Perfil

Zelda: a detentora da Triforce da Sabedoria.

Com o lançamento de The Legend of Zelda: Breath of the Wild (Wii U/Switch), vale a pena revisitar a história da princesa de Hyrule.

Com mais de 30 anos no mercado, a franquia The Legend of Zelda já renovou o design de seus personagens diversas vezes. Sendo Zelda o nome dado a todas as princesas de Hyrule que acabam recebendo a Triforce da Sabedoria e possuem um grande papel na série. Apesar do título conter o nome da princesa, o herói do jogo é na verdade Link, o jovem que carrega a Triforce da Coragem. Porém, nesse texto falaremos mais sobre a bela princesa de Hyrule que é salva pelo herói na maioria das vezes.


A origem da princesa

Criada por Shigeru Miyamoto, que atualmente é um correpresentativo diretor da Nintendo, ela apareceu inicialmente em 1986 no Japão e em 1987 no ocidente. Desde então a princesa esteve presente em quase todos os jogos da franquia, não aparecendo apenas em The Legend of Zelda: Link’s Awakening (GB) e em The Legend of Zelda: Tri Force Heroes (3DS). A personagem foi bem recebida pelo público, recebendo pedidos para ter seu próprio jogo ou modo história.

Apesar de ser uma importante personagem dessa incrível série, o papel da heroína é de testar o herói, fazendo-o passar por diversas situações. O nome da personagem foi inspirado em Zelda Fitzgerald, uma novelista americana. Esse nome possui algum significado em diversas línguas, sendo os mais comuns “sorte” ou”felicidade” em Yiddish, “companheira” em inglês antigo e “mulher guerreira” em germânico.


Sábia Princesa

Em cada jogo da franquia, Zelda é demonstrada com personalidades diferentes, porém sua gentileza e benevolência sempre permanecem em todos. Como detentora da Triforce da Sabedoria, uma das relíquias sagradas da série, a jovem princesa é incrivelmente sábia e uma excelente líder, governando os habitantes de Hyrule com incrível proeza, porém essa retratação diferencia de jogo em jogo, como em Breath of the Wild, no qual Zelda não se sente capaz de governar.

Apesar de não ser demonstrada como uma boa lutadora, Zelda sempre busca fazer o certo, protegendo e ajudando as pessoas, sempre disposta a se sacrificar para o bem maior. Por esse motivo a princesa acaba precisando da ajuda de um herói. Jogos como Super Smash Bros. (3DS/Wiiu) e Hyrule Warriors (3DS/WiiU) mostram a detentora da Triforce da Sabedoria como uma força a ser temida por seus oponentes.


Em alguns jogos como The Legend of Zelda: The Wind Waker (GC/Wii U) e em The Legend of Zelda: Skyward Sword (Wii), Zelda possui uma personalidade mais brincalhona. A princesa do The Legend of Zelda: Ocarina of Time (N64) já possui uma personalidade mais forte, diferentemente da princesa encontrada em The Legend of Zelda: Twilight Princess (GC/Wii), que já é mais fria e contida.

As muitas faces da princesa

Como descrito acima, as mudanças na princesa não ocorrem apenas em sua personalidade, mas também nos aspectos físicos da personagem. Zelda normalmente é mostrada como sendo uma criança, adolescente ou jovem adulta, normalmente tendo uma idade próxima daquela demonstrada pelo herói de sua era.


Sendo descrita como uma bela jovem, a princesa geralmente possui cabelos loiros e olhos azuis, fato que apenas não ocorre em Twilight Princess, em que ela possui um cabelo castanho claro. Zelda normalmente é mostrada com um longo vestido rosa adornado por uma enorme quantidade de joias que normalmente possuem o símbolo da Triforce.

Força da Triforce

Em alguns jogos, Zelda possui um grande poder mágico ou psíquico, sendo capaz de lançar magias, telepatia, manipular barreiras e a debatível mudança de gênero. Alguns dos poderes mágicos demonstrados pela princesa poderiam ser explicados pela Força da Luz, um poder passado de geração para geração dentro da família real de Hyrule.


Mas a origem desse poder, na verdade, possui diferentes explicações. Em Skyward Sword, por exemplo, é dito que a princesa e suas próximas reencarnações possuem alguma ligação com a deusa Hylia. Já em The Legend of Zelda: Breath of the Wild (Wii U/Switch), é dito que a princesa possui o sangue da própria deusa. Sendo que a Zelda em Breath of the Wild também possui um grande interesse na ciência e na tecnologia antiga.

Apesar de carregar algumas armas em determinados jogos da série, como a espada curva em Wind Waker e a Rapier em Twilight Princess, a princesa não demonstrou nenhuma habilidade de fato em combate. Porém já foi mostrado que ela possui alguma habilidade com arco e flecha, chegando a usá-los durante a franquia. Zelda também possui uma grande habilidade em cavalgada.


Assim como as várias reencarnações de Link, muitas reencarnações da princesa possuem uma excelente habilidade musical. Em vários títulos da franquia, a princesa é vista tocando algum instrumento. Zelda também possui dois alter egos, Sheik, sua versão masculina em Ocarina of Time, e Tetra, a pirata de Wind Waker.

Vida longa à princesa

Proteger sua população e lutar para impedir que o mal dominasse o mundo fez dessa incrível personagem ainda mais marcante. Zelda se torna uma personagem um pouco diferente em cada história e sempre nos surpreende com suas habilidades e decisões, dando aquele empurrão sempre que necessário para que Link siga sua jornada.

Em sua mais nova aparição, em Breath of the Wild, Zelda sela Calamity Ganon, demonstrando mais uma vez seu poder e benevolência. Torcemos para que um dia tenhamos uma história protagonizada pela princesa e para que ela continue sempre lutando ao lado de Link nos futuros jogos da série.


Gostam da personagem? Deixe sua opinião nos comentários.

Revisão: Luigi Santana
Antonio Stark escreve para o Nintendo Blast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook