A Link to the Blast

Majora´s Mask (N64/3DS) realmente é uma história sobre a morte de Link?

Teoria criada na internet afirma que Link está preso no purgatório durante sua jornada em Termina. Será verdade?


Ao longo dos anos, The Legend of Zelda conquistou os corações de milhões de jogadores que mergulharam fundo na mitologia criada pela série. O alto nível de detalhes que o universo de Hyrule apresenta, somado a devoção dos fãs, acabou resultando em um terreno fértil para o crescimento de uma infinidade de mitos e teorias envolvendo os títulos da franquia. Entre todas essas lendas, uma se destaca por ser obscura e envolver a mais sombria aventura de Link: Majora's Mask, inicialmente lançada para Nintendo 64, em 2000, e que este ano ganhou um remake para 3DS. Segundo essa sinistra tese, a jornada por Termina seria, na verdade, uma história sobre a morte do Herói do Tempo.


O argumento de que todo o enredo se desenrola em uma espécie de purgatório tem como base o estudo da psiquiatra suíça Elisabeth Kübler-Ross, pesquisadora que afirma que quando alguém atravessa um momento de luto, experimenta cinco estágios emocionais distintos: Negação, raiva, barganha, depressão e aceitação. Quem defende a teoria diz que Link está de luto por ter perdido sua amiga Navi e que, ao chegar em Clock Town, ele encontra alguns habitantes da cidade negando o fato de que a lua está prestes a cair. Os outros quatro sentimentos podem ser encontrados em Woodfall, onde o rei está raivoso devido ao sumiço de sua filha; em Snowhead, local em que Darmani tenta barganhar para voltar à vida; em Great Bay, quando Lulu está deprimida por ter seus ovos roubados; e em Ikana Valley, cenário que obriga Link a aceitar que sua amiga fada nunca mais irá retornar.
A procura por Navi em Lost Woods foi em vão...

Encaixar o estudo de Kübler-Ross dentro de Majora's Mask não foi suficiente para certos teóricos que continuavam procurando outras mensagens ocultas no jogo. Repensando a teoria, eles concluíram que a causa da tristeza de Link não foi a partida de Navi. Na verdade, o garoto atravessa os cinco estágios do luto após ficar abalado com sua própria morte, que acontece quando ele despenca de uma grande altura durante a perseguição ao Skull Kid em Lost Woods. A partir dessa queda, toda a aventura acontece em outro plano espiritual para onde Link foi transportado com o objetivo de pagar seus pecados antes de ter acesso ao paraíso. Após passar por todas as provações no purgatório, o herói finalmente recebe sua recompensa subindo aos céus para o descanso eterno, representado pelos belos jardins no interior da lua.
Segundo a teoria, os jardins lunares representam o paraíso

Por mais que pareça loucura, algumas passagens e fatos do jogo são usados para fortalecer essa teoria, por exemplo, de que os habitantes de Termina são idênticos aos de Hyrule porque não passam de memórias de Link. Outra questão levantada pelos teóricos é que, se Termina é um reino no subsolo, como tem um céu e uma lua lá em baixo? Mais uma prova de que o Herói do Tempo não está mais entre nós é a Fierce Deity's Mask, máscara que guarda seu espírito. Com tantos argumentos a favor, fica difícil acreditar que Link não está morto em Majora’s Mask. Será mesmo?

Desconstruindo um mito

Para provar que toda essa história não passa de boato, vamos derrubar os argumentos que a sustentam, começando pela própria morte do personagem. Oficialmente, Termina é descrita como um universo paralelo a Hyrule e para acessar essa outra dimensão é preciso atravessar algum portal. Voltando um pouco no tempo, em Ocarina of Time (N64), Link entra em portais logo após derrotar as criaturas dentro de cada templo. Essas passagens o levam para o Sacred Realm e depois para o lado de fora da dungeon, sempre no sentido do céu para o chão. Seguindo essa lógica, o portal para Termina apresenta o mesmo conceito, e, ao atravessá-lo, Link é seguramente transportado de cima para baixo, da mesma forma que ocorreu tantas outras vezes anteriormente.
Essa "queda" não parece ser tão mortal

O motivo dos habitantes de Termina serem idênticos aos de Hyrule se explica pelo fato de Majora's Mask ter sido um jogo desenvolvido às pressas, por isso, foi feita uma economia de tempo reaproveitando os mesmos sprites usados no game antecessor. Se desconsiderarmos esse argumento, também é possível esclarecer a questão repetindo a informação de que Termina é um universo paralelo a Hyrule. Existem diversas teorias na física que falam sobre mundos em outras dimensões e, muitas delas afirmam que é possível que exista outro ser exatamente igual a você vivendo em um espaço/tempo alternativo. Além de derrubar dois argumentos com o fato de os reinos serem paralelos, é possível destruir mais uma afirmação dos teóricos com essa informação: sendo um universo que existe em uma dimensão diferente, é claro que Termina teria seu próprio céu e lua.
Aceitar que Termina está em um universo paralelo ao de Hyrule já derruba boa parte da teoria

A história de que a Fierce Deity's Mask é a morada da alma do herói também não passa de balela. Apesar de todas as máscaras de transformações no jogo serem oriundas de algum personagem que já morreu, aquela que você adquire antes de enfrentar a encarnação da Majora’s Mask tem uma origem diferente. Segundo o produtor Eiji Aonuma, a máscara que lhe transforma em Oni Link carrega toda a esperança do povo de Termina.
“A melhor maneira de explicar a origem da Fierce Deity's Mask é que as memórias de todo o povo de Termina estão lá dentro”, disse o produtor em uma recente entrevista ao portal Game Informer.
Outro boato que foi criado para tentar tornar a teoria da morte de Link verdadeira foi o de que a música Elegy of Emptiness só poderia criar estátuas daqueles que não estão mais vivos. Entretanto, em nenhum momento do jogo essa informação é mencionada, e o fato concreto é que a canção tem a capacidade de criar réplicas de qualquer um.

O que Hyrule Historia tem a dizer?

Como se os fatos apresentados já não fossem evidências suficientes para mostrar que Link está bem vivo durante sua aventura por Termina, o livro Hyrule Historia também ajuda a derrubar a teoria. A principal prova que depõe contra o mito é a linha do tempo mostrada na publicação. Se o garoto realmente tivesse batido as botas, não haveria como seguir a cronologia com Twilight Princess (GC/Wii) e Four Swords Adventures (GC). A confirmação de que não existiriam esses outros dois jogos também está no livro, o qual descreve que o Link de Twilight Princess é descendente direto do garoto que evitou a queda da lua. Ou seja, para que a tese da morte fosse verdadeira, o Link de Majora’s Mask já deveria ter tido um filho antes de sair em busca de Navi, algo meio difícil para uma criança.
Hyrule Historia, obrigado pelo esclarecimento!

O Hyrule Legends também já detalhou essa teoria sobre a morte de Link, inclusive abordando outros pontos, como o papel do Happy Mask Salesman nessa história. Confira a análise.

Vivendo para sempre

Mesmo com bons argumentos para derrubar o mito da morte de Link em Majora’s Mask, são muitos aqueles que ainda acreditam na história. Apesar de não ser real, esse tipo de conteúdo merece ser levado em consideração, pois, além de ter sido bem elaborado, a criação de materiais do gênero incentiva a discussão sobre a franquia. Como resultado, esses debates acabam fortalecendo ainda mais a Lenda de Zelda. 

Revisão: Luigi Santana
Capa: Felipe Araujo
Vinicius Veloso é jornalista e obcecado por games (não necessariamente nessa ordem). Seu vício começou com uma primeira dose de Super Mario World e, desde então, não consegue mais ficar muito tempo sem se aventurar em um bom jogo. Está no Facebook ou Twitter.

Comentários

Fórum
Google+
Facebook


Últimas do Fórum

Ver mais

No Facebook

Ver mais