Pokémon Blast

Competitivo 102: De volta para o futuro: conheça o VGC 2015

Depois de aprender a história do campeonato mundial de Pokémon, vamos ver o que aguarda os treinadores este ano!

Saudações treinadores e treinadoras, cá estamos com o quarto capítulo do nosso Competitivo 102, sua aula semanal sobre o cenário competitivo Doubles de Pokémon. Após termos uma pequena aula de história sobre as origens do campeonato oficial dos monstrinhos de bolso e relembrar suas últimas seis edições, é chegada a hora de voltarmos para o presente e falar sobre o VGC ‘15, que está acontecendo neste exato momento. Sem mais delongas, peguem os cadernos e preparem-se para o combate!

A regulamentação

Antes de sequer falarmos sobre o presente estado do metagame, é preciso uma rápida avaliação das regras que regem o campeonato oficial de 2015. A maioria delas valem para todas as edições, mas sempre uma ou duas são novidades ou exclusivas para o ano vigente do campeonato, então é algo que vale tanto como referência histórica (para sua preparação para torneios futuros) como para estudo do metagame atual. Então, vamos às regras:

Como já é de conhecimento geral, todas as batalhas serão no formato Doubles e treinadores escolhem 4 de seus 6 Pokémon para a partida. O que alguns podem não saber é que todos os Pokémon acima do nível 50 têm seu nível reduzido para tal, enquanto os de nível menor se mantém no atual. Isso é importante pelo fato de que não é necessário treinar o seu monstrinho até o nível máximo para os torneios oficiais.

O jogo vigente neste ano é Pokémon Omega Ruby e Alpha Sapphire (3DS), então não poderão competir aqueles que forem com Pokémon X e Y (3DS). Há uma regra especial chamada Pentagon Rule, que define que não podem ser usados Pokémon que não tenham um pentágono em seu perfil, sendo este atribuído para as criaturinhas nascidas em Kalos ou Hoenn.

Algumas Clauses também fazem parte do metagame, embora sejam algumas das mais simples e menos restritivas. Treinadores não podem usar dois ou mais Pokémon que possuam o mesmo número na National Dex (a famigerada Species Clause), como também não podem usar dois itens iguais no time (também conhecida como Item Clause). O item Soul Dew está banido.

Bonito, né?
Está banido.
Os Pokémon Mewtwo, Mew, Lugia, Ho-oh, Celebi, Kyogre, Groudon, Rayquaza, Jirachi, Deoxys, Dialga, Palkia, Giratina, Phione, Manaphy, Darkrai, Shaymin, Arceus, Victini, Reshiram, Zekrom, Kyurem, Keldeo, Meloetta, Genesect, Xerneas, Yveltal, Zygarde e Diancie estão banidos do campeonato. E se aparecer algum espertinho dizendo “Ah, mas Hoopa e Volcanion estão liberados?”, gostaria de lembrar que nem lançados oficialmente eles foram.

O Mundial deste ano acontecerá em Boston, Massaschussets, entre os dias 21 e 23 de agosto. Para poder competir no campeonato derradeiro, é preciso se classificar e receber o convite para tal. Existem duas maneiras de segurar sua vaga: vencendo o campeonato Nacional de seu país ou acumulando pontos (Championship Points) o suficiente para estar entre os maiores de sua região. Por região entendam continente, e cada continente possui sua “nota de corte”. Como ainda não temos campeonatos oficiais no Brasil (como os Nacionais), a única chance que o brasileiro tem de ir para o Mundial é através de CPs.


Divisão Masters
Divisão Senior
Divisão Junior
EUA e Canadá
Top 40 (Top 8)
Top 40 (Top 8)
Top 24 (Top 8)
Europa
Top 60 (Top 16)
Top 60 (Top 16)
Top 36 (Top 16)
América Latina
Top 18 (Top 2)
Top 18 (Top 2)
Top 10 (Top 2)
Ásia
Top 18 (Top 2)
Top 18 (Top 2)
Top 10 (Top 2)
África do Sul
Top 2
Top 2
Top 2

A tabela acima demonstra que, para um jogador se classificar para Mundial através de pontos, ele precisa estar entre os Top X de sua região, conquistando isso por acúmulo de pontos em torneios como os Premier Challenges (que já acontecem no Brasil). Entretanto, a maioria desses jogadores conseguirão se classificar para participar do Primeiro Dia do Mundial, onde ocorrem rodadas eliminatórias para afunilar o número de jogadores. Os campeões de Nacionais e alguns seletos destes da tabela acima (os em parênteses) irão diretamente para o Segundo Dia, que seria o verdadeiro começo do campeonato. Vale ressaltar que o treinador deverá arcar com os custos de sua viagem e hospedagem para o local do torneio, salvo exceções (como vencedores de Nacionais e os convidados para o Segundo Dia).

Nos EUA, o VGC é levado
muito a sério.
O formato dos campeonatos do VGC variam de acordo com o tipo de torneio. Enquanto é praticamente predominante o uso de Swiss Cup (formato onde todos os participantes enfrentam uns aos outros ao menos uma vez), alguns campeonatos recorrem a melhor de três, enquanto outros colocam batalhas simples para a decisão. Por isso é preciso estar atento à regulamentação do torneio que pretende participar.

Quanto à premiação, neste ano a The Pokémon Company está ainda mais generosa que nos anos anteriores. Mais de 500 mil dólares em prêmios serão distribuídos para os participantes, seguindo a seguinte classificação:

De 16º à 9º lugar: duas booster boxes da expansão vigente de Pokémon TCG e apoio financeiro para estudos no valor de 1.500 dólares.
De 8º à 5º lugar: duas booster boxes da expansão vigente de Pokémon TCG e apoio financeiro para estudos no valor de 3.000 dólares.
4º e 3º lugar: duas booster boxes da expansão vigente de Pokémon TCG, apoio financeiro para estudos no valor de 5.000 dólares, um troféu de acordo com sua posição no ranking e convites para o próximo Mundial.
2º lugar: duas booster boxes da expansão vigente de Pokémon TCG, apoio financeiro para estudos no valor de 7.500 dólares, um troféu de segundo lugar, convites para o próximo Mundial e uma viagem com tudo pago para o local do campeonato em questão (incluso para um responsável se o campeão for menor de idade).
1º lugar: duas booster boxes da expansão vigente de Pokémon TCG, apoio financeiro para estudos no valor de 10.000 dólares, um troféu de primeiro lugar, convites para o próximo Mundial e uma viagem com tudo pago para o local do campeonato em questão (incluso para um responsável se o campeão for menor de idade).

Com isso cobrimos a maior parte das regras do VGC ‘15. Para mais detalhes, podem baixar o documento oficial de regras (em inglês), assim sabendo informações referente a duração das partidas e regras de registro de times, detalhes mais burocráticos.

A importância dessas regras

Após essa enorme carga de dados, é de igual importância saber analisar a situação e encontrar o máximo de informações úteis para quando você está se preparando para se aventurar no VGC ‘15. Por exemplo, a simples regra do jogo vigente ser Omega Ruby e Alpha Sapphire abre um grande leque de oportunidades inexistentes no VGC ‘14, pelo fato de Hoenn ter uma grande variedade de Pokémon que antes não estavam disponíveis, inclusos lendários que são cartas marcadas no cenário Doubles (como Cresselia e Landorus).
Enfim em Hoenn: a região tropical de Pokémon Ruby e Sapphire servirá de palco para o Mundial pela primeira vez desde seu lançamento, sendo a última região a servir de tal. Isso se deve ao fato de que o primeiro campeonato oficial ocorreu quando o jogo da vez era Pokémon Platinum (DS), que acontece em Sinnoh, e foi seguido por HeartGold e SoulSilver (DS), que contém Kanto e Johto. Posteriormente tivemos Unova com Black e White (DS) e suas sequências e Kalos com X e Y. Isso chega a ser irônico, já que foi em Hoenn que Pokémon começou a se tornar mais competitivo.
Outra coisa que chama atenção é o fato de que, pela primeira vez, existe a possibilidade de um brasileiro ir para o Mundial. Reunindo pontos o suficiente para se enquadrar entre os Top 18 da América Latina, o jogador poderá chegar até o Primeiro Dia do campeonato, ou até mesmo o Segundo se conseguir chegar nas primeiras colocações. O problema é que a falta de um teto de pontos pode ser um fator limitante, já que outros países da América Latina já estão familiarizados com o formato, além de que não é todo jogador que pode tentar a sorte em torneios fora de sua cidade, quiçá estado. É um problema de logística que brasileiros enfrentam muito: nosso país é grande demais.

Por fim, sem entrar em detalhes de preparação de times, temos o fator do nível 50 em jogo. Embora isso não pareça de suma importância agora (afinal, é só batalhas de nível 100 em escala menor), isso é muito importante, conforme falaremos em outras aulas. Todo o seu time será planejado para nível 50, levando em consideração o teto dos stats do monstrinhos neste estágio, e isso irá definir tudo. Mas isso é assunto pra uma outra aula…

Ask Me-owth

Agora vamos para a seção de perguntas e respostas que ficou em hiato na semana passada! Se você tem alguma dúvida, fique à vontade para se pronuciar nos comentários e sua pergunta estará na matéria da semana seguinte, ou pode me procurar via Twitter para uma resposta mais rápida. Sem mais delongas, vamos para a única pergunta desta seção:
Uma pergunta noob... Moves com dano em área tem seu power afetado? Tipo, parece que o Rock Slide fica ''Mais Fraco'' em double... Dei uma pesquisada mas não achei nada a respeito, então acho melhor perguntar.
— Filipe Aurion
E aí Filipe! Não se acanhe por achar uma pergunta “noob”, pois muitos como você podem ter tido a mesma dúvida e não fizeram por medo de parecerem iniciantes. A única ignorância que existe é aquela que lhe priva de adquirir novos conhecimentos. Dito isso: sim. Nas batalhas em dupla, golpes que atingem múltiplos alvos tem o seu Base Power reduzido para 75% do original. Sendo assim, Earthquake só tem 75 de força, enquanto Rock Slide é reduzido para 57. É uma forma de reduzir o impacto dessas técnicas e equilibrar um pouco a partida. Além disso, vale ressaltar que a precisão do golpe é calculada separadamente para cada alvo; se Rock Slide tem 10% de chance de errar um alvo, existe uma chance de uma em dez de errar cada um dos adversários.

E uma curiosidade:no anime, Rock Slide faz pedras surgirem do nada, como uma dobra espacial.
E isso conclui mais essa etapa do nosso Competitivo 102. Deixo aqui um pequeno aviso de que teremos um hiato na semana que vem e, a partir da semana seguinte, nossas aulas serão as terças à noite ao invés de sexta. Agora que já tratamos de todos os princípios básicos da batalhas em dupla, inclusive os formatos oficiais e o que pode ou não ser usado, podemos nos preparar para colocar a mão na massa e elaborar nossos Pokémon. Por isso, não percam a nossa próxima aula! Até breve!
Revisão: José Carlos Alves
Capa: Douglas Fernandes
Fellipe Camarossi é graduando em Ciências Contábeis e amante de uma boa discussão sobre videogames. Além de escrever para o Nintendo Blast, também é redator nas revistas Nintendo World e EGW. Para elogios e críticas, pode encontrá-lo no Facebook ou Twitter.

Comentários

Fórum
Google+
Facebook


Últimas do Fórum

Ver mais

No Facebook

Ver mais