Blast from Japan

Dragon Ball Z: Super Saiya Densetsu (SNES) é um RPG para ficar na memória

O RPG que é um verdadeiro fan service para aqueles que exigem fidelidade ao material original, seja no mangá ou no anime.

Em um período em que a grande maioria dos RPGs era baseada em escolhas simples e mecânicas como ataques, magias ou itens, Dragon Ball Z: Super Saiya Densetsu (SNES) trazia um conceito bastante diferente baseado em um jogo de cartas onde o jogador, além de ser responsável por fazer as melhores escolhas, também precisava contar com um pouco de sorte no momento da jogada do inimigo.

Um clássico eterno

Akira Toriyama se tornou um dos artistas japoneses mais famosos do mundo por conta de seu trabalho como ilustrador de mangás e jogos. Apesar de sua produção ser algo gigantesco, contando inclusive com trabalhos artísticos em jogos como Chrono Trigger (SNES), Blue Dragon (X360) e Tobal nº1 (PS1), sua fama se deve a um fenômeno chamado Dragon Ball, seguido de seu sucessor Dragon Ball Z. Criado em 1984, os mangás dessa história de Toriyama foram publicados pela revista Weekly Shonen Jump, que posteriormente foram adaptados para a TV em formato de anime.


A série também recebeu diversos jogos em praticamente todos os consoles de sua época, inclusive nos consoles atuais, sempre contando com um público que, mesmo já adulto, se mostra fiel. Dragon Ball e Dragon Ball Z se tornaram febre no Brasil, cativando parte considerável da audiência infantojuvenil dos canais de televisão do final da década de 1980 e início da década de 1990.

Um gigante já bastante conhecido

Dragon Ball Z: Super Saiya Densetsu, ou Dragon Ball Z: A Lenda do Super Saiyajin em tradução livre, foi o primeiro jogo da série lançado para o Super Nintendo. O game foi lançado apenas no Japão para o Super Famicom em 1992 devido ao grande sucesso da animação nas ilhas nipônicas. Todavia, era muito comum ver cópias do game aqui no Brasil, pois se tratava de um jogo baseado em uma série que também fazia muito sucesso por aqui.


Mas como se jogava um jogo todo em japonês? É… Então… A galera se virava! Em um período em que não se tinha acesso a traduções e cópias mais “facilitadas” ou até mesmo precariedade de acesso à informações sobre esses jogos, o jeito era jogar e se divertir mesmo não entendendo absolutamente nada.

Mas esse game em específico era um caso à parte. A maioria dos jogadores já estavam a par do enredo do anime, o que tornava a jogatina algo mais palatável. Afinal, todos os personagens, cenários, golpes e cenas faziam parte do consciente das crianças e jovens da época. Isso fez com que game se tornasse um jogo extremamente popular no Brasil, mesmo com todo o seu conteúdo em japonês.

Sistema original com fidelidade total

Dragon Ball Z: Super Saiya Densetsu era uma pérola para os apaixonados pelo anime. Tratava-se de um RPG extremamente fiel às primeiras sagas de Dragon Ball Z. O enredo do game se passa em três sagas da animação: Raditz, Freeza e Vegeta, onde o jogador controlava dois personagens principais Goku e Piccolo. Vários outros aliados podem ser encontrados durante o jogo, mas o jogador só perde se um dos principais morrer, possibilitando ressuscitar os outros através das esferas do dragão no fim do game.


Suas batalhas fogem do conceito clássico de RPGs, pois conta com um sistema de jogo de cartas. Nesse sistema, cada carta tem um número de uma esfera ou um “Z” no topo seguido de um símbolo em seu centro. As cartas com o símbolo azul permitem que o personagem lance uma magia escolhida pelo jogador. Quanto mais forte a magia, mais pontos ela consome. Os confrontos se desdobram com uma lógica muito simples onde as cartas mais "fortes" se sobrepõem a jogada do outro com uma carta mais “fraca”. O aspecto mais interessante dessas batalhas são suas animações extremamente bem feitas para um jogo de sua época, e que ainda tinham consigo aquele feeling do anime, com montanhas sendo destruídas, magias conhecidas pelos fãs e personagens despencando do céu direto para o chão. Tratava-se de um verdadeiro fan service!


Gráficos e trilha sonora que passam despercebidos

Dragon Ball Z: Super Saiya Densetsu não contava com gráficos incríveis. Muito pelo contrário, seus gráficos eram muito simples frente aos jogos de sua época. Seu auge estava nas animações pixeladas de batalha que eram muito bem feitas.

A trilha sonora do game é simples e repetitiva, todavia, assim como em Captain Tsubasa (NES), eram músicas que ficavam na cabeça e que conferiam ainda mais identidade ao game. Em um período em que não se dispunha tantas opções de RPGs da série Dragon Ball, esse título cativou muitos gamers que viram nele um conceito muito próprio apesar de sua simplicidade.

Um clássico a ser revisitado

Dragon Ball Z: Super Saiya Densetsu (SNES) é um game nostálgico! Para quem já jogou, revisitá-lo é um ato quase obrigatório. Para aqueles que nunca tiveram contato com o game, vale a experiência do primeiro jogo da série para Super Nintendo. Um verdadeiro clássico de sua época.

Revisão: Pedro Franco
Ramon Mulin escreve para o Nintendo Blast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook