em francês.

No Pokémon-Amie, temos três atributos específicos: Affection (o quão próximo o Pokémon é de você), Fullness (cada doce deixa o monstrinho cheio até não aguentar mais comer) e Enjoyment (mede o divertimento do Pokémon), que podem interferir em vários aspectos no jogo, inclusive nas batalhas. 


Pois bem, para podermos evoluir nosso querido Eevee no Sylveon, temos que ter o atributo Affection no máximo e ter aprendido um golpe do tipo FAIRY. No caso, o Eevee aprende Baby-Doll-Eyes no Lv.15, portanto, a partir do Lv.16 podemos ter um Sylveon. Atualmente, esse processo é iniciado quando o Eevee atinge 221 ou mais de Happiness e tem em seu moveset um golpe do tipo FAIRY, já que o Pokémon Amie é uma característica exclusiva das versões X/Y.

#8 Porygon --> PorygonZ

Evoluções por troca são comuns e Pokémon como Gengar e Alakazam são clássicos exemplos desse processo. Entretanto, há também Pokémon que não evoluem simplesmente trocando-os. Precisamos equipá-los com itens específicos que, durante a troca, sua evolução acontecerá. Os chamados Hold Itens, que são segurados pelos monstrinhos, causam esse efeito. 

Nas versões Pokémon Gold/Silver/Crystal(GBC) temos três Pokémon com essa característica: Poliwhirl e Slowpoke, que quando equipados com o item King's Rock tornam-se Politoed e Slowking. O polígono colorido evolui a partir do item chamado de Up-Grade, tornando-se Porygon2. Tranquilo, nada de diferente dos demais, certo? Errado! Há uma segunda evolução para ele.


Em Pokémon Diamond/Pearl(DS), diversos Pokémon antigos ganharam evoluções e o Porygon2 está entre eles. Aqui, temos um segundo item, o Dubious Disc, que em uma tradução livre fica algo parecido com “Disco Duvidoso”. Quando equipado com esse item, o Porygon2 torna-se PorygonZ, chegando em seu estágio final. O que muitos não sabem é o mistério por trás disso: vejam que a grafia do número 2 é bem próxima da letra Z. Como um disco duvidoso foi utilizado, houve a corrupção de 2 para Z. Ainda, o Porygon é o único Pokémon que precisa de dois Hold Items e de duas trocas para evoluir. Bem único, não?

#7 Sliggoo --> Goodra

As condições climáticas já estão enraizadas na franquia e são o foco principal da região de Hoenn, que compreende a terceira geração dos monstrinhos de bolso. Temos inclusive um Pokémon que muda de forma de acordo com o clima, o Castform. Em Sinnoh, temos a Cherrim, que durante os efeitos do Sunny Day muda de forma, esboçando um alegríssimo e simpático sorriso. Só que a Game Freak não estava contente com apenas uma mudança de forma. E se um Pokémon pudesse evoluir a partir de uma condição climática específica?


Em Kalos, temos um dragãozinho em particular que se utiliza desse método para evoluir. Assim que o Goomy vira Sliggoo, podemos evoluí-lo para Goodra, um dos Pokémon mais fortes e versáteis dessa região. Para iniciar o processo, teremos que passar um nível do Sliggoo em uma rota que esteja chovendo. Mas não é a chuva causada por Rain Dance ou pela habilidade Drizzle. É necessário que esteja chovendo assim que entramos na rota/cidade. Antes de chegarmos na cidade Laverre, palco do quinto ginásio da região, temos a rota 14, que periodicamente é afetada pela chuva, se tornando o principal destino de muitos treinadores para evoluir o dragão roxo.  

#6 Tyrogue --> Hitmonlee/Hitmonchan/Hitmontop

O dueto de lutadores de Kanto virou trio em Johto com a chegada do Hitmontop. A segunda geração ficou marcada pelas pré-evoluções, ou seja, formas bebês de Pokémon como Magmar e Electabuzz. Com os lutadores, aconteceu a mesma coisa. No Mt. Mortar, que fica entre as cidades de Ecruteak e Mahogany, ganhamos de presente um Tyrogue no Lv.10. Assim que chegamos no Lv.20, o processo de evolução será iniciado para um dos três lutadores. Mas, como saber para qual o Tyrogue irá evoluir?

As condições são:

Se o valor do Attack for maior que o valor da Defense, teremos um Hitmonlee;
Se o valor do Defense for maior que o valor do Attack, teremos um Hitmonchan;
Se o valor do Attack for igual ao valor da Defense, teremos um Hitmontop;


Bem criativo, não acham? Utilizar stats (atributos) como parâmetro para evoluir o Tyrogue faz todo sentido, afinal, os lutadores podem ser bons desferindo golpes, aguentando os dos adversários ou um misto entre eles.

#5 Cosmoem --> Solgaleo/Lunala

Até agora foi só uma amostra do que vem por aí. Veremos agora um dos Pokémon lendários da região de Alola. Por ser o único monstrinho com essa característica, o Cosmoem faz jus sua posição. As mascotes dessa região são Solgaleo (Pokémon Sun) e Lunala (Pokémon Moon), porém não são como seus colegas lendários, pois possuem uma forma base, uma forma em estágio 1 e por fim estágio 2. Para quem não entendeu essa relação, veja nosso artigo sobre o processo de evolução aqui.


Continuando, temos o Cosmog - ou Nebby para os íntimos - como forma base. Depois vem o Cosmoem, que irá evoluir no Lv.53 para Solgaleo ou Lunala de acordo com a versão em que está, ou seja, se você evoluí-lo em Pokémon Sun, terá o leão solar, e se você evoluí-lo em Pokémon Moon, terá o morcego lunar. Quem sabe, no futuro, o Phione também não possa evoluir para o Manaphy?

#4 Shelmet/Karrablast --> Accelgor/Escavalier

Em quarto lugar (por pouco não ficou melhor) está a dupla de Pokémon do tipo BUG de Unova: Shelmet e Karrablast. Ambos possuem uma relação que vai além de qualquer dupla existente no universo Pokémon.


Isso porque, para que possam evoluir em Accelgor e Escavalier, é necessário que sejam trocados um pelo outro. Quer dizer que vocês nunca repararam que a armadura que cobria o Shelmet agora pertence ao Escavalier? Ainda, temos um ninja extremamente rápido no Accelgor, que agora sem o peso da proteção, se move em velocidades absurdas, sendo um dos Pokémon mais rápidos dessa região, se não o mais rápido.

#3 Feebas --> Milotic

Um dos Pokémon mais difíceis de se obter na sua geração, o método de evolução do Feebas é algo que, para a época, era completamente inovador e que só é possível nos jogos da terceira geração (original e remakes). Sendo o oposto do Gyarados, o Milotic é considerado por muitos, inclusive por este que vos escreve, como um dos Pokémon mais bonitos já criados. Tudo no Milotic é gracioso, sinuoso, assim como a água. Só que o Feebas passa longe de ser um exemplo de beleza. Então, como um “troço” tão feio pode se tornar algo tão bonito? A resposta está em um minigame presente nessas versões.


O Pokémon Contest avalia cinco categorias diferentes e uma delas é chamada de BEAUTY, ou seja, o quão bonito é o seu Pokémon e os movimentos que ele executa. O sistema das Berries foi reformulado na terceira geração e cada Berry possui uma característica dominante que irá aumentar o nível de uma determinada categoria. Este efeito é causado pelo item PokéBlock, uma combinação de berries misturados. E é aqui que começa a relação do Feebas com sua evolução. Para que peixinho feio (não o patinho) se torne um Milotic temos que aumentar o nível de BEAUTY do Feebas no máximo e daí então passarmos de nível. Quem diria, hein? Nos dias atuais, basta trocar o Feebas equipado com o item Prism Scale.

#2 Inkay --> Malamar

Nós avisamos que vinha coisa boa. A região de Kalos pode até ter trazido poucos Pokémon novos, mas isso não significa que são mais simples que os demais. Um bom exemplo disso é o Inkay. Agraciado com um hardware de certa forma robusto, com capacidade para projetar imagens em 3D sem o uso de óculos especiais, o Nintendo 3DS ainda possui um giroscópio que permite movimentarmos a câmera a partir do nosso próprio movimento. 


Mas e o que isso tem a ver com o Inkay? A gente explica: Tanto no anime quanto em certos momentos do jogo, o Inkay costuma virar de cabeça para baixo. Sendo assim, é natural que esse Pokémon tivesse algo relacionado a esse movimento. Só não esperávamos que para evoluí-lo em Malamar seria necessário virar o 3DS de cabeça para baixo. É ge-ni-al. Quem teve essa ideia é um gênio e merece nossos aplausos e eterno reconhecimento. Passados seis anos do lançamento das versões X/Y terem sido lançadas, esse ainda é um dos métodos mais criativos e inusitados. Atualmente, este método está disponível apenas no modo portátil do Nintendo Switch.

#1 Yamask (Galar) --> Runerigus

Chegamos no campeão dos campeões. O método Inkay é incrível? Sim, sem dúvidas, mas nada se compara a este aqui. Com o Yamask de Galar, a Game Freak subiu o sarrafo tão alto que nem a Yelena Isinbayeva, bicampeã olímpica e atual recordista do salto com vara, consegue ultrapassar. As evoluções sempre possuem ao menos uma condição para ocorrerem. Há métodos que possuem mais de uma condição, como Espeon, que além do nível de felicidade precisa ser evoluído no período da manhã. Até aí tudo bem, são condições relativamente fáceis de se conseguir. Agora, o que acontece com o fantasminha de Unova/Galar é fora de série.


Normalmente, o Yamask de Unova evolui para Cofagrigus a partir do Lv.34. Normal, sem stress. Já o Yamask de Galar possui um método “um pouco diferente”. Na Wild Area, há um setor chamado de Dusty Bowl. Aqui, várias formações rochosas podem ser encontradas, inclusive, podemos até transitar entre elas para acessar outros locais dentro dessa Wild Area. Uma delas lembra a aparência de um Stonehenge, muito comuns no Reino Unido. Para podermos evoluir o Yamask de Galar em Runerigus, primeiro é necessário que o Yamask receba 49 de dano ou mais e sobreviva, não importando o nível em que ele se encontra. O próximo passo é levá-lo até o Dusty Bowl na Wild Area e passar por baixo de uma das pedras. Como assim? O que tem a ver as pedras? E o HP?


Não sei vocês mas, sinceramente, não há método de evolução mais complexo e inusitado do que este. Depender do terreno do jogo para evoluir é algo novo, só que passar por baixo das pedras somado ao dano recebido é completamente inovador. E o melhor de tudo, há uma explicação para isso. A pedra que o Yamask de Galar carrega é conhecida como a Runa de Ingvar, criada para celebrar a morte dos guerreiros Vikings suecos - o que explica a quantidade de dano, tendo em vista o baixo HP de Pokémon do tipo GHOST - que morreram na batalha do Mar Cáspio. Não basta ser inusitado, tem que ter um background histórico para fechar com um Klefki Shiny.

Menções Honrosas

Além dos 10 Pokémon citados acima, há ainda dois que não poderíamos deixar de fora sem ao menos lembrarmos deles. Estamos falando do Milcery e do Farfetch'd de Galar. O primeiro passa pelo processo de evolução através de uma mecânica bem diferente e que muitos treinadores podem tê-lo evoluído por acaso. Isso porque, para se evoluir o Milcery, é necessário girarmos o analógico esquerdo em círculos e de forma rápida. Com isso, nosso personagem dará voltas e mais voltas e assim, o leite será batido, formando o chantily, Alcreamy. É, desse jeito mesmo. Já o segundo precisa aplicar três acertos críticos na mesma batalha para poder virar o Sirfecht'd, que inclusive rivaliza com o Escavalier ali em cima.
E ai, gostaram? Qual deles é o mais "estranho"? Mais desafiador? Totalmente sem sentido? Qual é o seu método de evolução favorito? Não concorda com a lista? Deixe nos comentários o posicionamento de vocês para podermos discutir sobre esse tema.
Revisão: Vladimir Machado
Referências: Bulbapedia

Formado em Sistemas de Informação e atualmente trabalhando com Integração entre Sistemas, Victor Carreta é fã de Pokémon desde os oito anos de idade, quando teve o primeiro contato com a franquia em seu Game Boy Color e desde então, são mais de 20 anos de alegria. Fanático por vídeo-games, gostaria de poder jogar mais tempo do que trabalha. Começou a tomar gosto por escrever quando estava caçando notícias sobre jogos da Nintendo e por acaso, acessou um tal de Nintendo Blast. Enquanto não está escrevendo, pode ser encontrado pela região de Sinnoh, torcendo por um remake dessa geração, que é a melhor de todas.

Comentários

Google
Disqus
Facebook